1. Spirit Fanfics >
  2. Colega de quarto( imagine Jeon Jungkook) >
  3. Chapter 18; promessa

História Colega de quarto( imagine Jeon Jungkook) - Capítulo 18


Escrita por:


Capítulo 18 - Chapter 18; promessa


Fanfic / Fanfiction Colega de quarto( imagine Jeon Jungkook) - Capítulo 18 - Chapter 18; promessa

Pv's Ito Anastácia

-    não faça  isso em público   -  digo e  Jungkook afasta seu braço  de minha cintura.

-   esse namoro e um pouco difícil,  quase não posso nada quando na verdade tenho vontade de te fude ali naquela mesa  -  fala tais palavras em meu ouvido.

-  você não tem vergonha na cara   -  digo

-  talvez o Jungkook da Universidade tenha mais  o seu não tem  -   diz 

-   certo eu tenho que ir   -   digo pensando em Levi

-   aquele garoto é chato  -  diz 

-    eu não sei   -  digo e saio  dali o deixando sozinho, chego até  a minha mansão  e me sento num balanço  que tinha no jardim.

As arvores me fazem sentir algo familia esse cheiro me faz  sentir que falta algo, isso e um pouco frustante tenho certeza que falta mais não consigo saber oque é.

-   no que tanto pensa  -  aparece no meio das plantas e senta ao meu lado.

- tem certeza de que não esta me seguindo?   - pergunto e ele sorri.

-      você parece bastante com ele,  mais na realidade não  é   -   diz o garoto e eu tento entender oque ele quer dizer até  que finalmente consegui.

-    quando você descobriu?   -  pergunto  e ele sorri

-   desde o início,  você sabia tantos idiomas e  era fria e sempre seria,  ele nunca seria assim pelo menos não com os outros   -  diz,   então  esse garoto conhece meu irmão.

-     vocês  era amigos?   -  pergunto

-   eu o conheço  mais que qualquer um, comigo ele sempre era o seu verdadeiro eu, vom os outros ele tentava agradar afinal era um Ito  -  diz

-   entendi   -  digo  -   se quiser conta a todos os outros eu sinto muito por você, sou alguém que sabe oque fazer sempre com base na minha capacidade e tenho uma experiência diferente da do meu irmão  que viveu bem assim eu fui obrigada a isso, mais mesmo assim ainda consigo fazer você desaparecer sem deixa rastros  -   digo vendo ele me olhar com a sobrancelha arqueada.

-    você...veja só são  realmente diferentes você reagiu na hora com um plano ele simplesmente teria me matado  -   diz 

-    certo ele era alguém que eu tinha a certeza de entender mais não saber nada sobre   -   digo

-     você era um grande tesouro para seu irmão    -  diz

-    talvez sim talvez não   -   digo fechando os olhos e passando a mão nos cabelos quando percebo Levi me encarava.

-   vocês sem iguais, é como ver Anastacius  -  diz

-  esse nome é  dele e eu o roubei,  nem mesmo descansar eu deixei ele fazer ksksks aquela maldita família realmente era tudo para ele kskskssksks eu realmente não entendo eu os odeio tanto  -   digo  -   se ele estivesse vivo eu sequer teria saido daquela casa eu acho que eu estaria la como ele quer, eu poderia ser até  uma boa arma para o governo com tamanha inteligência eu poderia inventar alguma coisa e ficar bilionária mais mesmo assim se ele estivesse vivo eu estaria presa naquela casa  - digo pensando em tudo oque passei,  o garoto ali so me olhava.

-    isso seria algo ruim?  -  pergunta

-   ser uma sombra kskssk, viver somente porque ele quer, existir só  para cuidar dele sksksk  isso tudo e uma droga, eu era boa em tudo que existia se ele fazia algo bom eu fazia essa coisa ser perfeita enquanto eu a fazia mais mesmo assim nem uma atenção,  como ele sequer ousou tentar tirar a unuca coisa que me acompanhava, eu me lembro bem ele disse que eu não precisa estudar tanto  -   digo

-   você deve odia-lo  -  diz

-  eu? Que direito eu tenho de sequer odia-lo eu o amava deveria ter ido no lugar dele,  pelo menos eu não teria sofrido oque eu sofria   -    digo -    ser ele é a coisa mais dificil que fiz na vida  -  digo

-    eu acho que na verdade você gosta dessa vida todos notam você e querem sua atenção  -  diz o garoto.

-  ninguém quer minha atenção eles querem a do Anastacius ninguém fica impressionado comigo e sim com Anastacius, Anastácia morreu naquele incêndio e eu a matei  -  digo e o garoto sorri satisfeito.

-    senhorita  Anastácia eu estou aqui para lhe levar ao caminho do Anastacius  -  diz  com um sorriso.

-   oque?  -  digo confusa

-   só  fique tranquila   -   diz  -   e sem ninguém alem de mim de seu lado  -   diz  com uma expressão sombria, o garoto vai embora e  eu vou até  meu quarto , e me deito começo  a pensar nas coisas e minha cabeça  começa  a doer e de repente vem algumas imagens até  minha cabeça

Flashback on

-   você esta aqui de novo  -   digo para o garoto

-   eu disse que viria embora seu irmão foi um pouco grosso   -  diz o garoto que segurava algum  tipo de bola.

-   seria isso uma bola de futebol?  -   pergunto e ele sorri de mim

-   claro que não essa é uma bola de basquete  -  diz

-   oque basquete?  -  pergunto e o garoto começa  a explicar   -   então  você quer jogar isso no fututo?  -  pergunto e ele concorda  -  porque?  -   pergunto

-   porque  eu  gosto muito disso, é como você  esta sempre com um livro é porque você gosta de ler   -   fala

-   eu gosto de ler?  - pergunto e o garoto solta uma risada

-   como é possível alguém como você existir  - fala

-   bom eu nasci igual a  você    -   falo-   só  que eu não nasci sozinha  -   digo

- hahaha,  então  você quer aprender a jogar?  -  pergunta o garoto e eu concordo ele começa  a mostrar como se faz  -   uau você é boa nisso  -  diz 

-    oque pensa que esta fazendo  -  diz  Anastacius agarrando meu braço  e o puxando para si.

-   aprendendo a jogar basquete  -   digo

-   eu não permiti que o fize-se, então  você  não o fara   -   diz meu irmão e o garoto me puxa de Anastacius.

-  pare com isso você não pode dizer oque sua irmã  tem que fazer, ela tem direito de escolher  -  diz 


-  hahaha, ela faz oque eu quero assim como você  também   -   diz  meu irmão

-  irmão  ele e meu amigo não faça  nada  -   digo

- oh ele é seu amigo agora você também tem amigos? Daqui a pouco estara namorando, me pergunto se eu não  fui severo o suficiente   -    diz  o meu irmão  e me arrasta pra dentro da casa vou até  a sala isolada e começo  a tocar piano.

-  que  musica bonita  -   diz   uma empregada, olho para ela sem expressão alguma

-   saia  -   digo e ela vai embora, e eu continuo  a tocar o piano sem emoção, até  começar  a lembrar do garoto e sua bola de basquete e então  a melodia começa  a mudar, era algo doce  e acolhedor  essa melodia era diferente de tudo que eu havia tocado as outras estavam sem falha alguma mais não tinha esse som  eu consigo sentir a algo quente em meu peito.

-  pare de tocar  -   diz   Anastacius que estava na porta  -    você que expressão é essa? Esta pensando na quele garoto?  -  pergunta e de repente fica furioso  -   eu vou mata-lo não  ha quero ver sorrindo por conta desse garoto  -   diz

-   certo você tem que ser feliz a cima de tudo eu sinto por esse erro  -   digo ficando sem sentimento algum, o garoto vem até  mim e me abraça.

-    você é uma boa irmã, eres muito obediente  -   diz  sorrindo.

▪︎▪︎▪︎


-  você se encontrou com ele de novo, dessa vez eu o matarei  -   diz e sai pela porta tento ir até  ele mais sou impedida por duas empregadas e sou trancada no quarto do castigo, quando sai ja era de tarde, fui até  o jardim  e vi aquele garoto todo machucado corri até  la e o ajudei.

-     ele arruinou  minha família, ja não posso jogar ele estragou todas as minhas chances  -   diz  -   minha família e eu passaramos o resto de nossas vidas trabalhando para pagar ele  -   diz 

-   eu sinto muito, eu não devia ter me aproximado de você  e isso que acontece toda vez que tenho tais sentimentos eu tenho que continuar sendo vazia, eu queria poder te pagar  -   digo e o garoto sorri e me abraça.

-    me prometa que jogara basquete por mim, pelo menos uma vez você e tão  boa nisso você provavelmente teria uma grande chance, você precisa ganhar um nacional  -   diz   o garoto sorrindo

-   eu prometo que jogarei por você não  importa  oque  -   digo e o garoto sorri  -  você poderia me dizer seu nome ? - pergunto  e ele assentir

-  eu sou o...  -  fala mais não  saio som de sua boca era como se tivesse ficado mudo e de repente Anastacius empurra  o garoto que cai em uma pedra, Anastacius  me agarra e leva pra dentro.

Flashback off

Oque de quem são  essas lembranças como eu posso te-las esquecidos, isso aconteceu mesmo? E quem era aquele garoto quando ele disse seu nome era como se eu tivesse ouvido mais foi apagado de minha memória.





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...