1. Spirit Fanfics >
  2. Colegas de quarto (Imagine Noah Urrea) - Noah Urrea (Now United) >
  3. Krystian

História Colegas de quarto (Imagine Noah Urrea) - Noah Urrea (Now United) - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Leiam as notas finais!!!

Depois irei revisar o capítulo, desculpe se houver erros.

Capítulo 3 - Krystian


Fanfic / Fanfiction Colegas de quarto (Imagine Noah Urrea) - Noah Urrea (Now United) - Capítulo 3 - Krystian

- O que? - Pergunto surpresa por algo repentino.

Ele iria responder mas ouvimos a porta ser aberta desesperadamente por Josh que segurava uma frigideira e Any atrás bocejando.

- Por que está assim? - Perguntei levantando rapidamente.

- Ouvimos um grito, o que aconteceu? 

- Eu acho que você ouviu o grito do Noah caindo da cama. - Falo rindo e ele descansa os ombros frustrado.

- Sério? - Pergunta aliviado logo em seguida.

Assinto.

- Não acredito que você fez eu ir contigo na cozinha para pegar uma frigideira  para NADA! - Any fala e sai do quarto.

- Então... tudo ok, né? - Josh pergunta e nós dois assentimos rindo.

Ele saiu do quarto, então virei novamente para Noah que virou-se para o outro lado.

“Talvez ele tenha falado dormindo”

(...)

Noah Urrea

De manhã, eu me levantei cedo e até a cozinha para fazer o café. 

Fiquei olhando pela a janela e lembrei de ontem. Eu não sei se era o horário mas não sei o que deu em mim em ter pedido aquilo para S/N e o pior de tudo, eu odiei o fato de Josh ter atrapalhado, me fez ficar com uma vergonha imensa de pedir novamente o beijo da garota.

- Por que está acordado cedo? - Saio dos meus pensamentos ao ouvir a voz de Sina.

- Só não consegui dormir. 

- Noah... Eu não sei se esse seria o momento certo para te dizer isso - Ela fala se aproximando e para ao meu lado.

- Pode confiar em mim para tudo, Sina - Falo simpático.

- Eu quero dizer isso há um tempo, mas eu gosto de você e muito, tipo eu amo você. E queria perguntar se você pode me dar uma chance de provar a você que posso ser uma ótima companheira - Ela termina de falar e eu fico estático tentando assimilar tudo.

“S/N estava certa”

- Noah? - Ela me chama e eu saio dos meus pensamentos.

- Sina, eu acho que... preciso de um tempo para pensar - Falo e vejo a expressão de decepção em seu rosto.

- Tudo bem - Ela sorri fraco e me dá um beijo na bochecha.

S/N

Acordei e vi que Noah não estava mais na cama. Então resolvi ir escovar os dentes e vesti uma roupa normal.

Sai do quarto e fui para cozinha mas parei ao ver Noah e Sina conversarem, eu posso está sendo atrevida mas me escondi atrás da parede e ouvi a conversa deles.

Ao ouvir as palavras de Sina, eu confirmei o que eu falei para Mariana (amiga do Brasil) mas não foi nisso que eu pensei, eu odiei o fato dela ter se declarado para Noah.

Não sei explicar muito bem, mas eu senti um medo invadir meu corpo, talvez da possibilidade dele aceitar seu pedido de namoro? Não sei e não quero saber. Não posso ter me apaixonado por um garoto que conheci há dois dias.

Quando Sina saiu da cozinha, fingir que havia chegado agora e ela nem me olhou mas mantia um sorriso em seu rosto. Entrei no cômodo e senti o olhar de Noah sobre mim.

- Bom dia - Ele fala baixo mas consegui ouvir.

- Bom dia.

- Então... hoje eu vou trabalhar de tarde. Em meu quarto... - Ele fala meio apreensivo e eu estranho.

- Você trabalha em algum tipo de hortmart? - Pergunto inocentemente.

- Não, eu só queria pedir que você fizesse o mínimo de barulho possível, exige concentração e inspiração.

Estranho o tom de suas palavras mas dou de ombros e concordo com a cabeça.

(...)

- Até outro dia, pessoal - Acenei para eles.

Vi Sina roubar um selinho de Noah fazendo o mesmo rir sem graça. Isso acabou me deixando enciumada mas obviamente não demonstraria.

- O que vamos fazer agora? - Noah pergunta 

- Eu vou sair - Falo ríspida.

- Para onde vai? 

- Isso não é da sua conta. 

- Por que está assim?

- Assim como?

- Grossa.

- É o meu jeito.

- Você não é assim.

- Você me conhece há dois dias, não tem como saber.

Ok, falou a garota que está começando a gostar de um garoto que conheceu há dois dias.

- Tudo bem - Ele se rende e sai do cômodo.

(...)

Eu havia saído para procurar um emprego, não dá para viver do dinheiro do Noah né. Mas agora  o problema é que eu não sou formada em n a d a!

Peguei um jornal que vendia em uma banca e fui na seção de empregos. Estão procurando uma babá com um ótimo salário, anotei o número que tinha no jornal e rapidamente o devolvi.

Fui para um banco de uma praça e peguei meu celular para ligar.

- Alô?

Alô, tudo bem? Eu queria saber se o emprego de babá que foi anunciado no jornal com esse número ainda está disponível? 

- Sim está, você tem interesse?

Sim, tenho.

- Anote o endereço então.

Rapidamente coloquei no viva voz e fui para meus blocos de nota e anotei o endereço.

- Venha amanhã as 9:00 AM para fazermos uma entrevista com a senhorita.

Tudo bem, obrigada.

A pessoa desliga o telefone e eu fico animada. Obrigada Deus, por ter me feito ser uma babá nos Estados Unidos. 

Enfim, resolvi da apenas mais uma volta nas ruas pois estava brava ainda com Noah e ficar lá só vai fazer ele acreditar mais ainda que eu gosto dele e isso não é verdade!

Eu tenho que pôr isso na minha cabeça. 

(...)

Enfim, voltei para casa, passei quase toda a manhã fora fazendo altos nadas, mas as vezes é bom tirar um tempo para si mesma.

Vi que a porta de Noah estava fechada e aí lembrei que ele estava trabalhando, então resolvi não fazer barulho. Fui tomar banho e trocar de roupa.

Quando passei pela porta de Noah ouvir ele cantar baixo mas ainda sim dava para ouvir. Acho que ele não sabe que estou em casa.

Então ele é músico...

Sorri e continuei ao ouvir sua voz mas logo parou, foi ai que eu percebi que ele havia aberto a porta e me encarava assustado ao ver eu parada em sua frente.

- Você ouviu algo? - Ele perguntou nervoso.

- O que? Não, não. Acabei de sair do banho! - Disfarço.

- Que bom - Ele fala aliviado e eu estranho.

“Por que ele não quer que eu saiba de sua profissão?” 

- Você está melhor? - Ele pergunta enquanto me seguia até a cozinha.

- Do que eu estaria melhor? - Arqueio a sobrancelha.

- Ah, é que você ficou estranha depois que o pessoal foi embora.

- Não fiquei não.

- Ficou sim.

- Não fiquei.

- Deixa de ser teimosa.

- Deixa de ser intrometido.

Ele me olha com cara de tédio e depois desiste de insistir.

- O que foi fazer na rua?

- Não sabe fazer outra coisa a não ser pergunta sobre minha vida?

- Deixa de ser chata. Só fico preocupado... 

Olho estranho para ele, por que ele ficaria preocupado com uma mera estranha?

- Arranjei um emprego.

- Sério? Que legal, em que? - Ele fala animado.

- Bom, na verdade, eu ainda irei fazer a entrevista mas vou ser babá.

- Você tem experiência com isso? 

- Eu cuidava do meu irmão quando ele era mais novo. - Dei de ombros.

- Mas eu acho que você não vai poder dar uns cascudos no filho de outra pessoa né? - Ele ri e eu faço o mesmo.

- Uma pena.

(...)

No dia seguinte

Eu estava a caminho da casa dessas pessoas até me dar conta que eu estava em um bairro nobre. Não acredito que vou ter que criar criança mimadinha!

Cheguei na casa e apertei a campainha, logo os portões foram abertos. Então caminhei aquela “passarela” toda até a entrada da casa. Gente rica é tão exagerada.

- Olá, entre - Vejo um homem de smoking.

- Com licença - Falei educadamente.

- Vou chamar a senhora Wang. - Ele fala e eu assinto - Pode se sentar.

Eu olho para os móveis e me sento no sofá, esperei uns minutos e vi uma senhora muito elegante descer as escadas.

Me levanto imediatamente.

- Olá, senhorita. Como se chama? - Pergunta educadamente.

- Me chamo S/N, prazer - Estendo a mão e ela aperta.

- Vamos nos sentar. - Ela fala e eu sento novamente.

- Bom, vou te fazer algumas perguntas e te digo aqui na hora se te acho qualificada para o serviço.

- Tudo bem. 

- Me diga o mais básico sobre você, idade, cidade, etc.

- Eu tenho 19 anos e sou do Brasil, tenho um irmão, um pai e uma mãe no meu país. Moro com um garoto em um apartamento aqui em Nova York e tenho um pouco de experiência com o ramo de babá.

- Onde já trabalhou como babá? 

- Já cuidei do meu irmão e os filhos de umas amigas da minha mãe quando eu tinha 16 e 17 anos. 

- Algo mais não profissional, entendo. A senhorita não tem algum tipo de passagem pela polícia não né? 

- Não! - Falo assustada fazendo a senhora rir.

- Estou brincando, eu acho que posso te dar essa chance senhorita. Eu vou te apresentar meus filhos, você só terá que cuidar da mais nova pois o meu outro filho tem 19 anos também mas ele faz uma faculdade e não tem tempo para cuidar da irmã.

- Tudo bem. 

Ela pediu para o homem que me recebeu chamar seus filhos e nós ficamos sorrindo uma para outra mas diferente de mim que estava super sem graça, ela me olhava tranquilamente.

Vi um garoto descer de escada junto a uma menina pequena e fofa.

- S/N, esses são Nanjun e Hinata. - Ela se levanta e vai para o lado dos filhos.

- Prazer, S/N - A pequena acena e eu sorriu.

Que fofa!

- Me chame de Krystian, por favor - O garoto fala e estende a mão fazendo darmos um aperto de mão.

- Bom, eu vou indo então, amanhã eu volto. - Falo animada e ela sorri.

- Até mais, senhorita. - A mulher fala e eu saio da casa.

(...)

Cheguei em casa e vi que estava muito silêncio.

- Noah? - Não obtive nenhuma resposta.

Fui andando pela casa, abri cada a porta de cada cômodo mas não havia ninguém. Bati na porta do seu quarto, já que ele disse para não entrar sem permissão.

- Nada... onde esse garoto está? - Estranho.

Dou de ombros, então vou tomar outro banho e trocar de roupa. Fiz meu café da tarde e fui para a sala para assistir algo, tenho que aproveitar hoje já que a partir de amanhã eu vou trabalhar.

De noite

- Já são 23:00 horas e nada do Noah - Falo sozinha pois estava estranhando o fato dele sair sem falar nada.

Afinal, toda vez que eu saio ele sabe onde estou indo. Nem pra deixar um bilhete!

Eu estava me preparando para dormir, até que ouço a porta ser aberta, então rapidamente vou par a sala, afinal poderia ser Noah.

“Eu não deveria ter feito isso” 

Vi a cena de Noah e Sina se beijando, o que mais incomodou é que ele estava retribuindo, ele estava ali porque queria. Mas claro que eu não ia deixar aquilo rolar, acendi a luz da sala fazendo os dois se assustarem.

- S/N? Por que está acordada? 

- Porque talvez você esteja desde tarde fora de casa e eu estava um pouco preocupada. Mas acho que da próxima eu já sei.

Noah Urrea POV

- S/N, espera! - Eu iria atrás dela mas Sina puxou me fortemente.

- Por que vai dar moral a ela? Ela não é nada sua!

- Sina, acho melhor eu ir te deixar em casa, não sei se é um clima muito agradável para fazermos algo agora. 

Ela bufa mas acaba concordando. Vou deixar ela em casa e rapidamente volto.

- S/N - Chamo seu nome bato na porta.

- O que? - Ela abre e eu vejo que ela estava com cara de sono.

- Te acordei?

- Fala logo - Ela fala ignorando minha pergunta.

- Desculpa por isso.

- Por que está pedindo desculpa?

- Porque sei que isso deve ser desconfortável.

- Sabe e por que fez?

- Eu não estava pensando na hora que estava exci... - Parei ao perceber o que eu ia falar.

Ela fecha a porta com força e eu me sinto mal. Mas não sei porque, nem namoramos.



Notas Finais


E foi isso, temos aqui a entrada de mais um menino do Now United nosso chinês favorito ❤️

Lembrando que tudo aqui é fictício então o Krystian tem sim uma irmã na fic.

Queria deixar um aviso: Eu não atualizei ontem pois estava ocupada demais, comecei a escrever capítulo mas não terminei, então perdão.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...