História Colégio Interno - Capítulo 15


Escrita por: e danielms97

Postado
Categorias A Guarda do Leão, Rei Leão
Personagens Beshte, Bunga, Fuli, Gogoi, Janja, Kiara, Kion, Kovu, Nala, Ono, Personagens Originais, Pumba, Rafiki, Reirei, Sarabi, Sarafina, Simba, Timão, Vitani, Zazu, Zira
Tags Kiuli, Kopani, Kovara, Rei Leão, Tlg, Tlk
Visualizações 52
Palavras 3.496
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi pessoal! Voltei com mais um capítulo para vocês! Espero que gostem! 😘
A mulher da capa é a Viviane, uma personagem nova, que terá grande importância para o desenrolar da história e faz parte de um passado nada bom do Simba.

Capítulo 15 - Segredinhos do passado e conflitos do presente!


Fanfic / Fanfiction Colégio Interno - Capítulo 15 - Segredinhos do passado e conflitos do presente!

Simba P.O.V

E começava mais um dia. Não sei como consegui dormir essa noite, na verdade. Que porcaria de dia foi ontem!

Agora ouço um barulho exagerado de cortador de gramas, e não demoro muito para associar que deve ser minha nova "vizinha". Inacreditável!! - penso enquanto me levanto mal humorado. Vou até a janela verificar e infelizmente estava certo quanto a minha hipótese, e para piorar a situação ela estava de biquíni cortando grama!! Será mesmo que ela pensa que algum dia da minha vida eu irei dar bola para ela? Pobre iludida!

Desço para o café da manhã, ainda desconcertado de tudo que estava acontecendo. Era mais um tribunal pela frente... onde quem sabe eu poderia recuperar o que perdi no mais recente. E agora eu tinha que resolver a questão das crianças. Que merda! O que eu menos queria era ter que levá-los de volta à escola onde estariam aqueles vândalos. Mas que escolha eu tinha? Me sentia preso àquela situação ligeira e, ao mesmo tempo, interminável!

Olho minha esposa na cozinha e paro no tempo por alguns instantes, pensando no que Zira havia dito ontem de manhã, que sabia dos meus "segredinhos do passado"

Como é que ela poderia saber algo?? Faz tanto tempo! Provavelmente alguém contou para ela sobre meus dois casos extraconjugais... Nala soube de um e me perdoou, depois disso nunca mais traí minha esposa e nem pretendo! Foi um tremendo erro ter feito o que fiz!

Por um momento me passa algo absurdo pela cabeça, e se, ao saber que já traí Nala, Zira tivesse pensado que eu faria novamente, e com ela? Assim seria mais fácil para aquela imprestável roubar meu dinheiro, foi isso que ela sempre quis!

-Bom dia, astronauta! - a voz matinal de minha esposa me traz de volta à realidade

-Astronauta? - pergunto

-Sim, ué! Tá no mundo da lua a um tempão - brinca

-Estou? - Pergunto ainda desconcertado, enquanto imagino o que aconteceria caso Zira lhe contasse sobre o primeiro caso, aquele que Nala não sabia... Caramba, fazia tanto tempo!! Não consigo nem imaginar o que resultaria disso! Quando ela descobriu o segundo, que tive com Viviane... levou um mês para aceitar, e as coisas nunca mais foram as mesmas... Mas Zira não contaria... ou contaria? Ela disse que "a diversão está só começando"... Será que ela vai? Não, não é pos...

-Simba? Simba? SIMBA!!!

-Que foi? - pergunto desconectado mais uma vez

-Você está bem?

-Claro, por quê?

-Parece estranho! Na verdade, parece que ia ter um ataque enquanto encarava a parede com o rosto virando uma pimenta! - diz ela, um tanto preocupada

-É... - Tento pensar em uma desculpa - é... Esse barulho do cortador de grama! Está me deixando maluco! - minto, pegando a primeira coisa que me passa pela cabeça!

-Pior é a pessoa que tá fazendo uso dele! - diz com um ar de irritada

-Zira, não é? - comento

-Exatamente! E para piorar a idiota está de biquíni! - Nala revira os olhos em reprovação

-Ahh, é o tipo de pessoa... e nossos filhos na mesma turma que os filhos dela... - comento mais uma vez

-Pois é! - Minha esposa toma um gole do café - Mas vamos passar por tudo isso, assim como passamos por... - Ela interrompe sua frase, provavelmente se lembrou da última vez que nossa família passou por um momento delicado, na época que eu a traí

-Ahhh... - Exclamo sem ter muito o que dizer - A vida é uma loucura, não é? Mas nós vamos passar por isso, sim!

-É - responde ela - por que fez aquilo comigo?

-Bom, você sabe, o ser humano é falho...

-Mas aquilo não...

-Bom dia mãe, bom dia pai! - Nala é interrompida por Kiara

-Bom dia, querida! - aproveito para mudar de assunto - Dormiu bem?

-Não muito, os novos vizinhos não deixaram! O som deles estava ligado! - Diz minha filha

-Mais essa? - pergunto - Que absurdo!

-Bom dia mãe, pai! - Kopa chega seguido de Kion

-Bom dia - eu e Nala respondemos em uníssono

-Então... quando acabam nossas férias? - ele brinca

-Depois desse fim de semana vocês já podem voltar para o colégio! Mas eu quero vocês longe dos filhos da Zira, fui bem claro?? - Exclamo

-Já nem sei mais o que pensar sobre isso - diz Kiara - Depois do tribunal...

-Só fiquem longe para evitar mais problemas, tá bem queridos? - Fala Nala

-Tudo bem, mãe! - respondem

-Falando em internato, hoje é sexta-feira... Fuli volta hoje, vou buscá-la depois das cinco - falo já saindo da mesa, dando um selinho em Nala e me despedindo dos meus filhos, seguindo rumo ao trabalho.

Pego o carro, e quando vou fechar o portão, sou novamente abordado por Zira:

-Vai dar um passeio no "possant"? - pergunta com uma gíria ultrapassada

-Quem quer saber? - respondo friamente

-Ninguém. Só estou reparando - diz com um estranho ar de felicidade

-Poderia, por gentileza sair da frente da minha casa? - Digo já sem paciência - Vai me cercar aqui fora todos os dias agora é?

-Claro! Bom passeio - diz ironicamente, enquanto vai em direção à minha casa em vez de à dela

-O que está fazendo? - Questiono - Olha, vou chamar a polícia para você! - Ameaço ao ver Zira abrindo o portão de minha casa

-Só quero dar uma olhadinha no que será meu! - Posso sentir o sarcasmo no ar

-O que?? Hahahahaha!!! Você é maluca! - Zombo de sua cara

-Vai vendo! - diz enquanto volta em direção à nova "propriedade" paga com meu dinheiro - E Simba - a doida volta para minha direção - adorei você com essa camisa preta de mangas longas! Com o jaleco deve ficar muito mais sexy! - Finalmente se retira

Mulher doida... acha que vai conseguir o que falando uma coisa dessas? - penso a algumas quadras dali - Pensando bem... Que droga! Não consigo tirar a hipótese de ela ir conversar com Nala da cabeça!

Kovu P.O.V

Mamãe conseguiu um bom dinheiro do julgamento de Simba, e com ele comprou uma bela casa, ao lado da dos Landucci... Zira disse ter mudado, mas parece a mesma psicopata de antes, só que agora mais obcecada por dinheiro e luxo... Estou começando a pensar que ficamos do lado errado da história, além disso, perdi minha amizade com Kiara, Kopa e Kion! Mamãe disse que fizemos a coisa certa, mas por que meu estômago se revira todo quando penso no que aconteceu? Obviamente Simba mereceu pagar a indenização pelo fato de ter nos ofendido, mas ele não nos agrediu, e nem nos ameaçou!

Minha mãe nos enganou! Fez chantagem emocional conosco, nos colocando contra Simba e sua família, nos cegando para a realidade, me fazendo desenvolver o mesmo ódio que ela sente pelos Landucci, e consequentemente mentindo diante do juíz! Que vergonha!

Quando Simba descobriu sobre nossa amizade, Kopa, Kiara e até mesmo o Kion nos defenderam com unhas e dentes e os apunhalamos pelas costas! Eles nunca irão nos perdoar!

-Pensando sobre o tribunal, não é? - Vitani me pergunta, com um olhar abatido

-A gente chutou o pau da barraca né? - diz Nuka

-Erramos em fazer isso! - digo - e mamãe pegou todo o dinheiro da indenização... Aquela grana era nossa!

-Pois é... - diz Vitani - Mas e agora? O que vamos fazer? Temos de volta às aulas e...

-Sim!! - digo - Estava pensando nisso. Vai ficar um clima estranho...

-Ainda mais que somos da mesma classe! E o Kopa??? - Vitani começa a chorar - Sabe, Kovu... Eles sempre souberam o mal que nossa mãe fez para eles... E nos aceitaram como amigos! - ela faz uma breve pausa para enxugar uma lágrima - e a gente, na primeira falha do pai deles, já levamos o caso no tribunal!

-É, mas a mãe nos induziu a isso! - falo

-Talvez Simba tenha razão...Talvez sejamos iguais ou piores que Zira! - Diz meu irmão

-Não, não somos, nós só... Sofremos uma tremenda injustiça! - tento acalmar a situação

-Isso não justifica, Kovu! - diz minha irmã - Não sei nem o que pensar de como será voltar às aulas agora! Eu não quero manter isso...

-E se pedirmos desculpas? - Sugere Nuka

-Desculpas? Ficou maluco?? - dou um tapa na cabeça do mané do meu irmão - O Simba faz picadinho da gente!

-Não pra ele, né! - Nuka me retribui o tapa - Pros nossos amigos

-Eles devem estar com muita raiva da gente! - Vitani choraminga - Eu perdi o Kopa para sempre!

-Não sei... Nossa amizade era de longa data! - digo ! Talvez a gente possa achar um jeito de reconciliar as coisas...

- JÁ SEI! - Ai, acho que fiquei surdo com o grito do Nuka! - Lembram que Kiara comentou que nos fins de semana, de manhã, ela e os irmãos passeiam com o cachorro no parque? É uma oportunidade para pedirmos desculpas a eles!

-Ou para eles chamarem a polícia pra gente - ironizo

-Não... Nuka tem razão, Kovu! - diz Vitani

-Como é que é? - pergunto ainda incrédulo

-O que temos a perder? - indaga

Nunca pensei que algum dia daria ouvidos para algo que saísse da boca do Nuka, até porquê ele só fala bobagem! Mas não é má ideia, talvez assim possamos resolver as coisas!

-Querem saber? Vamos fazer isso!! - esboço um sorriso em meu rosto, depois de muito tempo sem sorrir!

-Vamos! Vamos tentar - diz Vitani animada

-Então... Que horas a gente vai lá? - pergunta Nuka

-Seguinte, amanhã é sábado, o dia que passeiam com o cão... Então vamos ficar espiando, e quando eles forem para o parque, nós os seguimos! E na primeira oportunidade, falamos com os três! - explico meu plano

-Tá, mas como vamos saber a hora que eles saem? - pergunto

-Vamos... vamos vigiar a porta! - sugere Vitani - A gente reveza!

-Ótimo! - respondo

Nala P.O.V

Fazer as compras no supermercado era uma tarefa que eu não gostava tanto, mas confesso que, após aquela manhã conturbada pela vizinhança, estava sendo muito legal pela paz que trazia. Pelo menos aqui não tem ninguém me enchendo a paciência com barulho de cortador de grama ou som alto!

Vou até a seção das frutas e verduras, algo que não podia faltar lá em casa

Enquanto seleciono alguns melões e maçãs frescas, reparo em uma pessoa familiar, de costas, há uns cinco metros, na mesma seção. Dou uma enrolada na escolha das frutas afim de descobrir quem era, quando me dou conta nem acredito! Era a mulher que meu marido teve um caso anos atrás!! Mas... o que ela estava fazendo na cidade??

-Olá - ela diz passando por mim, sem obter uma resposta

Não satisfeita ela pergunta:

-Como vai o Simba? - Que vontade matar essa desgraçada!!

-Não é da sua conta, querida! - respondo com sarcasmo

-Pelo jeito vai mal! - ela continua - Não anda dando conta do recado, queridinha? - me provoca

-Olha, vai pro inferno, tá bom? - digo enquanto me retiro dali o mais rápido possível, antes que tivesse um ataque

-Manda ele para mim, que eu com certeza dou conta! - mulher maldita!!!!

-Algum problema, senhora? - Me pergunta um segurança do estabelecimento, notando a aflição no meu rosto

-Não, obrigada! - me retiro daquele local o mais rápido possível! Foi um tremendo erro ter vindo até aqui, se arrependimento matasse eu já estaria morta Agora!

Quando saio do mercado, tendo deixado minhas compras no caixa mesmo, corro em direção ao carro. Lá chegando, para minha surpresa, ele estava simplesmente vandalizado!!

Entro em desespero quando vejo aquilo e ligo para o Simba

-Sua chamada está sendo encaminhada para a caixa de mensa... -INFERNO!!! Era só o que me faltava! - falo sozinha enquanto disco seu outro número

-Alô? - graças a Deus ele atendeu

-Simba?? - digo desesperada - Encontrei aquela vadia! E meu carro está riscado, SIMBA!!

-O que?? Onde você está? - me pergunta - e do que você tá falando?

-Estou no supermercado aqui do bairro! E tô falando DAQUELA vadia, Simba!!

-Amor, estou voltando para casa, tô dirigindo... Passando em frente ao mercado... Vou aí te buscar e você me explica isso direito, ok?

-Tá bom... Vem logo, SIMBA!! - digo ainda em desespero, indecisa com a chave na mão se eu devia ou não abrir a porta do veículo

Depois de longos dois minutos meu marido chega e fica perplexo com o que vê

-O que aconteceu aqui? - questiona sem tirar os olhos do carro todo riscado

-Foi ela, amor, foi ela!! - digo sem apontar a ninguém, como se Simba pudesse ler minha mente - Ela fez isso!

-Nala, calma!!!! - me pede demonstrando certa preocupação - ela quem?? A Zira??

-Não, Simba!! Aquela que estávamos falando hoje de manhã!

-Quem? - ele estava confuso com toda a situação

-QUEM, SIMBA??? QUEM???

-Amor, por favor! Se acalma e fala direito o que está acontecendo! - me pede com calma

-Você é burro ou o quê?? - pergunto sem paciência - Eu encontrei aquela vadia no supermercado, voltei e o carro estava nessa situação. Agora se você não é capaz de se lembrar da merda que já fez...

-A Viviane?? - Simba chega a ficar pálido de susto

-Eu mesma, honey!! - ela aparece atrás de nós

-O que faz aqui?? - Simba pergunta um tanto sério agora

-Estou de férias!! Vim passear aqui... relembrar os velhos tempos! - diz Viviane, mordendo o lábio inferior

-E vandalizar o carro dos outros, né, sua vadia?? - Grito

-Isso é uma acusação muito grave, Nala! - ela diz - Não vai me defender, Simba??

-O estacionamento tem câmeras... - comenta meu esposo - Vamos ver se dessa vez você vai pra cadeia!

-Poxa! Pensei que fosse querer um segundo round!

Seu próximo round vai ser na cadeia! - diz meu esposo, partindo em direção ao estabelecimento me puxando pela mão.

-Faça o que quiser... - A vadia pega seu carro e vai embora

-Não acredito nisso! - Finalmente falo algo coerente, que dava pra entender

-Pois muito menos eu! - diz ele - Meu jovem - se dirige, logo em seguida, a um segurança -, por gentileza, gostaria de falar com o ou a gerente!

-Pois não, senhor. A gerente não está, mas vou chamar o encarregado.

-Obrigado! - Responde Simba - O que aconteceu que ela riscou seu carro? Vocês discutiram?

-Não! - respondo - Quero dizer, sim... e não! Eu tentei não discutir, mas ela me tirou do sério! E eu saí na mesma hora, ou seja, ela tinha riscado antes o carro!

-Que filha da puta!!! - Vejo meu marido ficar vermelho de tanta raiva

-Boa tarde, meu nome é Arthur, sou encarregado pela chefia enquanto a gerente se ausenta. Em que posso ajudar? - um rapaz se apresenta

-Boa tarde! - Diz Simba todo formal, apertando a mão do moço - Olha... O carro da minha esposa foi vandalizado agora a pouco enquanto ela fazia compras - Arthur se assusta com o ocorrido - e gostaríamos de dar uma olhada nas câmeras, só para ter certeza de quem cometeu o ato, pois já temos ideia de quem foi, só precisamos de provas

-Bom... Pois não. Por aqui, por gentileza - diz nos indicando o caminho que levava a uma salinha pequena mas bem organizada - Não reparem a bagunça! As câmeras ficam neste computador aqui. Qual o horário do ocorrido, mais ou menos?

-Há uns vinte minutos - respondo, enquanto o rapaz faz a busca num software, encontrando logo em seguida

-Olha lá! É ela mesmo! - Diz Simba identificando a moça com uma chave de fendas nas mãos - caso precisarmos das gravações, você pode nos emprestar?

-Claro! - Responde o homem gentilmente - Só vou precisar de um boletim de ocorrência, haja vista que a pessoa, por mais que errada, tem direitos de imagem...

Depois disso saímos de lá e fomos buscar Fuli no internato. No caminhos, tentamos evitar o assunto, mas em pouco tempo estávamos discutindo o mesmo novamente:

-Alguma ideia de por quê ela faria isso? - pergunto completamente perdida no meio daquela sequência de acontecimentos

-Não faço ideia, só espero que ela suma da minha vida! - Diz Simba dirigindo pensativo

-Por acaso ela tinha entrado em contato com você? - pergunto

-O que?? É claro que não! - Responde de imediato

-É que da outra vez você tava dando corda pra ela... - pondero

-Dando corda?? - Pergunta ele

-É, dando corda! Estavam de conversinha antes... daquilo

-Olha... Aquilo ficou no passado, tá bom? - diz me olhando nos olhos - E, como disse, estou tão surpreso quanto você com o reaparecimento dela por aqui!

-Tudo bem...

-Por que é que você ficou tão abalada aquela hora, amor? Eu sei que ela vandalizou e tudo... Mas já passamos por coisas piores com mais tranquilidade...

-Não sei! Eu só... Aquilo, Simba... - admito entristecida

-Olha, você sabe que se eu pudesse eu mudaria o que aconte... - Começa um discurso repetitivo

-Sei, sei, eu sei... Isso já ficou pra trás, como você disse! - corto o assunto

-Você não me perdoou por aquilo, não é? - Dessa vez pergunta como quem já sabe a resposta

-O que? Como assim?

-Não precisa mentir - continua - Eu errei e pronto. Mas quero saber a verdade!

-Olha...

-Não, Nala! A verdade mesmo! - diz focando tanto no meu rosto que deu medo de que sofrêssemos um acidente de trânsito

-Tudo bem. É que... tem coisas que não dá simplesmente pra esquecer, por mais que a gente tente... - vejo seu olhar entristecer - Às vezes está tudo bem entre a gente, e eu acordo assustada e me lembro daquilo. É uma memória extremamente forte, não tem como apagar. E, por mais que você esteja deitado do meu lado no momento... Ainda assim dói lembrar...

-Entendo... - agora seus olhos tinham como foco a estrada - Foi um erro muito grande!

-Não, não é por isso! É que... que isso não se justifica, Simba! - perco a estabilidade emocional que estava mantendo às custas - Você simplesmente me traiu!

-Nala...

-Por livre e espontânea vontade - começo a chorar

-Amor, não foi...

-FOI SIM! Foi sim, Simba... Eu sei que ela se aproximou e te seguiu por muito tempo, mas a escolha sempre é da pessoa

-Amor...

-Então não me pergunte se eu não te perdoei! Tá bom?? - minha voz estava fraca - Não ouse me perguntar isso! Você não tem noção do que aquilo me causou, e vai continuar causando, sempre. Ahh... e tá aí a causa pra eu estar tão abalada com aquilo... junto com aquela vadia veio todo o sentimento daquele dia... - controlo o pranto

Ele se mantém em silêncio, e posso ver uma lágrima cair de seu olho direito... Seguimos o caminho em silêncio, passamos no internato, pegamos a Fuli, que estava muito feliz por sinal, bom saber que ela está gostando da escola! E voltamos para casa, em silêncio... O fato de Viviane ainda estar na cidade estava me deixando louca! E se meu marido resolver me trair novamente com ela???

Kion P.O.V

E se iniciava mais um sábado monótono, chato, tedioso... Fuli havia voltado do internato para o fim de semana e dois amigos dela, Beshte e Ono vieram a visitar. Até que os dois são legais!

Estávamos na sala conversando, Fuli ainda me odiava pelo fato de eu e Miguel termos a prendido no porão, mas eu não ligo! De repente Kiara tem uma ideia:

-PESSOAL!!!! - Acho que fiquei surdo depois dessa! - Tá muito entediante aqui! Que tal explorarmos aquela casa abandonada daqui do bairro? - Vejo os olhos dela brilhando de ansiedade

-Casa abandonada? - Pergunta Beshte

-Sim!! - Responde Kopa - É uma cas...

-Que dizem ser assombrada!! - Corto meu irmão - segundo minha avó, ela está abandonada a décadas!

-Oooow Zé Mané!! - Kopa diz - para de cortar a fala dos outros!

-Enfim... O que me dizem??? - Pergunta Kiara

-Tô dentro! - Diz Fuli - vai ser uma aventura e tanto!

-Vamos nessa! - Fala Ono

-Demorou! - Diz Beshte

-É... Pode ser! - Falo - Duvido que tenham fantasmas lá! Essas coisas nem existem!

-É o que iremos descobrir! - Kopa se pronuncia

-Vou falar pro papai que vamos levar o cachorro para passear! Aí passamos na casa!

Seguimos rumo ao casarão ambulante, acompanhados pelo nosso cachorro, que ia muito animado por sinal. Quando finalmente chegamos, ele se recusava a entrar

-Vamos, vamos!! - Kiara insistia com o animal, tentando levá-lo à força - Já não basta ter ficado paranoico agora há pouco - ela se referia ao fato de ele ter achado algo estranho atrás de umas árvores, o que ele faria se estivéssemos sendo seguidos, e passado uns cinco minutos desconfiado -, e agora não quer entrar??

-Deixa ele, maninha! - digo

-Tá doido, Kion?! - ela me responde - Passa alguém e rouba ou maltrata ele! Este não é um lugar seguro

-Isso se não for atacado por cachorros de rua - Kopa completa

Depois de muito esforço, conseguimos fazê-lo entrar

Ficamos boquiabertos com a casa, era bem antiga, o piso era de madeira, e a todos os móveis eram do século passado! Estava tudo tão sujo! Cheio de teias de aranha e poeira. Após alguns minutos, a porta principal se abre e vimos uma silhueta entrando

-FANTASMA!!!!!! - Grita Kopa com uma voz afeminada

-FANTASMA???? ONDE??? - A silhueta entra, acompanhada de mais duas, revelando ser o Nuka!!

-O manezão - começa Kovu - eles se referiram a nós!

-O que querem? - Pergunto - O golpe que nos deram pelas costas já não foi o suficiente???

-Gente... - Diz Vitani - precisamos dizer uma coisa para vocês...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...