História Colégio Interno Fairy Tail - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Alzack, Angel, Anna Heartfilia, Aquarius, Aries, Bacchus Groh, Bickslow, Bisca Connell, Cana Alberona, Capricórnio, Carla (Charle), Chelia Blendy, Droy, Elfman Strauss, Erik (Cobra), Erza Scarlet, Eve Tearm, Evergreen, Freed Justine, Frosch, Gajeel Redfox, Gemini, Gildartz, Grandeeney, Gray Fullbuster, Happy, Ichiya Vandalay Kotobuki, Igneel, Irene Belserion, Ivan Dreyar, Jellal Fernandes, Jenny Realight, Jet, Jude Heartfilia, Juvia Lockser, Kagura Mikazuchi, Kinana, Laxus Dreyar, Layla Heartfilia, Lector, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Lucy Heartfilia, Lyon Vastia, Macao Conbolt, Makarov Dreyar, Mavis Vermilion, Meredy, Mest, Metallicana, Michelle Lobster, Midnight, Millianna, Minerva Orland, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel, Orga Nanagear, Pantherlily, Ren Akatsuki, Risley Law, Rogue Cheney, Romeo Conbolt, Rufus Lore, Scorpio, Silver Fullbuster, Skiadrum, Sting Eucliffe, Taurus, Ultear Milkovich, Ur, Virgo, Weisslogia, Wendy Marvell, Yukino Aguria, Zeref
Tags Fairy Tail
Visualizações 13
Palavras 2.030
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi

Capítulo 3 - Uma manhã complicada


Fanfic / Fanfiction Colégio Interno Fairy Tail - Capítulo 3 - Uma manhã complicada

Sting on

Se há coisa que eu amo é dormir. Dormir é tão bom! Quem me dera dormir para sempre e sonhar com panquecas. Devido ao meu amor incondicional pelo ato de dormir, eu odeio profundamente toda e qualquer coisa que me acorde e perturbe a minha linda cara de bebé a gabar-se para a almofada! 

Todos sabemos disso, mas TODOS TÊM DE PERTURBAR O MEU SONO! 

– Anda Sting! Levanta-te! - pede a minha mãe com a sua voz gentil de mais para eu ficar irritado, porém incoveniente o suficiente para eu a considerar mais irritante que um martelo pneumático. 

– É cedo demais. 

– Eu sei. Só que tens de ir para a escola. É o teu primeiro dia na Fairy Tail. 

– Está a chover, posso falar este mês e aparecer no outro? 

– Sting, não me faças arrancar-te as orelhas. - o pai quase me fazia isso quando era pequeno, então eu ganhei um trauma com pessoas a tocarem-me nas orelhas. 

– O meu avô é o diretor, ele não se vai importar e pede aos professores para não me marcarem falta. Está feito, mãe. 

– Não contes com favores do teu avô. Para ele, todos os alunos são iguais e têm de ser tratados abaixo de lixo para estarem prontos para o mercado de trabalho. 

– Okaaaaaaaaay.

Ela sai e eu finalmente levanto-me. Tenho a roupa pronta na cadeira da secretária, assim como as malas. O meu gato, o Lector, está a dormir calmamente ao fundo na cama, debaixo da manta que eu lhe coloquei ontem à noite. 

Não acredito que passar uns 4 meses num colégio interno, longe de casa. A Sabertooh era mesmo ao virar da esquina, então não precisávamos de nos mudar. Contudo, a Fairy Tail é do outro lado do país. Só vamos regressar nas férias e ainda falta imenso para isso. 

Vou ter de deixar o meu lindo gato Lector cá... Deve ser a coisa mais complicada desta mudança. Eu sei que ele vai ser bem tratado, mas ele vai sentir a minha falta e eu vou sentir a falta dele! EU QUERO O MEU GATINHO! 

Visto-me e desço para tomar o pequeno almoço. Passo pela entrada e vejo as malas das minhas irmãs e dos meus primos. Daqui a pouco chegam o Rufus, o Orga, a Minerva, a Yukino e o Rogue, ou melhor o idiota que em vez de ficar aqui a sofrer connosco na última semana de férias, FOI PARA O HAVAi! E nem me convidou! Ainda se considera meu amigo, quase irmão?! Amigos quase irmãos convidam os amigos quase irmão para ir ao Havai! 

Chego à sala de jantar e sento-me na minha cadeira. 

– Que simpatia, acordaram todos 2 horas mais cedo para nos levarem ao jato privado. - comento comovido com o gesto. 

– Acordámos cedo porque vamos receber uns clientes com outro fuso horário e vocês vão com o motorista. - clarifica o meu padrasto com a comum ironia matinal. 

– Vão mandar crianças inocentes e frágeis para o inferno e nem se quer o vão ver! Sacreblue! - crítica a minha prima Mavis. O ano de intercâmbio em Paris até foi-lhe o cérebro, perdoem as misérias que saírem daquela boca. 

– Se a Fairy Tail é o inferno... - começa o Gemi.

– O diretor é o demónio... - continua a Mini. 

– Ou seja, nós somos...

– NETOS DO SATANÁS! 

– Calem-se com essas parvoíces. - reclama o pai. Os gémeos acabam por se calar e continuar os croissant com chocolate, ou melhor o chocolate com croissant, porque aquilo tem mais chocolate que outra coisa. E depois bebem leite com chocolate, comem mais bolachas de chocolate com pepitas de chocolate, estas criaturas vão ser diabéticas. 

– Estás tão caladinha, Lucy. O que foi, a mãe pôs-te de castigo e a menina está amuada? - começo a chorar como um bebé para a irritar, enquanto os Gemini riam. 

Ela riu sarcasticamente e voltou ao seu silêncio melancólico. 

– O Sting tem razão. Estás muito calada, para a Lucy e até para uma pessoa normal. - comenta a Mavis. 

– Não, pessoal, eu est... Espera, estás a dizer que falo mais do que as pessoas normais? - diz a doiloira.

– O quádruplo! 

– Como assim o quádruplo?! Eu não falo o quádruplo das pessoas normais! As pessoas normais falam um quarto do que eu falo, ou seja, falam menos do que deveríam, por causa dos telemóveis. Já não se conversa hoje em dia, manda-se mensagem e pronto! Os nossos antepassados com duas latas e um fio davam valor às palavras. - grande forma de desviar o assunto, Lucy. 

– Ai! Porque é que o Laxus e a Mira não me levaram para a Ilha de Caleum? - pergunta a idiota da Michelle. 

– Talvez porque é a lua de mel deles, né? - respondo. - Às vezes és mais burra que um calhau torto! 

– Calhau torto és tu! Nem um piada consegues entender! Burrrrrrrrrrrrro! 

– Burrrrrrrrrrrrrrrrra! 

– Burrrrr... 

– Calem-se vocês os dois também! - interrompe o pai. Ele não entende que faz parte da nossa rotina diária insultarmos a inteligência um do outro? Quer dizer, alguém tem de dizer a verdade à Michelle, não vá ela pensar que é o Albert Einstein loiro. 

– Olha o colesterol, Jude. - fala o padrasto. - Não se pode enervar. 

– Qual é a relação entre o colesterol e os nervos?! 

– Os nervos afetam a cabeça, tu nem tens colesterol e estás aí nervoso a pensar que tens. 

No preciso momento em que parecia que o meu pai ia matar o padrasto à chinelada, a campainha toca. 

– São os meninos Orlando, a  Aguria, o menino Cheney, a menina Strauss e o namorado da mesma. - informa a Virgo. Tradução: A Minerva, o Rufus, o Orga, a Yukino, o Rogue, a Lisanna e o Natsu. 

– Ai não! - suspira a doiloira. 

– Mãe, está na hora. - anuncia a Michelle, como é óbvio, só ela para ter necessidade de dizer o óbvio! 

– Venham cá. 

Damos uma daqueles abraços gigantes em que toda a gente toca em todo o lado de toda a gente. Ela repete todas aquelas regras que já nos tinha repetido mais de 4 800 vezes. Ela, às vezes, é como a Michelle, necessita de dizer o óbvio. 

– Não se metam em lutas, tirem boas notas, estudem todos os dias, vão mandando mensagens e dêem um beijo ao vosso avô quando o virem! 

– Não à frente da escola toda, não achas? - reclamo. 

– Qual é o problema? Sobem o palco, pegam no microfone e declaram o vosso respeito e admiração pelo velhote. - se há coisa de vou sentir falta é do sarcasmo constante do padrasto. 

– Vejam lá se não destroem a imagem da família Hearthfilia. - recomenda o pai. 

Depois de todas as despedidas, andamos até à sala onde estão as malas. Era lá que esperava aquele traidor de meia tigela! 

– Oi Sting. - cumprimenta ele, antes de eu lhe explicar porque é que fui capitão da equipa de rubgy. 

– Esta é pelo Havai! - grito enquanto corro até ele. 

Atiro-me para fazer-lhe uma placagem. Acerto nele, mas o palerma não se segura e caímos para tráááááááááááás!!! 

Sting off

Lisanna on

Estávamos, eu, a Yukino e o meu ursinho rosa a tirar selfies, quando de repente o louco do Sting se atira para cima do Rogue e ambos caem ao chão. 

– Ah ah ah ah ah! Digam-me que alguém estava a gravar! - ri a Minerva. 

– Óbvio. Depois mando-te, senhorita. - responde o Orga, enviando o vídeo para o nosso antigo grupo da Sabertooh no Whatsapp, com todos os populares da escola, que adoram ver vergonha alheia. 

– Não vais mandar nada, ouviste? Se pensares sequer em fazê-lo, eu dou uso aquela fotografia do 5º ano! - ameaça o loiro com o dedo encostado ao nariz do outro. 

– Aquela fotografia do 5º ano? - o Orga começa a suar, a tremer e parece bastante nervoso. 

– Aquela fotografia do 5º ano. - confirma o Rogue. 

– De fotografia é que ele está a falar? - pergunta o Natsu. 

– Não faço ideia. - respondo confusa. Já tinha ouvido o Sting mencionar essa tal fotografia, mas nunca soube o que era. Também ouvi dizer que ele tinha uma coisa embaraçosa de toda a gente, inclusive de mim, para utilizar nos momentos certos e evitar escândalos.

– Está na hora, meus caros. Temos de ir para o carro. Se bem me recordo, que recordo, o avião vai partir daqui 2 horas e 32 minutos. - informa o Rufus. 

– Vou ter... - começa o Gemi.

– Muitas saudades. - completa a Mini. 

– Nós vamos ficar bem! Vamos ser os reis da escola como era na Sabertooh. - reconforta a Minerva. 

Eu gostava de acreditar no que ela diz, mas a Fairy Tail não igual à Sabertooh. Nada mesmo. Lá eles acreditam que todos os estudantes são uma família e não devem seguir uma hierarquia.

Caminhamos por aquele enorme jardim, enquanto a Michelle conta histórias da infância dela e dos irmãos. Entramos na limosine. Ela é enorme e tem de ser para levar tanta gente para o aeroporto. 

2 horas e 15 minutos depois

– Ai ai... - suspiro. 

– O que foi, Lis? - pergunta o meu Natuzinho. 

– Sabes quando todo o esforço que fizeste na vida parece ter sido em vão? Eu estudei tanto para conseguir uma bolsa na Sabertooh! Sair da Fairy Tail, de todo aquele ambiente! E agora vou voltar... Vou simplesmente voltar, sem que me dessem opção de escolha! Só me empurraram para o inferno e esperam que eu goste. 

– Por que é que é assim tão mau voltar à escola? Ela é como a nossa casa! Foi na esquina da rua do colégio que encontrámos o Happy,... 

– Não me atires a história do Happy à cara! Era divertido quando éramos crianças, mas eu já não tenho 10 anos! O problema da Fairy Tail é esse! Ser a nossa casa! Sermos família! E dizermos isso dessa forma! 

– Porquê? 

– Não entendes? - nós estamos a sussurrar, porém,  ainda assim, olho para trás para ver se alguém está a dar-se conta da discussão. - Todos fazem piadas com a Fairy Tail! Somos os bobos da corte de Fiore! Existem várias pessoas importantes que saíram daquela escola, mas não admitem! Porque será? 

– Por isso mesmo é que não devias ser assim. Por todos aqueles que se envergonham de ter estudado lá! É uma honra estar numa escola daquelas, que não te julga por quem tu és ou o que tens e sim pelos teus valores e pensamentos! A Fairy Tail ensina muito mais do que os colégios como a tua bem amada Sabertooh. São tigres, são poderosos, são incríveis! É tudo treta e tu sabes!

– Está tudo bem aí? - pergunta a Yukino. Bolas, eles estão a começar a perceber o que se está a passar. 

– Sim, está sim, não se preocupem. - respondo apressadamente. 

– Não, não está nada bem! - contesta o Natsu. No que raio é que aquela cabeça de arco íris está a pensar? - Não está porque vocês todos são uns idiotas vazios que só se importam com estatutos e aparências! Que acham que por estudarem na Fairy Tail, são a vergonha da família! 

– Natsu! 

– Estou cansado! Passei o fim de semana todo, a ouvir mal da minha casa e da minha família por um bando de palhaços da corte. Porque vocês, Lisanna, é que são o verdadeiro motivo para rir! 

Lisanna off

Narradora on

O carro para e o motorista abre a porta da limosine, indicando aos jovens que tínham chegado ao seu destino. 

A tensão é óbvia e o clima entre eles está demasiado pesado para não ser notado. A revolta do Natsu ainda está estampada na sua cara, enquanto que os restantes permanecem incrédulos com as palavras do Rosado, principalmente a sua namorada, que mistura surpresa com raiva. 

O grupo caminha pelo aeroporto, passa pelo processo necessário e embarca. O silêncio era apenas interrompido pela conversa dos gémeos Gemini, que rapidamente ultrapassaram a discussão. 

Existiam 3 filas dentro do avião com linhas de 2 lugares. Na fila da esquerda ficaram: Sting e Rogue, Rufus e Orga, Minerva e Yukino.  Na fila central, Lisanna forçou Natsu a sentar-se ao seu lado e o Gemi e o Mini ficaram nos lugares à frente. Na fila da direita, sobraram Lucy e Michelle.


Notas Finais


Tchau


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...