1. Spirit Fanfics >
  2. Collapsing Love >
  3. Capítulo 7

História Collapsing Love - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Olá pessoal eu sei que atrasou, o capítulo estava pronto, porém eu estava viajando para uns eventos, pois eu faco cosplay. Então peço perdão e compreensão de todos.
Esse capítulo vai estar sendo postado hoje quarta e domingo terá um novo para compensar o atraso.
Boa Leitura.

Capítulo 7 - Capítulo 7


-Bem, você não está muito apresentável, acho que esses dias de andanças não lhe fizeram muito bem... -Romeo era esperto e apesar dos pesares havia gostado de Natsu, então para amenizar sua dor tentava caçoar de sua pessoa.

Natsu e Romeo passaram a noite conversando sobre o que ele poderia fazer, como voltar, quais as estratégias. Mas o mais importante é difícil, como Natsu poderia aparecer diante do povo, explicar sua situação e não parecer um covarde?

Ele realmente tivera medo, mas como o povo iria depositar confiança em um príncipe medroso que fugia a primeira dificuldade?

-Estou mais apresentável do que você!- Natsu analisava a barba falhada pela pouca idade que tinha e se reprova a mentalmente. O que será que Lucy diria dele?

Os dois se arrumaram como puderam, nada muito chamativo e Natsu recolocou sua capa. Saíram na direção do conselho de Crocus. Natsu não sabia exatamente o que diria, mas iria mesmo assim, precisava resolver logo as coisas, não só por ele, mas principalmente por seu povo.

Quando chegaram a frente do conselho lá estava Metalicana, ele conversava com um dos anciões que só concordava com tudo que falava. Natsu se escondeu com Romeo em meio as barracas de frutas que estavam por ali.

-Ele não é seu tio? -Concordou -Então por que está se escondendo dele?

-Sabe Romeo, sangue não significa nada, a família de verdade é construída por laços de afeto, coisa que meu tio nem faz ideia do que seja. -O garoto entendeu a situação e se contentou em ficar calado -Tenho certeza que ele está fazendo algo para prejudicar o reino.

-Bem, nesse últimos dias ele se autopromoveu para o povo... Seu filho, Gajeel não é? É o próximo na fila de sucessão ao trono...

-Isso mesmo! -Metalicana deu de ombros para o mais velho e fechou seu semblante, saindo logo em seguida e Natsu parou então de se esconder -O que será que ele queria?

-Talvez estivesse manchando sua imagem! -Natsu fez cara de dor -Ou talvez esteja falando sobre Gajeel...

-Espero que seja a segunda opção... Mas agora vamos, não temos tempo. -Natsu puxou Romeo pela mão e o trouxe junto, eles iriam enfim falar com algum ancião. Quando apareceram diante do mais velho o espanto foi tamanho.

-Príncipe Natsu Draneel, herdeiro do trono de Fiore, aqui estou eu. Se tanto me procuram, me acharam. -O senhor baixo e parcialmente careca engoliu seco e olhou para Natsu.

-Vê-se que tem coragem de aparecer dê repente assim por aqui.  -Natsu o fuzilou com os olhos -Só vou te levar ao conselho por que gosto de você Natsu, mas seria preferível encontrarem você desaparecido por ai, do que dessa forma. Você sabe o que quero dizer?

Sim, Natsu entendia muito bem, uma fuga iria manchar sua credibilidade. Mas sem dizer uma palavra ele seguiu o mais velho até onde seis anciões o esperavam. Era agora havia chegado a hora.

-Eu Makarov apresento... Natsu... Filho de Igneel e príncipe de Fiore! -Todos os olhos se voltaram para a porta por onde Natsu e Romeo entravam, olhos descrentes -Ele tem um pronunciamento a fazer para o conselho. -O silêncio pairava, ensurdecedor.

-Bem... -O rosado olhou para Romeo, que o encorajava com o olhar -Como começar?...

 

Depois de ficar algumas horas sentada em baixo da macieira Lucy foi ao encontro de seu quarto, onde descansou por um bom tempo e só desceu para o almoço que aconteceria com a família real. Porém só Sting estava a mesa.

-Acho que hoje seremos só eu e você.... -Disse baixo -A verdade é que eles acabaram de chegar, mas não se juntarão a nós.

Sting as vezes era um homem que se mantinha muito distante, com certeza a maioria de seus sentimentos era guardado a sete chaves, mas seu descontentamento era visível. Talvez ele não fizesse questão de esconder quando estava com desdém e desapontado.

-Tudo bem! Acho que será agradável. -Sorriu para ele.

Suspirando disse -Bem, acho que Minerva irá querer vê-la mais tarde. Talvez para um chá.

-Posso lhe perguntar algo? -Lucy analisou os talheres de prata fina e passou seus dedos por eles -Minerva, ela é sua mãe? -Sting riu alto -Bem, não sei, você é novo, ela também, talvez...

-Minha mãe morreu a algum tempo Lucy. Minerva é a noiva de meu pai, eles estão juntos a um ano e alguns meses. Já com o casamento marcado.

-E você? Gosta dela?

-Gosto? Não sei muito bem ainda. Mas gosto de você! -Lucy olhou-o, um olhar furtivo e constrangido.

A jovem começou a comer, fixando-se em seu prato. Fazia movimentos curtos para não chamar a atenção e se encolhia na cadeira.

-Está com medo? Vergonha? Ham?

-Não, só me sinto desconfortável com suas palavras. Talvez um pouco de vergonha sim. -Foi sincera.

-Lucy, Não vou te pressionar a nada, mas não vou lhe poupar de minhas palavras. Estou me interessando mais por você a cada minuto e sinto que minhas palavras surtem efeitos diversos em você, então não vou me privar disso. -A jovem se surpreendeu com a corajosa declaração.

Os dois levantaram da mesa no mesmo instante -Se está achando que vai ficar me provocando está enganada. Esse almoço com certeza foi agradável, mas eu quero mais...- Bateu com as mãos na mesa e Lucy ficou imóvel, sentindo o peito doer.

-Quer mais? Achei que já estivesse satisfeito. -tentava parecer o mais confiante possível -Pois eu já estou. -Estava se retirando, quando ele a puxou pela mão e agarrou sua cintura.

-Está satisfeita? Faça-me rir. Mulheres não deveriam mentir, é perigoso. -A loira se apertou no abraço e passou as unhas pelo colarinho engomado do príncipe -Diga que não quer! -Desafiou.

Mas Lucy não disse nada, só mordeu o lábio e deixou acontecer, ela sabia que seria assim, esse era seu destino, já havia aceitado. Sting pelo menos a tratava bem. Ela o beijou, por iniciativa própria. Os seus lábios eram doces.

-Por essa eu não esperava! -Ele se afastou só o suficiente para que pudesse olhar para sua boca -Então está se rendendo? -Ela negou e o jovem apertou os lábios -Acho que eu sim, quero mais, muito mais.

-Eu preciso me retirar, sua madrasta enviou-me uma carta, de acordo com Leo!

-Uma carta? -Os dois loiros se soltaram -Mas estamos todos na mesma localidade! -Lucy deu de ombros e saiu apressada, não queria dar brecha para outras coisas.

A carta estava lá, ao lado de um vestido. O vestido era rodado estilo princesa, na cor pérola, havia algumas pedras bordadas sobre o tecido acetinado. Era realmente lindo. A carta era escrita a mão e dizia:

"Cara Lucy,

É com pesar que eu não pude estar presente no almoço, para me redimir e para que possamos passar um tempo juntas para nos conhecer, estou te convidando para um chá.

Me encontre no jardim do castelo as 15:00 horas, para que possamos degustar novos sabores de bolos produzidos por nossos chefes.

Olhei para esse vestido e com certeza lembrei de seus olhos, espero lhe ver com ele hoje."

Lucy olhou o vestido maravilhada, fascinada, com certeza ela havia se apaixonado pelo modelo. Sem mangas, um tomara que caia justo até a cintura. Iria usá-lo com certeza.

Foi então tomar um banho e passou as horas restantes se perfumando com cremes e ervas.

Prendeu o cabelo em um coque despojado e então se arrumou, colocando o tão esperado vestido. Apesar de não contrastar com a pele também clara de Lucy, o vestido havia ficado maravilhoso.

Fios de cabelo pendiam do coque como ouro sobre sua pele. O vestido realçava sua bondade juvenil escondida na aparência de mulher e joias, mais precisamente ametistas brilhavam sobre a pele da jovem.

Saiu do quarto, alegre e disposta. Estava ansiosa para ver o semblante de Sting quando a visse, afinal estava deslumbrante como nunca. Andou pelos corredores até chegar ao salão principal. Ele estava lá.

-Lucy? -A loira viu Sting prender a respiração e arregalar os olhos para ela -Esse vestido? -Lucy parou de andar no mesmo instante, algo estava errado. O semblante de Sting passou de surpreso para raivoso -Onde encontrou esse vestido? -Esbravejou.

-S-sua madrasta... Ela deixou em meu quarto!

-Mentira! Me diga, onde o encontrou? Tire-o agora mesmo! Ele não a pertence. -Lucy de assustou, agarrou-se a ametista que estava em seu pescoço, enquanto os olhos se enchiam de lágrimas.

-Eu não estou mentindo -Semicerrou os olhos para ele em tom de ameaça -Porém eu vou tirá-lo, não quero realmente nada que venha de mal agrado, sinto muito se lhe ofendi. -Disse fria, deu meia volta e andou lentamente até seu quarto.

Apesar disso tudo, Lucy não entendia, o que havia no vestido? Porque havia incomodado tanto a Sting? Porque então sua madrasta o havia dado a ela? A quem ele pertencia?

Apesar da humilhação e da vergonha que agora sentia de Sting ela estava curiosa. Afinal o que haveria de ter provocado aquela resposta tão contrária a personalidade do loiro?

-Será que era de sua mãe? -Perguntava-se perdida em pensamentos. Trocou-se vagarosamente e desceu novamente para se encontrar com Minerva, Sting já não estava no salão e ela duvidava que retornaria logo. Mas Minerva também não a estava esperando para o chá. A verdade é que as duas xicaras estavam agora frias e intocáveis sobre a mesa.

-O que está havendo? -Passou as unhas pela mesa trabalhada em madeira e andou até o alojamento dos soldados -Leo! -Gritou pelo soldado quase em desespero -Leo, onde está?

Ele mais que imediatamente saiu de dentro do local.

-O que houve? -Viu os traços de choro em Lucy.

-Preciso de sua ajuda, podemos ir até a cidade? Precisamos conversar! -Ele estranhou o pedido, afinal eles poderiam conversar ali mesmo, mas aceitou. Rumaram até o portão e logo estavam a caminho do centro da cidade.

-O que houve? -Leo foi direto, não estava gostando da situação.

-Sting e Minerva. Tenho que descobrir o que há entre os dois, talvez uma rixa? Não sei! O que posso lhe dizer com certeza é que, Minerva me mandou um vestido essa tarde e quando Sting me viu com ele, simplesmente enlouqueceu. O rancor era presente em sua voz.

-Está curiosa? Eu já estaria reportando isso aos anciões, talvez assim voltassem atrás em suas decisões horrorosas...

-Claro, mas como irei provar que algo está errado? -Leo a olhou profundo nos olhos -Isso mesmo! Vamos ter que descobrir o que é e juntar provas... Talvez assim eu me livre de uma família problemática por enquanto. E então? Vai me ajudar?


Notas Finais


Bem é isso, espero que tenham gostado, mais uma vez, desculpem-me pelo atraso, mas domingo tem mais.
Agora as perguntas que surgem são. De quem é o vestido e por que afeta tanto Sting? Por que minerva faria isso? Como Natsu vai se apresentar ao seu reino? Será que ele vai ser aceito de volta pela população?
Vamos descobrir isso e muito mais pelos próximos capítulos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...