História Collide - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys (BTS), Drama, Jimin, Suga, Yaoi, Yoongi, Yoonmin
Visualizações 11
Palavras 2.714
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Para a avaliação de pessoas que sofreram um Traumatismo Raquimedular (TRM), a escala da ASIA é sem dúvida a avaliação mais utilizada por especialistas e tem grande aceitação em nível mundial. A escala da ASIA foi desenvolvida em 1984 pela Associação Norte Americana de Lesão Medular (American Spinal Injury Association – ASIA) e sofreu revisões em 1992 e em 2002. No momento, a escala baseia-se na avaliação da sensibilidade e da função motora, sendo possível classificar o paciente quanto ao tipo de lesão (completa ou incompleta) e determinar o nível neurológico, além de gerar um escore baseado nos achados sensitivos e motores.

CONHECENDO A ESCALA DA ASIA
A principal característica da ASIA é a nomenclatura utilizada para classificação dos pacientes. De acordo com a ASIA é possível classificar o paciente com TRM em uma de 5 categorias, de acordo com o resultado do exame dos componentes sensitivo e motor. A classificação segue abaixo:

ASIA “A” = Lesão Completa: Sem preservação das funções motora e sensitiva no segmento sacral S4 - S5
ASIA “B” = Lesão Incompleta: Perda da função motora, porém função sensitiva preservada abaixo do nível neurológico e inclui sensibilidade do segmento sacral S4-S5
ASIA “C” = Lesão Incompleta: Função motora preservada abaixo do nível neurológico, e mais da metade dos músculos-chave abaixo do nível neurológico possuem grau de força inferior a 3 (apesar de haver contração muscular, não são capazes de vencer a gravidade)
ASIA “D” = Lesão Incompleta: Função motora preservada abaixo do nível neurológico, e mais da metade dos músculos-chave abaixo do nível neurológico possuem grau de força igual ou superior a 3 (vencem a gravidade)
ASIA “E” = Lesão Incompleta: Funções Motora e sensitiva são normais.

Capítulo 13 - 12 - Um passo de cada vez


Richard se posicionou de um dos lados da cama, enquanto que Jimin ficou do outro. Aquele era o primeiro dia de Yoongi no quarto fora da UTI, e após um consentimento mudo de sua parte sobre os pais os observando, eles puderam começar outra sessão da reabilitação. Richard preferia proteger a intimidade de cada paciente, mas com Yoongi aparentemente tranquilo sobre isso, não houve qualquer atrito.

- Você se sente melhor para sentar? Ou Ainda dói?

- Doer não dói mais, então sim. Mas é difícil se apoiar com esse acesso na minha mão, e às vezes eu sinto que não tenho muito equilíbrio. Isso aconteceu da primeira vez também.

- É porque você passou muitos dias deitado, e o corpo perde o senso de equilíbrio mesmo. - Disse Richard. - Além disso, como a paralisia afetou a região do seu quadril, fica mais difícil se apoiar mesmo agora. Antes era difícil também?

- Era, mas depois que eu me acostumei com a rotina, ficou tranquilo. Realmente eu não conseguia mais sentar em um banco ou em qualquer lugar sem apoio, mas também não precisava ficar deitado. É insuportável.

- Nós vamos te ajudar agora. Mas não se esqueça de avisar de estiver sentindo alguma coisa, e eu vou só te pedir para tomar cuidado com a sua mão que tem o acesso, mas não precisa se preocupar porque eu não vou deixar você se machucar.

Richard esticou os braços e se inclinou na direção de Yoongi, o abraçando quase na altura das axilas. Em contrapartida, ele se apoiou sobre os braços do fisioterapeuta enquanto ia sendo trazido para frente, agora sem o apoio da cama. Yoongi respirou tão fundo quando a pressão deixou suas costas, que assustou sua mãe por um momento.

- Dá para ver o alívio no seu rosto. - Disse Jimin. - Está tudo bem?

Yoongi anuiu e baixou a cabeça um instante, apoiando o rosto sobre o braço de Richard. Ele respirava com calma, mas era bem audível.

- Se você sentir dor, Yoongi, pode me avisar. E não precisa ter pressa, espera o seu corpo se acostumar a falta de pressão nas suas costas. A cirurgia ainda é recente, e os efeitos passam em longo prazo.

Pela força que Richard sentia sobre os braços, conseguia saber mais ou menos o quanto Yoongi era ou não capaz de se manter sozinho em algumas posições. Ele o estava usando quase que completamente como apoio naquele momento, e precisou de algum tempo para se acostumar com a mudança de postura. A falta de pressão da gravidade sobre as costas lhe trouxe um semblante quase instantâneo de alívio.

- Se eu conseguisse, ia ficar assim o dia todo.

- Você precisa de fortalecimento agora. - Richard tinha uma voz suave e boa de ouvir. - É preciso ir devagar por conta da cirurgia, mas nós vamos ajudar nisso para que você consiga se manter desencostado quando sentir necessidade, sem precisar do apoio de alguém. Antes da cirurgia você era capaz disso, não?

- Depois que me acostumei com a limitação da deficiência, sim. - Yoongi respirou fundo quando deitou de novo, mas dessa vez sem dor. - Eu conseguia passar da cama para a cadeira, ou para o sofá, e também na hora do banho. Eu conseguia cozinhar e fazer qualquer coisa sozinho, quase não ficava deitado.

- Isso é muito bom, e a melhor coisa que pode fazer pelo bem da sua própria saúde. Ficar muito tempo no leito, quando internado, ou em casa, além de diminuir o tônus muscular, pode causar ferimentos de pressão. Por isso você precisa se manter ativo sempre que for possível. Eu sei que a cirurgia, em termos físicos, fez você retroceder um pouco na sua independência, mas agora a reabilitação vai ser mais forte, sempre visando a recuperação muscular da sua perna.

- E essa independência também ajuda a lidar melhor com a situação como um todo. - Disse Jimin. Ele descobriu uma das pernas de Yoongi, e a ergueu devagar. - Dói? - Yoongi negou. Em seguida, Jimin a dobrou, com cuidado. Elas pareciam tão leves. - E agora?

- Também não. Nem as costas, e nem a perna.

- E você consegue sentir bem quando eu toco na sua perna? Ou sente alguma dormência também?

- Não, dormência não. Eu sinto você, mas fraco.

- Os seus exames neurológicos estão marcados para hoje. - Disse Richard. - Com eles, nós vamos conseguir ter certeza da sua evolução ao longo desses cinco anos, e entrar com o tratamento mais específico, que vai ser sempre muito fortalecimento e reestabelecimento do equilíbrio. Como você ficou cinco anos sem andar, esse progresso vai ser um pouco demorado.

- Tudo bem, eu posso me acostumar com isso. Só de cogitar a ideia de um dia poder voltar a andar de novo é mais do que eu esperava. Já tinha aceitado que não ia acontecer.

- Os resultados de hoje vão ajudar bastante. Eu vou te pedir para não fazer força com o braço que tem o acesso, mas pode chamar qualquer um de nós sempre que precisar, caso as suas costas estejam doendo. O Smith me disse que seus exames vão ser agora no começo da tarde, então eu vou te deixar descansando. Quando receber os resultados no fim da tarde, volto aqui.

- Está bem. Obrigado pela ajuda.

Richard e Jimin deixaram o quarto quase em seguida, depois de Yoongi trocar um olhar muito expressivo com o ex-namorado.

- Eu não sabia que você estava sentindo dor. - Disse a mãe. - Essa cama é tão ruim assim mesmo com essa inclinação?

- Não é a cama, mãe. É só cansativo demais ficar aqui deitado horas e horas na mesma posição, e dói. Mas eu também não posso ficar me mexendo tanto ainda sem a autorização deles.

- É por isso que você quer um acompanhante? - Perguntou o pai.

- Eu não quero um acompanhante, quero o Jimin. Mas a verdade é que eu vou passar mais tempo aqui na reabilitação do que em casa, então não sei se vocês vão preferir que eu fique internado por um tempo, ou venha só nos dias marcados.

- É melhor decidir isso quando o fisioterapeuta entregar a agenda com os dias do seu tratamento. - Disse o pai. - Mas se você for ficar internado, não vai precisar da companhia dele.

Yoongi sentiu com tanta indiferença as palavras do pai, que sua boca amargou.

- Mas vocês sabem que o Jimin e o chefe dele são os responsáveis por mim. E foram vocês que exigiram a exclusividade do Central.

- Como se eu pudesse imaginar que isso poderia acontecer. - Disse o pai, severo. - Eu só queria garantir que ninguém mais ia errar tão vergonhosamente com você como da primeira vez naquele maldito hospital.

- E conseguiu pai. Aqui é um bom lugar, com pessoas que realmente se importam e cuidam do paciente, tentando fazer o melhor por eles. O senhor pode odiar o Jimin, mas não pode negar o bom trabalho dele aqui.

- Se você ficar bem é o suficiente para mim, Yoongi. Mas aceitar...

Ele não quis terminar sua fala amargurada. Cansado de brigar, Yoongi apenas dedicou um sorriso pouco expressivo ao pai.

- Eu já sei, e preferia que não repetisse a mesma coisa ruim de sempre. Só não façam nada contra o Jimin e vai ficar tudo bem, ele não merece o ódio de vocês. - Yoongi olhou dentro dos olhos do pai. - Um dia eu vou andar com as minhas próprias pernas, com ou sem uma cadeira de rodas, e nós não vamos mais ter essa conversa e esse problema.

Não era uma ameaça, mas o Sr. Min se sentiu acuado. A constatação óbvia de que a vida seguiria seu curso, e de que Yoongi era mais independente do que suas pernas inertes, era assustadora.

xXx

Yoongi passou toda à tarde do dia vinte e sete fazendo os mais diversos exames, acompanhado por Richard e Jimin, que observavam de longe, sempre junto do Dr. Smith. Esse, aliás, agora tinha em mãos os resultados dos novos exames de imagem após a cirurgia.

- A descompressão foi um sucesso, e os resultados novos não mostram mais qualquer lesão secundária em toda a extensão da medula. As vértebras estão bem alinhadas, e sem apresentar mais machucados, além da cicatriz do acidente em si.

- Ótimo. Pelo menos não vamos expor ele a mais um erro absurdo, e eu vou poder entrar com a reabilitação sem medo. Com esses resultados de agora já dá para pensar até na alta. Ele poderia descansar melhor em casa.

- De minha parte está tudo bem Richard. - Disse Smith. - Basta saber se com o resultado dos exames neurológicos você também vai poder liberar ele.

- Olhando de longe ele parece estar reagindo bem aos exames, e tirando a pressão nas costas que ainda incomoda por causa da mesma posição de sempre, ele parece apto para lidar com o cotidiano novamente. Eu só preciso terminar a agenda dele antes.

Alheio a conversa que se desenvolvia a seu lado, Jimin prestava atenção nas expressões e reações de Yoongi conforme a médica o examinava. A todo o momento ele parecia dizer alguma coisa sobre a pressão aplicada em suas pernas, ou diante do toque de algum objeto, desde um suave algodão sobre seu dedão, até uma punção superficial de uma pontuda agulha. Era um exame delicado, que envolvia os mais diversos testes e aplicações de pressões, e apesar de Yoongi estar reagindo aparentemente bem, Jimin tinha a impressão de que ele parecia um tanto confuso com tudo aquilo, o que também não era uma grande surpresa. Yoongi tinha que lidar com tantas informações ao mesmo tempo, que poderia se perder com aquilo.

- Jimin?

Ele balançou a cabeça e se voltou para Richard.

- Desculpe.

- Está tudo bem? Tem alguma coisa te incomodando?

- Não exatamente. - Ele tornou a olhar para Yoongi. - É que olhando de longe, eu fico imaginando o que o Yoongi passou, e o alívio de ter a esperança de que um dia talvez consiga voltar a andar.

- E isso pesa mais por ser ele?

Ele encarou Richard uma segunda vez.

- De todas as pessoas, e de todas as probabilidades disso acontecer, eu nunca pensei que encontraria o Yoongi aqui, na mesma data e numa situação muito parecida com a da minha avó. E nem que eu seria contratado para trabalhar justamente com ele, então às vezes eu me sinto meio perdido, sabe? Repensando sobre a minha própria vida.

O Dr. Smith encarou Jimin e resolveu que seria interessante se meter naquele assunto.

- E isso te incomoda tanto assim?

- Eu namorei com o Yoongi em algum momento do passado, então é algo que me incomoda sim, Dr. Smith. Porque eu também já fui acompanhante, e infelizmente vi uma pessoa morrer sem poder fazer nada para ajudá-la. Então eu só espero que o Yoongi passe muito longe disso.

- Fisicamente falando ele não corre risco. - O Dr. Smith se mostrou um tanto mais contido, respeitoso. - Mas sobre a recuperação, isso é algo que vocês podem dizer melhor do que eu. De minha parte está realmente tudo bem.

A médica que fazia o exame de Yoongi apareceu antes de Richard pudesse se meter e dizer alguma coisa.

- Eu vou redigir o laudo oficial ainda, mas com os resultados preliminares dessa avaliação, eu o classifico como ASIA-C. Você pode trabalhar a partir disso, Richard.

- Obrigado. - Ele mirou Jimin pelo canto dos olhos. - Vou esperar o resultado oficial para falar com ele, e finalizar o plano de tratamento.

- Claro, faça isso. A resposta muscular foi boa, e esse momento pode ser uma fase de transição para o ASIA-D. Faça o que for preciso, e daqui um mês eu refaço os testes dele.

- Eu vou. Obrigado pela ajuda.

Acompanhado de um reflexivo Jimin, Richard voltou para sua sala. Lá, a escala classificatória pendia emoldurada em uma das paredes.

- Antes de o Yoongi dar entrada aqui no Central, os pais enviaram os resultados da primeira internação de cinco anos atrás. Ele estava classificado como ASIA-A na época do acidente, e permaneceu assim durante o tempo em que fez os exames neurológicos.

- Então era toda a compressão que estava bloqueando a recuperação dele.

- Em partes, sim. Apesar do problema com o antigo hospital, a família investiu bem na reabilitação, e os efeitos daquele tempo foram sentidos na avaliação. Só que ele só fez três exames neurológicos, que deram ‘A’.

- Então não tem exatamente como saber se houve a classificação 'B' em algum momento.

- Exatamente. Mas ele evoluiu bem, classificação 'C' é bem próximo de voltar a andar. Agora depende do esforço e disciplina dele, e principalmente de nós. A gente só precisa fornecer o que ele necessita e fazer corretamente o nosso trabalho. Se você quiser dar as boas notícias para ele, fique a vontade.

...

O resultado final não demorou tanto para chegar. Guardado em um bonito envelope de tom marrom, ficou junto de Richard com uma pequena agenda do hospital. Yoongi conversava com os pais quando ele e Jimin apareceram, pouco depois das sete horas da noite.

- Boa noite. - Disse Richard. - Tudo bem?

- Boa noite Dr. Adams, Jimin. Eu me sinto melhor, mas não sabia que esses exames cansavam tanto, principalmente o último.

Richard sorriu seu singelo e miúdo sorriso. - Você ainda está frágil por conta da cirurgia, então não é estranho que se sinta assim, e também o exame neurológico é muito detalhista, então aumenta esse cansaço. Com a recuperação em casa você vai se sentir melhor.

- Eu vou poder ir nos próximos dias?

- Agora o Smith só precisa da minha resposta, por isso eu vim agora de noite. O resultado do exame de imagem e o neurológico ficaram prontos, então eu consegui finalizar a sua agenda da reabilitação.

- Ah... - Ele se voltou para Jimin. - E eu vou poder andar de novo um dia?

Jimin quase conseguiu segurar a ansiedade de Yoongi e a tensão de seus pais.

- Nós usamos uma escala bem específica na fisioterapia para classificar os pacientes, e você está na classificação 'C' dela, que vai de ‘A’ até ‘E’. Ela serve para que a gente possa encaixar o paciente no grau certo de sensibilidade, e você ficou no meio dela.

- Não é tão ruim então. Eu acho que já ouvi isso uma vez, eu acho.

- Ouviu mesmo. Na época do acidente você estava na classificação 'A', e agora na 'C'. Quanto mais perto do 'E', melhor.

- Então ele melhorou muito. - Disse a mãe, aliviada. Jimin a encarou e assentiu.

- Sim, mas ainda vai levar algum tempo para que você possa pensar em andar de novo, porque a classificação 'C', apesar de ser boa dentro do que a gente tem nos diz que você tem sim sensibilidade abaixo do nível da lesão, ou seja, nas suas pernas, mas ainda não é capaz de vencer a gravidade.

- Isso parece difícil Jimin, mas eu consigo ver uma diferença aí. Acham que dá para evoluir mais?

- Fortalecendo os seus músculos, e com base no seu grau de evolução, existe sim a possibilidade, mas a gente está dizendo sobre um prazo que pode durar muitos meses.

- Mesmo assim Jimin é muito melhor do que o que eu já tive um dia.

Richard achou melhor intervir.

- Você teve uma evolução muito boa, e se continuar assim existe a chance de alcançar o 'E'. Com estímulo e muito fortalecimento, e baseado no seu histórico, eu só preciso de mais um exame neurológico daqui a um mês para ter certeza disso. - Os sorrisos de Richard eram pouco expressivos, mas deixavam suas feições mais amenas. - Nós vamos te ajudar, Yoongi. Eu vou liberar você para alta, e a gente começa a reabilitação na próxima semana, tudo bem?

Cogitar a possibilidade de voltar a andar um dia... Aquilo era mais do que Yoongi se lembrava de ter tido como opção após o acidente.

- Obrigado por tudo, Dr. Adams.

Para Jimin, ele dedicou um sorriso.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...