1. Spirit Fanfics >
  2. Colors >
  3. Amarelo

História Colors - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Olá retornei.
Eu postei Colors como um teste para esse plot e algumas pessoas gostaram, então resolvi postar ele aos poucos, mas com uma provável demora já que o plot ta todo em reconstrução por não estar indo realmente por um caminho que eu gostava. Por enquanto talvez não tenha capitulos muito longos.
Obrigado e BOAAA LEITURAAA

Capítulo 2 - Amarelo


Decidi que não voltaria para casa naquela noite, deixaria o recém chegado aproveitar a calmaria já que amanhã as coisas poderiam tomar um caminho diferente. Estava caminhando sem rumo pelo centro da cidade quando Youngjae me ligou chamando-me para uma festa que um colega de faculdade dele iria fazer e acabei aceitando, terminando em um corredor escorado com um jeans escuro, camiseta branca e jaqueta de couro preta com um copo de bebida na mão vendo Youngjae dançar com uma garota tão bêbada quanto ele. Sorri me lembrando de como o conheci. Foi a primeira festa que fui, depois de ceder aos caprichos da Jihyo, havia acabado sozinho quando a mesma me abandonou por causa das amigas e foi quando um garoto de cabelos castanhos e um sorriso incrivelmente fofo se aproximou me cantando, o mais engraçado foi que ele não deu nem dois passos e caiu pra frente tendo que ser amparado por mim. Ninguém mais deu bola e acabei o levando para o meu apartamento que era ali perto. Quando ele acordou no dia seguinte e contei sobre o ocorrido acabamos nos aproximando e nos tornando amigos já que assim como a Jihyo ele grudou que nem chiclete e não largou mais.

    Havia ficado um pouco apreensivo em leva-lo para minha casa, mas sem identificar ninguém que o conhecesse e ele estando naquele estado, não tive outra opção, era arriscado levar um desconhecido para a minha casa, mas eu sabia que ele não era nenhuma louc psicopata nem nada disso o máximo que um amarelo pode fazer com você é te abandonar, por serem comunicativos demais e não pararem quietos. Já havia visto eles antes, nunca havia me aproximado, mas meus tempos de ensino médio isolado e apenas observando me ajudaram a ver as características das cores aos poucos e poderia dizer que conhecia praticamente todas, exceto alguém com a cor branca, e isso era realmente curioso. Eu não havia inventado aquele rapaz, não é? Não, ele era alguém real. Eu esbarrei nele sem querer enquanto o ajudava e definitivamente ele era alguém de carne e osso. Onde ele poderia estar? Hotel Small Paradise foi o que ele perguntou, e pelo jeito estava de mudança. Porém o hotel não hospedava pessoas por muito tempo, eu mesmo na época em que estava procurando lugar para morar perguntei e sabia que não havia mudado isso.

 - Jaebeom !! Acorda, você veio apenas para ficar bebendo pelos cantos, porque não dança um pouco. - Youngjae me tirou dos meus devaneios enquanto me puxava para a sala onde os móveis tinham sido arredados e sido improvisado uma pequena pista de dança. Odiava dançar, mas a bebida no meu organismo não me ajudou a raciocinar muito bem, além disso, queria tentar me divertir um pouco. E quando ouvi a gargalhada de Youngjae e sua amiga soube que minha dança estava tão boa quanto sempre, pelo menos eu divertia eles.

   Fiquei mais ou menos umas duas horas dançando ou tentando, enquanto tomava um copo e outro, e quando a distância entre mim e Youngjae diminuiu e minhas mãos começaram a se firmar em sua cintura vi que estava na hora de ir para casa. Me afastei puxando ele e a amiga completamente bêbados para fora chamando um taxi. Indiquei o endereço ao taxista e paguei a viagem já que aqueles dois não estavam em condições de fazer mais nada além de apagar no banco de trás do carro. Liguei para o irmão dele e falei que estavam a caminho e assim pude começar o trajeto de volta ao meu pequeno cubículo, mas não sem pegar uma garrafa de alguma coisa alcoólica na cozinha da casa. Lidar com o irmão de Jihyo requeria aquela ferramenta.

Aquilo sempre acontecia quando eu bebia, acabava cedendo aos meus desejos. Mas não passam disso desejos, pois nunca havia me sentido nada mais que um pouco atraído por alguém homem ou mulher. Nunca passou de alguns amassos por causa da bebida. Nunca havia namorado, apesar de que se chego em algum ambiente novo acabo sendo popular até elas notarem que meu jeito quieto era só isso mesmo e não charme bobo. Quando chego em casa, já bem mais desorientado que antes, acabo encontrando certa dificuldade em abrir a porta e enquanto caminhava para a minha cama na sala tropico em algumas coisas pelo caminho perdendo o equilíbrio e literalmente beijando o chão. MERDA. Ouço um barulho alto de algo caindo e depois o som da luz sendo acesa e passos se aproximando de mim.

- Você está bem? - uma voz pergunta. Não a reconheço, pera não deveria ter ninguém na minha casa.

- Quem é você? - Me levanto rapidamente. Não consigo ver muito bem por conta da tonteira. Que ideia foi essa de vir tomando mais uma garrafa. Me lembro dela na minha mão e aponto para o estranho. - Se você sair agora eu não chamo a polícia.

 - Jaebeom sou eu seu novo colega de quarto, o irmão da Jihyo, ela me disse que tinha te avisado que eu viria hoje - ele diz calmamente com as mãos na altura dos ombros tentando mostrar que não vai me machucar. Finalmente consigo focar em seu rosto. Não vejo nenhuma cor, mas isso deve ser por causa da bebida. “provavelmente é isso né seu idiota, para que então você bebeu essa garrafa toda então?”

- Irmão da Jihyo? Colega de quarto? Há sim – abaixo a garrafa, mas então caio de novo.

- Você bebeu? - ele fala e lhe olho irônico do chão onde cai - Esquece eu notei que sim. Vem cá vou te ajudar - estende a mão para mim.

- Não quero levantar o chão está tão bom - digo manhoso - e daqui a casa não gira. - Olho para ele mais um pouco. Hoo ele é bonito, mesmo que tenha recém o acordado o seu cabelo escuro amassado e os olhos pequenos de sono fazem ele ter uma imagem sexy - você é bonito - digo.

- Okay - ele fala rindo do meu estado e comentário – Vamos lá tomar um banho frio - Ele me ajuda a levantar e me carrega pelo ombro até o banheiro. Não paro de olhar para ele até ele me colocar de baixo do chuveiro com roupa e tudo e ligar.

 - EI – tento sair dali, mas ele me segura.

- Eu sei que nos conhecemos agora, mas você está bêbado e o melhor que posso fazer é jogar uma água fria em você, então desculpa e de nada – e le diz depois de conseguir me fazer desistir de sair de debaixo do chuveiro e eu apenas me sentar no chão enquanto a água escorre pelo meu corpo até tocar o piso do banheiro. Ele se vira e vai em direção a porta pegar uma toalha para mim. Então noto o quanto ele tem uma bunda realmente interessante. Já havia visto muitas bundas bonitas e grandes, mas a dele, realmente era intrigante e aquelas coxas também.

- Você tem um corpo sexy sabia. Nunca havia pensado isso de um cara. Mas não posso mentir que to com vontade de apertar essa tua bunda. - Digo enquanto ele vem na minha direção com uma toalha. Primeiramente ele parece assustado, mas depois começa a rir - Ei não é para rir isso é uma cantada. - Digo me levantando e pegando a tolha. Meu pé escorrega e quase caio. Por sorte ele me segura.

- É meio difícil levar sua cantada a sério no estado que você está. - Ele está perto, perto demais para alguém que estava rindo da minha cantada. Posso ver como está sorrindo cinicamente, como se questionasse se eu era capaz de algo sabendo que eu não era - acho que você consegue se trocar sozinho - ele me larga e sai do banheiro - boa noite Jaebeom.

 Só me lembro de que vesti uma cueca e um calção e desabei na cama.


Notas Finais


Bom foi curto espero que tenham gostado. Estou trabalhando também em um jornal para explicar sobre as cores das almas e suas cores mutáveis.
Me desculpem qualquer erro :(
Até mais e se cuidem <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...