História Colors - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias JBJ, NU'EST, Wanna One
Personagens Aron, Baekho, Daehwi, Guanlin, Jaehwan, Jihoon, Jinyoung, Jisung, Jr, Kang Daniel, Minhyun, Personagens Originais, Ren, Roh Taehyun, Seongwoo, Sungwoon, Woojin
Tags Abo, Baekhwi, Daedong, Donghwi, Ioi, Jren, Minseon, Ongniel, Produce 101, Seonhyun, Seonmin, Wanna One, Yaoi, Yuri
Visualizações 779
Palavras 8.037
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olááá

Gostaria de falar que olha só quem voltou after 2 semanas? Tadadã~

Queria poder atualizar Colors com mais frequência porém quem me conhece bem sabe que eu tenho mil e uma coisas pra fazer e que no final quando to bem apertada eu vou lá e dou a luz a um capítulo de 8k de palavra em um único dia.

Prazer, minha rotina com essa fanfic.

Mas enfim sem mais delongas vamos ao capítulo e, lembrando:

TEM COISA IMPORTANTE NAS NOTAS FINAIS ENTÃO LEIAM

Boa leitura ^^

| Meu twitter: @kodathewel |

Capítulo 8 - Verde


Fanfic / Fanfiction Colors - Capítulo 8 - Verde

— Você realmente não vai me falar da onde surgiu esse chupões ai? — perguntou o alfa apontando para o pescoço alheio, vendo o mais velho revirar os olhos mais uma vez e ajeitar seu casaco enquanto saiam de casa.

— Não. — cuspiu de forma irritada e Daniel não pode deixar de rir; ele e Mina estavam testando a paciência do irmão com isso desde que o mesmo tinha acordado.

— Ah qual é, você não vai nem me dizer quem foi que fez? — tentou Daniel de novo, vendo Dongho respirar fundo e o rosado sorrir enquanto cruzavam o pequeno jardim da entrada. — Eu fiquei longe de você por no máximo 20 minutos antes de ir levar a Mina em casa, como raios você conseguiu uma transa nesse meio tempo?!

— Mais uma palavra Kang Daniel e eu vou acabar contando com quem foi, e você vai acabar se arrependendo de querer saber. — disse o outro sem paciência e Daniel ergueu uma sobrancelha confuso. — Eu já estou arrependido de ter feito...

— Foi ruim assim?

— Não cara. Puta merda, nem um pouco.

— Então por que arrependido?

O Kang mais velho suspirou fraco em frente a pequena cerca da casa dos três irmãos, tirando seu celular do bolso enquanto esperavam pela presença da ômega mais nova.

— Esquece Danik, é complicado. — o outro disse de forma baixa enquanto digitava algo. Daniel resolveu realmente esquecer; nunca tinha visto seu irmão como alguém adpeto a transas de apenas uma noite mas bem, se era isso que ele tinha feito, quem era o rosado para se meter? — Quem vai na praia com a gente?

— Meus amigos hyung, nada demais. — Dongho concordou com a cabeça sem olhar para o irmão, perdendo o sorriso bobo que o outro mostrou assim que continuou a fala. — Seongwoo disse que iria me mostrar a praia e como os meninos estão com ele, achei melhor chamar todo mundo.

— E a onde eu me encaixo nisso tudo?  — Daniel sentiu que iria bater bastante no meio-irmão se o mesmo continuasse com aquela atitude irritada o resto do dia. Tudo bem que o rosado e Mina o tinham zoado bastante mas qual é, o pescoço dele estarva roxo! Aquilo era atestado para zoação livre.

— Na sua cama sendo o bosta que você é se continuar reclamando. — resmungou. — MINA PELO AMOR DE DEUS VAMOS LOGO! — gritou para a irmã que ainda estava terminando de se arrumar na casa. — Faz anos que a Mina não vê o mar e eu achei que seria legal levar todo mundo, mas se você não quiser ir melhor ainda que sobra mais dinheiro.

O outro lhe empurrou o ombro e Daniel sorriu ao ver que o outro também ria. Eles tinham uma relação assim, se xingavam, se batiam mas por mais que não admitissem, se amavam. Uma relação simples de irmãos eles diriam, mas provavelmente já teriam um arrancado a garganta do outro com os dentes se não fosse pela presença de Mina.

Uma relação comum de irmãos alfas, seu pai dizia. Daniel achava besteira rotular e até enaltecer o fato de serem alfas e por isso podiam — ou até mesmo deveriam — se comportar de maneira violenta; a personalidade dos dois era muito forte e geniosa, por isso eles se arranharam por diversas das vezes quando crianças.

— Eu não acredito que você sabotou seu próprio encontro pensando na Mina. — riu o alfa mais velho fazendo o outro corar bem de leve.

— Não é um encontro! — ainda não é, estou aguardando o momento certo pra isso. — Ele foi gentil e eu pensei que isso ia ser bom pra Mina.

— JÁ ESTOU INDO! — e falando na ômega a mesma berrou de dentro da casa.

— Ela esta se adaptando melhor aqui do que em Seul. — admitiu o moreno soltando um curto suspiro. — Você não faz ideia do quão aliviado eu estou com isso.

— Mina é uma menina inteligente, ela sabe se adaptar aos lugares. — confortou o outro mesmo compartilhando do mesmo sentimento. — Você acha que... ela sente falta do pai e da mãe?

O maxilar de Dongho se trancou levemente fazendo Daniel se perguntar se aquela era uma boa pergunta ou não. Sabia que a relação dos herdeiros Kang com os pais nunca foi das melhores, se é que aquilo poderia ser chamado de relação, e quem mais sentia isso era o moreno. Ele era apenas um ano e alguns meses mais velho que Daniel mas ainda sim tinha seu plano de vida esquematizado dês dos catorze; conversou durante anos com todos os advogados possíveis sem que o patriarca da família soubesse sobre ter a guarda dos irmãos para si, e quando fizesse a maior idade iria tirar os mais novos daquele buraco emocionalmente instável que chamavam de casa, se mudariam os três para um lugar novo e tudo ficaria bem. Sem dor, sem stress, sem raiva. Sem pais.

E foi exatamente isso que Dongho fez poucos meses depois de conseguir a maior idade e ali estava ele, sendo o chefe daquela estranha nova família em Busan, com uma casa e dois irmão para cuidar. O processo de tirar a guarda de seus pais e transferir para o alfa ainda estava em andamento, o caso mais complicado era o de Mina que ainda tinha quinze anos mas Dongho tinha recebido permissão legal dos pais para ficar com o rosado e a mais nova por tempo indefinido. Isso era bom, mas mesmo que o alfa Kang fosse um pai muito melhor pros irmãos do que o próprio pai e mãe deles, Daniel e Mina viviam constantemente com o risco de a qualquer momento serem enchutados de volta a Seul.

Então sim, Dongho queria tudo, menos que Mina tivesse um contato íntimo com os pais.

— Eu disse assim que chegamos aqui que ela estava livre para falar com a mãe dela e o nosso pai sempre que quisesse. — disse o outro de maneira derrotada. Gostar da ideia de fato não gostava, mas se aquilo era o melhor pra ômega o mais velho não iria se opor. — Mas não vi ela ligando pra ninguém.

Daniel concordou com a cabeça e o assunto morreu lentamente entre os alfas, a demora da irmã começando a irritar profundamente o rosado. Já tinha acordado ansioso e a todo vapor com a idéia de finalmente começar a ter uma relação mais íntima e solida com Ong Seongwoo, e já dar o primeiro passo atrasado era definitivamente tudo que o Kang não queria.

Se eles ao menos estivessem de carro tudo seria mais fácil, porém Dongho disse que o carro da empresa só iria chegar na segunda ou terceira semana de instalação deles em Busan e isso deixava os três a merce de suas pernas, táxis e ônibus. Daniel realmente queria economizar, a ideia de morar sozinho e ter que comprar os alimentos, produtos de limpeza, roupas, sapatos e além de pagar as contas realmente caiu como uma bomba em cima do alfa mimado que nunca teve que se preocupar com isso; porém com o atrasado de Mina e a ansiedade que estava se viu obrigado a chamar um Uber.

— Acha que alguém se importaria se eu chamasse os meninos pra ir com a gente? — perguntou Dongho quando o rosado terminava de pedir sua corrida. — Minhyun, Ren e Jonghyun. Na escola o Ren sempre desaparece na hora do intervalo e eu nunca consigo reuni-los direito... acha que ele faz o que por ai?

A sensação de desconforto que se apoderou de Daniel o fez querer sumir de perto do irmão. Sabia que os herdeiros Kang nunca foram conhecidos por seu raciocínio rápido e esperteza direta, mas Dongho tinha que ultrapassar todas as barreiras para simplesmente não perceber a nuvem negra que pairava entre os seus três amigos de infância. Não era possível que em quase uma semana de convivência direta o moreno não tenha percebido as respostas ásperas de Minki contra Jonghyun e a relação distante do Choi com Minhyun. As vezes amizades de infância crescem e não sobrevivem, era algo normal, mas aquela áurea que seguia o trio não dizia exatamente isso; algo tinha acontecido ali, algo podre e marcante.

— Não acho que eles se importariam mas, Dongho — o outro disse com uma certa delicadeza. —, você sabe que tem algo errado ali né?

O moreno ergeu uma sobrancelha, o moletom preto que usava em pleno clima de praia deixando a pele do outro mais branca ainda.

— Como assim?

— Minki, Jonghyun e Minhyun. Tipo, você não percebeu o fato de que eles simplesmente não combinam mais juntos?

O outro pensou por um momento, inflando as bochechas ao fazer e olhando para o alto.

— Hã... Minhyunie disse que eles se distanciaram um pouco quando entraram no ensino médio, mas eles ainda são amigos.

— Cara — chamou o mais novo meio alarmado. —, eles fizeram algo pro Minki-hyung.

As bochechas do alfa voltaram ao seu estado normal levemente, o mesmo agora colocando as mãos no bolso de seus shorts e se virando para encarar o mais novo. Seu cabelo negro estava em seu habitual topete e havia um brinco prateado em sua orelha esquerda, a junção daquilo tudo fazendo ele carregar uma atmosfera de cara mal que simplesmente não era dele.

— O que você quer dizer com isso?

Daniel parou e arquitetou as palavras em seu cérebro. Como verbalizar horas e mais horas de teorias imaginativas que circulvam sua cabeça e ainda parecer convincente?

— O jeito como Minki age perto deles, como ele fala, o que ele demonstra sentir... eu não sei se é pelo dois ou se é só por um deles, mas pra mim aquilo é a pura mágoa e raiva no olhar dele. — disse de forma lenta tentando organizar tudo que achava. — Ele até fica perto do Minhyun mas de Jonghyun-hyung... parece que ele tem repulsa da presenta dele. Dongho, durante o tempo que a gente morava em Seul não houve nada de diferente nas mensagens deles?

Os olhos do mais velho pareciam um pouco perdidos enquanto ele analisava todo aquele mundo de novas possibilidades que Daniel havia mostrado para si. Ele direcionou o olhar a vários lugares aleatórios até realmente abrir a boca e falar com a voz levemente falhada.

— Não usavamos muito grupo de mensagem, era mais conversa privada com cada um dos três então se houve mudança entre eles eu nunca soube. — contou. — Mas houve uma época, a gente devia ter uns 14 anos... Jonghyun disse que ele e Minki...

Cheguei! — cantarolou o corpo da ômega Kang, chegando de maneira saltitante e feliz para perto dos irmãos. — E então, como nós vamos?

Os irmãos ficaram indecisos entre saber se a garota parecia radiante por estar animada, se era por estar linda ou se era porque Kang Mina já era naturalmente radiante. Optaram pela última escolha. A garota tinha um rabo de cavalo prendendo o cabelo deixando a mostra as orelhas grandes que Daniel adorava, tinha escolhido um short jeans azul claro e usava um maiô vermelho de listras brancas com um cropped branco por cima. O sorriso da garota era quilométrico e ela carregava uma bolsinha no ombro, lá dentro contendo tudo que eles precisavam como protetor solar, água e dinheiro que obviamente os alfas não tinham lembrado de trazer.

— A gente chamou um Uber, por que demorou tanto? — Dongho tentou soar irritado, mas saiu apenas manhoso o que fez Mina rir e apertar suas bochechas.

Omo, desculpe, eu não estava encontrando meus chinelos. — comentou, agarrando uma mão de cada irmão e sorrindo para eles. — Prontos para ir a praia?

Daniel sorriu abertamente para figura da irmã mais nova toda animada, se sentindo mais revigorado do que antes para ir para o tal encontro-não-tão-encontro-assim. Ok, Ong Seongwoo, aqui vamos nós.

~*~

O lugar escolhido como ponto de encontro pelo ômega era um parque de diversões. Mais especificamente, um píer na frente da praia onde em cima havia uma pequena area de parque de diversões. Pelo movimento em que o lugar estava e por ser realmente pequeno para um parque de diversões Daniel imaginou que deveria ser temporário e que provavelmente sem Seongwoo, jamais saberia da existência do lugar. E agradesceu imensamente ao ômega quando viu sua irmã ficar com a boca escancarada igual a uma criança ao ver a roda gigante.

— Wah, oppas! Olha aquilo, olha aquilo! — a garota apontou para o brinquedo branco com rosa que estava com as luzes acesas mesmo sendo 14h da tarde.

Os alfas riram e a menina gritou mais uma vez, correndo na direção de um grupo de pessoas jogadas na entrada do parque. Taehyun estava agachado no chão com uma cara enorme de tacho, Jisung estava ao lado ele em pé conversando algo com um Jaehwan sonolento, ou ao menos tentando porque o mesmo parecia estar dormindo no ombro do beta Yoon. Riu ao se lembrar o quão acabado Jaehwan estava na festa, andando pelos corredores da casa como um zumbi e com uma garrafa de tequila na mão. Para alguém calado e sem muita emoção sóbrio, Daniel esperava que ele fosse mais animado bêbado, porém o Kim não tinha mudado nada.

E então seus olhos recairam sob a imagem de Seongwoo e foi como se tudo tivesse parado. 

O garoto usava uma calça jeans clara e uma blusa branca com um casaco cinza, os cabelos negros bagunçados enquanto ele estava apoiado na parede da entrada do parque mexendo no celular. O ômega não estava usando nada demais, não tinha nada demais nos cabelos nem no roto, se passasse na rua as pessoas diriam que ele era simplesmente alguém normal; mas Ong Seongwoo não era normal. Ele era o ser humano mais singular e belo que Kang Daniel já teve o prazer de conhecer, e ele conseguia fazer isso com pouco menos que uma calça e uma blusa.

Jesus eu estou realmente tão caidinho por esse ômega?

Mina gritou de novo andando mais rápido em direção ao grupo, fazendo o ômega Ong tirar os olhos do aparelho e sorrir abertamente para a menina, guardando o telefone e abraçando quando a mesma pulou em seus braços. Ele sorriu para ela e falou algo que fez Mina sorrir respondendo e Seongwoo olhar para frente, encontrando a imagem dos alfas Kang se aproximando e, uma vez que os olhos de Seongwoo e Daniel estavam conectados, o Ong dirigiu um sorriso tão bonito para si que o alfa foi simplesmente incapaz de não sorrir de volta.

É, eu realmente estou.

— Hey gente. — disse o rosado quando já estavam dentro do grupo de amigos. — Hey Seongwoo-hyung. — direcionou-se a Seongwoo. Já tinha virado um hábito cumprimentar todo mundo e Seongwoo.

— Hey Dani. — disse ele de uma tão forma leve que fez o interior de Daniel se aquecer. Ele realmente ainda o estava chamando por aquele apelido bobo e idiota, e ele definitivamente estava agindo de maneira mais solta consigo. — Ignore os garotos eles ainda estão acabados pela festa.

— Imaginei. — riu e viu Jaehwan murmurrar algo sem nexo. — Todo mundo já está aqui?

— Daehwi, Seonho e Woojinie estão lá dentro, queriam comprar pipoca antes que ela ficasse fria e chula. — disse dando de ombros como se não entendesse a ação dos dongsaengs, Mina ainda agarrada a cintura de seu professor particular. — Vamos comprar os ingressos e entrar? — disse se direcionando a Mina.

— Vamos, vamos!

O grupo rapidamente se direcionou para a parte da bilheteria do lugar e enquanto andavam Daniel olhou para trás e viu seu meio-irmão parado, o olhar pensativo e apreensivo.

— Hyung? — o mais novo o tirou de seus devaneios. — Está tudo bem?

— Ahn? Ah, sim, está sim. — disse apressadamente. — Se importa se eu ficar mais afastado do grupo? Eu não estou me sentindo bem.

— Esta tudo bem Dongho?

— Sim está sim, só preciso de um tempo sozinho para descansar. — falou de maneira meio pesada e Daniel estranhou. O mais velho havia jurado com todas as forças que ficaria grudado em Mina o dia todo por conta do "garoto que estava entrando no cio" — esse era  Seonho, mas Dongho não sabia disso —, que não sabia o que o outro poderia fazer com a sua menina, que o cio poderia chegar mais cedo a qualquer momento, que alguns alfas no cio eram verdadeiras bestas... e agora ele simplesmente esqueceu por uma dor de cabeça? Nunca foi do jeito de Dongho colocar suas dores antes da dos outros.

— Hm, tudo bem hyung, vamos comprar logo os ingressos. — ditou, ignorando suas teorias da conspiração por enquanto e arrastando um alfa desconfortável até a área de compra de bilhetes.

Uma vez dentro do parque de diversões foi notado que o mesmo estava realmente cheio naquele dia. Haviam vários ômegas, alfas e alguns betas pelo lugar, as barracas de comida estavam cheias e filas para os brinquedos já começavam a se formar; não estaga lotado, mas estava realmente cheio.

— Pensei que iriamos a praia, Ong. — provocou Daniel para o ômega, os dois um pouco mais distantes do grupo. Aparentemente os meninos destruídos pela festa se recomporam na hora ao ver os brinquedos e se juntaram com Mina na animação toda enquanto Dongho andava um pouco mais afastado.

— Não consegue ver o mar bem ali, Kang? — rebateu o outro de forma leve, um sorriso  brincando em seus lábios. A três dias atrás ele teria sido frio e distante com o alfa naquela mesma frase e a ideia de proximidade fez o rosado sorrir mais. — Na verdade eu iria levar só a praia mas o Daehwi disse desse parque e achei que seria legal pra todo mundo. Mas eu realmente quero descer pra praia mais tarde.

— A gente vai então. — disse o outro fazendo Seongwoo sorrir. Ele ainda estava um pouco travado mas Daniel não podia esperar menos, afinal de contas aquele ainda era o Ong e ele era daquele jeito por natureza, pelo menos ele ainda estava tentando. — Como Seonho esta? Com o cheiro, eu digo.

— Peguei um remédio de cio da minha mãe que diminui o cheiro pra algo normal mas não sei vai funcionar. — admitiu. — Primeiro porque o efeito dele não costuma durar muito tempo e segundo que o remédio é pra ômegas, então talvez dê errado em Seonie. Mas a casa dele já esta limpa e se começar a ficar muito forte ele disse que iria embora.

Daniel concordou de leve com a cabeça pensando no quão bom menino Seonho era. Ele era tão amável, radiante e adorável... realmente não entendia como Minhyun poderia ser gentil e sorridente com todos ao seu redor e não com ele. Mas bem, aquela não era a única coisa estranha que rodeava Hwang Minhyun no final das contas.

Seguiram em silêncio por um tempo, os amigos mais a frente tentando descobrir qual seria o primeiro brinquedo a se entrar. Jisung e Mina pareciam explodir de animação enquanto andavam, sempre gritando e saltitando pelos lugares carregando seus chapéus de pescador em suas cabecas; Taehyun e Jaehwan estavam mais contidos como sempre, mas sorriram sempre que viam algo que os agradavam e isso era quase sempre. Até mesmo Dongho e sua aparente dor de cabeça tinha se aproximado mais de Mina e agora ria de algo junto da ômega e do beta Yoon.

Daniel olhou para o lado e viu Seongwoo andando com uma expressão neutra no rosto enquanto observava as coisas ao seu redor, e Daniel aproveitou para observar o próprio Ong. Gostava do jeito natural como o cabelo do outro ficava e era cortado, a tonalidade escura que parecia fazer um contraste perfeito com a pele mais bronzeada. Também gostava do contorno do rosto do outro, o jeito como o maxilar era bem marcado e os ombros largos passava uma ideia viril enquanto seus olhos bem alinhados e sua boca fina passavam uma ideia de inocência. A junção de tudo isso deveria ser um resultafo desastroso e confuso, mas Seongwoo parecia simplesmente ter sido esculpido na medida certa.

O Kang desviou o rosto rapidamente quando o outro se virou para si, sentindo as bochechas vermelhas e esperando que o outro não reparasse. Daniel nunca fez o estilo "alfa macho bad boy", ele sempre foi sorridente e comunicativo com todos mas não queria passar uma imagem infantil e envergonhada para o mais velho.

Seongwoo riu baixinho e Daniel sentiu o rosto esquentar mais ainda, olhando para baixo e vendo a mão solta do mais velho. Queria entrelaçar seus dedos com os dele. Queria ter algum tipo de toque que o fizesse ficar junto do outro, acoplado de uma maneira que o outro não pudesse sair; queria ficar junto do ômega aquele dia todo. Dizer o quão bonito ele era, o quão sua relação com os amigos era invejável, o quão adorável ele ficava explicando por horas e horas a mesma coisa para Mina...

... porém ainda não era o momento.

Daniel tinha um crush, sabia disso dês do momento em que passou a noite stalkeando o mais velho em todas as redes sociais. Mas bem, era Ong Seongwoo, quem não tinha? O rosado havia passado horas e horas na festa de Jihoon tirando e espantando qualquer alfa/beta que se aproximasse do mais velho com segundas intenções — o que na concepção do Kang era qualquer alfa/beta desconhecido. Ele definitivamente queria abraçar o outro, segurar sua mão, sentir o gosto de seus lábios e marcar aquele pescoço tão limpo... ele ainda era um homem e ainda sentia seus desejos.

Só que nesse meio tempo de ver o ômega pela primeira vez a estar ali no píer com o mesmo algo tinha mudado: Daniel tinha entrado no grupo de amigos do outro, e agora estava realmente começando a ser amigo dele. Foi difícil, chato e frustrante a semana inteira mas finalmente ele estava ali, caminhando em um silêncio confortável com o outro. Sim, era um homem e sentia desejos mas também era um ser humano racional; queria mais ser amigo do outro do que trocar alguns beijos e uma única noite.

Iria com calma, sem pressa, sem riscos. Teria certeza se aquilo era apenas um desejo passageiro ou realmente algo maior e se fosse a primeira opção, iria sobterrar isso no fundo de sua alma e focaria apenas na imagem amigável do outro. E se fosse a segunda opção, se aquilo realmente fosse um sentimento que pode virar algo verdadeiro, Daniel provavelmente iria...

Danny! — gritaram atrás de si e o alfa sentiu um peso meio leve em suas costas, fazendo ele ir para frente pelo impacto e Seongwoo segurar com força suas mãos no peito do Kang para dar-le apoio.

Uma vez visto que o rosado estava bem Seongwoo se afastou, olhando feio para o corpo risonho nas costas do mais novo, os braços agarrando fortemende o pescoço de Daniel enquanto as pernas estavam entrelaçadas em sua cintura.

— Daehwi-ah você está me matando! — resmungou o alfa com uma certa falta de ar, fazendo o loiro soltar um som surpreso e voltar para o chão.

— Desculpe hyung! Não era minha intenção. — disse e Daniel se virou para ele, o vendo carregando na mão esquerda um palito repleto de carne temperada e verduras. Daehwi estava lindo como sempre porém Daniel não pode deixar de reparar nas marcas avermelhadas no pescoço do outro, algumas estavam roxas e outras beiravam o preto. Pelo visto ele realmente tinha se divertido com o tal alfa mestiço que o Kang não conhecia.

É sério que todo mundo transou ontem menos eu?!

Oppaya! — gritou Mina feliz quando avistou o loiro, correndo na direção dele e o agarrando fazendo o mesmo gargalhar alto.

Minaya! — brincou com a mais nova, abraçando-a quando a mesma agarrou sua cintura.

— Hey hyung. — cumprimentou Woojin sorridente, chegando ao lado de Seonho carregando uma bacia de pipoca. Daniel ergueu uma sobrancelha; o cheiro de Seonho estava mais fraco do que ontem mas ainda continuava saliente e o pequeno Lee não parecia se importar em nada ao estar do lado do Yoo. Realmente o alfa era de confiança.

— Por que demoraram tanto?! — gritou Jaehwan, o grupo se aproximando dos garotos que tinham chegado.

— Seonho come que nem um porco e a fila da cachorro quente tava grande. — disse o ômega, tirando os olhos de Mina e se virando para o grupo da frente. E então ele sorriu de uma maneira diferente. Não dava pra saber o que era ao certo, era difícil distinguir as emoções de Daehwi, mas parecia um misto de ironia, diversão e sarcasmo. — Oi Dongho-hyung, quanto tempo uh?

— Daehwi-oppa! O que houve com o seu pescoço?! — a ômega Kang perguntou alarmada, tocando as manchas escuras pintadas no pescoço do outro.

— Ah, isso? — perguntou sorrindo da mesma forma, se virando para alguém específico entre o grupo de pessoa na sua frente. — Um animal selvagem me atacou ontem a noite, nada demais.

Daniel sentiu Seongwoo do seu lado morder as costas da mão para prender o riso e ficou confuso; não tinha entendido qual era a da piada. Olhou para o grupo e viu que a maioria tinha expressões risonhas, apenas Woojin, Mina e Dongho que não — esse último tinha o rosto em um tom avermelhado.

— E então, qual vai ser o primeiro brinquedo? — Taehyun chegou mudando o tema da conversa mesmo com um pequeno sorriso sarcastico no rosto.

E uma luz se iluminou nos rostos de Daehwi, Mina, Woojin, Jisung e Seonho.

— Carrinho de bate-bate! Carrinho de bate-bate!

~*~

— Por que eu continuo pedindo sabor misto se eu sei que vou sempre passar raiva? 

— Por que raiva oppa? 

— Isso tem gosto de chocolate! 

— É claro que tem idiota, é metade chocolate metade baunilha. 

— E cade a baunilha Jaehwan? 

— Essa parte branca ai do outro lado...? 

— Não Jisung-hyung, não tem baunilha! Eu paguei pra tomar um sorvete de baunilha e chocolate, mas não importa o quão eu só tome da parte branca simplesmente não tem gosto de baunilha, é chocolate puro! 

— Mas você sabia que teria chocolate. 

— Se eu quisesse chocolate puro eu comprava a casquinha de chocolate puro. 

— Meu Deus Daehwi você não gastou nem 10000 wons com essa casquinha. 

— Mas eu paguei pelo misto, e isso não tem gosto de misto! 

— O meu tá normal. 

Todos encararam o alfa mais velho sentado no banco com a casquinha mista na mão, o mesmo parecia estar meio alheio a situação mas ainda sim o comentário despertou a atenção de todos. 

O grupo de amigos tinha decidido fazer uma pausa havia pouco mais de 30min, quando Seonho se sentou no chão e alegou que se não o alimentassem agora mesmo ele iria ter um ataque no meio do parque e, bem, a palavra "ataque" saída pela boca de um alfa em estado de pré-cio chamou a atenção de muitas pessoas ao redor, fazendo o grupo resolver parar e comer. Eles acharam que nove pessoas dentro de um restaurante iria fazer bagunça, mas o que realmente fez foi o tanto de coisa que o grupo carregava consigo. 

Jisung tinha no rosto três óculos diferentes, um em cima do outro, brindes de barracas de tiro ao alvo que o mesmo tinha ganhado e fazia questão de não tirar por nada — mesmo Daniel tendo 100% de certeza de que o hyung nada via usando aquelas coisas. Woojin usava uma jaqueta havaiana de material ruim e chinelos com a bandeira do Brasil nos pés, algo que Daniel achou extremamente aleatório mas bem, era uma maquina de brindes surpresa, a intenção era ser aleatório.

Taehyun tinha uma toca de Pokémon na cabeça e uma pantufa de unicórnio nos pés, cortesia de uma batalha de dança que estava tendo ali por perto e o Noh ganhou como quem não queria nada. Enquanto isso Jaehwan estava comendo seu hambúrguer abraçado a uma pelúcia do Mike Wazowski nos braços, Mina ao seu lado fazendo o mesmo com uma pelúcia do My Little Pony. Todas essas pelúcias eles não ganharam por mérito próprio, longe disso; eles ganharam porque Daehwi tinha simplesmente sido o número 1 em todos os jogos que tinha tentado e estava tão cheio de prêmios que precisava sair por ai distribuindo-os. O óculos de mergulhador que estavam preso na cintura de Seongwoo e um pequeno tubo de bolhas de sabão que Daniel segurava também eram obra do Lee.

Daniel pensou que ficaria o dia todo junto ou de seus irmãos, ou de Woojin e Jisung ou então tentando ficar perto de Seongwoo porém se viu enganado redondamente em pouco tempo; a companhia de Jaehwan, Taehyun, Seonho e Daehwi era muito melhor do que imaginava. Já tinha conversado e se dado bem com os garotos, principalmente com o ômega loiro, mas o jeito como ele conseguiu se conectar com eles naquela tarde o tinha deixado com o corpo mais leve. Jaehwan era calado a maior parte do tempo e soltava sempre comentários bem ironicos, mas o Kim tinha um espirito competitivo que só não era maior do que o do Kang rosado e por algum motivo, os dois conseguiram se dar bem nessa loucura de "quem é o melhor em tal brinquedo/barraca". 

Taehyun era bem simpático no final das contas e o rosado percebeu que se Seongwoo não tomasse conta de tudo, provavelmente seria ele já que o mesmo irradiava uma áurea de líder, e Daniel não se viu nem um pouco incomodado com isso. Daehwi continuava a mesma coisa que aparentava ser desde o primeiro momento: o garoto definitivamente tinha uns parafusos a menos, mas tinha um bom coração e cuidava de Mina como se fosse realmente um irmão de verdade pra ela — e bem, cuidar bem de seus irmãos já era um pre requisito forte para ter o coração de Daniel nas mãos. 

E havia Seonho, o segundo mais novo do grupo, e sinceramente falando? Minhyun não merecia aquele cara. Conhecia o Hwang a vida toda e sabia do quão gentil e amável o mesmo era, e o alfa Yoo faria um belo de um casal junto com o Min, porém o mesmo deixava muito mais do que escancarado sua falta de afeição pelo mais novo. Ou ao menos era o que Daniel achava e nem se importava, ninguém era obrigado a gostar e nem aturar outra pessoa seja ela sendo boa ou não; mas saber pela boca de Seongwoo que Minhyun aparentemente era um doce com Seonho quando estavam isolados e rude daquele jeito em público... ah, mas Daniel iria conversar serio com o Hwang mais tarde. 

— Cê ta me zoando. — falou Daehwi desacreditado. Ele e Dongho tinham sido os únicos a pegar o sabor misto da casquinha enquanto todos os outros escolheram ou apenas chocolate ou apenas baunilha. — O meu tá horrível! — reclamou com um bico irritado nos lábios, fazendo Mina rir do outro e apertar de leve suas bochechas. 

— Experimenta. — disse o Kang mais velho depois de alguns segundos de reflexão, estendendo sua casquinha. Daniel tinha reparado que toda e qualquer ação da parte de Dongho para Daehwi naquele dia estava sendo pensada e repensada mil vezes pelo mais velho, como se ele quisesse ter certeza da aproximação. 

O garoto que usava um arco com orelhas da Minnie na cabeça concordou de leve, saindo do banco onde estava e indo para o lado do moreno que estava sentado sozinho em um outro banco. Ele se aproximou e nem sequer segurou a casquinha, a deixou ainda segurada e estendida pelo alfa, apenas mordeu uma pequena parte do sorvete e lambeu os lábios depois do contato. 

— Eu não acredito! — grunhiu irritado. — A casquinha dele está boa! Eu consigo sentir a baunilha, wah! 

— Vai reclamar com o cara que te vendeu. — sugeriu Seongwoo sentado ao lado de Daniel, a casquinha de chocolate ainda na metade enquanto a baunilha do Kang já tinha acabado. 

— Era um vendedor ambulante, o lugar é pequeno mas vai demorar para achar ele de novo. — comentou emburrado, se sentando ao lado de Dongho com a cara fechada enquanto encarava sua própria casquinha. — Bleh. — disse, jogando a mesma no lixo. 

Uma outra conversa aleatória surgiu entre o grupo em si, Woojinie com a cabeça apoiada no ombro de Daniel dormia de forma limpa enquanto Taehyun e Jisung discutiam algo sobre música e Jaehwan trocava desenfreadamente mensagens com alguém desconhecido. 

— Eu queria te levar a praia. — sussurrou Seongwoo ao seu lado fazendo o alfa se virar para si. — Mas já esta quase anoitecendo e a maioria já vai embora. 

Era verdade. Seonho já estava indo embora porque seu cheiro já estava ficando forte numa escala muito alta — além de que as dores estavam começando, o que indicava que se cio chegaria provavelmente amanhã e que ele precisava se trancar em seu quarto e se entupir de remédios por três dias — e Woojinie já tinha ligado para seus pais pedindo para ser levado a algum tempo, sem falar em Jisung que era o que mais morava longe entre eles e precisava pegar ônibus já que o pai não poderia busca-lo. Mas ver ou não o mar, aquilo não importava mais para o alfa. Ele tinha simplesmente andado em todos os brinquedos do parque junto de Seongwoo e, de quebra, ainda tinha conseguido tirar algumas fotos escondidas do mesmo além de ter sido o motivo de seus sorrisos e gargalhadas mais de uma vez; Daniel já estava se sentindo muito mais que feito. 

— Vocês podem ir, eu vou só esperar Jisung-hyung, Seonhonie e Woojinie irem embora pra eu ir na barraca de pegar as maças com a boca. — disse Daehwi recordando a todos o quão que ele ficou os importunando o dia todo para colocar sua cabeça numa balde cheio d'água e tentar pegar maças com a boca.

— Eu quero ver! — dissr Mina sorridente, o sorvete de chocolate da ômega já tinha acabado.

— Você prometeu que iria junto comigo hyung! — reclamou Seonho com uma faceta leve de incômodo deitado no colo de Jaehwan; betas não possuiam cheiros característicos como ômegas e alfas, logo não sentiam os cheiros e nem se afetavam por eles.

— Quem mandou seu cio ser bem hoje? A culpa não é minha. — falou com um sorriso e Seonho apenas ficou mais irritado.

— Você é o pior hyung do mundo.

— Eu quero ir na roda gigante. — comentou Taehyun mais uma vez. Ele tinha deixado bem claro que ele iria na roda gigante na exata transição do dia para a noite, já que nas palavras do Noh era mais belo.

— Ah! Oppa, eu posso ir também? — perguntou Mina e Taehyun concordou de leve com a cabeça

— Eu vou também. — os alfas Kang disseram juntos de maneira ríspida fazendo Seongwoo ao lado do rosado revirar os olhos.

— Pelo amor de Deus gente ela não é uma criança. — disse Daehwi ao lado de Dongho, as mãos apoiadas na perna pela falta de um sorvete.

— E o Taehyun é de muito respeito. — o ômega Ong complementou e Daniel se sentiu mais seguro apenas com isso.

— Eu ainda vou. — disse Dongho decidido e Daehwi se virou para Mina com um olhar de "não vai nada, deixa comigo".

— Hyungs, meus pais chegaram. — Woojin avisou do nada fazendo Daniel tomar um leve susto, desde quando aquele garoto estava acordado?! — Obrigado por hoje foi bem divertido.

— Meu Deus você é tão fofo! — disse Daehwi estendendo as mãos e fazendo um gesto de apertar as bochechas do outro.

— Tchau Woojinie foi bem legal você estar aqui. — disse Seongwoo de forma terna para o outro que agaradesceu com um sorriso grande.

— Até segunda feira Woojin, bye! — cantarolou Daniel junto com os demais enquanto o garoto se levantava e ia na direção da saida. Já deveria ser umas 17h e o sol estava dando indícios de que logo iria se pôr.

— Ninguém quer ir pra praia? — perguntou Seongwoo atrás de uma resposta verídica.

— Eu já to indo embora hyung, desculpa. — disse Seonho e Seongwoo concordou com a cabeça.

— Vai você e o Daniel, depois quando a gente terminar de ir nos brinquedos a gente encontra vocês lá. — disse Jaehwan de maneira calma, os olhos ainda vidrados no celular. Com quem ele tanto falava?

Um curto silêncio se instalou por um momento e Daniel engoliu a seco. Céus ele realmente queria ir a praia com Seongwoo, mas sabia que aquilo poderia ser desconfortável para o outro; eles poderiam estar mais próximos agora mas não sabia se o outro estaria 100% adepto a aquilo.

— Pra mim tudo bem, e você? — perguntou o ômega suavemente para si fazendo o coração de Daniel acelerar de uma maneira estupidamente rápida.

Ele é um anjo, ah vá se foder.

— Claro, vamos lá. — forçou sua maior cara de desinteresse e naturalidade naquele momento mesmo que estivesse quase explodindo por dentro.

— Eu também quero ir pra pra… — a fala de Dongho foi cortada pela mão de Daehwi que foi posta rapidamente sobre sua boca.

— Pra barraca de cachorro quente? Nossa eu também, que legal ne? Vamos logo que eu to morrendo de fome. — disse o outro apressadamente e Daniel sorriu, agradecendo mentalmente pela ajuda de Daehwi.

— Espera. — chamou Dongho fazendo o ômega se virar pra ele. — Você não comeu?

— O Daehwi não comeu com a gente no restaurante. — revelou Jisung fazendo Dongho erquer uma sobrancelha. — Ele esqueceu a carteira em casa e o dinheiro que tinha não era suficiente pro hambúrguer, e ele não quis deixar ninguém pagar pra ele.

Dongho se virou para Daehwi e viu que o mesmo lhe dava um sorriso envergonho, como se quisesse sumir dali e talvez fosse essa a real vontade dele, mas o outro realmente não o deixaria fazer isso depois de saber daquilo. Kang mais velho suspirou fraquinho como se estivesse se amaldiçoado, e Daniel imaginava que era exatamente isso que ele estava fazendo.

— Vem, vamos comer. — falou segurando no pulso do mais novo e o puxando em direção a barraca de comida.

Daniel arregalou os olhos ao ver o irmãos puxando o ômega pra longe. Desde quando eles tinham essa intimidade de Dongho se preocupar com a saude do outro? Não se lembrava do menino ter conversado com seu irmão em qualquer momento que não fosse no dia que o acompanharam até em casa ou na festa, e mesmo Dongho sendo bem protetor com as pessoas o seu redor não era como se ele fizesse isso com qualquer um.

— Vem Dani, vamos descer. — chamou Seongwoo se levantando do banco, sendo seguido quase instantaneamente pelo outro enquanto se dirigiam juntos até uma pequena escadaria que daria direto para o mar em baixo deles.

~*~

O sol ainda não estava começando a se pôr quandos os garotos se sentaram na areia morna da praia. O mar fazia um barulho reconfortante contra a orelha do rosado, o céu sob eles se transformando num dégradé de roxo, rosa e laranja e a brisa salgada do mar provavelmente detonando completamente o cabelo Kang, mas aquilo era problema para outra hora. No momento era só eles ali, Kang Daniel e Ong Seongwoo sentados um do lado do outro em paz enquanto ouviam os pássaros cantarem.

— Minha mãe me chama de Dani. — soltou Daniel depois de um certo momento de silêncio. — Acho que você e ela são as únicas pessoas que me chamam assim.

— Isso incomoda você? — perguntou o ômega, a voz tão suave que poderia facilmente se camuflar com o vento simples que ia de encontro ao rosto do alfa.

— Um pouco, não é produtivo ficar lembrando dela. — suspirou de leve escolhendo ser honesto com o mais velho. — Mas eu não quero que você pare de me chamar assim, eu gosto de saber que temos um apelido.

O moreno concordou com a cabeça de leve enquanto encarava o mar perante os dois, esse mar que no momento parecia estar raso e calmo.

— Eu posso te chamar de Niel. — disse de maneira simples e assustando de leve o outro.

— Niel? — perguntou o mais novo soltando um risinho. — Acho que ninguém me chama assim.

— Então eu vou começar a te chamar assim. — disse com um sorriso sem mostrar os dentes. — Tudo bem para você, Niel-ah?

Não faça isso com o meu coração garoto, você está brincando com algo perigoso.

— Pra mim está ótimo.

— Alias, por que seu nome é Daniel? Tipo, um nome ocidental e tudo mais.

O rosado fez um pequeno bico, jogando sua cabeça para trás e apoiando as mãos na areia atrás de suas costas.

— Status eu acho. Minha mãe nunca quis que ficassemos só em território coreano, queria que eu e minha irmã fossemos internacionalmente conhecidos ou qualquer coisa assim. Por isso Daniel e Mina, são nomes fáceis em qualquer nacionalidade. — comentou recebendo um aceno do outro. Não costumava falar sobre seus pais, sua família ou qualquer coisa assim, mas Seongwoo o deixava em um estado de paz tão grande que aquilo tudo parecia não importar tanto assim.

— Por isso que o nome do Dongho é normal em padrões coreanos, porque vocês não tem a mesma mãe? — Daniel concordou com a cabeça. — Faz sentido... então quer dizer que estou lidando com uma estrela internacional aqui?

Eu sou Kang. Daniel Kang. — disse fazendo seu melhor cosplay corporal de James Bond e arrancando uma gargalhada de Seongwoo.

— Ah, eu queria ter vindo aqui mais cedo. — admitiu o outro com um certo pesar na fala. — Faz meses que eu não entro no mar.

— E por que não pode entrar agora?

— Porque já são quase 18h e eu não quero ficar gripado.

— Um banho de mar nunca matou ninguém. — disse o rosado se levantando enquanto limpava o resto de areia de sua calça.

— O Titanic também costumava ser o navio mais seguro do mundo.

— Seongwoo qual é, vai ser divertido. — disse tirando os sapatos e fazendo o ômega arregalar os olhos.

— Pera, quê? Não! Ficou doido?! — perguntou abismado ao ver o que o outro estava fazendo.

— Vamos, a água ainda deve estar quente! — exclamou puxando o outro pelos braços enquanto o mesmo tentava continuar em seu lugar.

— Daniel para com isso! Nós dois vamos ficar gripados! — começou a reclamar mais alto e o outro apenas revirou os olhos, o agarrando pela cintura e o jogando por cima do ombro. — Wah! O que você ta fazendo seu acéfalo?!

You're so boring. — cantarolou o outro enquanto caminhava sorridente em direção ao mar.

— Puta que pariu Kang Daniel me põe na porra chão! — gritou e o rosado gargalhou ao ver que o ômega estava realmente puto.

— Como quiser. — disse e jogou o corpo do outro dentro da água.

A agua estava rasa e Daniel não tinha ido muito longe, o que tinha feito a água não passar de metade da canela de Seongwoo. Porém pela posição em que ele tinha caído uma parte de seus cabelos ficou molhada, juntamente com sua blusa, a metade de baixo de sua calça e seus sapatos que não foram tirados.

Seongwoo fechou os olhos com força tentando controlar a raiva, coisa que fez Daniel gargalhar alto.

— Você tem 3 segundos para correr. — disse com uma voz sombriamente controlada.

— Ah hyung, qual é.

— 3.

— Você não me assusta Seongwoonie.

— 2.

— Não é como se você fosse fazer alguma coisa… né?

— 1.

— Hyung você esta…

— Corre.

E foi isso que Daniel fez, correndo o mais rápido que podia em direção a parte mais funda do mar, sentindo suas pernas se tencionarem com a dificuldade que era caminhar contra a correnteza. Mas aparentemente Ong Seongwoo era um X-Men, porque quando Daniel viu o outro já estava em suas costas e os dois agora se encontravam em baixo d'água.

"Eu vou ficar gripado Daniel". — disse o rosado quando ambos emergiram, forçando uma voz parecida com a do ômega. — Agora estamos os dois no fundo, molhados e com a água batendo nos nossos ombros.

— Você me desafiou na cara dura! — o outro se defendeu passando a mão pelos cabelos molhados. — Idiota. — resmungou baixinho e Daniel riu, jogando água contra si. — Aish! Para de ser infantil Kang Daniel!

"Para de ser infantil Kang Daniel". — disse de forma fina e rápida jogando mais água no outro.

— Eu não acredito que sou seu amigo.

"Eu não acre…

E a imitação de Daniel foi cortada pela metade quando o Sr. Super Certinho E Maduro Ong Seongwoo jogou água em seu rosto. E era claro que Daniel não podia deixar aquilo barato e não demorou nada para uma guerra de água acontecer entre os dois.

Seongwoo que parecia irritado antes agora gargalhava e ria alto enquanto jogava água e tentava se proteger da mesma. O sorriso dele era meio quadrado e branquinho e Daniel se pegou pensando não quão feliz estava pelo dia estar terminando daquele jeito, ele ali, na agua, o pôr-do-sol acontecendo ao seu redor e Seongwoo junto de si. Estava muito cedo para ter certeza mas Daniel já estava repleto dúvidas, e por isso rezou mentalmente.

Não faça eu me apaixonar por você Ong Seongwoo, por favor tenha piedade do meu coração.

— Niel-ah! Olha o sol indo embora! — disse o outro sorrindo para a visão do sol se despedindo do céu, mil e uma cores brincando de aparecer no céu e um sorriso glorioso estampado no rosto do ômega.

Ah, ele definitivamente não vai ter piedade comigo.

Bônus

As costas do mais novo bateram de forma violenta contra a parede de metal da pequena dispensa, o mesmo não demorando de sentir sua cavidade bucal sendo preenchida pela língua habilidosa do mais velho.

Daehwi subiu as mãos até os cabelos negros do alfa e o sentiu colar mais ainda os corpos, o calor crescente dentro do mais velho sendo quase palpável pelo jeito como ele apertava o corpo do ômega com desespero. Dongho apronfundou mais ainda o contato e mordeu o canto da boca do Lee, prendendo a carne de lá entre seus dentes, brincando um pouco até sentir o tecido ser rompido e passando a língua por ali.

O ômega soltou um grunhido meio de dor meio de prazer pelo ferimento que foi entendido pelo Kang, esse se separando do outro e descendo a boca até o seu pescoço. Aquela área do Lee já estava tão marcado pelo que os dois tinham feito na noite anterior, quem iria se importar se fossem feitos mais algumas marcas roxas ali?

— Pensei que você quissesse fingir que nada aconteceu Donghonie. — disse o outro de forma provocativa perto da orelha do outro, cantarolando o apelido e sentindo os pelos das costas do alfa se arrepiarem.

— E nós vamos fingir. — disse fazendo Daehwi rir irônico e logo tendo esse som transformado por um gemido surpreso ao sentir o outro moder sua pele. — Mas podemos fazer isso segunda feira, não?

— Eu não sou novo demais pra você hyung? — perguntou se fazendo de inocente, repetindo todas as palavras que o mais velho tinha dito no começo daquele dia quando ficaram sozinhos e Daehwi fez uma piada sobre a situação toda.

— A gente... uh, pensa nisso amanhã. — disse de forma levemente embriagada pelo cheiro do outro, descendo a boca até a clavícula alheia.

O garoto gargalhou desacreditado com o que ouviu. Ah, era tão bom confundir Kang Dongho. Daehwi estava sinceramente de boa e sem se importar com toda aquela situação; se o mesmo pedisse para se afastar ele se afastaria sem problema, afinal de contas ele não tinha nada com o outro e nem sentia nada. Dongho era atraente em um nível exorbitante e o Kang queria-o tanto quanto o ômega, o Lee não precisava saber de mais nada.

Agarrou o colarinho do mais velho com brutalidade e juntou as bocas de forma fervorosa mais uma vez. Se o outro quisesse se afastar que se afastasse, Daehwi definitivamente tinha mais coisa pra fazer do que insistir em algo que ele já tinha conseguido; mas se Dongho queria continuar a ter aquelas sessões de amasso e sexo selvagem de vez em quando, ah, isso Daehwi deixaria, e deixaria com muito prazer.

Afinal de contas Lee Daehwi era um espírito livre, e não era como se alguém fosse conseguir mudar aquilo.


Notas Finais


Esse fou primeiro bônus da fanfic, por favor não se apeguem tanto, eles acontecerão com frequência mas não o tempo todo.

Agora sobre o aviso sério que eu falei nas notas iniciais e no final do capítulo:

Eu crei um formulário no Google para os leitores de Colors responderem. É fácil, rápido, não precisa fazer login e são só duas perguntinhas pra se responder (dependendo da sua resposta, só uma). Esse formulário foi criado com uma finalidade: saber se vocês, leitores de Colors, aceitam ou não a presença de lemon (cenas de sexo explícito) na fanfic.

Vou deixar aqui o link tanto do formulário quanto do jornal que fiz falando sobre, no formulário tem um resumo da situação toda e no jornal tem algo mais detalhado sobre porque eu fiz isso mas a regra vale em todo momento: a decisão final vai vir toda e inteiramente do feeback desse formulário, então eu peço do fundo do meu coração que vocês façam.

Obrigado por terem lido até aqui, até depois ^^

Jornal: https://spiritfanfics.com/jornais/formulario-opinativo-da-fanfic-colors-ongniel-10330744

Formulário: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSf8Opvamn_lJPs1kvbRfdCgPVDwcyIcrDm8P1L07xoiyni7UA/viewform


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...