História Com Amor - Capítulo 26


Escrita por:

Postado
Categorias TWICE
Personagens Chaeyoung, Dahyun, Jeongyeon, Jihyo, Mina, Momo, Nayeon, Personagens Originais, Sana, Tzuyu
Tags 2yeon, Michaeng, Namo
Visualizações 47
Palavras 1.985
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Ficção Adolescente, Fluffy, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ai... Boa leitura, pessoas maravilhosas•~•♥

Capítulo 26 - Trato


- O que podemos fazer agora? Como vamos convencer nossos pais? - Sana andava de um lado para o outro.

- Senta primeiro e vamos conversar. - Jeongyeon indicou a morena que parecia uma barata tonta dando voltas na sala de seu escritório.

- A Dahyun entendeu tudo e agora estamos bem, eu expliquei tudo para ela.

- Que bom que vocês se resolveram, Sana. Você sem a Dahyun é insuportável. - Fez careta para Sana, que riu com a brincadeira.

- Ah tá, Jeongyeon. Você ainda não me contou como foi com a Nayeon.

- Isso…

Desde que Sana entrou na casa de Jeongyeon percebeu o comportamento quieto dela, por mais que fosse do jeito dela ser assim, porém com Sana era diferente. Suas piadas com a menor a deixavam levemente irritada como de costume. Mas nem isso aconteceu, sua expressão estava triste e sendo uma boa amiga como Sana era, deduziu que algo não estava indo bem, e que muito provavelmente este problema tinha nome.

Jeongyeon sorriu brevemente, aquele sorriso fraco e triste que ela dava tentando disfarçar a tensão em que se encontrava, miseravelmente falhando, pois Sana captava tudo. Levou as mãos atrás da cabeça e encarou a menor.

- Eu estraguei tudo mesmo… Eu pedi para sermos amigas pelo menos, mas não sei se irei conseguir. Ela jurou que iria acabar com o sentimento que tinha por mim. Agora eu com certeza estou solteira, porém não me sinto feliz como das últimas vezes. - Riu com a própria desgraça.

- Ah, Jeongyeon! A tadinha ficou mal com tudo isso e está sentindo raiva de você, e eu acho muito difícil para ela esquecer um sentimento tão forte de um dia para o outro como o que vocês tinham.

- Ela está determinada, Sana.

- Mesmo assim. Ela pode até tentar, e conseguir, mas vai demorar. Você está solteira agora, pode ficar com quem quiser e parar de ficar com esta cara de cachorro sem dono. - Ergueu o rosto de Jeongyeon com as duas mãos provocando bico na mesma - Entendeu?

- Eu não quero ninguém, Sana, eu amo a Nayeon.

- E até onde isso vai dar? Nayeon está tocando a vida dela e ela pode não querer mais nada com você de verdade. O que me diz? Se isso acontecer, você vai continuar assim? Tudo isso por causa de um relacionamento antigo? Cadê a Jeongyeon que eu conhecia?

- Ela continua aqui, mas muito diferente de antigamente. E não, eu vou respeitar a decisão de Nayeon e não irei interferir em nada. Eu também vou seguir o que ela falou, vou tentar ser feliz. - Se desfez dos toques da morena.

- Não tente ser feliz, apenas seja.

- Ai… - Se permitiu ser segurada pela cadeira - Podemos mudar de assunto? Você veio aqui para eu te ajudar, então vamos lá. O meu pai está mais legal comigo agora, ele pretende deixar a imprensa para mim então não se preocupe, ele vai confiar em mim.

- E se não der certo?

- Só tomos como saber quando colocarmos o plano em prática. Mas confie. Eu pedirei para os meus pais convencerem os seus e eu garanto que eles serão bem convincentes. Logo mais você pode ficar feliz. Eu empresto minha casa e eu não vou me encomendar se escutar barulhos vindos do quarto à noite com algumas visitinhas da Dahyun.

- Para com isso, Jeongyeon! - Sana ordenou sentindo seu rosto ficar vermelho, batendo no braço da garota loira que não parava de rir da cara da morena. - Não se preocupe com isto, vou tratar de te expulsar de casa quando isto acontecer.

- Você vai me expulsar de minha própria casa? - Riu mais ainda.

- Se for preciso. Mas falando sério agora, muito obrigada por me ajudar mais um vez, Jeong. Como sempre sendo um príncipe.

- Sem donzela. - Acrescentou a loira rindo.

- Por enquanto. Ele ainda vai encontrar uma, por isso que anda a sua procura. Enfim… Eu preciso ir. Muito obrigada mesmo, Jeong.

- Eu sou sua amiga, faria de qualquer forma. Vá atrás de Dahyun.

- Tchau!

Sana ascenou alegremente para Jeongyeon e saiu pelo porta de seu escritório e posteriormente de sua casa.

Jeongyeon se permitiu suspirar e relaxar em sua cadeira. Estava fazendo o certo, não era? Era isto o que ela queria, não é mesmo? Sim, talvez sim. Talvez fosse este o seu destino, ela nem mesma sabia o que queria. Assim não haveria conflitos e nem nada. Então sim, era o certo.

“Não vou me arrepender. ”, cerrou os punhos com firmeza e os bateu contra a mesa.

“Não mesmo.”

[…]

- Espera! Todo este tempo vocês estavam namorando?! - Nayeon indagou surpresa, tendo dificuldade de entender o que se passava.

- Sim… E desculpem-me por não ter contado antes a vocês. Eu e Mido não sabíamos como iniciar esta conversa, tínhamos medo das reações de vocês… - Momo ficou cabisbaixa enquanto segurava firme as mãos de sua namorada.

- De antemão, meninas, eu quero me desculpar com vocês por todo o mal que eu causei… Principalmente a você, Nayeon, e Jeongyeon também. Desculpem-nos. - Se curvou para ambas as meninas.

Jeongyeon, de braços cruzados e escorada na porta, achou aquilo desnecessário, enquanto que Nayeon tinha a expressão assustada assimilava vagamente a história.

- Mido, me responda uma coisa. Você ama a Momo? - Perguntou a morena.

- Sim. Eu a amo muito. Tudo bem, você tem o direito de ter dúvida, fui muito miserável com você antigamente. Espero que possam perdoar-me por aquelas atitudes estúpidas que eu tive.

- Eu não vou falar mais nada, Mido. Eu já disse uma vez que está tudo bem, não me faça repetir de novo. - Pela primeira vez durante o diálogo Jeongyeon se manifestou, trazendo todas a olharem para si. - Eu perdoou vocês duas, mas por favor, não fiquem grudadas para cima e para baixo por aí, não quero ter uma overdose no meio do dia.

- Pode deixar, Jeong, iremos fazer justamente isso. - As meninas riram de sua graça momentânea, descontraindo o ambiente. - Obrigada.

- Por favor, Momo. Cuide bem desta ruivinha. Ela te ama muito. - Afagou os cabelos ruivos de Mido.

Se tinha uma coisa que Jeongyeon sabia era que de fato os sentimentos entre Momo e Mido eram verdadeiros, dava até para ver eles envolto delas. Momo deixava bem claro em seus atos e na troca de olhares que elas trocavam. O mesmo acontecia com Mido, depois de Momo seu comportamento mudou significativamente, isso fez ela se lembrar da velha Mido que um dia Jeongyeon conheceu.

Ela estava feliz por elas e foi capaz de perdoar ambas. Ela pensou em si, a antiga Jeongyeon nunca que perdoaria Momo por estar justamente com Mido, primeiro que a garota não era mais de sua confiança e que lhe provocou inúmeras vezes causando desavença. Era inadimissível perdoar ou simplesmente fugir que nada aconteceu para a antiga Jeongyeon.

Mas como tudo nesta vida é estável, ela também mudou sendo capaz de compreender as meninas a partir de sua dor.

Qual era o desejo da loira no presente momento? O perdão de Nayeon.

Mesmo as duas se tornando “amigas” agora, o que elas possuíram anteriormente não seria reconstituído assim tão facilmente. A ferida estava recente e por isso ainda doía muito.

Nayeon se manteu afastada de Jeongyeon desde de o “Oi” quando se esbarraram pela última vez na entrada da sala. Não olhava na mesma direção que a loira e tentava ao máximo se manter em um raio de dez metros afastada dela.

Jeongyeon não era boba e desconfiou as ações de Nayeon. Lhe deu o que ela queria, evitou também ficar nos mesmo ambientes que ela, para não causar irritação à morena.

Uma vez teve que se esconder no banheiro para que ela passasse pelo corredor.

Até quando este jogo iria continuar?

Mas era inevitável quando algumas vezes, ambas distraídas se esbarravam por acaso, só assim para elas se olharem mesmo que por pouco tempo e trocarem um curto diálogo constituído em: “Desculpa” por parte de Jeongyeon e “Não foi nada” por Nayeon. Daí as duas se afastavam uma da outra e tomavam seus devidos caminhos não ousando olhar para trás.

Neste tempo todo, as declarações amorosas voltaram com tudo para Jeongyeon. Tudo o que mais a irritava. Precisava ser bem mais paciente e menos grossa com as meninas como das últimas vezes.

Em peso, eram calouros e calouras dispostos a tentar uma chance com Jeongyeon, buscando atingir seu coração profundo a todo custo, ou apenas aliviar o peso de falar o quando gostava dela.

Mesmo nestas condições, Jeongyeon se orgulhava pela tamanha coragem que eles tinham para contar um segredo tão íntimo e particular.

Pensava em sua situação com Nayeon e logo se frustrava.

“E se eu tivesse revelado antes…” era a frase que mais rondava seus pensamentos.

“E se” é uma dúvida, não afirma ou indica nada. O que foi feito, estava feito. Não poderia mudar o passado. A menos que se tornasse um personagem de desenho animado que criasse uma nave que a fizesse viajar pelo tempo e mudar o rumo da história. E ainda assim não surtiria efeito, ela não era personagem de desenhos, afinal.

- Se Jeongyeon diz que está tudo bem, então eu digo o mesmo. Felicidades ao casal! - Chaeyoung puxou um coro junto com ela.

Todas estavam batendo palmas e alegres pela notícia das meninas dando uma chance para aquilo ser de verdade, exceto Nayeon que se afastou das meninas e se permitiu sair da sala sem que as outras tivessem visto.

Jeongyeon acompanhou todos os seus movimentos com o olhar.

Nayeon decidiu tomar um ar puro, era o que ela estava precisando.

“Como pode confiar assim tão facilmente em Mido? Será que se esqueceram o que ela fez comigo? E até, você, Jeongyeon?! Até você está do lado delas... Parece até que se esqueceu das coisas horríveis que ela aprontou com a gente…”, cerrou os punhos.

“Eu não vou cair nesta tão facilmente, em mais nada desta vez.”

[…]

Depois de sair da escola, a loira foi buscada como de costumo por Haram em seu carro zero. A morena lhe entregou uma marmita quetinha para ela comer, como já sabia que a mesma se esquecia de almoçar para correr para o trabalho. Isso não lhe trazia boas lembranças.

Então Haram achava um tempo livre para preparar o almoço para as duas, obrigava muitas vezes Jeongyeon a comer, e mesmo protestando, a loira almoçava com muito orgulho.

A comida da morena era muito boa e viciante e Jeongyeon a amava, porém não podia simplesmente dizer isso a ela, Haram com certeza iria se vangloriar e muito provavelmente lhe faria várias provocações.

Então simplesmente argumentava que estava faltando sal ou algum tempeiro, que estava queimado ou cru. Mas toda vez que Haram lhe dava um momento de privacidade, a loira devorava numa garfada só todo aquele banquete e sua barriga ainda era corajosa o suficiente para pedir mais.

O mesmo caso aconteceu hoje, desta vez Jeongyeon reclamou do sal, Haram já estava bem acostumada com os comentários da loira.

Dentro da empresa seu pai a chamou para sua sala, pedindo para Jeongyeon se sentar na cadeira e escutar tudo o que ele tinha para falar.

- Eu estou aqui, senhor. Diga-me o que quer. - Disse formalmente.

- Neste momento somos pai e filha, Jeongyeon. Então poupe-me do termo “senhor”. Eu te trouxe aqui para dizer que fiz o que você me pediu, eles concordaram com a minha proposta, pode ficar feliz. - Sorri de esguelha e voltou a fitar Jeongyeon - Agora é a sua vez.

- Não se preocupe, pai. Este foi o nosso trato, não irei descumprir nosso acordo, fique tranquilo.

- Muito bem, Jeongyeon, muito bem. Você é meu orgulho, filha… - O homem sorriu largo adorando mais que nunca este momento.


Notas Finais


Hum...
Desculpem-me pelos erros, não tive tempo para corrigir.
Enfim, quais são as boas? Gostaria do cap?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...