1. Spirit Fanfics >
  2. Com amor, Green. >
  3. Concelhos e cartas

História Com amor, Green. - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Hey meus lindos, olha só quem voltou hehe 💚
E não, eu não morri, não ainda KK
Só estava ocupada demais por que as aulas voltaram e meus professores são velhos sádicos que passam milhões de trabalhos na primeira semana de volta as aulas.

Sei que o capítulo não está tão grande, me perdoem por isso. Mas foi escrito com muito carinho e dedicação nesse tempo que eu tive :)

Logo logo postarei a continuação 🌈
Muito obrigada por ter lido até aqui e boa leitura 💘💜✨

Capítulo 6 - Concelhos e cartas


Fanfic / Fanfiction Com amor, Green. - Capítulo 6 - Concelhos e cartas



Draco se jogou no sofá macio de couro preto, colocando ambas as mãos nos olhos. Sentia-se um completo fracassado. Um covarde sem atitude e um ser humano incrivelmente idiota. Sim, idiota. Como pode pensar que poderia simplesmente se declarar para Harry? Era absurdo. E aquela desconfiança do moreno apenas confirmou seu pensamento melancólico de derrota.

No que ele estava pensando? Foi tudo uma péssima ideia.


- O quê aconteceu? — Narcissa perguntou baixo, a voz suave embora a expressão da mesma estivesse curiosa e preocupada.

- Aconteceu que eu sou um completo idiota! — Draco respondeu irritado e magoado, suspirando pesado enquanto olhava para o teto com a cabeça apoiada no encosto do sofá. — Eu fui tão estúpido! É óbvio que Potter iria pensar que eu estava armando alguma coisa com ele. Ele não confia em mim, e tem toda razão por isso! — Continuou, sentindo seu peito apertar ao dizer as palavras, sabendo que aquilo era a pura verdade.

- Olha filho... Talvez você devesse começar a se aproximar pedindo desculpas a ele. — A mulher falou, se sentando ao lado do loiro. Levou uma mão até os cabelos claros do garoto, fazendo um cafuné lento em sua nuca.

- E por que eu faria isso?! Não iria adiantar. Mesmo se eu dissesse a ele, que ele pode confiar em mim, ele não acreditaria. — Malfoy respondeu frustado. Ele não poderia simplesmente chegar em Potter e pedir desculpas por tudo que já fez. Além do que, aquilo era um pouco demais para seu orgulho.

- Fui um idiota por pensar que eu poderia me aproximar dele. — Completou baixo, sentindo seu coração doer ao lembrar das palavras de Harry. Era como se ele tivesse sido rejeitado novamente.

- Ei... — Narcissa falou suave, virando o rosto do garoto para que ele olhasse em seus olhos. — Você não está pensando em desistir de conquistá-lo, está? Por favor Draco, você é um Malfoy! Acha mesmo que nós desistimos na primeira tentativa falha?! — A mulher falou convicta, olhando séria para o loiro enquanto segurava seu rosto pelas bochechas.

O garoto a olhou sem esperança, deixando um suspiro fraco sair.

- Draco Malfoy, você é meu filho. E eu não te criei pra desistir das coisas logo de cara. — Narcissa falou séria com um tom de bronca, apertando as bochechas do loiro, que soltou um resmungo em resposta.

- Sim, mas me ensinou a reconhecer uma causa perdida logo de cara. — Retrucou o jovem magoado, ainda olhando para os olhos "julgadores" da mãe.

- Sim, exatamente. Então você irá acreditar em mim quando eu digo que Potter, não é uma causa perdida. — A mulher falou firme e confiante, passando a mão pelos cabelos macios do garoto, bagunçando os fios platinados.

- E como vou me aproximar dele? — Malfoy perguntou irritado, arrumando os cabelos que a mãe havia bagunçado.

- Você disse ao Sirius que ajudaria o Potter a entrar no time. Comece por aí, ajude ele nos treinos. Vá conversar sobre esportes ou qualquer outra coisa que vocês tenham em comum. Assim ele não irá achar tão estranho a sua aproximação. — Sua mãe sugeriu sorrindo, e Draco apenas bufou. Ele não tinha paciência para aquilo. Ele teria que esperar até serem "amiguinhos"? Ele queria agarrar Potter de uma só vez. Mas não podia. Um outro suspiro frustrado saiu de seus lábios.

- Sei que você é impaciente, mas lembre-se: "A paciência recompensa os justos." — Narcissa falou como uma sábia.

Apenas concordou com a mãe. Ele faria aquilo, já que não queria assustar Harry e nem ganhar um soco caso fosse beijá-lo sem o moreno querer.

Sua mãe estava certa, ele não iria desistir logo de cara.


Potter era um desafio. E Malfoy, adorava desafios.


﹏﹏﹏﹏﹏﹏﹏﹏﹏﹏﹏﹏﹏﹏﹏﹏﹏﹏


O Black olhou de canto novamente para o garoto que estava encostado na janela do carro. Sirius sabia que algo havia acontecido, mas não sabia o que era. E também não sabia se o afilhado queria conversar sobre aquilo.

Estacionou o veículo na garagem de casa, apagando os faróis e tirando a chave. A noite estava fresca, com poucas nuvens e uma lua cheia brilhando no céu. E enquanto apreciava a paisagem, esperou Harry sair do carro. Mas era como se o moreno estivesse muito perdido em pensamentos para perceber que já haviam chegado em casa.


- Ei... Você está bem? Está se sentindo mal? — O homem perguntou, encostando uma de suas mãos no ombro do garoto, que o olhou sem interesse. Harry olhou em volta percebendo que já estavam em casa, mas não tinha nem visto o tempo passar.

- Estou. — Foi a única coisa que respondeu, respirando fundo e se preparando para sair do carro, porém, foi impedido pela mão do mais velho.

- O quê aconteceu? O filho de Narcissa lhe fez alguma coisa? — A voz preocupada de Sirius fez Harry engolir em seco, sentindo seu peito apertar.


Não, Draco não havia feito nada. E mesmo assim, o moreno havia dito aquelas coisas para o loiro, que sequer havia feito algo.

Harry se arrependia? Talvez. Talvez ele não devesse ter falado aquilo. Eles estavam finalmente conversando normalmente, sem trocar farpas ou insultos, sem provocações. Mas Harry estava desconfiado demais para continuar aquilo. Não tinha motivos para Malfoy o tratar com educação, ou conversar consigo sobre coisas triviais, como música.

A menos que ele estivesse armando alguma pegadinha de mal gosto para Potter, e quisesse que Harry ficasse a vontade para depois ser humilhado.


Pensar naquilo doía. Doía muito.


- Você... Já se apaixonou? — O garoto perguntou para o homem depois de longos minutos em silêncio, olhando para o chão do carro enquanto pensava se deveria conversar com o padrinho sobre aquilo.

Sirius olhou confuso para o moreno, não entendendo o motivo daquela pergunta.

- Bom... sim. Por que a pergunta Harry? — O moreno engoliu em seco, ficando em silêncio. Ele não sabia como Sirius iria reagir se dissesse que estava apaixonado por Malfoy.

- E... quando você se apaixonou... Era recíproco? Ou a pessoa não gostava de você a ponto de te odiar? — Ele continuou, não olhando nos olhos do homem, sentindo um nó dolorido em sua garganta.

Sirius continuava olhando confuso para o afilhado, não sabendo o que responder. Pensando se o motivo por Harry estar parecendo tão abatido, era por causa de um coração partido? Ele estava apaixonado? Mas isso não deveria ser uma coisa boa?

- Bom... era recíproco. Foi recíproco na verdade, e foi muito bom. Mas, você está gostando de alguém Harry? — O homem perguntou curioso. Seu afilhado nunca havia conversado com ele sobre relacionamentos ou estar apaixonado. E Sirius nunca o pressionou, sabia que se Harry quisesse conversar com ele sobre garotas ele conversaria em seu tempo. Afinal, ele era jovem. Não precisava se preocupar com relacionamentos ainda.

- Sim... mas essa pessoa não gosta de mim. Não é nem um pouco recíproco. — Potter confessou, soltando o ar preso nos pulmões. Seu peito doía ao lembrar do sorriso maravilhoso do loiro que não tinha os mesmos sentimentos que os seus.

- E você já conversou isso com essa pessoa? Já lhe contou sobre seus sentimentos? — Sirius perguntou, tentando entender um pouco mais sobre aquele assunto.

- Não. Com certeza ela iria rir da minha cara ou me humilhar. — O moreno disse triste, encostando a cabeça no vidro do carro e olhando para a rua do lado de fora.

- Não tem como você saber disso Harry. Converse com ela e seja sincero sobre seus sentimentos. Se for recíproco ótimo! Se não, é só partir pra outra. — O Black respondeu enquanto sorria compreensivo. Colocou a mão no ombro do moreno, fazendo o jovem olhar em seus olhos. — Deixa eu te contar uma coisa que a maioria dos adolescentes não sabem: A gente se apaixona mais de uma vez nessa vida garoto.

Harry ouviu cada palavra proferida por seu padrinho, ficando pensativo demais. Sirius dizia aquilo como se fosse a coisa mais fácil do mundo.

- Uau... Você está parecendo meu professor de filosofia falando assim. Acho que eu deveria apresentar vocês dois para terem conversas profundas desse tipo. — O moreno respondeu rindo, tentando desviar daquele assunto.

- É uma boa ideia. Assim terei um amigo professor nas reuniões de pais e responsáveis para me dizer se você anda aprontando na aula. — Sirius brincou, vendo o olhar indignado de Potter. — Mas eu estou falando sério Harry. — O homem continuou, voltando ao assunto anterior. — E não precisa pensar em relacionamentos e amores platônicos agora. Tenho certeza que muitas garotas gostam de você, então não precisa se preocupar com o amor não correspondido de uma.


O moreno engoliu em seco desviando o olhar para a janela do carro novamente. Droga, era óbvio que Sirius achava que ele estava apaixonado por uma menina. É o que todos esperam de um garoto no ensino médio. Respirou fundo, concordando com a cabeça para o padrinho. Ele não iria dizer que a pessoa por quem estava apaixonado era um garoto.

Apenas saiu do carro, fechando a porta enquanto andava devagar para dentro da casa. Estava cansado, aquele dia esgotou todas as suas forças, fisicamente e mentalmente.

Subiu as escadas até seu quarto, tirando os sapatos e se jogando na cama macia. As palavras de Sirius continuavam rondando em sua mente.


Então ele deveria esquecer Draco? Simples assim? Abandonaria todos os seus sentimentos em relação ao capitão do time da Sonserina?


Pensar naquilo era doloroso, ainda mais depois de ter visto o loiro tão bonito no jantar. Mas parecia ser a única saída.

Olhou para a mesa de estudos perto da janela, observando as cartas verdes que havia recebido. Todas enviadas e assinadas por Green. Se levantou rápido, tendo uma ideia em mente, e andou até a mesa.

Seu padrinho estava certo, havia uma pessoa que gostava de si. Uma pessoa que todo dia deixava uma carta em seu armário. Uma pessoa que era romântica, e que o elogiava com simples palavras bonitas, mas que faziam o coração de Harry bater mais forte.

E Potter sabia que Green jamais seria Draco. 

Mesmo com todos os seus pensamentos e intuições apontando pra ele. A sua intuição nunca estava certa, então não estaria dessa vez.

Mas Harry queria descobrir, quem era Green.

﹏﹏﹏﹏﹏﹏﹏﹏﹏﹏﹏﹏﹏﹏﹏﹏﹏


O dia começou quente. O sol mal havia nascido e já estava imensamente quente, felizmente a previsão do tempo dizia que a chuva cairia ao anoitecer, o que seria bom já que Harry amava dormir com chuva.

Porém, estava na escola. Em uma aula de física incrivelmente difícil e chata, sinceramente, Harry sequer sabia o nome do professor. Tudo o que sabia, é que logo depois seriam os treinos dos times com os novos integrantes. Seu amigo Rony estaria lá, junto aos outros integrantes do time. Potter e Granger ficariam na arquibancada torcendo pelo amigo.

Era apenas isso, um treino como qualquer outro. 

Então por que o estômago de Harry parecia querer revirar ao pensar que Draco estaria jogando junto aos outros? Ah sim, talvez por que ele não sabia como reagir a presença do loiro. 

Ele deveria simplesmente fingir que o outro não existia? Sim, pois com toda certeza Malfoy nem sequer olharia para ele por causa da noite anterior.

E Harry pediu por isso depois do que disse ao loiro. Ele não deveria estar se sentindo mal por isso. Seria apenas outro dia normal, onde Malfoy nem lembra que Potter existe e Harry fica admirando o outro de longe.


Ou não


Foi exatamente isso que Draco pensou quando colocou o pé na escola. Ele não iria ficar apenas observando o maldito Potter de longe, ele precisava agir.

E foi com esses pensamentos que andou sorrateiramente até o armário de Harry. Colocando com cuidado a senha no pequeno cadeado que protegia o armário. Sim, ele sabia até mesmo a senha do armário de Potter.

E não, ele não era um stalker. Ou pelo menos gostava de pensar que não.

Olhou com cuidado para os lados, vendo os corredores vazios. Todas as turmas estavam em aula, então ninguém passaria ali. Estava tudo certo, ele colocaria a nova carta que havia escrito e fecharia o armário novamente, como se nada tivesse acontecido.


- Draco Malfoy! Me diga que esse não é o armário do Potter?! — Pansy surgiu atrás de si, com um grito de acusação. O loiro fechou o armário depressa, se assustando com a presença da garota.

- Que merda Pansy fala baixo! — O garoto falou rápido com o coração acelerado, xingando a menina mentalmente pela risadinha que a mesma deu.

- O quê você está fazendo no armário dele?! O jantar ontem a noite foi tão bom assim?! — A morena perguntou no mesmo tom de voz, enquanto cruzava os braços em frente ao peito esperando uma resposta. Malfoy a olhou intrigado, não havia dito nada a ninguém. Como ela sabia?

- O que? Como você...

- Hermione me contou tudo. Eu sabia que toda essa implicância com o testa rachada era alguma coisa a mais. Então você simplesmente convidou Potter para jantar e nem pensou em me contar?! Sério? — A garota falou ácida, arqueando uma sobrancelha pela cara de fingimento do amigo.

- Não foi assim. Minha mãe teve essa ideia estúpida. Foi apenas um jantar com o idiota do Potter, não sabia que você estava tão interessada nele. — Draco explicou, fingindo desinteresse. Ele não havia dito sobre seus sentimentos a ninguém, então não diria para Pansy.

- Ata, me engana que eu gosto. Usar a sua mãe como desculpa é uma coisa muito patética Draco, você já mentiu melhor antes. — A morena falou rindo de escárnio. — Eu estaria muito surpresa por você estar a fim dele se eu não estivesse com raiva por você não ter me contado. E o que diabos você está fazendo no armário dele?! — Ela falava rápido, sem paciência alguma. Era típico do temperamento de Pansy, ela odiava enrolação e mentiras.

- Não estou fazendo nada. — Respondeu rápido mentindo descaradamente, desviando o olhar dos olhos acusadores da morena. Mas logo se lembrou do que a amiga disse. — Espera... Granger te contou? E quando foi que vocês ficaram amiguinhas? — Indagou curioso e confuso. Sabia que Pansy tinha uma queda pela outra garota, mas ela nunca havia nem conversado com Hermione. Observou as bochechas da amiga corarem e sorriu de canto.

- Espera, você ficou com ela? Agora quem está surpreso sou eu. Quem diria, eu pensei que você era covarde demais até para falar com a sujeitinha. — O loiro começou a rir, debochando da morena que o olhava com ainda mais raiva e as bochechas vermelhas.

- Cala a boca seu idiota! Nós duas somos amigas agora. E não tente mudar de assunto. Você está a fim do testa rachada e nem pensou em me contar! — Pansy respondeu irritadiça, apontando o indicador para o loiro acusatóriamente. Draco engoliu em seco. Ok, talvez ela estivesse certa em estar com raiva.

- Você também não me disse que estava "amiga" da Granger. — Draco retrucou, fazendo aspas com as mãos ao pronunciar a palavra "amiga". A morena bufou irritada, descruzando os braços e respirando fundo.

- Ok, então nós estamos quites. Mas agora você vai me contar tudo o que aconteceu naquele jantar, e eu quero saber dos mínimos detalhes senhor Malfoy. — Parkinson falou séria, colocando as mãos na cintura.

- Na hora do almoço. — O loiro avisou, suspirando e se dando por vencido. Sabia que a amiga não pararia de importuná-lo até que ele contasse tudo a ela.

- Na hora do almoço então. Não se atrase. — A garota avisou séria, andando a passos rápidos de volta ao seu caminho original.

Draco respirou fundo vendo a garota de cabelos pretos curtos sumir no corredor, sabendo que não poderia mentir. Ele teria que contar a Parkinson o que sentia em relação a Potter.


Balançou a cabeça de leve tentando esquecer por hora aquilo, abrindo novamente o armário de Harry e tirando o envelope de carta da sua mochila. Colocou rápido o papel verde, ficando paralisado ao ver um outro envelope de carta no mesmo lugar que sempre deixava a sua. Porém, aquela era diferente, o tom pastel opaco junto a uma fita amarrada dava a impressão de que fora feito as pressas. E Malfoy estranhou aquilo.


Potter estava recebendo cartas de outras pessoas além dele?


Continuou olhando, pensando se deveria simplesmente fechar o armário e ir embora. Mas a curiosidade falou mais alto, e ele pegou a carta branca que estava ali. Analisou devagar cada detalhe, virando para ver quem seria o indivíduo que ousaria mandar uma carta para o seu Harry. 

Sua respiração se prendeu com a surpresa ao ler "Para Green" no verso do envelope. Seu coração começou a bater rápido, sentindo sua boca ficar seca enquanto tentava digerir a informação de que aquela era a letra de Potter, e aquela carta era para Green.


Porém, Draco Malfoy era Green.


Um sorriso se formou em seus lábios enquanto ele fechava o armário, ainda segurando a carta em mãos. Então ele estava certo, Potter estava recebendo e lendo suas cartas e agora, havia escrito uma de volta para si. Seu coração não podia bater tão forte quanto agora.

Ficou tempo demais admirando o envelope com a fita vermelha, até ouvir o sinal escandaloso tocar, quebrando todos os seus pensamentos e o fazendo lembrar que ainda teria mais aulas e os treinos do time. Guardou a nova carta na mochila e saiu em direção as salas, com um sorriso discreto e um coração ansioso. 




Notas Finais


Eu achei que seria bem legal colocar a foto de capa do Sirius e da Narcissa, já que eles serão personagens fundamentais no relacionamento do nosso casal 💖✨
Amo a Narcissa super dando concelhos

Só queria dizer que eu amo o Draco apaixonado, e que o Harry é trouxa mas ele não conhece o Malfoy a ponto de imaginar que ele escreveria uma carta de amor 💌
Então vcs já devem imaginar que terá muito drama e sofrência, RS

Próximo capítulo teremos mais interação dos dois e um pouco do nosso trio de ouro

Obrigada por terem lido 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...