História Com amor, Park Jimin - YoonMin - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan, Bangtan Boys (BTS), Jimin, Lgbt, Minimini, Suga, Sugamin, Yoongi, Yoonmin
Visualizações 85
Palavras 937
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Famí­lia, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - Tudo é um risco


Carla está sorrindo para mim como se soubesse de algo que eu não sei. Ela está fazendo isso o dia todo quando acha que eu não estou olhando.

Ela também está cantando “Take a Chance on Me” do ABBA, definitivamente sua música preferida de todos os tempos. Ela está totalmente fora do tom.

Terei de perguntar ao Suga qual é a probabilidade de ela errar absolutamente todas as notas. Será que ela não poderia acertar pelo menos uma ao acaso?

É 12:30 e tenho meia hora para almoçar antes do meu tutor de história ficar on-line. Não estou com fome. Basicamente, não sinto mais fome. Ao que parece, um corpo pode se sustentar apenas de bate-papos na internet.

Carla não está olhando, por isso eu abro o meu Gmail. Treze mensagens do Suga desde a noite passada. Todas foram enviadas às três da manhã e é claro que ele não acrescentou o assunto. Solto uma risadinha e balanço a cabeça.

Quero lê-las, estou louco para lê-las, mas tenho de tomar cuidado quando a Carla está no quarto.

Tiro os olhos da tela e vejo que ela está parada atrás de mim com as sobrancelhas erguidas. Será que ela sabe de alguma coisa?

— O que tem de tão interessante nesse laptop? — pergunta ela. Meu Deus, com toda a certeza ela sabe.

Aproximo a cadeira da escrivaninha e coloco meu sanduíche em cima do computador.

— Nada. — Dou uma mordida no sanduíche. Terça-feira é dia de peito de peru. — Não é nada. Só uma coisa que me fez rir aqui. — Ela se aproxima alguns centímetros. Os cantos dos olhos castanhos se enrugam e um imenso sorriso se abre em seu rosto. — Vídeo de gato — digo com a boca cheia de peito de peru. Opa, falei a coisa errada. A Carla é alucinada por vídeos de gato. Ela acha que a internet só serve para isso.

Ela se aproxima ainda mais, fica parada atrás de mim e ergue os braços para puxar o laptop. 

Largo o sanduíche, fecho o computador e o abraço junto ao meu peito. Não sou um bom mentiroso e digo a primeira coisa que passa pela minha cabeça.

— Você não vai querer ver esse vídeo, Carla. É ruim. O gato morre.

Nos encaramos em uma espécie de defensiva chocado por alguns segundos. Estou chocado porque sou um idiota e não consigo acreditar que falei aquilo. Carla está chocada porque eu sou idiota e não consegue acreditar que falei aquilo. Ela abre a boca de forma cômica, como um desenho animado, seus grandes olhos redondos ficam ainda maiores e mais redondos.

Ela se inclina até a altura da cintura, dá um tapinha em um dos joelhos e gargalha como eu jamais a vi fazer. Quem por acaso dá um tapa no próprio joelho enquanto ri?

— Você quer dizer que a única coisa que conseguiu inventar é que o gato estava morto? — Ela começa a gargalhar de novo.

— Então você sabe.

— Bem, se eu não sabia antes, com toda a certeza eu sei agora. — Ela ri ainda mais um pouco e dá outro tapa no joelho. — Ah, você devia ter visto a sua cara.

— Isso não é assim tão engraçado — resmungo, irritado por ter me entregado.

— Você esqueceu que eu tenho uma igualzinha a você em casa. Sempre sei quando a Rosa está aprontando. Além disso, você, Dono Coisinho, não é nada bom em ter segredos. Vi você checando o e-mail e procurando por ele na janela.

Coloco o laptop de volta na mesa.

— Então você não está com raiva de mim? — pergunto, aliviado.

Ela me passa o sanduíche. 

— Isso depende. Por que você guardou segredo? 

— Eu não queria que você ficasse preocupada com a possibilidade de me ver triste de novo.

Ela me encara por um longo segundo. 

— Preciso me preocupar? 

— Não.

— Então não estou preocupada. — Ela afasta o meu cabelo dos ombros. — Coma — diz ela.


QUINZE MINUTOS DEPOIS


— Quem sabe ele não possa fazer uma visita?

Fico surpreso por perguntar, mas Carla não está nem um pouco chocada. Ela nem mesmo faz uma pausa para espanar uma poeira não existente da prateleira.

— Os adolescentes são iguais em todos os lugares. É só lhes dar o braço que elas já querem o corpo inteiro.

— Isso é um não? — pergunto.

Ela ri de mim.


DUAS HORAS DEPOIS EU TENTO DE NOVO.


— Só por meia hora. Ele pode ser descontaminado do mesmo jeito que o sr. Waterman e então...

— Você ficou maluco?


DEZ MINUTOS DEPOIS


— Quinze minutos?

— Não.


AINDA MAIS TARDE


— Por favor, Carla...

Ela me interrompe: 

— E eu aqui pensando que você estava bem.

— Eu estou. Eu estou muito bem. Eu só queria conhecê-lo... 

— Nem sempre podemos ter o que queremos. — Só pelo tom seco eu sei que essa é uma frase que ela usa com a Rosa o tempo todo. E tenho certeza de que ela se arrependeu de dizê-la para mim, mas mesmo assim a Carla não fala mais nada.

Ela está indo para casa, já passando pela porta do meu quarto quando resolve parar. 

— Você sabe que eu não gosto de dizer não para você. Você é um bom menino.

Mais do que depressa aproveito essa brecha. 

— Ele pode se descontaminar e sentar do outro lado da sala, bem longe de mim e só por quinze minutos. Meia hora no máximo.

Ela faz que não com a cabeça, mas não sinto nenhuma firmeza nesse gesto. 

— É muito arriscado. E a sua mãe jamais permitiria. 

— A gente não precisa contar para ela — falo sem pensar.

Ela me lança um olhar cortante, desapontado. 

— Você acha mesmo que é fácil mentir para a sua mãe?


Notas Finais


oi, desculpem ter ficado esse tempo inteiro sem postar nada.

aliás, vocês vão amar o próximo capítulo, vou postar ainda hoje.

desculpem qualquer erro.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...