História Com amor, Sam - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Norte e Sul
Visualizações 2
Palavras 2.109
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - 1


Eu estava andando tranquilamente indo para a faculdade. Eu estava distraída, perdida em pensamentos mas então senti um braço envolver minha cintura e me puxar para trás. Um carro passou segundos depois, aonde eu estava, buzinando. O braço estava firme em mim,e ficou assim por um tempo, então se afastou e eu me virei. O que vi foi uma garota, muito linda sorrindo pra mim. Ela tinha olhos azuis escuros e cabelos castanhos. Os lábios estavam pintados com um batom vermelho, o que a deixava ainda mais atraente.
- Devia tomar mais cuidado. - disse a garota.
- Eu,eu, eu, obrigada. - disse enfim.
- Se cuida. - disse ela sorrindo e então atravessou a rua. Ela me pareceu familiar mas eu não me lembrava dela, o que não era estranho já que a um ano eu sofri um acidente de carro e quando acordei do coma sete meses depois eu não me lembrava dos últimos três anos da minha vida. E ainda não lembro. Tenho 21 anos e hoje estou voltando a faculdade. Vou começar tudo de novo, já que esqueci dos três últimos anos. Eu cursava direito era para estar no 5º período e não no 1º de novo, mas agora eu ia ter que recomeçar toda a minha vida. Quando acordei do coma a 5 meses fui apresentada à uma parte da minha vida que eu desconhecia, e resolvi que era hora de recomeçar a partir das informações que recebi. Meus pais e meu namorado me mostraram fotos,vídeos e lugares onde eu costumava ir. Mas nada adiantou. Eu me lembrava de duas amigas que estudavam comigo desde o ensino médio e também estudavam na mesma faculdade que eu. Eu não vi muito minhas amigas nos últimos 5 meses, fiquei mais com meus pais e parentes e claro, com Kyle, meu namorado. Quando cheguei ao campus, Rebeca e Luana se aproximaram felizes e me abraçaram.
- Animada? - perguntou Lu.
- Um pouco, que bom que você também está no primeiro período de direito. - digo. Lu fazia engenharia mas depois desistiu e esse ano resolveu fazer direito, pelo menos eu não ficaria sozinha e perdida.
- Bom acho melhor irmos para nossas salas,nos vemos no intervalo. - disse Rebeca, me beijou no rosto e depois foi em direção ao prédio de Medicina.5

Eu e Lu íamos para a nosso prédio e eu olhava tudo tentando me lembrar de alguma coisa. O campus era lindo, era gramado e tinha muitas árvores. Mas nada daquilo me parecia familiar.
- Lembra de algo? - pergunta Lu.
- Não, nada. Lu preciso que você e Rebeca me contem tudo dos últimos três anos, minhas confissões,meus problemas, meus gostos, meu pai não me disse nada muito concreto.
- Seu pai não quer que a gente faça isso. - diz Lu.
- Por que? - pergunto.
- Isabel, minha querida, você não era feliz, você fazia tudo que seu pai queria, não fazia o que você queria. - diz Lu.
- Lu, eu preciso saber. Não é fácil olhar para uma coisa e me perguntar se eu gostava disso antes do acidente ou se é um gosto novo, que surgiu depois! - digo.
- Faremos o seguinte, depois da aula,vamos para sua casa e eu e Rebeca vamos te contar tudo o que precisa saber sobre os últimos anos,sobre como era sua vida na faculdade. - diz ela. Eu confirmo com a cabeça e entramos na sala. Passo as aulas me perguntando qual era o meu problema. Como eu conseguia aturar aquilo antes? Isso era muito chato. Na minha família, você tinha duas opções ser advogado ou comandar alguma empresa da família. Esqueci de falar,mas minha família é uma das mais ricas da cidade, dona de hotéis, escritórios, empresas e muitas outras coisas.
Enquanto pensava no passado que eu não me lembrava me peguei pensando na garota que me salvou hoje. Aqueles olhos,aqueles lábios ela era muito bonita. Não sabia por que eu havia reparado tanto nela em tão pouco tempo, mas algo nela fez com que eu me sentisse atraída. Mas eu tinha um namorado, eu gostava de homens. Ou não gostava? Será que quando entrei na faculdade conheci alguma garota? Ou antes dela?
Outra coisa que também não contei eu me lembro de tudo antes do meu ensino médio más não lembro de mim,quero dizer,não lembro como eu era ou do que eu gostava e isso é horrível me deixava ainda mais confusa. Somos liberados e é hora do intervalo. Sigo Lu para fora do prédio e caminhamos até uma mesinha onde Rebeca já nos aguardava.
- Ela quer que contemos tudo sobre como ela era. - anuncia Lu.
- Tudo mesmo? - pergunta Rebeca.
- Sim! - digo - Eu gostava de direito?
- Não, você queria fazer história. Você só fazia direito por causa do seu pai. - diz Re.
- Eu gosto do Kyle? - pergunto.
- Você só o via como amigo mais aceitou namorar ele. E o traiu uma vez,um pouco antes do acidente. - diz Lu.
- Isso é sério? Minha vida era uma merda sem fim! - digo.
- E como, você fazia tudo para agradar seus pais. Em troca eles deixavam você gastar o dinheiro deles com o que quisesse. - disse Re. Minha vida era uma grande bosta,eu não era feliz, não fazia nada que queria e não era nem mesmo apaixonada pelo meu namorado.
- Você tem a chance de tentar mudar tudo,agora que se esqueceu,pode fazer tudo diferente. - diz Lu.
- Vocês acham que isso é tipo uma segunda chance? - pergunto.
- Claro que é! - dizem as duas juntas e eu começo a pensar no assunto. Então vejo minha salvadora vindo na direção da minha mesa. Ela se aproxima e coloca as mãos no rosto de Rebeca, tapando seus olhos.
- Adivinha quem é! - diz a garota rindo.
- Palhaça! - diz Re tirando as mãos dela de seu rosto. A garota se senta ao lado dela e olha para Lu.
- Bom dia Lu. - diz ela sorrindo.
- Sou Samantha,mas todos me chamam de Sam. - diz ela para mim.
- Isabel. - digo. Ela sorri e finge não me conhecer, talvez ela não se lembre de ter me salvado mais cedo.
- Sabe do Luan? - pergunta Re para Sam.
- Chegou atrasado eu descubro o porque e te digo em alguns minutos. - diz Sam - Tenho que ir na biblioteca.1

Ela sorri para nós e depois sai. Eu fico a olhando, ela era muito linda. Queria perguntar as meninas se eu era lésbica, ou se já tinha me interessado por alguma garota, mas fiquei com vergonha.
- Então o que mais eu tenho que saber? - pergunto.
- Depois te contamos tudo. - diz Re - Agora temos que ir pra aula.

* * *

Depois da aula as meninas vão até minha casa. E me contam tudo o que acham ser importante. Banda favorita, cor favorita, essas coisas. E outras como meu pai ser um grande idiota que não me deixa fazer o que gosto, querer que eu me case com Kyle por causa do sobrenome importante que ele carrega, e muitas outras que me fazem querer perder a memória de novo. Por fim,elas param de falar todas as coisas ruins da minha vida e todas as coisas ruins que já fiz um dia,como trair meu namorado.
- Acho que vou indo. - diz Lu.
- Já? - pergunto.
- Minha namorada vem me buscar para irmos no cinema. - diz ela. Eu a olho surpresa. Namorada?
- Sim ela é lésbica. - diz Re - E você sabia disso antes. Eu não sou.
- Certo não acham que deviam ter contado isso antes? - pergunto.
- Esqueci. - diz Lu sem graça.
- E aquela Sam,eu a conhecia? - pergunto tentando disfarçar o interesse.
- Não. Ela é uma amiga minha que morava em Londres. Ela veio para cá um mês antes do seu acidente. Ela está no 3º período em Medicina. - diz Rebeca.
- Legal e por que ela saiu de Londres? - pergunto.
- O pai morreu, ela não quis continuar lá. - diz Re triste - Bom também vou embora, vou me encontrar com o Luan.
- Quem é Luan? - pergunto.
- Um amigo. - diz Re maliciosa.2

Ela e Lu vão embora e eu fico em casa sozinha. Penso em sair e dar uma volta mas logo desisto dá idéia. Kyle me manda uma mensagem avisando que vem me ver, acho que devo terminar com ele. Eu vivia uma vida triste e seguindo ordens. Eu tenho uma nova chance e não vou desperdiça-lá, dessa vez vou ser feliz e fazer o que eu quiser.2

* * *
 

Kyle chega uma hora depois quando eu abro a porta ele me dá um longo beijo.
- Estava morrendo de saudades! - diz ele.
- Oi. - digo.
- O que foi ? - pergunta ele confuso.
- Nada é que, Kyle temos que conversar. Tudo que aconteceu, eu acho que - ele não me deixa terminar, me beija de novo, ele beija bem mas eu não sinto nada. Suas mãos passeiam por meu corpo e eu o afasto.
- Desculpe, é melhor ir com calma né? - diz Kyle.
- É, calma. - digo.
- Bom amor eu vou viajar amanhã e só volto daqui um mês.
- Por que? - pergunto.
- Coisas do meu pai. - diz ele e me da um selinho - Tenho que ir. Vou ligar todos os dias meu amor.

Ele me dá outro beijo e sai. Fico irritada comigo por não ter terminado agora vou ter que esperar um mês. Não posso terminar por mensagem. Subo para meu quarto, me deito e me pego pensando nela. Minha salvadora. Por que não consigo tira-la da cabeça? Por que eu estou desejando seu toque novamente? Não! Não posso ficar afim de uma garota! O que deu em mim?! Eu namorava um homem lindo antes mesmo não sendo apaixonada por ele é impossível que depois do acidente minha sexualidade tenha mudado. Em meio a tantos pensamentos eu acabo adormecendo.
 

Acordo cedo, faço minhas higienes diárias, me arrumo e saio. Meus pais não moravam comigo eu tinha um apartamento só para mim. Eu estava feliz por não morar com eles, já que eles mentiram sobre muitas coisas quando eu acordei do coma. Eles descreveram alguém que queriam que eu fosse mas eu nunca fui. Eles reclamaram no início sobre me deixar morar sozinha mas no fim os convenci. Eu chego cedo a faculdade, ainda faltava quase uma hora para o início das aulas. E como sempre eu andava no mundo da lua, sem prestar atenção em nada, somente na música que tocava em meus fones. Então eu, o desastre em pessoa, tropeço e então fecho os olhos, sei que vou me estatelar no chão. Espero o impacto mas tudo que sinto são mãos segurando firme em minha cintura. Não preciso olhar para saber quem é. É ela, Sam. Eu a olho e ela me solta sorrindo. Fico decepcionada, eu não queria que ela me soltasse. Não sei porque estou sentindo isso,não sei porque ou como ela faz isso comigo, só sei que ela me atraí. Muito.
- Parece que você está sempre em perigo. - diz ela sorrindo.
- E parece que você está sempre me salvando. - digo. Vejo surgir um brilho em seus olhos que não estava ali antes. Será que falei demais?
- Isso é verdade. - diz ela - A gente se vê.

Ela sai andando e eu fico ali parada. A olhando. Tinha alguma coisa muito errada comigo, o que essa garota me causa não é normal. Volto a caminhar em direção a biblioteca e dessa vez tomo cuidado,ela não vai estar aqui para me ajudar de novo.
1

Não sei como mas consegui chegar atrasada na aula. Eu estava na biblioteca olhando alguns livros, clássicos da literatura. Não sei porque eu estava na sessão do curso de literatura mas os livros eram muito bons. Tão bons que acabei me esquecendo da hora.
- Desculpe o atraso professor. - digo. O professor faz sinal para que eu me sente e eu vou para meu lugar,ao lado de Lu.
- O que houve? - ela susurra.
- Perdi a noção do tempo na biblioteca. - digo. Ela me encara confusa,mas volta sua atenção para a aula. Eu não presto atenção, tudo era muito chato e tedioso. Fico lembrando dos olhos azuis de Sam,do brilho que surgiu neles. Eu devia estar ficando louca mas eu estava afim dela.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...