1. Spirit Fanfics >
  2. Com Amor ... Sasuke >
  3. O Que Nos Une

História Com Amor ... Sasuke - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que estejam gostando.. pq eu to amando esse babado ❤❤🤣

Capítulo 5 - O Que Nos Une


Fanfic / Fanfiction Com Amor ... Sasuke - Capítulo 5 - O Que Nos Une

SAKURA


Estava pulando nas árvores apoiada ao corpo de Hinata. Dava para sentir os ferimentos se curando pelo chakra do selo doendo e formigando de baixo da pele. Eu acabara sofrendo alguns sangramentos interno junto de osso quebrados, e tudo aquilo ainda não tivera tempo de curar dos dez dias que fiquei no hospital, o que podia fazer era meditar concentrando cada vez mais chakra no losângulo. Hinata não queria me trazer junto depois que descobri como parar as explosões, mas eu consegui convence-la pelo coração melo que tinha, sem poder deixar de notar como eramos parecida em alguns aspectos já que eu sempre tentei ser o mais forte que podia, assim como ela.

A dor latejava a cada passo, e não ajudava muito o apoio que ela me dava com o braço segurando a cintura. Nós estávamos indo devagar pois eu não conseguiria chegar la se não fosse daquele jeito. Tinha medo de não dar tempo, de ter acontecido alguma coisa com eles e eu não  poder fazer nada como a antiga Sakura do time 7 que apenas corria de um lado para o outro sempre fraca ou chegando tarde demais, e  único jeito de protege-los era me colocando na frente para que eles se levantassem e lutassem mais uma vez por todos nós. Essa era quem eu era, e sempre vivia com medo de não ser forte o suficiente por eles. 

Ora...Não era momento para se fraquejar, eu tinha que fazer alguma coisa, nem que isso me custasse mais que alguns ossos quebrados. Respirei fundo colocando mais chakra nos pés, o que fez minha amiga me olhar preocupada.

- Não vou deixa-los morrer... - eu lutaria contra a dor uma outra hora, agora precisava alcança-los o mais rápido possivel, não tinha espaço para ser uma menininha fraca. Hinata sorriu confiante invocando mais chakra. As folhas que caiam das copas das árvores passavam rápida como borrões por nós, e eu pensei nele. Como seria encara-lo depois de tanto tempo? 

Eu certamente estava diferente, mas e ele? Como estaria? seus olhos ainda teriam o mesmo brilho intenso e cheio de sentimentos que me faziam lutar contra o rubor em minhas bochechas quando lançava olhares furtivos sobre mim? Meu coração se alegrava de pensar em ve-lo, em lembrar do toque de suas mãos grandes na minha cintura e do calor de seus lábios finos, o gosto amargo e suave de café com canela se misturando ao doce dos meus, seu cheiro fresco me levava para aquele pequeno lago com o deque, cheio de peixes coloridos e a grama que se mantinha verde em qualquer estação do ano.  Quando o beijei pela primeira vez, era noite e ele me acompanhara até em casa, meu corpo ansiava tanto por estar em seus braços que as pernas chegavam a tremer, eu queria tanto aquilo... seu toque era gentil de inicio, e até hoje acho que ele também ficou um tanto desconsertado com a situação, mas conforme nossos corpos se entendiam, ele me tomava com mais afinco, e eu sempre deixava.

____________________


Eu ficara sabendo que que kakashi os mandara para a vila da Névoa com suspeitas de que os responsáveis estivessem passando por lá. Quando estavamos chegando perto dos portões, paramos ao som de explosões e seguimos as luzes pintando a noite, Hinata teve que me segurar com mais força para não cair da árvore com o tremor que o impacto causou. 

- Você está bem Sakura? - nós descemos e ela me sentou encostada no tronco com grandes raizes se mostrando sob a terra.

- Não é hora para descansar Hinata... - coloquei as pernas uma na frente da outra e fui andando devagar, era aquilo ou nada. - Se eles estiverem lá eu preciso protege-los... - sangue saiu em minhas mãos com a tosse, mas não era suficiente para me assustar, eu sabia da minha situação, as feridas internas não tinham se curado totalmente, mas não seria impedida pelo corpo que treinei tanto, eu era forte agora... e se não fosse o suficiente, arrumaria um jeito de encontrar esse poder para seguir em frente.

_____________


Podiamos ouvir as pessoas correndo e gritando em desespero, e na frente de todos avistei longos cabelos loiros em uma roupa roxa, Ino. Ela segurava uma criança nos braços que chorava de medo.

- Onde eles estão? - perguntei eufórica com certa dificuldade, ela se assustou ao me encarar ali tão longe de casa, e meu rosto não deveria estar muito bonito pelo cansasso. A criança se encolheu ainda mais em seus braços com o pequeno rosto entre os fio loiros, como se aquilo pudesse tira-la de qualquer perigo, eu conhecia aquela sensação.

- Você não deveria....

- Por favor Ino... apenas me diga onde estão. - as lágrimas estavam quase saindo conta a minha vontade, eu precisava fazer alguma coisa. Relutante ela apontou na direção em que estavam todos correndo, mas era para lá mesmo que eu iria.

- Boa sorte testuda.... - eu sorri com o apelido retribuindo seu olhar de irmã, mas agora, eu precisava salva-los.


__________________


As coisas aconteceram rápidas demais e se embaçavam na dor e no sangue que eu cuspia com a tosse. Sasuke não falou comigo, e eu precisava passar todas as informações a Shikamaru, que também não estava muito feliz em me ver, mesmo com a expressão de amigo nos olhos escuros e racionais que sempre mantinham-se impassíveis e determinados.

Podia sentir os olhos de Neji pairando constantemente em mim, e depois das coisas que passamos juntos eu não o julgava, mas ainda sim me sentia desconfortável, pois apesar de tudo o que fizemos aquela noite, não era nele que meus pensamentos iam quando eu divagava no almoço ou a noite sozinha em casa.

Sasuke não era uma pessoa de muitas palavras, e eu ja aceitara que isso simplesmente não mudaria, mas para entende-lo melhor, eu aprendera a ler tudo o que escondia. E como eram belos e tão sinceros seus olhos... Ele não passava nada mais que raiva e preocupação naquele momento, mas talvez ficasse feliz em me ver quando tudo isso terminasse, ou me daria uma bronca como Tsunade faria quando eu voltasse a vila.

Eu não conseguia segurar a tosse e nem o sangue que a acompanhava, mas Shikamaru estava focado demais no inimigo para perceber, o que me deixou aliviada de certa forma, pois eu não precisaria me explicar para mais uma pessoa. Naruto segurava três deles com seu modo sábio, e logo os Hyuga foram ajudar. Eu esperava que minhas hipóteses estivessem certas, caso contrário todos nós seriamos expodidos em um segundo. Ve-los naquela luta de punhos suave me fez sentir alegria por Hinata, que sempre desejou lutar de igual para igual com Neji, e do seu jeito, ela também era um espírito forte.

Sasuke guardou a espada, se colocando em nossas costas sempre muito observador, nunca deixava escapar nada, e mas uma vez o peso naquela pupila escarlate me causou calafrios. Ninguém que eu conhecia podia cortar alguém tão bem como ele, usando apenas os olhos perdidos em um turbilhão de coisas, nunca deixando ultrapassar algo na barreira que o mantinha fora do mundo com a postura arrogante e prepotente de sempre.

Quando Hinata e Neji estavam lutando com uma camponesa de vestido preto, Naruto gritou para eles e todos nós o olhamos. O homem que tentava segurar estava mordendo a si mesmo numa tentativa de se fazer explodir, Hinata correu em sua direção para tentar para-lo, mas tinha mais alguma coisa, eu sentia isso, e Sasuke também, pois já estava com a mão na espada outra vez. 

Olhei ao redor desesperada por resposta, mas Sasuke ja tinha achado o que queríamos, então segui na direção em que olhava, as sobrancelhas curvadas mostravam a primeira reação desde o momento em que cheguei. Primeiro o chakra intenso, forte e tomado de raiva,  depois, olhos vermelhos, e então... uma garotinha com uma camisa colorida saiu dentre as árvores com um urso e uma Kunai. Ela caminhava lentamente até o outro homem...


Eles iriam explodir...

________________________


   Eu estava ali para aquilo, não poderia fraquejar. O selo se briu em minha testa tão rápido que não  deu tempo de sentir o chakra se espalhar e eu já estava na metade do caminho, correndo em direção a eles. Naruto pegou Hinata protegendo-a com seu corpo, e Neji vinha logo atrás deles, correndo o mais longe possível da pequena criança... eu queria poder salva-la, era apenas uma garotinha e não teria um futuro agora, ela não beijaria um garoto, não estudaria e não teria a oportunidade de ser uma pessoa forte ou de poder proteger aqueles com quem viria a se importar um dia, sua familia. Ouvi a espada relâmpago bater as asas dos 1000 pássaros em uma brilho que iluminou toda a clareira, e de repente em um volto, os três se desintegraram no ar e Sasuke assumiu a posição,eu conhecia aquele jutsu, ele trocara de lugar com eles mandando-os para longe.

Não pararia agora, não enquanto pudesse salvar todo mundo. Em mente, pedi desculpas a Sasuke que me encarava como se minha dor fosse a dele, como se pudesse ler meus pensamentos e meu corpo com o Sharingan que sempre captava tudo ao redor. Quado pulei, estava mirando o chão, eu iria joga-los para longe de todos nós, então o soco precisava ser certeiro. Sasuke pulou junto, e quando meu punho se chocou contra a terra, poeira levantou junto com o barulho de tudo se quebrando ao meu redor, e depois... apenas quando as luzes passaram entre a névoa erguida é que sabia... eu tinha conseguido nos tirar do alcance da explosão.

___________

Uma dor maior se alastrou pelo meu coração, eu não conhecia aquela garotinha, nem mesmo sabia seu nome... mas era apenas uma criança. Senti o sangue escorrer pelo meu nariz, o corpo que tanto treinei caiu como uma boneca de pano, sem forças para sustentar o peso da própria dor. Eu queria correr longe e livre de tudo aquilo, de toda a maldade do mundo, quando senti seus braços envolvendo minhas costas antes que se chocassem ao chão.

E como eu poderia desejar outro?

O cheiro fresco de suas roupas me invadiu, aquilo era como uma brisa leve no dia mais quente do ano, e costumava levar consigo os problemas. Nunca o vira chorar, até as lágrimas quentes com calor de nossos corpos caírem sob as minhas. Aquilo bastava por enquanto, e talvez fosse seu jeito de mostrar que se importava, que não era apenas uma muralha impenetrável. Estar ali era bom, era confortável e me fazia sentir segura como nunca antes. Seus ombros largos cobriam meu corpo, protegendo-o das coisas ao redor.

- Por que faz isso comigo? - disse como num rosnado. - Sua idiota, por que faz isso comigo? - senti seu cabelo escuro tocar minha testa ainda marcada pelas faixas. De certa forma e sabia do que ele falava, mas mesmo que me odiasse por isso, eu não deixaria de usar o tinha para salvar a minha família.

- Era apenas uma criança Sasuke.. - eu precisava de mais que aquilo, queria sentir apenas seu corpo e o calor que saia dele. - Uma criança... - nossas testas se tocaram, e ficamos ali abraçados ouvindo a respiração um do outro. Ele me segurava como se pudesse virar pó ou sair correndo novamente. Eu estava confortável e não poderia pensar em um lugar melhor para me render a parte fraca do meu interior, mas de alguma forma ainda sentia aquela dor... e assim como a criança sem nome, em seus braços....


Eu também era uma garotinha.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...