História Com Amor ... Sasuke - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Ai nossa.. nervosa nivel hard com esse cap. 🤣❤❤❤❤
Espero q gostem !!!

Musica: 4 estações - Konai

Capítulo 6 - A Parte De Mim Em Você ...


Fanfic / Fanfiction Com Amor ... Sasuke - Capítulo 6 - A Parte De Mim Em Você ...

SASUKE


Depois que a poeira abaixou e o céu se mostrou aberto,peguei Sakura que desmaiara em meus braços e segui para fora da grande cratera. Ela chorara em meios aos soluços, e cada um deles partia meu coração cada vez mais. Os cabelos grudavam em sua face molhada, mas estava macio e cheiroso como sempre. Ela era linda de qualquer jeito. Limpei o sangue que escorria pelo seu nariz empinado, ela ainda não tinha se curado totalmente e o soco talvez tivesse agravado mais sua situação... Tsc... sempre tão irritante.

- Eles estão ali !! - Shikamaru gritou, descendo correndo com os outros.

- SAKURA - CHAN !! -Naruto chegou primeiro, ficou encarando Sakura com os olhos perdidos e assustados, talvez pelo sangue que ainda escorria do nariz. Parecia que o tempo tinha parado por um segundo e nós ficamos nos olhando até os outros chegarem. Ele também parecia não entender ou não saber como reagir, afinal, eramos nós que deveríamos protege-la e não o contrário.

- Ela vai ficar bem Saasuke-kun - disse Hinata tímida com as mãos cima do losângulo, soltando um chakra verde na menina frágil em meus braços. Aquilo de algum jeito a aliviou, pois sua expressão se amenizou e eu também senti minha dor indo embora depois que ela respirou profunda e longamente ainda adormecida. Minha capa nos cobria da garoa suave que caia molhando a terra, fazendo aqueles barulhinhos abafados que acalmam qualquer um.

Neji foi o ultimo a chegar, com a mesma expressão que me tirava do sério desde nossa infância, e assim que Hinata tirou as mãos de Sakura eu não poderia estar mais agradecido por aquele ato de carinho. Naruto passou as mãos pela cabeleira rosa comprida que molhava com as gotas de chuva. Eu estava me sentindo melhor com tudo, eu finalmente a tinha nos braços e agora ela estaria segura, só teria que esperar que o Selo do Byakugou fizesse seu trabalho. 

- Não se preocupe, vamos achar um lugar para ... 

- Me de ela aqui. - Neji saiu de repente de trás de Shikamaru que o encarou indignado pelo ato tão explosivo e repentino. Ele parou na minha frente com os braços estendido olhando-a como um felino encara sua presa. aquilo me consumiu no mesmo minuto. - Eu não vou pedir de novo Nukenin... Você não direito sobre ela, você a abandonou a próprio gosto. Então não pense que ela o ama. - eu queria socar aqueles olhos brancos tão vazios quanto o meus naquele momento.

- Neji ... eu tenho certeza que Sasuke ...

- Você pode tentar toma-la de mim se quiser. - sorri para provoca-lo ainda mais, pois se ele achava que eu abaixaria a cabeça para a sua arrogância, eu mostraria o verdadeiro orgulho do clã Uchiha. - E olha que poderá apenas tentar mesmo. - Naruto se colocou entre nós, pois se eu o encarava com uma face inexpressiva, ele já estava com o seu Kekkei genkai pronto para brigar. Com certa dificuldade, Naruto o tirou de perto e desapareceram junto com Hinata. Shikamaru me encarou confuso, mas eu ainda não conseguia demonstrar emoção sobre o  que acabara de acontecer.

Nós partimo dali em direção aos aldeões que Ino guiara para longe da clareira entre árvores. Minha capa a protegia do vento forte, mas Sakura se contorceu algumas vezes procurando se aconchegar no meu peito. Eu a tinha comigo, e nada naquele mundo a tiraria debaixo daquela capa, nem monstros dimensionais, nem Kekkei Genkais estranhos ou forças uma outra explosão. Ela estava segura de todas essas merdas comigo.

-Depois daquela confissão, não conseguiremos atravessar o muro hoje, a segurança deve estar dobrada. Então vou pedir que o capitão Yamato monte uma pequena casa para passarmos a noite e reagruparmos. - ele suspirou fundo quando avistou Ino que correu em nossa direção aos gritos. - Vai ser uma longaaa noite...

Eu não ligava para onde iriamos dormir, mas sabia que o estado de Sakura pioraria debaixo daquela chuva se passasse a noite desabrigada. Ela precisava ser tratada e só Ino poderia ajudar naquele momento. Mesmo não tendo aquelas habilidades de cura eu já não me sentia tão impotente assim, pois a protegeria do que quer que fosse. meu corpo era dela e eu o usaria para proteger até seu ultimo fio de cabelo cor de rosa.


_____________


Shikamaru, Naruto e os Hyuga ficaram com os aldeões até que membros superiores de sua aldeia chegassem e eles pudessem explicar o ocorrido, já que tudo poderia causar um mal entendido e sermos acusados do ataque. Eu fui com Ino e Sakura,pois muitas vilas ainda me viam como um Nukenin inimigo e ela precisa de cuidados. Yamato encontrou para nós um bom lugar no alto de uma morro onde se abria uma grande planice depois de uma clareira de bambuzais, ele fez seus selos de mãos e me surpreendi quando seus braços se estenderam fazendo com que saíssem grandes toras de madeiras que se envolviam umas nas outras. Ino me dava alguns olhares furtivos, olhares esses muito semelhantes ao da noite em que fora até a porta do meu quarto cheia de coragem com uma beijo de boa noite.

Meninas.... por que tinham que ser tão complicadas?

Não demorou muito para uma construção preencher o espaço a nossa frente. Era uma belíssima casa, não lembrava nenhum pouco a que vivi com meus pais e meu irmão quando criança, pois aquela era maior e ainda mexia com minhas lembranças, e mesmo que eu me recordasse todos os dias do cheiro de bolinhos de arroz da minha mãe no café e do cheiro da espuma de barbear do meu pai enquanto tentava não enlouquecer no esconderijo do Orothimaru, eu deixei tudo isso para trás quando sai em minha viagem de redenção... agora, quando eu pensava em casa, minha mente sentia o cheiro de orvalho que ela tinha. Eu me levava a perder em pensamentos de uma garota durona de cabelos rosa, traços finos e com gosto de ameixa doce nos lábios. Ela era minha casa agora, mesmo que tentasse negar as vezes para não me sentir tão vulnerável.

Nós entramos e por costume os sapatos ficaram ao lado da porta, ver o tênis branco delicado que usava perto dos meus sapatos, me fez questionar se teríamos a chance de entrar em casa e ter um ao outro para esperar depois de um dia de trabalho. Eu nunca fui o tipo de pessoa que fica em casa e tem uma família, mesmo desejando isso as vezes quando olhava as pessoas passeando nas ruas das vilas como se nada as atormentasse, com seus filhos nos ombros indo fazer compras ou coisas parecidas, costumes tão banais que você ja faz por hábito... eu teria a chance de ser esse tipo de cara? 

Me lembrei de quando meu irmão me carregava nas costas pelo distrito do clã olhando as nuvens e me contando histórias de seus treinamentos. Eu realmente o invejava. Nós passávamos em frente a polícia com o grande simbolo do clã da porta de entrada e eu não poderia me sentir mais orgulhoso do que nossa família tinha construído, mas isso foi bem antes de tudo aquilo acontecer. Antes da dor, traição, e perda. Antes a sua morte. Antes de eu saber a verdade sobre tudo.... e por kami, como eu o praguejei por não ter me dito o que havia realmente acontecido. Em uma vida de dor assim, com tantos pecados nas costas... eu poderia realmente ser digno de ter novamente alguém para me esperar em casa a noite?

Encarei seu rosto sereno sob o saco de dormir que havíamos estendido em um dos quartos, ela me causava uma sensação amena que eu não sabia de onde surgia, apenas aparecia e tomava conta de deixar tudo mais quente... 

Eu já tinha alguém que me esperaria... talvez para sempre.

____________________________________


Eu fiquei sentado ao seu lado enquanto Ino infundia Chakra verde de seu corpo para o dela. Estávamos ali a algumas horas, ela não parecia piorar, mas também não melhorava muito rápido. Eu podia ver muitas coisas com os olhos que possuía, e dava par notar seu chakra ainda sutil, crescer no ponto do losangulo. Ela estava absorvendo energia natural e transformando em chakra mesmo em seu estado. Aquilo me deixou mais confortável, e percebendo que ainda não tinha nem tirado a katana, a cloquei de lado para chegar mais perto de Sakura. Sua mão era quente e ela usava a pulseira de prata que comprara para ela em uma feira que estava tendo na aldeia quando saímos pela primeira vez. 

Nunca me esquecerei de como ela estava bonita naquela noite com o cabelo recem cortado, o vestido rodado vermelho e a sandália de pedras brilhantes nos pés. Os olhos refletiam as luzes coloridas de uma das barraquinhas de comida apimentada piscando sem parar. Naquela tarde nós comemos um sorvete de casca de laranja e quando estávamos indo embora, no meio de muitas outras bijuterias eu vi aquela pulseira com uma flor de cerejeira pequenina e delicada. Ela ficou desconsertava quando a coloquei em seu pulso. Eu apenas cheguei e abotoei aquela corrente brilhante sem dizer nada. Eu nunca fui muito bom em palavras mesmo... e uma das melhores coisa de Sakura, era que ela entendi tudo o que pensava, sem precisar me enrolar tentando dizer alguma coisa que talvez fosse esquecida depois e certo tempo.

- Pronto.. eu volto mais tarde para começar outra sessão. - era noite e dava para ver as estrelas pela abertura na parede, não era bem uma janela e tinha uma sacada pra fora. Eu não respondi ao seu suspiro cansado, e quando Ino passou por mim com o perfume seu perfume doce entrelaçou os dedos nos meus cabelos deslizando-os nos fios conforme se afastava.

Não demorou muito para que os outros do grupo chegassem com a face cansada também. Os AMBUS se colocaram de guarda na primeira ronda. Os Hyuga estavam no segundo andar em frente ao quarto de Sakura e Ino. Shikamaru e Yamatu dormiriam no andar de baixo. Naruto se acomodou na sacada ao meu lado, nós ficamos ali balançando os pés para fora da plataforma de madeira sentindo o vento frio bater no rosto. Eu tinha deixado minha capa sob o corpo dela descansando atrás de nós, então os calafrio me atingiam quando a bisa vinha mais gélida misturando-se ao mormaço do outono, soprando de dentro da floresta de bambus.

- Quem diria que ela acabaria nos salvando... - Naruto também estava aflito,mas diferente dele eu não demonstrava tão descaradamente. Ele sabia o que eu sentia, ele mesmo ja compartilhara minha dor mais vezes que podia imaginar, então me sentia um tanto que confortável para não ser mono silábico com ele. 

- Era para nós protegermos ela... lembra do acordo que fizemos quando eramos mais idiotas? - um sorriso de canto escapou dos meus lábio e ele também sorriu ao lembrar de nós. Nunca me esquecera aquele dia; foi depois da nossa primeira missão, quando Sakura se colocou na frente de Zabuza para salvar o construtor de pontes. Nós quase não conseguimos protege-la, e quando voltamos para a vila e olhamos seus ferimentos, prometemos um ao outro que não importava como... ela viria em primeiro lugar.

- Ei... Sasuke... ela vai ficar bem não é? - nos viramos para o monte preto e rosa deitada no quarto atrás de nós. Ela iria melhorar. Eu acreditava nela...

- Ela não é uma mulher fraca.

Nós ficamos ali sentados a noite toda, ouvindo os animais e o barulho de um riacho que não parecia muito longe. Conversamos sobre algumas coisas, ele normalmente falando mais que eu ou qualquer outra pessoa, mas de certa forma aquilo era bom pois me distraiam dos problemas. Naruto me disse que achava que Hinata gostava dele, e como ele era lerdo... me fazia revirar os olhos toda vez que soltava alguma besteira... mas é claro que ela gostava dele. Até eu que sempre fui ruim nesses assuntos havia percebido isso. Ele conseguiu tirar dois ou três sorrisos quando contava alguma história engraçada que acontecera com ele e Sakura, e fiquei feliz por saber que ela não estava sozinha no tempo que passei longe,mas ainda sim enciumado por não estar lá para ser motivo de suas risadas.

Em algum momento da noite eu queria ter perguntado sobre o Hyuga e seu ato de explosão... mas sentia que ela quem deveria me contar alguma coisa, eu podia apenas olhar para as estrelas e pedir aos Deuses que ela ficasse bem...





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...