1. Spirit Fanfics >
  2. Com todo o meu amor - YOONMIN >
  3. The Truth Untold

História Com todo o meu amor - YOONMIN - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Olá bolinhos, tudo bem? Espero que sim.

Casal Markson dedicado a @Sahmellark ❤️

Espero que gostem do capítulo de hoje que eu fiz com muito amor ❤️

Capítulo 4 - The Truth Untold


Fanfic / Fanfiction Com todo o meu amor - YOONMIN - Capítulo 4 - The Truth Untold

Aceitar que você não tem chances com a pessoa a qual ama, lhe causa uma dor insuportável. Conforme ia escrevendo as cartas, e admirando, mesmo que distante, as reações de Jimin ao ler cada cartinha, a forma que ele sorria radiante, e seus olhos chegavam a brilhar de tamanha alegria, faziam Yoongi se tornar mais confiante para dizer que ele era o admirador secreto que o Park tinha tanta curiosidade de conhecer. 

Mas toda sua confiança e esperança caíram por terra quando soube do novo relacionamento de Jimin, que era baseado em uma mentira. Uma parte sua queria confessar toda a verdade, não achava justo alguém conquistar o coração de uma pessoa tão boa, através de mentiras. O que mais preocupava Yoongi, era a dor que o rosado poderia sentir ao se dar conta que Bambam não era seu admirador, e que foi enganado por um tempo. 

Com dor em seu coração, e lágrimas deslizando pelo seu belo rosto, o Min pegou um papel e um lápis, voltando a escrever o que estava sufocado em seu coração mais uma vez. Suas chances com Jimin poderiam ter chegado ao fim, mas ele ainda era a pessoa a qual Yoongi pensava enquanto escrevia os mais belos versos de seu coração, e era merecedor de ler cada verso. 

 

“The Truth Untold

“Seu calor é real / Sua mão colhe as flores azuis / Eu quero segurá-la, mas

Esse é meu destino / Não sorria para mim / Me ilumine

Porque eu não posso chegar até você / Não há um nome para chamar

Você sabe que eu não posso / Me mostrar para você / Me doar para você

Eu não posso te mostrar minha fraqueza / Então coloco uma máscara para te encontrar / Mas eu ainda quero você”

 

Abalado da forma que se encontrava depois que finalizou a carta, Yoongi nem foi capaz de sair do quarto para entregar a carta, o que fez implorar para Hoseok colocasse no armário do Park, para que o rosado pudesse receber a cartinha o quanto antes para melhorar um pouco o seu dia. 

O Jung pensou em não entregar, para o bem do amigo, mas sabia que seu Hyung não o perdoaria se fizesse isso. Respirou fundo e colocou a carta dentro do armário, como Yoongi havia pedido.

— Inferno! — disse com ódio, chutando o chão a fim de descontar a raiva que estava sentindo. Pensar no quanto seu melhor amigo estava sofrendo mexia muito consigo. 

— Opa, Hoseok, o que houve? — questionou Mark preocupado ao se aproximar do rapaz que normalmente era tão alegre, e agora parecia assustador com ódio em seus olhos.

— O que houve? O que houve é que o Bambam sai por aí achando que pode brincar com os sentimentos das pessoas, colocando os dele sempre em primeiro lugar passando por cima de tudo e todos — declarou irritado, o que assustou muito Tuan — Você é um cara muito legal, Hyung, é triste saber que você gosta de uma pessoa capaz de tomar posse do trabalho dos outros, para se sobressair. 

Foi apenas o que disse antes de sair daquele corredor vazio. Mark se encostou no pilar da escola e em um estalar de dedos entendeu o que Bambam havia feito de tão grave para irritar até mesmo uma pessoa tão alegre com a vida. Aquilo o doeu como se tivesse enfiado uma faca em seu coração, não pela suposta relação de Bambam e Jimin, queria que o tailandês fosse feliz com ou sem ele, mas pela forma que ele estava mentindo para conseguir o que queria. 

As lágrimas deslizam pelo rosto do rapaz, que estava completamente decepcionado com a situação que se encontrava, se sentou no chão se escondendo atrás do pilar, tentando chorar em paz. 

— Agora eu entendo porque está chovendo, você está chorando, não tem porque ser um dia lindo de sol — declarou Jackson sorrindo abertamente enquanto se abaixava para ficar igual Tuan.

— Está de noite, Jack — ditou, rindo fraco da frase do chinês.

— Ah, esse sorriso — disse colocando a mão no peito como se tivesse levado um tiro em seu coração — Acaba comigo, sabia? — questionou sorridente — O que o Bambam fez? 

— Não é surpresa nenhuma que ele fez mais uma loucura, né? — falou vendo Jackson concordar com a cabeça — Eu encontrei o Hoseok, ele estava puto com o Bambam… pelo o que eu entendi, Bambam falou para o Jimin que é o autor das cartas.

— Droga… — disse decepcionado com a atitude do amigo — E você está chorando por...?

— Eu sempre estive aqui, apoiei todas as loucuras dele, e até mesmo participei de muitas, mesmo não querendo. E ele nunca me notou. Por quê? — perguntou impaciente com sua vida amorosa. 

— Se fosse você no lugar dele, e soubesse que uma pessoa incrível está afim de você, mesmo que você gostasse de outra pessoa, você daria uma chance? — questionou curioso, vendo Mark concordar com a cabeça.

— Estou cansado de amar sozinho, Jack.

— Então hoje é o seu dia de sorte — declarou se levantando e estendendo a mão para que o rapaz pegasse, e assim se levantasse também.

— Não está parecendo meu dia de sorte, não — disse rindo fraco enquanto ajeitava a roupa de seu corpo. 

— Aceite isso como uma declaração — ditou sorridente — Eu gosto de você, Mark, mas do que como amigo, eu realmente gosto de você e queria que você me desse a chance que há tempos dedicou ao Bambam. Posso te mandar cartinhas, se preferir.

Mark ficou surpreso, mas não pode conter o sorriso. O tempo todo estava ali, ajudando Bambam no que ele precisava e nem percebeu que Jackson estava ali todo esse tempo. Era ele quem o abraçava, enxugava suas lágrimas, o tirava de sua zona de conforto e lhe arrancava um sorriso.

— O envelope da minha cartinha pode ser vermelho? — questionou curioso, vendo Jackson sorrir radiante com a pergunta.

— Todos os tons de vermelho que você quiser, você vai ter — declarou sorridente, abraçando o rapaz pela cintura. Seria uma trajetória complicada, mas Mark estava disposto a tentar.

(...)

Quando Jimin abriu seu armário na manhã seguinte, viu o envelope branco e logo tratou de abrir para ler o verso que ali tinha. Uma angústia tomou seu coração quando começou a ler.

Porque Bambam escrevia sobre não poder se mostrar, mostrar sua fraqueza, quando já havia se revelado? Aquilo o deixou confuso, mas logo pensou que poderia ser um verso antigo, então tratou de guardar em sua mochila e ir para a sala de aula.

Quando entrou no espaço, pôde observar que Yoongi parecia estar abatido, um pouco isolado de todos e seus amigos pareciam estar respeitando o momento que o Min estava vivendo. 

Ver um semblante tão abatido no rosto de Yoongi deixou Jimin triste, queria poder ajudar seu Hyung favorito, mas sequer tinha intimidade para falar um oi, quem dirá para ir em seu auxílio.

Suspirando pesado, se sentou sobre uns dos puffs da sala de música, vendo o professor entrar logo em seguida.

— Yoongi, que música está ouvindo? — perguntou o professor que tinha uma certa ligação com o rapaz de cabelos esverdeados.

— Hug Me, professor — declarou com a voz em um tom um pouco mais grave.

— Oh, levou um pé na bunda, Yoongi? Pois a música é bem triste — disse vendo seu aluno lhe lançar um sorriso um pouco triste — Faz assim, assume o piano, quero que toque Hug Me para todos nós. Eu sei que você sabe tocar essa música.

— Sei sim — disse sorrindo fraco e se levantou caminhando até o piano branco lindo que tinha na sala. 

— Professor, eu posso cantar? — questionou Taehyung.

— Eu adoraria Taehy, mas na última aula você já cantou, estou tentando revezar um pouco, entende? — questionou, vendo o Kim sorrir abertamente concordando com a cabeça — Jimin, porque não vem você?

— Eu? — perguntou sendo pego de surpresa.

— Ele? — questionou Yoongi ao mesmo tempo, já entrando em pânico sentindo suas mãos começarem a suar frio. 

— Isso mesmo, Park Jimin, se aproxime do piano — declarou o professor, vendo o rapaz de cabelos rosados suspirar pesado antes de obedecer.

Para que o nervosismo não o impedisse de cantar, Jimin resolveu fechar os olhos, começando a cantar conforme Yoongi ia tocando as teclas do piano maravilhosamente bem. Se tratava, sim, de uma música bastante triste, o que fez Park se questionar se Min estava sofrendo por amor, mas resolveu não pensar muito sobre, afinal estava com Bambam.

Enquanto Jimin cantava, Yoongi se arriscou em encarar o rapaz enquanto tocava, o que lhe trouxe alívio ao seu coração. O rosado parecia um anjo, sua voz era tão doce e gostosa de ouvir que o Min pensou em nunca mais parar de tocar piano, apenas para que ele não parasse de cantar.

Mesmo com as bochechas vermelhinhas de vergonha por estar de certa forma próximo ao Park, Yoongi esbanjou um sorriso doce de bobo apaixonado que seus amigos conheciam muito bem. Era o efeito que  Park Jimin causava no esverdeado, e ele nem conseguia evitar.

Yoongi achava tão bonito o sentimento que Jimin provocava nele; algo tão puro que despertava o melhor dele, ele era incapaz de tentar se livrar daquele sentimento, pois era feliz amando o rosado, mesmo que acreditasse não ser correspondido.

Quando a música infelizmente acabou, os aplausos tomaram o principal som do ambiente, fazendo Jimin sorrir envergonhado pelos elogios que recebia por sua voz, e Yoongi ainda meio desnorteado por tamanha beleza, tentava agradecer pelos comentários de como ele tocava piano muito bem.

— Eu amei essa dupla, vou chamar vocês mais vezes para se apresentarem juntos — disse o professor retomando seu lugar perante aos alunos. 

Jimin se sentou no puff azul ao lado de Taehyung, onde já era seu lugar, e percebeu o olhar que Kim e Jeon tinham sobre si.

— O que foi, gente? — questionou completamente confuso perante a situação. “Será que tem algo em meu dente?” Pensou.

— Ele ficou te olhando, Chimchim, a apresentação inteira — declarou Taehyung totalmente animado com o que havia acabado de ver.

— E não era um olhar qualquer não, era um olhar de bobo apaixonado igual os que eu faço quando olho para o Taehy Hyung — completou Jungkook eufórico com a situação.

— O Bambam? — questionou surpreso, mas sorriu fraco ao saber daquilo.

— Que Bambam? Ah, lembrei — disse Jungkook rindo fraco — Não Hyung, era o Yoongi Hyung que estava te olhando, o tempo inteiro.

— Ele quase não piscou Jiminie, parecia encantado por você. Foi muito bonito de ver — cochichou Taehyung, alegre pelo amigo que havia sido notado pelo crush.

— Ele olhou para mim? — questionou sorrindo radiante, juntando seus braços contra o peito e inclinando sobre os amigos, como ele sempre fazia quando estava muito feliz. 

— É, ele olhou — declarou Taehyung rindo fraco enquanto acariciava os fios rosados desbotado do amigo.

— Olha para ele, está todo bobo também — completou Jungkook rindo fraco ao observar que Park não conseguia tirar o sorriso do rosto. 

— Ele olhou para mim! Finalmente ele notou minha presença, pela primeira vez não me sinto invisível para ele — sussurrou animado, disfarçadamente olhando para o rapaz de cabelos verdes, que na hora virou o rosto todo envergonhado para o outro lado — Sabe aquele momento constrangedor quando você olha para uma pessoa e ela já estava olhando para você?

— Sei sim — disse Taehyung.

— Sim, sabemos — completou novamente Jungkook. Era uma mania sua completar as falas do Kim sempre que achava necessário. 

— Então… ele ainda estava olhando para mim — declarou sorrindo e encarando os amigos — Acho que fui notado! 

— Mas… e o Bambam, Hyung? — questionou Jungkook, vendo Jimin se dar conta da situação que seus pensamentos estavam se metendo.

— Droga! 


Notas Finais


E aiiii???? Gostaram? Espero que sim!

Até o próximo capítulo.

Beijos de luz ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...