História Come Back Home - Jikook - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Kim Seokjin (Jin), Park Jimin (Jimin)
Tags Bts, Come Back Home, Jeon Jungkook, Jikook, Kookmin, Park Jimin, Romance, Uma Shot Por Dia, Yaoi
Visualizações 148
Palavras 1.537
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, meus amores *--*
A shot de hoje é drama... mas gostei dela kkkk
Espero que também gostem ♥

Música tema: Come Back Home - 2NE1

Capítulo 1 - Capítulo Único


Olhar os retratos, ver ele estampado em praticamente todas as fotos, e não tê-lo mais ao meu lado é uma dor que eu jamais poderia mensurar. Olhar a galeria de fotos do meu celular ou o histórico de mensagens também se tornou doloroso o bastante, eu não queria precisar descrever isso.

Porque Jungkook foi embora e agora só isso me restou.

Ainda fico olhando para nossas fotos e imaginando o que fiz de errado. Mas será que eu fui mesmo o culpado por tudo? Ele simplesmente foi embora, e agora a única coisa sua que resta aqui, é o conjunto de sentimentos que ainda guardo dentro de mim.

Eu ainda amo ele, ainda quero que venha e me explique o que aconteceu, então poderemos reparar os erros e voltar a sermos como éramos antes.

Sempre disse para todos que não existia Park Jimin sem Jeon Jungkook, então cadê o Kookie agora?

– Você não pode ficar debaixo das cobertas para sempre. – A voz de Jin ecoou pelo quarto, mas apenas me encolhi mais sob as cobertas quentinhas e agarrei o travesseiro que meses atrás pertencia a ele. – Ele foi embora, ChimChim, você não pode ficar triste pelo resto da sua vida.

– Mais uns dias eu ainda posso. – Murmurei de forma contrariada, mesmo que soubesse que ele falava apenas para o meu próprio bem.

– Você me disse isso antes e desde então já se passaram seis meses. – Rebateu ele, sentando-se ao meu lado. – Você largou a faculdade, seu emprego, voltou a viver da herança de seus avós, que se me permite dizer não durará para sempre, parou de se alimentar direito. Você apenas respira, mas não parece mais viver. E isso me machuca, meu amor, porque eu amo você.

Eu sabia o tamanho daquela verdade, sabia que todos ficavam com pena de mim por conta de minha deplorável situação, mas eu também sabia – e isso apenas eu era capaz de saber – o tamanho da dor que se alastrava por meu corpo inteiro a cada dia que passava.

Somente eu era capaz de saber nomear ao menos dez sensações horríveis presentes no meu cotidiano desde que Jungkook foi embora de minha vida como se não tivéssemos nada no passada, como se não fôssemos noivos. Ele não se despediu, eu dormi em seus braços após mais uma de nossas inúmeras noites de amor, que aconteceu logo após ele me pedir em casamento, e quando acordei ele já não estava mais ao meu lado.

Não havia bilhete, não havia um mísero cartão, havia apenas o frio e o vazio.

Ele nunca mais voltou depois disso.

– Você sabe que eu não queria estar assim. – Tirei um pouco das cobertas de cima de mim, alcançando a mão quentinha de Jin e a deixando junto com a minha. – Você e o Tae são como irmãos para mim, e eu sei o quanto machuca vocês me ver desse jeito. Mas eu também sei que essa dor não passa, ela nem ao menos diminui. Ele me pediu em casamento, Jinnie, e depois sumiu.

– E você acha que aconteceu algo de grave porque namoraram por quase sete anos e ele não iria sumir tão de repente. – Assenti, embora soubesse que ele achava esse meu pensamento uma verdadeira loucura. – Sei disso, bebê, mas e se ele realmente foi para não voltar?

– Não conseguirei acreditar nisso nunca. – Prontamente neguei com a cabeça também, sentando-me abruptamente na cama. – Aconteceu alguma coisa, Jin. Ele deixou tudo para trás! Deixou suas roupas, celular, até mesmo os documentos. Isso... alguma coisa muito errada aconteceu.

Eu sabia que não deveria me prender em falsas suposições, que não deveria pensar com o meu coração, mas eu não conseguia, sentia que nem mesmo podia. Eu o amava como nunca amei ninguém em minha vida, Jungkook sempre foi meu porto seguro, meu calmante natural, minha maior proteção, meu grande amor.

Como eu poderia ser capaz de até mesmo cogitar a ideia de deixar isso de lado para seguir em frente?

Não queria mais me amarrar naquelas ideias, mas eu não conseguia deixá-las para trás.

Não conseguia deixar ele para trás.

Os dias continuaram a passar – se arrastar – e a única coisa que consegui voltar a fazer foi trabalhar. Estudar eu não tinha mais ânimo. Eu estudava fotografia junto com Jungkook, mas não me sentia motivado a continuar sem o meu modelo principal e favorito ao meu lado. A dor era sufocante apenas por lembrar de cada foto que tiramos um do outro ou juntos.

E ao passar de cada frustrante e doloroso dia, eu me via indo deitar sozinho. Já era verão, mas eu permanecia sentindo frio. Aquela cama era grande demais para uma pessoa só, e eu odiava ter que dividi-la apenas com minhas lembranças e os pensamentos.

Eu me sentia atordoado, com milhares de pensamentos me invadindo, com as lembranças surgindo em minha frente como se eu estivesse assistindo um filme na televisão. Era uma grande tortura, algo que parecia ter como finalidade apenas me agredir, me machucar, perfurar meu coração já destruído.

Eu sentia saudade de cada detalhe dele, cada momento que passamos juntos, lembrando-me de tudo a cada poucos segundos como se fosse apenas um sonho, do qual eu acordaria e ainda o teria em meu lado.

Éramos muito mais que um casal, éramos amigos, companheiros, parceiros e a família um do outro desde que viemos para Seul, deixando nossos pais em Busan e os visitando sempre que tínhamos uma brecha em nosso tempo – principalmente nas férias.

Lembrava-me perfeitamente de seus traços que pareciam ter sido desenhados à mão, assim como me recordava de cada momentinho nosso. O primeiro beijo, que ocorreu sob uma árvore, e foi apenas um selinho. Eu tinha treze anos e ele onze, Seokjin fez uma aposta com nós e como perdemos precisamos nos dar aquele selinho. Éramos puros e inocentes demais, achávamos estranho aquele tipo de contato, mas foi só encostarmos a boca uma na outra que tudo pareceu parar.

E trocar selinhos se tornou o nosso vício.

Quando fiz quinze anos e Jungkook tinha treze ele perguntou se eu não gostaria de mudar um pouco aqueles selinhos que dávamos, e como eu não via problema nenhum – mesmo sendo amigo de alguém safado como Kim Taehyung – eu aceitei sem nem pensar.

Só não esperava que sua língua invadisse minha boca e que, ainda pior que isso, eu adorasse a sensação.

E assim, trocar beijos se tornou o nosso segundo vício.

Os abraços eram tão frequentes quantos os beijos, passamos a andar de mãos dadas e um chamava o outro de apelidos carinhosos. Nossos pais – tanto os meus quanto os dele – diziam que éramos um belo casal, mas sempre dizíamos que éramos apenas melhores amigos.

Fingir que não éramos um casal se tornou nosso terceiro vício. Um vício que nos envergonhava, e muito.

Quando Jungkook completou quinze anos eu já estava nos dezessete e foi então que finalmente resolvemos começar a namorar. Ele me pediu em namoro no meio do refeitório da escola e eu jamais teria coragem de negar algo que desejava tanto. Assim, nos tornamos o tão queridinho casal, que todos elogiavam e muitos até mesmo invejavam.

Éramos felizes, somente isso importava.

Com o passar dos meses desde que começamos a namorar nossos malditos hormônios começaram a nos deixar frustrados. Os beijos, mesmo que cada vez mais intensos, já não eram o bastante, eles já não nos satisfaziam da forma necessário, e precisávamos de algo a mais.

Assim se iniciaram as mãos bobas. De começo apenas carícias pelo corpo todo, então apertos, toques por baixo das roupas, até começarmos a nos tocar mais intimamente.

Nem preciso dizer qual foi o nosso quarto vício, certo?

Porque parecíamos um casal de coelhos, mesmo que ainda fôssemos virgens.

Quando o meu querido namorado completou dezesseis anos nós viajamos para um chalé no campo que pertencia aos meus pais. Fomos na cachoeira, nos beijamos, nos tocamos, mas não era o suficiente. Naquela noite nós queríamos mais.

E assim tivemos nossa primeira vez, sobre um tapete felpudo e fofo que ficava na sala, trocando não apenas beijos e toques, mas palavras que demonstravam nossos sentimentos. Jungkook sabia o quão inseguro eu era com meu corpo e apenas me amou, me ensinando que era dessa maneira que eu também deveria me amar.

Naquela noite ele disse o quanto verdadeiramente me amava, e eu o retribuí.

E assim, nós nos tornamos por fim o vício um do outro.

E nosso namoro durou quase sete anos.

Agora só me restam as lembranças disso tudo e o desejo de que ele volte para casa.

 

Já estava deitado em minha cama, pronto para pensar mais e chorar até dormir, quando o som da campainha junto com leves batidas na porta me fizeram levantar. Eu não estava com ânimo algum, vestia apenas uma camisa de Jungkook – que ficava comprida em mim – e um short de dormir, mesmo que eu provavelmente fosse acordar sem ele devido ao quanto me reviro dormindo.

Andei até a porta sem pressa, as batidas se tornaram ainda mais fracas e espaçadas, dando a entender que a pessoa do outro lado não possuía forças para bater.

Abri a porta grande de madeira, olhando a figura parada do outro lado, arregalando os olhos por encontrá-lo ali.

– Jungkook?


Notas Finais


Talvez eu seja má por terminar assim ueheuheueh

Se vocês querem bônus dessa shot, não deixem de favoritar e comentar, porque depois que eu postar as 31 shots no dia 31/08, as dez com mais comentários/favoritos irão ganhar um bônus (essa é uma maneira de eu ver se vocês gostaram ou não).

Perfil no wattpad: https://www.wattpad.com/user/Fabi_Park
Grupo no whatsapp: https://chat.whatsapp.com/BscsqwKTsWb7h3s6hw4wCU
Beijinhos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...