História Come Back to Life - SwanQueen (G!p) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada), Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Emma Swan, Jennifer Morrison, Lana Parrilla, Lesbian, Lesbicas, Morrilla, Regina Mills, Swanqueen
Visualizações 906
Palavras 2.755
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Mutilação, Nudez, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction Come Back to Life - SwanQueen (G!p) - Capítulo 1 - Capítulo 1

[Emma]

Primeiro dia de aula do meu último ano da escola, Ruby e eu fantasiamos tanto sobre esse dia, na verdade não sobre o primeiro dia em si, mas sim sobre o último ano, pois queremos curtir ao máximo para podermos nos despedir dessa cidade e descobrir novos mundos por aí a fora. Algumas pessoas até diriam que esse é o pensamento de uma garota que odeia essa cidade, mas isso não é verdade, até porque eu simplesmente adoro esse lugar... Só que eu preciso de conhecer pessoas novas o que é difícil quando se mora em Storybrooke já que nada interessante acontece por aqui.

Bom, até tiveram alguns acontecimentos anos atrás, mas como a minha família foi responsável... eu não conto como novidades. O primeiro grande escândalo foi quando eu nasci, eu sou intersex e por eu ser ... diferente, as pessoas ficaram muito espantadas o que fez com que a minha mãe fosse embora sem ao menos se despedir do meu pai, ela não aguentou a pressão e os olhares julgadores das pessoas conservadoras de Storybrooke.

O abandono da minha mãe fez com que meu pai virasse alvo novamente, sabem como é, primeiro veio uma filha “com defeito” e depois de a mulher que todo mundo sabe que ele namora desde o tempo da escola o abandonou, me contaram que isso o deixou completamente arrasado, tão arrasado que ele quase surtou, mas Killian que na época era o mais novo viúvo da cidade, também era pai solteiro e sabendo o como era difícil cuidar de uma criança sozinho, se compadeceu da situação do meu pai e passou a ajuda-lo, ninguém sabe muito bem como aconteceu, só o que me contaram foi que 2 anos depois... Lá estavam eles se casando o que foi outro escanda-lo pra cidade, mas valeu a pena já que isso fez com que eu ganhasse mais um pai e uma irmã da minha idade que hoje é a minha melhor amiga.

Com o passar do tempo meus pais foram reconquistando o respeito dos moradores de Storybrooke e hoje posso até dizer que muitos dos nossos vizinhos nos consideram um tipo exemplo familiar, mesmo quando minha irmã Ruby se assumiu lésbica a maioria dos vizinhos a trataram normalmente, na verdade alguns dos vizinhos até a defenderam quando certas pessoas falaram besteira pra ela na rua, mas tirando alguns pequenos contratempos eu amo a minha vida,  principalmente a minha família, pois mesmo eu sendo assim... diferente, eles sempre estiveram ao meu lado e nunca me deixaram ter vergonha do quem eu sou.

Fiquei olhando pro teto por uns minutos sem querer levantar, como não consegui dormir direito a noite por causa da ansiedade, queria poder ficar deitada por mais tempo, só que eu comecei a sentir um incomodo em meu membro e sabia que teria que me levantar para me aliviar, então mesmo a contragosto eu me levantei lentamente da cama e fui preguiçosamente para o banheiro, depois de me aliviar, fiz a minha higiene pessoal, tomei um banho gostoso e fui terminar de me arrumar, coloquei a minha cueca de compressiva, vesti o meu impecável uniforme das cheerios, penteei o meu cabelo em um firme rabo-de-cavalo, terminei de arrumar a minha mochila e fui para a cozinha tomar o meu café.

Assim que cheguei na cozinha, vi meu pai Killian estava tirando um cheiroso bolo de chocolate do forno, ele olhou pra mim, me deu um largo sorriso e disse.

- Bom dia meu amor – disse ele sorridente ao colocar o bolo em cima da mesa, ele me deu um abraço, um beijo no topo da minha cabeça e perguntou – Está ansiosa para o primeiro dia de aula?

- Bastante... – digo empolgada, então me sentei na bancada e disse – Eu sei que Ruby e eu aproveitamos muito as férias..., mas estou ansiosa pra esse ano terminar logo... 

- Vocês estão loucas pra me deixar – dramatizou ele colocando a cauda no bolo.

Estava prestes a dizer alguma coisa, quando Ruby entrou na cozinha dizendo.

- Pai... Não queremos ficar longe de você... – disse Ruby ao abraça-lo, ele fez um biquinho manhoso e minha irmã continuou – Não tem nada que prenda você e o papai aqui... Então... porque não vai com a gente?

- Vocês não vão querer a gente vá atrás de vocês – disse ele ainda mais dramático.

Ri de todo o seu drama, mas logo me juntei ao abraço dos dois e disse.

- Seriamos idiotas se não quiséssemos – digo sinceramente ao aperta-lo em meus braços, ele me envolveu em seu abraço e eu continuei – Ruby e eu já conversamos sobre isso com vocês... Podemos recomeçar em outro lugar...

Meu pai sorriu e começou a encher Ruby e eu de beijos o que nos arrancou algumas gargalhadas, só que paramos ao ouvir um barulho na porta, logo papai David estava entrando na cozinha com um semblante preocupado o que fez com que nos afastássemos de Killian para saber o que havia acontecido, ele olhou pra nós seriamente, se sentou na cadeira mais próxima e disse.

- Meninas... sentem-se – disse ele sério apontando para as cadeiras, Ruby e eu obedecemos no mesmo instante nos sentando de frente uma pra outra, mesmo ele não tendo falado nada com Killian, meu pai também se sentou, então papai pigarreou e disse – Eu ... estive com a Cora agora pouco...

Cora... só de ouvir esse nome meu estomago se revirou inteiro, Ruby revirou os olhos irritada, mas meu pai fingiu não prestar a atenção ao continuar.

- Ela me disse que Henry, o pai de Zelena ontem – disse ele tristemente, só que Ruby e eu continuamos encarando ele com a mesma cara de paisagem, é claro que que eu me sentia mal por Zelena ter perdido o pai dela, até porque eu não saberia o que fazer se perdesse os meus, só que Zelena é o demônio disfarçada de gente e ano passado ela aprontou muitas coisas que não dá simplesmente para esquecer só porque ela está de luto, meu pai vendo que nem eu, nem Ruby esboçamos reação alguma, ele soltou um suspiro pesado e disse - Meninas... eu sei que Zelena fez coisas terríveis no ano passado... mas ela está sofrendo...

- Papai... Zelena é incapaz de sofrer... aquela vadia não tem coração – disse Ruby irritada ao se levantar para pegar o suco na geladeira, então ela se sentou novamente já me servindo um copo e disse – eu não vou bancar a amiga dela... – então minha irmã olhou pra mim e disse seriamente – e nem você...

- Ruby que isso... ela é sua amiga desde que eram pequenas – rebateu Killian.

- Não... Ela era a minha amiga até 2 anos atrás – falou Ruby com firmeza, então ela olhou pra David, depois pra Killian e disse com raiva – ou vocês já se esqueceram que ela quase fez com que Emma fosse presa, ou quando ela furou os 4 pneus do meu carro, ou quando ela quase me matou?

Meus pais olharam de cara feia pra Ruby, mas eles sabiam que ela tinha razão, de uns anos pra cá Zelena está impossível, ela começou a fazer bullying na escola, mas como Ruby e eu começamos a defender as pessoas que ela atacava, Zelena simplesmente passou a direcionar a maldade dela sobre nós, ela me chamou para ir ao shopping só pra colocar algumas maquiagens caras na minha mochila o que me deixou em sérios apuros, eles chegaram a me levar para a delegacia só que pra minha sorte meu pai David é policial e meu pai Killian é advogado, então depois que tivemos uma longa conversa, eles sabiam que eu não havia feito aquilo, então Killian como meu advogado pediu as gravações da loja onde mostrava claramente Zelena colocando as coisas na minha mochila.

Naquele dia meu pai ficou com tanta raiva que eu achei que ele iria bater em Zelena, mas Cora apareceu com um advogado que conseguiu com que Zel apenas levasse um puxão de orelha, só que ela decidiu nos retaliar por meu pai ter descoberto que foi ela, então desde aquele dia, ela vem me provocando ainda a cada dia mais, no entanto Cora simplesmente apoia tudo de ruim que Zelena faz e  por isso Ruby e eu odiamos as duas.

Só que ultimamente a ruiva está passando dos limites, ela furou os pneus do carro que eu uso com Ruby, ela colocou castanha no milk-shake da minha irmã sabendo que ela é alérgica o que deixou Ruby em coma por 1 mês, ela jogou pó de mico na gente o que nos deu uma tremenda coceira e várias outras coisas terríveis, mas tenho certeza que ela se arrependeu de ter espalhado o boato que de que eu tenho um pau pequeno, já que por causa disso, varias garotas vieram me procurar para “Conferir” se era verdade, o que deixou Zel puta, só que eu não dei confiança pra ninguém, espero encontrar a menina certa pra dar o meu primeiro beijo, eu sei que irônico pensar assim quando Ruby já praticamente passou o rodo na escola inteira, mas gosto de pensar que vou encontrar alguém especial e não vou ficar só por ficar.

Sabendo que nada do que ele dissesse sobre Zelena nos convenceria a ser “amiga” dela novamente, papai abaixou a cabeça por um minuto, enlaçou as mãos sobre a nuca e ficou em total silencio, nós sabíamos que quando ele ficava desse jeito é porque a situação era muito mais séria do que ele estava nos contando, mas antes que eu pudesse pergunta o que havia de errado, meu pai perguntou.

- O que foi querido? – perguntou Killian ao se sentar ao lado de David, ele o abraçou de lado e perguntou – David... O que é que você não está nos contando?

Papai ficou em silencio por uns minutos, mas dava pra ver o quanto ele estava tenso, quase como se ele tivesse travando uma batalha interna para saber se contava ou não, então ele respirou fundo, tirou as mãos da cabeça e disse.

- Vocês têm toda razão... Eu não estou nem um pouco preocupado com Zelena – confessou ele, nos o encaramos confusos e ele continuou em um tom baixo – Cora... tem outra filha... A gêmea de Zelena...

Aquilo realmente foi um choque para todos nós, conheço Zelena desde o dia em que Cora e ela se mudaram para cá quando Zel tinha apenas 5 anos, em todo esse tempo ela nunca mencionou que tinha uma irmã, ainda mais gêmea. Comecei a ficar com medo do que poderia acontecer agora já que se só com uma Zelena já estávamos apavoradas sem saber em como sobreviveríamos esse último ano, agora duas?

- Ah que maravilha... – disse Ruby debochadamente ao revirar os olhos, meu pai a encarou e como se ela estivesse lendo a minha mente, ela disse preocupada – duas Zelenas... Acho que vou morrer antes desse ano terminar.

- Não... é isso que vocês não entendem – disse papai ao pegar na mão de Ruby com uma mão e na minha com a outra, ele soltou um suspiro pesado e continuou – eu sei que Zelena é o demônio... e eu mais do que ninguém quero vocês afastadas dela, mas ... eu preciso de ajuda com Regina... ela morava com o canalha do pai dela... mas agora ela vai morar aqui com Cora e Zelena – disse ele com tanta raiva que cheguei a estremecer, olhamos pra ele meio apreensivas, então olhei de relance para meu pai Killian que também parecia não estar gostando muito do rumo daquela conversa, mas David continuou – Olha eu sei que a ultima coisa que vocês querem é ficar perto das Mills só que... Regina já sofreu muito... Eu nunca tive como provar o que ela passou, mas se todas as minhas suspeitas forem reais... ela vai ter sérios problemas pra se encaixar...

- Que suspeitas você tem? – perguntei curiosa.

- Em... Você sabe que eu não falo de trabalho – diz ele calmamente, mas dava pra sentir o quanto ele estava tenso, isso pra não dizer o quanto parecia realmente preocupado, Ruby me encarou por uns segundos, mas papai continuou – Por favor meninas... eu estou implorando...

Ver meu pai desse jeito por essa garota me fez pensar seriamente, ele odeia Cora e Zelena tanto quanto nós e pra ele está praticamente implorando desse jeito, provavelmente essa garota está com muitos problemas, então meio acanhada eu perguntei.

- Pai... Essa Regina está correndo algum perigo? – perguntei de uma vez.

- Sim... Muitos... – respondeu ele abertamente, ele soltou as nossas mãos, coçou a cabeça nervosamente e disse – Zelena a odeia, Cora não se importa... E tem algumas outras questões que eu não posso falar... – Killian estava com a cara fechada e eu sabia que isso não seria uma boa coisa pro papai, mas ele continuou assim mesmo – tudo o que eu quero é que ela se sinta bem vinda aqui... depois de tudo o que ela sofreu... quero que ela tenha apoio...

Honestamente eu odiava o fato de ficar perto das Mills, mas eu sei que papai jamais nos pediria uma coisa dessa se não fosse realmente importante, é como se ele estivesse sentindo a dor dessa menina, o que torna tudo ainda mais assustador já que ele nunca se espanta com nada do seu trabalho, então respirei fundo e disse.

- Tudo bem... Eu topo – cedi.

- O que?... Você não pode – disse Ruby no mesmo instante, olhei pra ela com a minha cara mais fofa e ela disse realmente assustada, mas quase cedendo – Zelena vai retaliar... E geralmente uma de nós paramos no hospital quando isso acontece...

- Buby... – a chamei pelo apelido carinhoso que eu dei a ela quando éramos pequenas, mas continuei seria – se essa menina é tão frágil que fez papai implorar... Zelena vai acabar com ela.. E nos não deixamos bullying acontecer na escola... Nós lutamos contra isso...

- Eu sei ... mas é que...

- Ruby... eu odeio pressionar vocês desse jeito – disse papai com os olhos marejados ao segurar a mão dela novamente, então ele respirou fundo e continuou – mas Emma está certa... Zelena quer acabar com Regina... E não podemos deixar... temos que impedi-la...

Ruby recolheu suas mãos rapidamente, mas dava para ver que ela parecia tocada com o que meu pai disse, mesmo assim ela revirou os olhos e disse.

- Vai dizer que eu posso bater em Zelena se for necessário? – perguntou ela debochadamente.

- Sim – disse papai seriamente.

De todas as respostas possíveis no mundo, nunca achei que essa seria uma delas, já que mesmo sendo policial ele nunca aceitou que resolvêssemos as coisas na violência, principalmente Ruby que de nos duas é a mais esquentada. Minha irmã ficou paralisada por uns minutos, mas ela logo levantou da cadeira e disse.

- O que? É sério? – perguntou ela incrédula, meu pai assentiu e ela continuou irritada – eu passei 1 mês em coma porque ela tentou me matar e quando eu me recuperei dei uma surra nela... você me deixou de castigo por não admitir violência, mas agora está me liberando pra bater nela por causa de uma menina que nós nem conhecemos?

Antes que papai pudesse dizer alguma coisa, pai Killian se levantou da cadeira de forma meio agressiva e disse.

- Vocês duas... Vão pra escola agora – disse ele seriamente, nós abrimos boca pra falar, mas ele simplesmente me puxou da cadeira, pegou a carteira, tirou uma 200 dólares onde ele entregou pra mim  e continuou ainda mais sério – Eu preciso conversar com o seu pai... então comam na cafeteria... - Ruby e eu continuamos paradas no lugar encarando-os, mas ele ordenou – vão... agora.

Sem querer aborrece-lo ainda mais, nós pegamos nossos materiais, Ruby pegou as chaves e antes de chegamos ao carro, nos ouvimos os gritos de Killian “COM O QUE VOCÊ ESTÁ NA CABEÇA?.... ZELENA SE TORNOU UM PERIGO PRA ESSA FAMÍLIA... E AGORA VOCÊ QUER ABRIGAR UMA MILLS QUE É ODIADA POR AQUELA RUIVA INFERNAL?.... EU NÃO QUERO VER AS MINHAS FILHAS NO HOSPITAL NOVAMENTE POR CAUSA DAQUELE PROJETO DE PIRANHA”, Ruby acelerou o carro para não ouvirmos a briga, ela sabe o quanto eu odeio isso, mas ficamos em silencio durante todo o caminho até a cafeteria, por mais que Ruby tivesse ficado irritada com o papai, tenho certeza de que ela também estava pensando em toda essa situação confusa de papai querer a todo custo proteger essa menina desconhecida e isso fez com que uma pergunta ficasse martelando em minha cabeça. O que essa tal de Regina tem de tão especial?


Notas Finais


Oi oi gente...

Espero que gostem dessa historia que estou começando a escrever com tanto carinho pra Vocês... Por favor perdoem os erros... E Se vocês puderem dar uma força... curta, comentem e compartilhe <3 .... Até pra próxima.... Kiss!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...