História Comeback - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Minjoon, Nammin, Sope, Yoonland, Yoonseok
Visualizações 44
Palavras 2.106
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oi, demorei mas finalmente to aqui atualizando <3

Boa Leitura!

Capítulo 2 - II.


— Você poderia simplesmente disfarçar, não acha? — Jackson perguntou, vendo que Namjoon não tirava os olhos da janela.

Fazia um pouquinho de tempo que Namjoon encarava o Jimin. Ele estava sentado na janela, lendo algum livro bem concentrado.

— Já disfarcei por muito tempo.

Wang se levantou, e foi até onde Namjoon estava e viu para onde ele estava olhando. Apenas balançou a cabeça negativamente, voltando a se jogar na cama do amigo, acendendo seu segundo cigarro da noite.

— Por que não tenta voltar a falar com ele? — perguntou, dando uma tragada e sentindo o famoso gosto da nicotina.

— Eu já tentei. — tomou o cigarro dos dedos do amigo e colocando em sua boca. — Mas quem disse que ele quer falar comigo de novo?

— Então esquece logo ele, Namjoon! Se ele não quer mais, não fica correndo atrás dele. E não rouba meu cigarro assim.

O Kim apenas revirou os olhos, mudando logo de assunto, parando de encarar a janela. Do outro lado, Jimin parou um pouco sua leitura e encarou a casa da frente. Dava para ver Namjoon rindo com um cigarro preso em seus dedos, e Jackson ao seu lado. Suspirou triste, pois em momentos como aquele, sempre lembrava da época que eram melhores amigos.

“— Ya, Namjoon! Assim sua mãe vai perceber que você bebeu se chegar na sua casa assim.

Um dos braços de Namjoon estavam por volta dos ombros do Park, pois o mesmo não conseguia se manter em pé direito sem ficar andando em zigzag. Haviam acabado de sair de uma festa na qual os dois foram convidados, ambos beberam, mas o único que abusou da dose fora Namjoon. Ele nunca se controlava.

Jimin, ela não vai saber falou com uma voz embriagada Ela nem vai sentir o cheiro da bebida!

Park riu alto, com certeza os dois acabariam levando uma bronca feia por causa disso. A mãe de Namjoon odiava que ele bebesse, mesmo que ela soubesse que era quase inevitável que isso acontecesse.

Não, claro que não. Você respira e já dá para saber que ‘ta bêbado, Joon.

Namjoon fez um bico emburrado nos lábios, porém, em um movimento rápido, ele acaba caindo para o lado, levando Jimin junto. Ambos caíram na gargalhada por terem acabado de cair no jardim de alguma casa totalmente desconhecida, mas cessaram os risos quando viram uma luz da janela ascendendo.

Quem está aí? Eu vou chamar a polícia! uma voz de dentro da casa, mais parecia um senhor de idade avançada, se fez presente no local.

Na hora, os dois amigos se entreolharam e saíram correndo. Namjoon ficou sóbrio na mesma hora.”

Jimin balançou a cabeça negativamente, como se quisesse esquecer daquelas memorias, e então fechou seu livro e foi para a cama, ir dormir. O dia seria cheio amanhã.

[...]

Na escola tinha sido tranquilo, até que passou rápido, Jimin nunca reclamava. Agora estava a caminho de seu trabalho, cantarolava baixinho uma musica que estava escutando em seus fones, era uma musica que o deixava animado, pois ele quase nunca passava estresse no trabalho. Era um bom funcionário, sempre chegava nos horários certos, quase nunca cometia erros, e os outros funcionários o tratavam bem.

Entrou pela porta dos fundos, cumprimentando os cozinheiros, e depois que se trocou, foi para o caixa. Estava apenas o pessoal da limpeza ali, pois o fast food ainda não havia aberto. Aproveitou o tempinho de sobra para ficar no celular, e também para conversar com seus colegas.

Depois de uns minutos, abriam local, e logo as pessoas começaram a aparecer. Quase todos dias, o local era bem movimentado, pois era bastante conhecido. Ou seja, Jimin quase nunca conseguia um descanso, mas é bem melhor ver aquele lugar cheio do que completamente vazio. As horas foram se passando, faltava apenas uma hora para o expediente do Park acabar, até que ele escutou seu nome ser chamado por uma voz bastante conhecida, mas não queria de jeito nenhum a presença dele aqui.

— Jimin? Você trabalha aqui? — Namjoon perguntou surpreso, então Jimin apenas forçou um sorriso, ignorando sua pergunta.

— Boa noite, o que vai pedir?

— Pare de formalidades comigo, e eu quero conversar com você — falou casualmente.

— Desculpe, mas não temos essa opção aqui. — o mais baixo deu uma olhada no computador.

— Jimin, eu ‘tô falando sério, eu preciso realmente conversar com você, é importante.

— Você vai pedir algo ou não? — a pergunta saiu mais como um rosnado, mas Jimin ainda forçava um sorriso nos lábios, aparentando calmaria.

— Eu só vou pedir algo se você aceitar a proposta.

Jimin suspirou, desmanchando o sorriso – e também, porque suas bochechas estavam doendo. Sabia que Namjoon era persistente, e que se ele não aceitasse, ficariam nessa até amanhã, podendo levar uma bronca bem grande de seu gerente.

— ‘Ta, olha... meu expediente acaba daqui a 40 minutos, me espere na porta dos fundos. — agora foi a vez do Namjoon abrir um sorriso, só que não fora forçado.

— Vou querer um hambúrguer e um copo de 600ml de refrigerante, coca.

Jimin anotou seu pedido no computador, dando sua nota fiscal, avisando que daqui a pouco ficaria pronto. O mais novo sabia que tinha sido um erro ter concordado em conversar com Namjoon, pois já era tão previsível do que se tratava.

Todas as tentativas do Kim eram sempre a mesma coisa, sempre pedindo desculpas, numa tentativa de voltar a amizade, mas Jimin sabia que era tudo da boca para a fora. Até mesmo antes de terminar com a amizade, Namjoon dizia que tinha se arrependido sobre alguns atos, mas no outro dia fazia a mesma coisa. Era sempre da boca para fora.

O horário de seu trabalho finalmente terminou, e Namjoon não estava mais sentado em uma das mesas, então provavelmente já estava lá fora lhe esperando. Park trocou de roupa, se despedindo dos outros, e assim que abriu as portas do fundo, encontrou Namjoon parado lá, encostado na parede e fazendo alguma coisa em seu celular.

— Finalmente chegou! — Namjoon guardou o celular, indo de encontro com Jimin.

— Bom, se quiser falar algo, fale logo. — o cortou secamente.

— A gente não poderia ir conversando enquanto vai para casa? Ficar nesse local não é uma boa ideia, ‘tá tarde.

Jimin não protestou, pois também achava melhor que eles fossem conversando, ao invés de ficarem lá parados correndo o risco de algo acontecer com eles. A rua estava pouco movimentada, tanto por pessoas, como por carros. Kim se perguntava se era exatamente esse horário que Jimin saía todos os dias que vinha trabalhar, e até ficou um pouco preocupado, pois ficava um pouco longe de sua casa.

— Como você tem passado? — o maior perguntou em expectativa de iniciar uma conversa, mas viu que estava errado ao ver Jimin suspirando – mais uma vez.

— Era isso que você queria conversar?

— Não... — fez uma pausa, pensando no que ia falar. — Olha, Jimin, eu realmente queria entender o motivo dessa bobagem toda, tipo, você nem me deixa falar direito! Desde quando virou tão rancoroso?

— Então o motivo da gente ter parado de se falar é bobagem agora?

Namjoon quis se socar por ter falado algo tão idiota. Sabia muito bem que o que tinha feito não era bobagem.

— Não foi isso que eu quis dizer. Jimin, eu realmente quero mostrar que mudei, mas você nunca acredita! Parece que é impossível ‘pra você acreditar que as mesmas atitudes cometidas no passado não vão se repetir.

Park parou abruptamente, fazendo o corpo do Kim se chocar com o do menor. Jimin se virou, seu rosto era inexpressivo, o que causou um pouco de medo em Namjoon.

— Eu tentei acreditar, mas nunca dava certo. Eu acreditava que você tinha mudado, mas você ia lá e fazia a mesma coisa.

— Jimin, esquece isso, eu m- — foi interrompido.

— Não! — elevou o tom. — Para de repetir isso, você não mudou, e nunca vai mudar, Namjoon! — a sorte dos dois era que não havia ninguém na rua. — Você acha que foi fácil aguentar aquelas suas crises de raiva sempre que eu reclamava quando você usava suas drogas? Você acha que eu não senti medo no dia que você quase me bateu? Você realmente acha que eu fiquei feliz vendo você saindo todos os dias com Jackson, mesmo eu falando que ele não te fazia bem?

— Não mete o Jackson nessa história, você sabe muito bem que ele não tem nada haver com isso!

— Nada?! Namjoon, pelo amor de Deus! Aquele cara simplesmente te fez experimentar tudo o que você antigamente abominava, e ainda por cima você vai defender ele? É sério isso? — a sua raiva era tanta, que ele apenas se virou e começou a andar sem esperar resposta nenhuma, mas Namjoon fora mais rápido

— Agora você vai ter que me escutar! Eu parei de usar todas aquelas porcarias por sua culpa. Depois que eu vi que você não iria mais voltar a falar comigo por conta das minhas burradas, eu parei. Jimin, eu não aguento mais isso, eu não aguento mais aquele clima na escola. Por que não podemos ser melhores amigos como éramos antes?

Park soltou seu braço do aperto, encarando o mais alto, sem dizer nada.

— É tarde demais para voltar atrás da nossa amizade, Namjoon.

Agora, Jimin realmente havia saído. Namjoon não tivera coragem para segui-lo, não teve coragem para ir atrás dele novamente e insistir um pouco mais. O mais novo foi para casa pensativo. Realmente queria acreditar que o Kim havia parado de usar aquelas coisas que lhe causavam tanta raiva e medo, mas era tão difícil. Ontem mesmo ele vira Namjoon fumando um cigarro, mesmo que seja tabaco, ainda é uma droga.

[...]

No outro dia, o mais alto procurava Jimin pelos corredores quando deu o final da aula, achava que aquela conversa entre os dois não tinha acabado ainda. Procurou por todos os cantos, na biblioteca, no refeitório, em sua sala de aula, até mesmo no terraço. Não estava em nenhum desses lugares.

Depois de procurar por todos esses lugares, Namjoon acabou por desistir, achando que ele já tinha ido embora. Mas, ao ver Jeongguk e Hoseok conversando na entrada, foi então que pensou que devesse perguntar antes de desistir.

— Vocês viram o Jimin?

Os dois olharam para o Kim, e depois se entreolharam, como se perguntassem se deveriam responder a sua pergunta ou não.

— Ele tá no jardim, na parte mais afastada. — Hoseok respondeu, e então o mais alto abriu um sorriso.

Logo depois, Namjoon caminhou apressado até onde o Jung tinha dito. E ele não mentiu, pois Jimin estava sentado perto do muro, concentrado em ler seu livro. O sol batia em sua pele, o vento balançava seus cabelos lisos alaranjados, fazendo parecer que era uma miragem. O Kim se aproximou devagar, se sentando ao seu lado sem fazer muito barulho.

— Ainda não sei como você prefere ler o livro do que ver o filme, é bem mais rápido. — comentou, fazendo Jimin sobressaltar.

— O que você tá fazendo aqui? — perguntou, marcando a pagina e fechando seu livro.

— Fazendo companhia para você.

Jimin apenas revirou os olhos, pegando suas coisas e saindo as pressas do local, ignorando totalmente a presença do outro ali. Namjoon se levantou rápido, correndo para alcançar Park e tentando manter o mesmo ritmo de suas pernas que se movimentavam rapidamente.

— Jimin, calma, eu sei que sou alto, mas não consigo andar rápido, sou sedentário demais para isso.  — segurou o braço do mais novo, fazendo ele parar bruscamente, enquanto buscava por um pouco de ar.

— Qual foi, Namjoon? Nossa conversa ontem não foi o suficiente para você? — perguntou, claramente sem paciência alguma.

— Eu quero que você me dê uma chance — respondeu depois de um tempinho calado — Quero mostrar ‘pra você o quanto eu mudei, mas se aquilo acontecer de novo, eu prometo que sumo da sua vida e você nunca mais vai precisar ver meu rosto outra vez.

A proposta era tentadora, mesmo que internamente Jimin estava se batendo para não aceitar. Seria injusto não aceitar, estava sendo rígido demais com o mais velho, e talvez, devesse dar uma chance a ele tentar fisgar sua confiança outra vez.

— Está bem, Namjoon.

Foi somente o Park falar isso, que o mais alto abriu um sorriso enorme, o abraçando de uma forma que lhe tirasse do chão – mesmo que não fosse tanto.

— Obrigado por me dar mais uma chance, você não tem noção do quanto eu quis sua amizade de volta.

Jimin ficou meio tocado com essas palavras, pois até mesmo ele queria a amizade tão boa que ambos tinham, de volta. Se separou do abraço logo, alegando que precisava ir urgente para a casa, pois estava na hora de ir para o trabalho, e então, saiu correndo dali.


Notas Finais


espero que tenham gostado, essa fic me da um pouco de trabalho pra pensar nos capitulos, mas gosto dela <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...