1. Spirit Fanfics >
  2. Como administrar uma história e ela não entupir o vaso >
  3. Capítulo

História Como administrar uma história e ela não entupir o vaso - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Capítulo


Fanfic / Fanfiction Como administrar uma história e ela não entupir o vaso - Capítulo 1 - Capítulo

Bom dia, meus filhos, claramente vocês estão lendo isso por que seu português , sua fanfic, sua lógica de fanfic (etc) é mais merda que a própria merda, e eu estou aqui para acabar com o com migo, as decorações que fazem ambas fanfics parecerem sarcásticas e nem venha com "eles não reparam", aposto que tem um monte de professor de português vendo essas criações do capeta e infartando.

Bom, isso é aparentemente um misto de correções de erros nos textos, sipnoses, etc.

Então vamos logo começar com os maiores erros da Internet, e principalmente do spirit.

Ja vamos começar com os erros de português.

-"Porque, Por que, Porquê e por quê"-

-"Por que" separado"-

“O ‘por que’ separado sempre pode embutir a palavra ‘razão’ ou a palavra ‘motivo’”.

Isso vale para perguntas diretas - “Por que você não foi?" vira "Por que razão você não foi?" e "Por que você não pagou a conta?" vira "Por que motivo você não pagou a conta?".

E também para frases terminadas com ponto final - “Você sabe por que eu ajo assim” vira “Você sabe por qual razão eu ajo assim” ou “Você sabe por qual motivo eu ajo assim”.

“E existe ainda um outro ‘por que’ separado", acrescenta Pasquale. “Lembra aquela música? ‘Só eu sei as esquinas por que passei’, lembra?”.

Com esse exemplo, ele explica que o “por que” também é separado quando equivale a "pelo qual", "pela qual", "pelos quais", "pelas quais".

No caso da música, a letra também poderia ser: “Só eu sei as esquinas pelas quais passei”.

-"Porque" junto"-

O “porque” junto é uma conjunção que indica causa, motivo, justificativa ou explicação.

Um exemplo: "Eu não fui porque estava doente".

De acordo com o português, "Porque estava doente" é a oração que indica a razão pela qual ele não foi.

Nesses casos, o “porque” é junto e sem acento.

Com isso, é possível existir “porque” junto mesmo em frases que terminam com interrogação, como esta: “Será que ela está chateada comigo porque eu não fui ao aniversário dela?”

Alguns professores recomendam tentar trocar o "porque" junto por "pois". Se der certo, está correto o uso do "porque" junto.

-"Por quê" separado com acento"-

O “por quê” separado e com acento é um “por que” separado localizado antes de uma pausa na fala ou na escrita.

“É preciso que haja uma pausa, um ponto final, um ponto de interrogação..." explica Pasquale.

Exemplo: “Por quê?”

Só isso. É o mesmo que perguntar "Por qual razão?", "Por qual motivo?".

De acordo com o professor, esse "quê" vira tônico na entonação. Assim, quando há um “por que” separado encerrando uma frase, ele ganha o acento e passa a ser “por quê”.

-"Porquê" junto com acento"-

Nesse caso, o “porque” vira sinônimo da palavra "motivo".

exemplificando: “Qual é o porquê de tanta tristeza?".

É o mesmo que perguntar “Qual é o motivo de tanta tristeza?".

-“Mal” e “mau”-

Por que “gêmeos do mal”, com “L”? É que “mau” com “U” é um adjetivo, enquanto “mal” pode ser advérbio ou substantivo. Olha só:

•A luta entre o bem e o mal nunca acaba.

•Comemos muito mal durante a viagem.

•Nas histórias, as madrastas sempre são más, isto é, têm o coração mau.

•Quem é mal-humorado está sempre de mau humor!

-“Bem” e “bom”-

Quer uma dica? “Mal” é o contrário de “bem” e “mau” o de “bom”, ou seja, “bem” pode ser usado nas mesmas situações em que se usa “mal”, e “bom” naquelas em que você colocaria “mau”. Assim:

Ficamos de bom humor (ou bem-humorados) depois de comer tão bem no restaurante!Fritura é muito bom, mas infelizmente não faz bem.

-“Independente de” e “independentemente de”-

Mais uma da série advérbios versus adjetivos, a diferença entre esses dois é que “independente” pode ser uma qualidade ou um estado (isto é, um adjetivo), enquanto “independentemente” é um advérbio de modo, que quer dizer a mesma coisa que “de forma independente”. Confira os exemplos e entenda melhor:

Com que idade um jovem se torna independente dos pais Independentemente da nossa idade, todos podemos precisar do apoio da família em algum momento.

-“A princípio” e “em princípio”-

A palavra “princípio” pode se referir tanto a ideologias e valores como ao começo de alguma coisa, certo? Pois, a chave para a diferença entre essas duas expressões está justamente aí: com “a” ela tem sentido de início, e com “em” de valor ou essência. Espie:

A princípio, pensava-se que a Terra era o centro do universo.A poesia é, em princípio, a arte de escrever em versos.

-“Há” e “a”-

Um é um verbo, o outro uma preposição, mas por causa da pronúncia idêntica, é fácil se embananar na hora de escrevê-los, não é? A dificuldade aumenta quando “há” (que, para quem não se lembra, é do verbo “haver”) é usado para indicar o tempo passado, se confundindo com a preposição “a”, que só marca uma distância (temporal ou espacial). Fica assim:

Há muito tempo, os dinossauros foram extintos.O supermercado mais próximo fica a 10 minutos daqui.No ano passado, comprei meus presentes com antecedência: a 2 meses do Natal.

-“Haver” e “a ver”-

Outro irmão do mal de “haver” é a expressão “a ver”. Apesar de soarem iguaizinhas, as duas palavras, na realidade, não têm nada em comum: a primeira é um verbo, mas a segunda indica uma afinidade (ou não) entre duas coisas. Confira:

Quando chove muito, pode haver enchentes na cidade.É possível que dois gêmeos sejam bem parecidos ou, pelo contrário, não tenham nada a ver um com o outro.

-“Haja” e “aja”-

Sim, há ainda mais uma forma de fazer confusão com o verbo “haver” (haja paciência, não é?!), mas não precisa desistir de usá-lo para sempre, não! Na verdade, é bem fácil distingui-lo de “aja”, do verbo “agir”: é só ver se dá para trocar por “existir”. Veja só:

Mesmo que haja (ou exista) algum risco, vale a pena investir nesse setor.Para que a empresa se recupere da crise, é preciso que a administração aja imediatamente.

-“Vem” e “veem”-

Os dois são verbos, mas se o primeiro (com um “e” só) é de “vir”, o segundo (com dois) é conjugação de “ver”. Entenda:

•Você prometeu que vem me visitar amanhã.

•Eles não veem a hora de se encontrar de novo.

-“A gente” e “agente”-

Junto ou separado? A resposta é simples: se for o mesmo que “nós”, é separado; se for a profissão (tipo 007), é junto. Fique de olho:

•James Bond é o agente secreto mais famoso do mundo.

•Por que você não vem com a gente ao cinema?

-“Acerca de” e “cerca de”-

“Acerca de” é o mesmo que “sobre” ou “a respeito de”. Já “cerca de” vem da expressão em latim circa, podendo significar tanto “perto de”, quanto o velho e bom “mais ou menos”. Veja só:

•Preciso falar com você acerca de um problema pessoal.

•Estima-se que a população mundial tenha chegado, hoje, a cerca de 7,4 bilhões de pessoas.

-“De trás”, “atrás” e “detrás”-

Enquanto “detrás” e “atrás” podem ser usados como sinônimos, “de trás”, separado, aparece quando é necessário empregar a preposição “de”. Confuso? É só pensar assim: se a pergunta for só “onde”, responda com “atrás” ou “detrás”. Agora, se for “de onde”, o certo vai ser “de trás”. Fica desse jeito:

•Onde está o cofre secreto? Atrás do quadro.

•Onde foi parar meu casaco? Está pendurado detrás da porta.

•De onde saiu esse rato? De trás do armário da cozinha.

-“Aparte” e “à parte”-

“Aparte” pode ser o imperativo do verbo “apartar” (que quer dizer separar ou desviar) ou um substantivo masculino (que significa um comentário isolado, como se fosse um parêntese em um discurso). Já “à parte” é aquilo que já está ou vai ser separado. Veja se entende melhor com os exemplos:

•Ele não consegue manter sua linha de raciocínio e faz apartes desnecessários o tempo todo, de modo que ninguém entende o que diz.

•Ontem fui chamado para uma conversa à parte com minha chefe.

•Minhas compras pessoais precisam ser feitas à parte em relação às da empresa.

-“Decerto” e “de certo”-

A dica aqui é tentar substituir a expressão pela palavra “certamente”. Se funcionar, use “decerto” junto. Se não, é “de certo” separado. Desse jeito:

•De certo modo, seu conselho me ajudou mais do que eu esperava.

•Depois de estudar tanto, você decerto conseguirá uma boa nota na prova!

-“Propício” e “propenso”-

Eles são parecidos, mas o significado não é o mesmo. “Propício” indica que uma situação pode favorecer alguma outra coisa, mas não necessariamente que há uma tendência, como indica “propenso”. Basicamente, é o seguinte:

•Um ambiente silencioso é mais propício (ou apropriado) para os estudos.

•Mas se você não estiver propenso (ou tendendo) a estudar, o silêncio não vai fazer diferença.

-“Senão” e “se não”-

“Se não” separado aparece em frases em que você poderia inserir alguma coisa entre o “se” e o “não”. Já “senão” junto pode aparecer como substantivo ou no sentido de “mas sim”, “do contrário” e “exceto”, sem que você possa separar os dois elementos. Teste nessas frases e entenda:

•Aceito seus termos, com um senão: preciso de um prazo maior.

•Se não conseguir chegar a tempo ao cinema, eu compro seu ingresso e espero-o na entrada das salas.

•Tente chegar pontualmente, senão perderemos o início do filme!

-“A fim” e “afim”-

“Afim” junto vem de afinidade, enquanto “a fim” é a preposição “a” ligada ao “fim” no sentido de finalidade. Para saber qual dos dois usar, então, é só parar para pensar qual dessas duas ideias você está tentando passar. Veja:

•As duas empresas se uniram para atingir interesses afins (ou semelhantes).

•Você está a fim de sair hoje à noite?Precisamos passar no banco a fim de fazer um depósito.

-“Perca” e “perda”-

Mais um parzinho fácil de distinguir: “perda” é substantivo, enquanto “perca” é verbo. Ou seja: se puder colocar artigo antes (“a perda” ou “uma perda”) é com “d”. Sacou? Então confira:

•Não perca tempo: compre já o nosso produto!Acabe com a perda de tempo usando nossa técnica para ser mais produtivo!

-“Descriminar” e “discriminar”-

“Discriminação”, com “i”, é separar as coisas, e por vezes tratar as pessoas ou questões de forma desigual por causa de algum preconceito. Já “descriminar” é tirar a culpa de um crime (daí o prefixo “des”, de negação, como em “descolorir”, por exemplo). Acompanhe:

•Você já sofreu algum tipo de discriminação racial no trabalho?O júri descriminou o réu após um julgamento que durou meses.

-“Absolver” e “absorver”-

Por falar em descriminar, um de seus sinônimos que também gera alguma confusão é “absolver”, que quer dizer tirar a culpa, perdoar, etc. Diferentemente de absorver, que é fazer desaparecer um líquido (pensou em fraldas?) ou assimilar algo. É simples:

•Os padres ouvem as confissões dos fiéis para absolver seus pecados.

•Em uma aula expositiva, nem sempre é fácil absorver todo o conteúdo dado.

•Alguns tecidos ajudam a absorver melhor o suor na prática de atividades físicas.

-“No lugar de”, “ao invés de” e “em vez de”-

Pense em trigêmeos, mas com dois dos irmãos sendo iguaizinhos e um deles bem diferente. A ovelha negra é “ao invés de”, que só serve para contrastar ideias opostas (tipo alto e baixo, frio e quente, etc.). Os outros dois contrastam coisas diferentes, mas que não se excluem mutuamente (como manga e melancia, azul ou branco, etc.). Repare nos exemplos:

Decidimos fazer uma mousse para a sobremesa no lugar do bolo.(mousse e bolo não são necessariamente opostos)

•Não vamos viajar mais para o Japão.Em vez disso, vamos para a Nova Zelândia. (idem)

•Ao invés de sair, resolvemos ficar em casa. (ficar em casa e sair podem ser consideradas coisas opostas, certo?)

-“Na medida em que” e “à medida que”-

“na medida em que” tem sentido de causa e pode ser trocada por “porque” ou “visto que”, sua expressão gêmea, “à medida que”, indica uma progressãoproporcional. Veja como:

•O calor vai aumentando à medida que o verão se aproxima.

•As casas dos países de clima temperado precisam ser construídas com mais cuidado na medida em que (ou porque) sofrem mais com as oscilações de temperatura a cada estação.

-“De encontro a” e “ao encontro de”-

Parece mesmo bobagem, mas trocar o “a” e o “de” de lugar em torno da palavra “encontro” pode, sim, fazer toda a diferença! Isso porque “de encontro a” é algonegativo, que indica uma oposição. Já “ao encontro de” é positivo, é mostra a afinidade entre duas coisas. Fica assim:

•A ascensão da sustentabilidade no cenário mundial vai de encontro aos interesses das empresas que preferem explorar o meio ambiente a cuidar dele.As feiras de alimentos orgânicos vão ao encontro dos produtores locais, que conseguem vender seus produtos a preços melhores.

-“Viajem” e “viagem”-

Parece pegadinha, mas não é: com “g”, “viagem” é substantivo, enquanto com “j” é verbo. O truque, então, é checar se dá para usar artigo (“a” ou “uma”): se der, acerte com o “g”. Confira:

•Vou fazer uma viagem para o exterior nessas férias.

•Espero que vocês viajem muito durante o intercâmbio!

-“Seção” e “sessão”-

Com “ç”, “seção” tem sempre a ver com uma divisão ou subdivisão. Já com “ss”, se refere a um evento que dura um tempo determinado (como no cinema, uma reunião, assembleia, consulta médica, etc.). Olha só:

○Foi convocada uma sessão extraordinária no congresso para esta semana.

•A lei que você procura está na última seção do regulamento.

Eu mostraria mais erros, mais não tô com saco pra pesquisar e resumir mais 80.

Mal, agora vamos para algumas palavras que quase nimguem conhece ou sabe o significado para por nas suas fanfics e obter mais "refinação" No seu português.

Aceiro – 1. Relativo ao aço ou que tem as propriedades do aço.

2. Forte, agudo, penetrante.

3. Operário que trabalha em aço.

Adentado – Mordido.

Admistão – Acto de ajuntar, misturando.

Aprestos – Materiais necessários para fazer alguma coisa.

Asseidade – Religião. Atributo divino fundamental, que consiste em existir por si próprio.

Asnidade – Ignorância.

Assetado – Ferido ou morto com instrumento de incisão.

Atoarda – Notícia vaga; balela, boato.

Atuado – Aquele cujo procedimento foge ao comum, ao esperado.

Babiaque – Nome comercial da casca da árvore-da-goma-arábica.

Bricolagem – Combinação de elementos extraídos de obras distintas.

Carraspana – Bebedeira.

Cércea – Aparelho, nas estações de estrada de ferro, que determina o máximo volume que a carga de um trem pode atingir.

Chapim –

1. Calçado de sola grossa, para mulheres.

2. Sapatinho elegante.

Cioso –

1. Que tem ciúme; ciumento.

2. Zeloso, cuidadoso.

3. Interessado em virtude de afeição extrema.

Colédoco – Canal pelo qual a bílis se derrama no intestino.

Custódio – Aquele que guarda, defende ou protege.

Codesso – Arbusto ornamental que fornece madeira castanho-esverdeada, própria para marcenaria de luxo, e tem propriedades melíferas.

Coreuta – Cada um dos membros do coro, no teatro clássico; corista.

Corifeu – Mestre do coro, na tragédia e comédia antigas, o qual exercia a função de principal representante do povo e de intermediário entre os coreutas e as personagens principais.

Desamar – Perder a afeição a alguém.

Desapuro – Falta de cuidado ou esmero.

Descalabro –

1. Grande dano ou perda; ruína.

2. Desgraça, derrota

Dessiso – Falta de juízo, de bom senso, de siso.

Eclampse – Grave doença convulsiva que se manifesta nas mulheres grávidas.

Ecmnesia – (Medicina) Esquecimento de todos os fatos ocorridos de certa época em diante.

Epistase – (Medicina) Interrupção de secreções ou excreções, como as do sangue, por exemplo.

Espaventado – Assustado, espantado.

Estacada – Lugar fechado para brigas e torneios.

Exaurir – Desgastar lentamente as próprias reservas físicas ou económicas.

Gematria – Sistema criptográfico que consiste em atribuir valores numéricos às letras.

Glosar –

1. Comentar, anotar, explicar.

2. Censurar, criticar.

3. Suprimir ou anular (parte de conta ou orçamento).

4. Desenvolver um verso (um mote).

Guapo – (RS)

1. Animoso, corajoso, ousado, valente.

2. Muito bonito, elegante.

Humifuso – Que se dispõe sobre o solo, rasteiro.

Humílimo – Diz-se de quem é extremamente simples, modesto.

Igarité – Canoa amazónica de grande porte, com toldo.

Isabel – Cavalo de cor branco-amarelada.

Improbo – Árduo, exaustivo.

Ínsua – Pequena ilha formada por algum rio.

Intensar – Intensificar-se.

Lacónico – Conciso no falar ou no escrever.

Lerna – Grande depressão na terra.

Lunático – Diz-se daquele homem volúvel, inconstante, nervoso.

Menorá –

1. Candelabro sagrado, com sete braços, um dos símbolos do antigo templo judeu de Jerusalém.

2. Candelabro com variável número de braços, usado principalmente no serviço religioso do judaísmo.

Merca – Aquilo que se compra.

Mesmamente – Sem nenhuma alteração.

Mote – Tema, assunto.

Nacela – Espécie de cesta ou barca, na parte inferior de um aeróstato ou de um balão, destinada a tripulantes e passageiros.

Necator – (Zoologia) Verme parasito de homens e de animais.

Netsuquê – Pequeno objecto esculpido em madeira ou marfim, ou trabalhado em metal, e atravessado por orifícios, usado pelos japoneses como adorno para prender uma pequena bolsa ou sacola à faixa do quimono.

Obvenção – Provento, receita ou lucro eventual. Antigo tributo que se pagava aos eclesiásticos pela sua manutenção.

Ossatura – Esqueleto.

Otimates – Cidadãos influentes, poderosos por nobreza ou dinheiro.

Pasigrafia –

1. Sistema de escrita que pode ser compreendido por leitores de diferentes línguas nativas, como no caso de línguas internacionais que fazem uso de notação musical ou de símbolos matemáticos.

2. Qualquer língua escrita artificial que pode ser entendida internacionalmente.

Pegadilha – Discussão acalorada, alteração.

Pelegrine – Capa longa.

Pengó –

1. Tolo.

2. Sujeito mal vestido.

3. Coxo.

Pérvio – Que dá passagem; transitável, franco, patente.

Pingadeira –

1. Negócio que vai rendendo sempre aos poucos.

2. Despesa continuada.

Psichê –

1. Grande espelho móvel e inclinável montado numa armação.

2. Móvel de toucador, com grandes espelhos e muitas gavetas.

Rebombar – Ressoar fortemente.

Recepisse – Escrito em que se declara ter recebido papéis, documentos, dinheiro, etc.

Rechaçar – Fazer retroceder, opondo resistência; repelir; rebater.

Reproche – Censura.

Rumorejo – Ruído brando e confuso.

Safo – Desembaraçado.

Sanguino – Que causa a morte ou efusão de sangue. Cor tirante a vermelho.

Senescente – Aquilo que vai envelhecendo.

Sextante – Arco de sessenta graus.

Sicário – Assassino pago para cometer todo tipo de crimes. Matador profissional.

Socancra – Diz-se de pessoa que faz as coisas de maneira oculta e silenciosamente. Diz-se também de pessoas sonsas. Isto é, pessoas que dizem que não sabem, mas sabem.

Surtar – Entrar em crise psicótica.

Taifa – Designação comum ao pessoal subalterno das especialidades de cozinheiro, barbeiro, padeiro e arrumador (copeiro, camaroteiro, etc.).

Tonsura – Corte circular, rente do cabelo, na parte mais alta e posterior da cabeça, que se faz nos clérigos; cercilho, coroa.

Ubertoso – Fértil, fecundo.

Urbígena – Pessoa que nasceu na cidade em relação à pessoa que chega à cidade.

Undívago – Aquilo que vaga sobre as ondas; flutívago.

Voejo – Pó que se levanta da farinha quando ela é agitada.

Bom, agora vamos para as decorações de texto e explicar por que isso é um problema...

Bom, temos um exemplo do problema:

🌸mudo🌸- opora vei sifude eu não falo \(•'//

Não estou a dizer que Decorar seu texto é um problema, mas pelo amor de deus, não exagere, muito menos use emoticon nas falas e em nada! Até quando é uma história séria que não é pra brincar, você tá lendo tranquilamente e de repente...

FLORZINHA AQUI FLORZINHA ALI EMOJI PIPIPIPOPOPO EMOTICU NEZUKO-CHAN ROROROLALALA GROGROGROSSASSASSA

Por favor, não decorrem o texto assim! É melhor nem Decorar, mas tem algumas decorações que ficam boas, a maioria ficam apenas na quebra de tempo.

Exemplo:

.;🍁🌺:🌺🍁;.A.M;.

.🍃-:🌼:-🍃.

~..:::☕:::..~

(Não roube, por favor, seja criativo e faça a sua.)

E tem algumas que ficam boas na troca de narração(P.O.V)

Exemplo:

,.:📚::📌::📚:.,

.::-💬-::.

Mas por favor, não exagere se você vai Decorar seu texto!

Bom, já vamos pular para a outra parte.

A capa.

Não que isso seja ecenscial, você não ore cisa fazer uma capa para fazer uma fanfic, mas tem gente que faz a capa e falha miseravelmente.

Eu recomendo vocês verem alguns tutoriais pela Internet, existem vários fúteis e bastante úteis.

Exemplo:

https://youtu.be/sUlk-BJclP0

https://youtu.be/nA2hBc864E0

Bom, isso foi tudo, eu acho, acho que esse misto da pra jantar pelo resto do ano, mas ok.

Bom, obrigado por ler?.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...