História Como Confiar ? - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Drama, Itadei, Kakanaru, Narusasu, Naruto, Sasuke, Traição
Visualizações 214
Palavras 4.676
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Yo, autora nova chegando!
Essa fic foi baseada numa música, apesar dela não estar inserida no capítulo.
Espero que gostem!
*3*

Capítulo 1 - Como te conheci...


Fanfic / Fanfiction Como Confiar ? - Capítulo 1 - Como te conheci...

 

 

"O que eu estou fazendo da minha vida?"

Me perguntava isso todos os dias, e nesse momento sentado no balcão de um bar, eu via essa pergunta brilhando em neon em cada lugar onde eu olhava. Tinha a mera impressão de estar sendo observado, mas com toda essa escuridão, só com os holofotes coloridos ligados, duvido muito que alguém esteja realmente me vendo.

Meu maninho me mataria se me visse num lugar como esse, Memma era meio rigoroso com escolha de lugares, já que graças ao sucesso de nossa empresa sempre tinha um paparazzi no nosso pé. E geralmente eu concordaria com ele sem pensar duas vezes, mas hoje especificamente, meu dia, assim como meu humor não estavam dos melhores, não que alguém percebesse, sempre me disseram que eu parecia uma interrogação ambulante no quesito sentimentos.

- Dia ruim? - O barman questionou se apoiando no balcão.

- Talvez, depende da perspectiva - Respondi, balançando o copo de bebida.

- Hum, e qual a sua?

- Penso que sempre dá pra melhorar. - Falei sorrindo de lado vendo o barman ruivo corar. Não sou a favor de sexo casual e, que me perdoem os 'pegadores', mas eu prefiro não me envolver com várias pessoas, entretanto hoje eu estava atolado de pensamentos e problemas, preciso realmente abstrair a mente.

- O-Oh, e como poderia melhorar? - Indagou se aproximando um pouco mais, era engraçado pra mim observar a forma de agir das pessoas, ele sequer sabia meu nome e mesmo assim parecia disposto a se deitar comigo, definitivamente estranho.

- Dando em cima de outros de novo amor! - Um moreno desconhecido surgiu, das trevas na minha opinião e parou do meu lado, começou a me chamar de amor enquanto colocava as mãos na cintura, lindo de fato, mas ainda assim desconhecido. Apenas arqueei a sombrancelha durante o sermão, não é normal alguém que eu nunca vi na vida me chamar de traíra, certo?

- Eu te conhe- Fui impedido de falar por um beijo do tal moreno, quando nos separamos ele me puxou pela mão, lançando um olhar mortal ao barman, eu ainda tentava entender porque estava deixando tudo isso acontecer.

Deveria estar em casa tomando um café bem forte e aproveitando que amanhã é minha folga pra dormir, mas não eu estava num beco escuro com um moreno suspeito, que estava olhando pra mim de um jeito estranho e tudo isso num silêncio mórbido já que o bar onde eu estava antes tinha paredes aprova de som.

                                                 " Você também não me ajuda, né vida?! "

- Quem é você? - Perguntei, agora sério, não fazia sentido nenhum nosso 'encontro'.

- O amor da sua vida - Respondeu cínico, colocando as mãos em meu peito com um pouco de dificuldade, na verdade agora que eu estava de pé conseguia vê-lo melhor, ele era incrivelmente pequeno.

- Está atrasado, boa noite - Me virei em direção a saída do beco, mas fui segurado por mãozinhas pequenas em meu pulso.

- Sasuke, eu sou Uchiha Sasuke - Estendeu a mão pra mim sorrindo de lado.

- Naruto, prazer - O cumprimentei.

- Sem sobrenome? - Questionou mordendo o lábio inferior.

- Não é necessário.

- Então, agora pra onde vamos?

- Vamos pra casa, de preferência cada um pra sua.

- He, você é bem resistente, por que não quer ficar comigo?

- Você é uma pessoa desconhecida, que surgiu de algum lugar me chamando de 'amor', me beijou e me trouxe pra um beco escuro e deserto sem um pretexto definido, apenas por isso.

- Hum, bem detalhado. Deixa eu adivinhar é casado ?

- Não.

- Namorando?

- Se eu estivesse em qualquer tipo de relacionamento, com certeza não estaria mais aqui.

- Então por que ainda está aqui?

- Porque quando eu tentei ir embora 'alguém' me segurou, mas isso não vai se repetir certo?

- Certo, mas antes eu posso te pedir um favor? - Ele fez aquele olhar de cachorro abandonado, mas não era só isso, nesse caso o cachorro estava com fome, frio e abandonado, fala sério, ninguém resistiria a esse olhar, nem mesmo eu.

- Hum, claro, porque não. 

- Eu moro do outro lado da cidade e não tem ônibus a essa hora, poderia me dar uma carona? - Aqueles olhos negros eram hipnóticos, dava pra se perder facilmente neles.

- São três da manhã, se eu te levar até a sua casa só vou chegar na minha casa meio dia. - Não, definitivamente não ia rolar levar esse moreno na casa dele, como diabos ele ia para casa se não tivesse falado comigo?! - Espera, como sabe que estou de carro?

- A-Ah, então, eu meio que te vi chegar.

- Okay - Estranho, esse cara é estranho - Posso te levar até um ponto de táxi.

- Não, eu tenho medo de ir sozinho, vai que o motorista é um psicopata, aí ele vai me sequestrar e depois me matar. - Ele tremeu de leve, 'tá bom né, nem deve ter táxis rodando a essa hora mesmo.

- Então~ Que tal um hotel?

- Mas e se o dono for um estruprador? Eu vou estar sozinho e indefeso, você não me deixaria num lugar assim, né? - Me fitou com os olhos marejados e eu somente suspirei, sabe quando suas ideias acabam? Então, é assim que eu me sinto.

- Olha só, não existe um lugar totalmente seguro, então escolha logo um pra mim poder ir pra casa dormir.

- Que tal- Ele foi interrompido pelo toque do meu celular, suspirei novamente, só uma pessoa me ligaria a essa hora.

                                                                          *Ligação On*

- Alô.

- Naruto, seu baka, onde você está?! - A voz aguda perfurou meus tímpanos.

- Para de gritar Deidara! Eu 'to na rua, por que?

- Estou parado em frente a sua porta, será que dá pra vir pra cá?!

- Chego em vinte minutos, não acorde os vizinhos.

                                                                          * Ligação Off*

- O que houve? - Sasuke perguntou.

- Vamos. - Falei, saindo do beco em direção ao meu carro, um Corvette preto, eu decididamente amava esse carro.

- Onde estamos indo? - Indagou já sentado no banco do carona, esse cara era rápido, mas não parece ter senso comum, aliás pra quem estava preocupado com um possível estupro ou assassinato ele parecia bem calmo.

- Minha casa.

- Esclarecedor - Zombou.

- Ah~ Não vou te levar na sua casa e você não quis ficar em lugar algum, só sobrou minha casa. - Foi impressão minha ou ele corou?! Esse cara descarado está verdadeiramente corado?! Como assim?!

Fomos o resto do caminho em silêncio, eu não parava de pensar em como essa situação era inusitada, ninguém acreditaria se eu contasse. Entramos na garagem do prédio onde eu moro, logo estacionando.

- Vamos. - Subimos pelo elevador ainda em silêncio, Sasuke parecia incomodado com isso, quase como se procurasse um assunto e não encontrasse, decidi ajuda-lo - Então com o que trabalha?

- A-Ah, trabalho com pessoas... Sabe, comunicação... - Ele não parecia muito afim de me dizer com o que trabalhava, nunca vi uma resposta tão evasiva. Mas se ele não queria conversar tudo bem, agora posso ficar no meu amado silêncio sem nenhum peso na consciência, afinal eu tentei.

- Hum. - Dei o assunto por encerrado, mas logo depois ele recomeçou a conversa.

- E você, com o que trabalha? - Me encarou intensamente como se fosse uma coisa importante, estranhamente ele colocou as mãos imediatamente nos bolsos, fazendo uma expressão apreensiva.

- Trabalho com tecnologia, tenho uma empresa. - Falei normalmente, vendo as mensagens raivosas de Deidara no meu celular, irritante.

As portas do elevador finalmente abriram e saímos, reconheci quase imediatamente o ser de rabo de cavalo na frente da minha porta, por algum motivo ele parecia chateado e isso só servia pra me confirmar uma coisa: minha ressaca seria adiantada.

- Dei. - Chamei quando já estavámos próximos.

* Naruto off *

- Finalmente, achei que nunca chegariam. - O loiro olhou para o moreno desconhecido, este que se encontrava escondido atrás das costas largas de Naruto - Quem é esse?

- Hum? Este aqui é o Sasuke, Sasuke esse é o Deidara. - Naruto apontou de um pro outro, completamente indiferente a expressão surpresa do outro loiro mais velho.

Se conheciam a anos e quando os irmãos Uzumakis decidiram abrir a empresa, que na época era uma loja, Deidara foi o primeiro a ser chamado pra se juntar a eles, era seu secretário e uma das pessoas em quem mais confiava, mesmo que ele não soubesse disso.

- Uchiha Sasuke, prazer - O moreno estendeu a mão, ainda um pouco receoso, rapidamente o loiro devolveu o cumprimento.

- Deidara Nishimura, mas pode me chamar de Deidara.

- Agora que já se conhecem, posso entrar em casa? - Naruto perguntou, ainda achando aquela interação irrelevante, não se veriam nunca mais, pra que tantas apresentações?

- Tsc, anda logo, preciso falar com você. - O mais velho falou, esperando o outro abrir a porta, logo entrou e seguiu para a cozinha, estava morrendo de sede. Observou discreta e atentamente o moreno, este que entrou e parou, ficando de pé próximo a porta.

- Dei, antes de você falar qualquer coisa, eu vou fazer uma pergunta, isso que você quer discutir, é urgente? Por que são - Olhou a hora em seu celular - Quatro da manhã, eu 'to com dor de cabeça e ainda preciso resolver minha situação com ele - Apontou pra Sasuke, que parecia querer se fundir a porta, que agora se encontrava trancada.

- Eu terminei com ele - Despejou a bomba de uma vez, vendo o loiro a sua frente arregalar levemente os olhos.

- Uou, isso foi... Inesperado no mínimo, vocês não estavam, tipo, noivos?

- Eu sei okay, mas eu, eu realmente acho que Sasori não era a pessoa certa... - Tapou o rosto entre as mãos, não sabia se tinha feito a escolha certa, mas já estava feito, o ruivo jamais iria olhar em seu rosto novamente e era isso que o assombrava.

- Ei, não fica assim, se você acha que não era ele tudo bem, isso só significa que agora você está livre pra achar a certa. - Abraçou o corpo alheio, sem ouvir qualquer protesto, fez carinho nos longos cabelos dourados, sentindo as lágrimas percorrerem seu ombro. - Dei, você é incrível, logo vai achar a pessoa certa, tenho certeza!

- V-Valeu Naru - Fungou, separando o abraço, deixou o mais novo enxugar suas lágrimas e logo se acalmou, respirou fundo e então encarou o outro, agora sorrindo - E esse moreno hein? Por que não me disse que 'tava namorando?

- Porque não estou, na verdade mal conheço aquele cara.

- Como assim? Então por que ele está aqui? - Fez uma expressão confusa.

Naruto suspirou, contou resumidamente a história, ouvindo as reclamações por ter ido em um bar qualquer.

- E você nem sequer pensou em pegar ele? Qual é Naru, ele é lindo, ah~ se não fosse tão novo, eu pegava pra mim!

- Hum, ele é realmente bonito, mas ainda assim desconhecido. - Falou.

- Fala sério, você não precisa saber da vida de um peguete! É um caso de uma noite, você nunca mais vai vê-lo, aproveita pra relaxar.

- Talvez, só talvez, seja uma boa ideia, mas você sabe que não gosto disso. - Ainda não fazia sentido, mas precisava descontar seu stress em algo e bem, o moreno havia se jogado em cima de si praticamente.

- Então, namore com ele. - Disse simplista.

- O que?!

- Você não quer ficar com ele, então o namore.

- Dei, não.

- Vamos, eu quero um cunhado, antes que eu fique velho demais pra ser padrinho.

- Dei!

Voltaram pra sala, ainda discutindo baixo, encontrando Sasuke na mesma posição, fitando curiosamente cada canto do apartamento que estava ao alcance de sua visão. Naruto se despediu de Deidara, logo se dirigindo ao menor que agora o encarava fixamente.

- Tem um quarto de hóspedes, você vai ficar nele hoje, quer tomar banho? - Por algum motivo desconhecido pra si, o outro parecia ter ficado confuso com sua fala.

- Hã, vamos dormir? - Se desencostou da parede, ficando de frente pro loiro e o olhando ainda confuso, seu plano era bem diferente desse que o outro propunha.

- Já são quatro e meia da manhã, você tem ideia melhor? - Perguntou, levemente irritado, queria muito seguir a ideia de seu melhor amigo, mas agora o cara descarado que o arrastou para um beco aparentava ser um pirralho, parecia... Tímido? Ou seria melhor dizer 'em completa posição de defesa', como se a qualquer momento fosse precisar correr.

- H-Hum, bem eu, eu pensei q-que nós fôssemos... Sabe? - Aquele cara só podia estar testando sua paciência, ele 'tava quase desmaiando de nervoso, corado como um pimentão e ainda fazia aquele tipo de proposta pra si?

Segurou o corpo esguio com força, o prendendo na parede, ouviu Sasuke soltar um gritinho surpreso e quis rir, mas se segurou. Selou seus lábios com os do menor, o mesmo correspondeu de forma desajeitada, foi um beijo rápido, apenas um selinho, mas o moreno já parecia a beira de um colapso nervoso e isso foi o suficiente pra fazer Naruto se afastar.

- Ainda acha que devemos fazer alguma outra coisa que não seja tomar banho e dormir? - Viu o menor acenar que não, com a cabeça baixa, o corpo pequeno tremia de leve e o maior temeu ter passado dos limites - Você 'tá bem? - Levantou o rosto do outro delicadamente e se assustou ao ver os olhos negros marejados.

" Vida, eu não sei o que diabos eu fiz pra você, mas deve ter sido uma merda das grandes pra você fazer isso comigo "

- E-Eu p-pensei que conseguia, c-comecei bem m-mas... - Fungou - Mas foi exatamente como ele falou, e-eu sou um covarde.

- Não sei do que está falando, nem por que está chorando, mas posso tentar te consolar se quiser. - E era por isso que muitos o odiavam, a falta de emoções e a sinceridade em excesso acabavam afastando as pessoas.

- E-Eu... E-Eu quero... - Disse, abaixando a cabeça para esconder o rubor em seu rosto.

Naruto apertou Sasuke num típico abraço de urso, não era lá uma pessoa emotiva, mas faria o possível pra animar o pequeno desconhecido, que de alguma forma conseguia faze-lo se importar. Aquela constatação fez o loiro arregalar os olhos azuis, céus ele, ele se importava, ele realmente se importava com o moreno encolhido em seus braços, não sabia o que isso significava mas se esforçaria pra descobrir, balançou a cabeça, aquele não era o momento de pensar nisso. Quando o menor se acalmou, ambos tomaram banho e partiram pros próprios quartos, sem mais palavras e sem olhares, apenas desejos genéricos de 'boa noite'.

No dia seguinte, Naruto acordou com o barulho do despertador, levantou-se murmurando baixos xingamentos, se direcionou ao banheiro com uma toalha, sequer se lembrava de que tinha outra pessoa no apartamento, só foi se lembrar quando um moreno desavisado abriu a porta de seu banheiro, encontrando o loiro de cueca escovando os dentes. Sasuke encarou Naruto, vendo os cabelos molhados do mesmo, indicando que havia tomado banho, seguiu com o olhar o rastro de uma gota de água, passando pelo corpo definido do loiro, parando na borda de sua cueca, corou com sua linha de pensamento e balançou a cabeça voltando os olhos pra cima vendo Naruto o fitar com um ar confuso, mas ainda assim sério.

- Bom dia... - Cumprimentou, terminando de escovar os dentes.

- A-Ah meu deus! D-Desculpa, eu pensei que estava vazio, eu vi a porta encostada e- Foi interrompido pelo outro.

- 'Tá tudo bem, eu não me importo, você também é homem, não precisa tantas desculpas. - Falou calmo, enquanto saía do banheiro ainda secando o cabelo, havia notado o olhar sobre si, mas preferiu não comentar, evitaria o episódio da noite anterior.

- C-Certo... - Entrou rápido no banheiro, trancando a porta, sim Sasuke era um homem, mas continuava sendo jovem, hormonal e gay, Naruto não lhe ajudava em nada com aquele corpo maravilhoso, só Kami sabia o que o moreno queria naquele momento.

Seguiu para seu quarto, colocou uma roupa leve, apenas uma regata preta e uma bermuda, foi pra cozinha fazer o café da manhã, geralmente tomaria só um café, mas como não estava sozinho, acabou preparando panquecas, um prato que sua mãe havia lhe ensinado a muito tempo, não sabia se o outro gostava, mas torceu pra que sim.

Encostou-se no balcão que fazia divisa entre a sala e a cozinha, tomando seu café, logo o vulto moreno surgiu no corredor, de... de toalha?! Naruto quase engasgou com a visão, desviou o olhar, tinha que se controlar, não podia atacar o garoto, se controle Naruto!

- O-Oi, p-pode me emprestar uma roupa?

- Claro, vou ver se tenho alguma do seu tamanho.

Foi ao seu quarto e pegou numa caixa, roupas de quando era um adolescente, eram em sua maioria pretas, sequelas da 'fase rebelde' do loiro. Voltou a cozinha, ainda evitando olhar demais o corpo que lhe era exposto, aquilo só podia ser uma brincadeira de mal gosto, em algum momento pessoas com câmeras sairiam de algum lugar, só precisava resistir até lá.

Sasuke pegou a muda de roupas, seguindo em direção ao banheiro novamente, Naruto sentou-se a mesa torcendo para que as panquecas ainda estivessem comestíveis e por algum milagre estavam. Após comer foi pra sala, pelo menos uma das coisas que havia programado pra sua folga aconteceria, iria relaxar no sofá enquanto via tv.

- Naruto...? - O moreno chamou, se sentando ao lado do loiro.

- Sim? - Falou distraído com a tv.

- Posso perguntar uma coisa? - Desviou o olhar, não sabia qual seria a reação do loiro pras suas dúvidas.

- Claro. - Talvez se se conhecessem melhor, poderiam até ter algo no futuro, pensava o loiro, tentando ser otimista, Deidara o havia infectado com aquela ideia estúpida de namoro e agora não conseguia esquecê-la.

- Quantos anos você tem? - Colocou as mãos nos bolsos disfarçadamente.

- Por que quer saber?

- Só curiosidade, vai, me responde, por favor!

- Tenho 23 anos.

- Uol! Eu só tenho 19. - Disse com um bico.

- Qual o nome do seu irmão?

- Hum, meu maninho se chama Memma.

- Ah, quantos anos ele tem?

- Bom, somos irmãos gêmeos então temos a mesma idade. - Se sentia num interrogatório.

- Já fez algo do qual se arrepende?

- Várias vezes. - " Ir ontem naquele bar, entra na lista "

- Você é um Uzumaki certo? - Perguntou receoso.

- Hum, sim. - Encarou o outro, desligando a TV, começando a prestar mais atenção na conversa, tinha algo errado. - Agora por que não me conta um pouco de você.

- Só mais algumas dúvidas!

- Você parece um repórter. - Comentou distraidamente, mas logo em seguida notou o tensionar do corpo do garoto ao seu lado. - Espera um instante, você é um - Constatou chocado.

- O que?! C-Claro que não.

- Você é um jornalista! Como não pensei nisso antes.

- Não sou, juro que não sou.

- Então com o que trabalha?

- Já disse comunicação, pessoas...

- Que tipo de comunicação?

- Vai me odiar se souber - Disse acanhado.

- Duvido muito disso, agora fala.

- N-Não...

- Por que eu odiaria você?

- Sou um garoto de programa, não um repórter nem nada do tipo... - Tapou o rosto com as mãos. - É agora que você me expulsa, né? - Falou triste, se surpreendendo ao ser puxado para um abraço.

- Detesto quando faz aquela cara, prefiro você empolgado. - Acariciou os fios negros com cuidado, vendo os arrepios que causava no moreno, quase cedeu a vontade de sorrir daquela situação, quase se deixou levar pela vontade de beijar o outro, quase.

- Tem certeza? Quero dizer, alguém como você, não deveria querer estar perto de alguém sujo como eu. - Sussurrou cabisbaixo.

- Não me importo com o senso comum, gostei de você, por isso fique a vontade para ficar aqui. - Falou firme, mas uma vozinha irritante, ácida, escondida no lado obscuro da sua mente, continuava falando suas desconfianças. - Sua família sabe dessa história toda?

- O que?! Não! Eles não podem nem sonhar com isso, eu faço tudo escondido.

- Calma, eu já entendi, guardar segredo, só mais uma coisa, por que fez aquilo ontem?

- A-Ah, bem eu, eu fui pago pra isso... - Droga, aquele carinho o deixava tão relaxado, tinha que se segurar pra não falar demais.

- Pago? Por quem?

- Não posso dizer, sigilo faz parte do acordo.

- Hum, mas posso saber o motivo disso tudo, porque ainda não faz sentido pra mim.

- Também não sei, só me mandaram te atrair pra fora do bar e dar um jeito de você me levar pra algum lugar, de preferência próximo a sua casa, no final você me trouxe pra cá. - Falou distraído com o carinho, sem perceber a surpresa escondida nos olhos azuis

- Espera, dar um jeito de sair comigo, isso parece uma armação par- Foi interrompido pelo toque do celular, no visor o nome Memma brilhava, isso fez um arrepio ruim passar pelo corpo de Naruto, torceu internamente que sua conclusão estivesse, pela primeira vez em anos, errada.

*Ligação on*

- Memma?

- Naruto! - A voz raivosa de seu irmão, um minuto mais novo, adentrou seu ouvido.

- O que houve?

- "O que houve?!" Você ainda tem coragem de perguntar isso pra mim, eu avisei, nem sei quantas vezes, eu esperava isso do Deidara, mas você?!

- O que aconteceu?! - Perguntou preocupado.

- Liga a porra da televisão!! - Desligou, ainda falando diversos xingamentos.

*Ligação Off*

- Ah merda! - Praguejou assim que ligou novamente a tv, a notícia estava em todos os canais, assim como havia pensado, foi uma armação e o pior era que não havia como falar que não tinha levado Sasuke consigo, porque ainda estava com ele.

- O que foi? - Seguiu o olhar do outro, vendo o jornal, sua mente demorou alguns segundos pra processar por que tinha uma foto sua na tv - Ai Meu Deus!! Não, como isso aconteceu?! Eles disseram que ninguém veria! Quem estaria num beco deserto! Eram três da manhã! Quem foi o maldito?! - Surtou andando de um lado pro outro, sua família o mataria, isso é, se ainda tivesse uma família a essa altura.

- Ao que parece armaram pra nós dois.

Mirou o loiro, que ainda estava sentado, passando a mão pelo próprio cabelo displicentemente. 

- Como pode estar tão calmo?!

- Não ache que não estou nervoso, porque eu estou bem estressado, só acho que basta você gritando, além do mais minha ressaca não me permitiria gritar, desculpe desaponta-lo, enquanto você surta por nós dois, eu vou pensar num plano pra nos salvar.

- Nos salvar? Nos salvar?! Nesse momento eu já devo estar expulso de casa!

- Por que? - Indagou indiferente.

- Por sair, as três da manhã, com um completo desconhecido!!

- Hum, então o fato de você ser gay não importa, certo? - Se isto estivesse correto, já sabia o que fazer.

- É, disso eles já sabiam. - Explicou confuso não entendeu aonde o outro queria chegar. - Disseram que se eu casasse com um cara e não chamasse muito a atenção tudo 'tava bem, mas sair no jornal é o exato oposto de ser discreto! Itachi vai me esganar! Meu Kami, eu 'tô morto.

- Vamor namorar. - Disse simplista.

- O que?! - Os olhos negros estavam arregalados, o que esse cara tinha na cabeça?

- Não me leve a mal, minha carreira está em jogo, assim como a sua vida, nosso problema se resume a nós sermos completos estranhos um pro outro, mas ninguém precisa saber disso, se falarmos que estávamos namorando escondido, o alarde acabaria e você poderia dizer a sua família que estava "tentando" ser discreto. - Exemplificou calmamente para o menor.

- Ah, isso, v-você faria algo como isso...? - Naruto suspirou, puxando Sasuke pela mão, como iria dizer que não estava fazendo aquilo por si, mas sim por ele, na verdade pouco se importava que soubessem o que aconteceu, afinal seria apenas daquela vez, mas aquilo parecia tão importante para o moreno sentado ao seu lado que simplesmente não conseguiu ignorar, como faria com qualquer outro desconhecido.

- Eu não sei, não estou acostumado a lidar com situações assim, a me importar com o que vai acontecer com alguém, porém não vou deixar nada acontecer com você, isso eu garanto... Ei! Você está fazendo de novo, chorando sem motivo!

- Obrigado! Obrigado! De verdade, ninguém faria algo assim por mim...

- Como assim 'por você'? Como alguém não faria tudo por você?

- Se continuar falando coisas assim, eu nunca vou parar de chorar.

- Certo, vou ficar calado então, mas depois você vai me explicar essa história direito.

Passaram o resto do dia conversando, planejando como contariam a todos que estavam juntos e como ficariam depois que todos soubessem. Os dias se passaram rapidamente e nesse período ficaram combinando como exatamente executariam o plano do loiro. Naquele dia em específico, os dois haviam marcado de se encontrar no apartamento de Naruto, para conversar uma ultima vez antes de colocar seus planos em prática, as notícias haviam se espalhado e precisavam se apressar antes que alguma outra fofoca fosse iniciada.

- Então posso te dar um apelido? - Ainda não tinha certeza do que podia ou não fazer, afinal não era um namoro de verdade, então não deveriam se tratar como se fossem namorados quando estivessem a sós.

- Faça como quiser, pra isso convencer alguém você precisa se soltar um pouco mais, haja como se verdadeiramente estivéssemos juntos.

- Sério?! - Seus olhos brilhavam, aquela era uma permissão que achava que nunca ganharia, aquele era seu primeiro namoro de verdade, estava empolgado. - Vou te chamar de Naru!

- Okay, você devia ir pra casa, sua família vai ficar preocupada, pelo que me lembro Fugaku detesta não saber de algo e se você demorar ele pode acabar tirando conclusões precipitadas, agora que já decidimos tudo não há problemas em você voltar e dar algumas explicações.

- Você conhece meu pai?!

- Quem no Japão não conhece seu pai, Sasu? Uchihas tem um monopólio muito grande.

- Então ontem, quando eu me apresentei, você já sabia quem eu era?

- Claro, pra alguém que quer ser discreto, dizer seu sobrenome é um erro fatal.

- Por isso você não disse o seu?

- A pessoa com quem você conversa sempre pode ser um paparazzi, não importa aonde, sempre vai ter alguém tentando extrair informações de você sem que você saiba, por isso não digo meu nome completo, a falta de sobrenome tira o crédito de qualquer informação, não se tem a certeza de quem veio e por isso podemos desmentir a informação.

- Por que está me contando isso? - "Vai dar merda", pensava o moreno, em meio a tudo que passava em sua mente.

- Porque, pela primeira vez em anos eu confio em alguém, que não seja meu irmão ou o Deidara, eu confio em você. - Ditou sério, aquela fora a coisa mais sincera que disse em 10 anos, não sabia o porque, mas confiava cegamente no ser ao seu lado, mesmo que aquela vozinha continuasse ao pé de sua orelha sussurrando coisas que não queria saber. - Eu realmente confio em você, por isso honre minha confiança, não seja como os outros.

- Eu prometo! - O loiro sorriu, sendo seguido pelo moreno.

 

Ás vezes a vida consegue se superar no quesito crueldade... 

 


Notas Finais


Obrigado aos que leram até aqui!
Fico feliz que uma história minha conseguiu trazer vocês aqui, espero verdadeiramente que tenham gostado!
<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...