História Como despensa jeonkook - taekook - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, Personagens Originais, V
Visualizações 16
Palavras 858
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Mistério, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura❣

Capítulo 4 - Three


Fanfic / Fanfiction Como despensa jeonkook - taekook - Capítulo 4 - Three


 Acordei no outro dia sem animação nenhuma pra fazer exatamente nada. Saio da cama e vou diretamente para o banheiro escovo os dentes tomo um banho e desso para a sala de jantar onde tinha um mesa muito bem preparada, pessoas muito bem vestidas, pratos muito bem limpos, ao ponto de ver seu reflexo muito bem. Ou seja tudo muito perfeito.

A perfeição, muitas pessoas acham que a perfeição era inútil e que o bom da vida era ser do seu jeito, ser livre conversar na mesa, brincar, gargalhada. Mas a minha família ela a perfeição que todos queria, pelo mesmos os que acreditavam na perfeição. Esposo perfeito, mulher perfeita, filho estudioso que sempre ajuda a mãe e se mantém ligado nos negócios da família e da imprensa.
Família perfeita, mesa perfeita, emprego perfeito. Tudo, tudo, tudo, perfeito eu não aguentava mais a nossa família de um lado ser a perfeição, e em um lugar e em um lugar escondido não passa de uma farça que só nós sabemos que existe é que pretendemos esconder com a nossa vida. Para sempre.

Sentei a mesa recebendo o olhar torto de minha mãe que provavelmente ainda estava com raiva, provavelmente. Meu pai sempre foi mais liberal que minha mãe.

Aí você pensa " dois apostos se atraíram" não, não é bem assim, quando minha mãe conheceu meu pai ambus eram muito novos, porém sempre tiveram noção do certo e do errado e a minha mãe já sabia o que faria para atrair um bom partido com muito dinheiro e emprego fixo...

Fui tirado dos meus pensamentos com um sermão de minha mãe por eu estar com os cotovelos na mesa.

- Ei, menino. Tire esses seus cultovelos de cima da mesa. Não foi essa a educação que eu te dei

- Desculpa, mãe - abaixo a cabeça

- Deixa o menino- meu pai reclama fazendo minha mãe revirar os olhos

- Ele é meu filhos, e eu o educo da forma que eu quiser

- Ele é nosso filho. Até por que você não fez ele com o dedo.

Penso nisso e faço careta de desconto com o comentário do meu pai

- Credo, pai, eu estou comendo.

A moça de cabelos longos e castanhos ainda com a postura muito reta e a cabeça muito bem erguida, me olhou feio.

Eu apenas ignorei, terminei de comer e subi para o meu quarto Procon de roupa e vou para sorveteria como falei para jugnkook que iria.

Chegando lá encontro um garoto de cabelos pretos blusa longa também preta calça colada (🌚) com uma jaqueta por cima da blusa também preta com o capuz na cabeça e um óculos escuro. Ou seja ele está todo gótico. Chego perto dele por trás sem chamar atenção.

- Você vai tomar sorvete ou assaltar a sorveteria ?

Minha fala provavelmente causou um impacto em garoto por que ele virou imediatamente para mim provavelmente assustado por eu ter chegado de fininho.

- Que susto docinho

Ele pom a mão no coração, e sou tá um suspiro.

- você só pode tá querendo me matar do coração

Eu faço sinal e confirmação e ele faz uma careta incrédula

- ok, já entendi, você não gosta de mim.

- Não é bem assim... Só não fui com a sua cara.

- Nossa que diferença.

- só me diga, o que você quer ?

- eu só queria sua amizade

- Ahh, - faço biquinho - que pena, eu não quero ser seu amiguinho, tenta depois.

- você é malvado

- só diga logo para onde vamos, eu já tô ficando estressada.

- aí, nossa que estressadinho.

Me viro de costas, para ir embora mais ele segura meu braço.

- ok, já entendi, você não gosta de brincadeiras

- sim...

- Olha, eu peguei dois ingressos para assistir um filme.

- Que filme?

- It a coisa

- Eu não gosto de filme de terror.

- não vai dizer que tem medo, não se preocupe se você ficar com muito medo eu estarei lá do seu legado para te abraçar.

- Tá e queimado, prefiro morrer de medo do que ficar agarrado com você

Fiz cara de nojo. Ele olha o relógio

- Vamos, já deve tá começando

- Começando o que ?

- O filme, docinho

- Ata.

Nós fumos em direção para o cinema e no caminho nos _ ou seja ele_ fica brincando me empurrando e essas coisa que crianças fazem quando estão animadas.

Jungkook é uma verdadeira criança. Uma criança maliciosa s travessa

Eu amo sou idiota, eu sei que ele só quer brincar comigo, mais eu não sou besta, eu não vou deixar isso acontecer, eu vou ser mais esperto.

- Pensando em que ?

- Em como eu sou bonito

- Isso temos que concordar

Chegamos no cinema, e fumos direto para sala. Assistirmos e o Aderbal do jungkook ficou rindo de cada sena, fazendo todos olharem pra nós, certo eu fiquei morrendo de vergonha e tentei ao máximo me afastar dele mais sempre que eu tentava ele sempre me trazia de volta.

Jeon jungkook era uma verdadeira criança, e eu adoro crianças




Notas Finais


Obrigado por lerem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...