História Como enlouquecer Min Yoongi - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Brigas, Menção Jinkook, Min Yoongi, Romace
Visualizações 192
Palavras 1.366
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi galera! Gzuis olha a hora que eu tô postando kkkkkk mar gente, eh pq eu tenho que aproveitar enquanto a internet tá pegando.
Sabem quando sua autoestima tá um lixo, e nada que vc escreve te agrada? Pois é.
Mas sabe quando vc escreve uma merda, mas posta mesmo assim pq sabe que não vai sair nada melhor? Pois é.
Tem até gente que diz "ah, essa garota reclama demais, a fanfic dela é boa e tals" maaaas, o meu pior defeito é que se uma coisa não me agrada, eu fico achando que tá ruim, e ponto. Eu odeio ser assim, mas enfim.
Vamos ler?
Boa leitura, bolinhos :3

Capítulo 13 - Mentira


Fanfic / Fanfiction Como enlouquecer Min Yoongi - Capítulo 13 - Mentira

A pior mentira é aquela que contamos a nós mesmos.

Me joguei na cama, e encarei o teto. Encarei aquele forro branco, como se ali tivesse escrito as respostas para tudo. Tudo o que eu estava sentindo. As lembranças da noite passada passavam constantemente como um filme.

- TaeTae...- gemi seu nome manhosamente, ao passo que suas estocadas se tornavam mais fortes e rápidas, e apertei meus seios com força.

- Porra Vicky, você é tão apertada. – senti seus lábios tocarem minha barriga, sugando o local e espalhando mordidas fortes. Agarrei seus cabelos úmidos, e o puxei para um beijo, na tentativa de abafar meus gemidos tanto de dor como de prazer.

Rápido, quente e intenso.

Senti um liquido invadir meu interior, misturando-se ao meu. Taehyung se deitou em cima de mim, escondendo seu rosto em meu pescoço.

Tudo silenciou, e só ouvia-se o som de nossas respirações afobadas.

- Foi ruim? – sussurrou rouco, sua respiração quente batia contra meu pescoço, me causando arrepios fortes.

- Foi maravilhoso. Obrigada, estou feliz por ter sido com você. – respondi sincera, afagando seus cabelos. Suspirei puxando o máximo de ar que pude.

- E agora?

- Agora vamos banhar. – sorri e o puxei para o banheiro.

  Senti meu celular vibrando em baixo de mim, e peguei o mesmo, vendo quem era.

- Mãe?

“Oi Vicky! Por que não atendeu o celular ontem, hum?”

- Ah...eu acabei dormindo cedo. – sorri nervoso. Minha mãe me mataria se soubesse que eu dormi fora de casa, pior, que bebi até cair.

“Hum...e como andam as coisas? Tem brigado muito com seu irmão?” – ouvi sua risada alta, e afastei o celular da orelha. Apertei os olhos com força, tentando manter a calma. Nunca pensei que ouvir a palavra ‘irmão’ fosse me incomodar tanto.

- Hã, estão bem. Mãe, sobre aquilo que você conversou comigo, sabe... o Yoongi me falou.

“O que disse?”

- Que o Yoongi tentou conversar comigo sobre...aquilo.

“Estou vendo que as coisas estão bem mesmo entre vocês. O Suga nunca falou com isso, nem mesmo comigo. Ele deve se sentir a vontade com você.”

Me calei, sentindo meu coração começar a acelerar. Se sentir a vontade comigo, o Suga?

“Amor, eu vou ter que desligar. Depois eu te ligo, mamãe te ama.”

- Uhum. – murmurei e deixei o celular cair sobre a cama.

Isso é ridículo.

 Me pergunto por que isso está acontecendo, por que eu sinto como se estivesse doente. Ás vezes paro no tempo apenas para refletir sobre isso.

Sentimentos. Malditos sentimentos.

Eu nunca fui boa com isso, confesso. Nunca fui de entender, e acredito que nenhum outro ser existente teve essa capacidade. Apenas sinto. Mesmo contra vontade, mesmo negando ou escondendo, mesmo fugindo. Uma hora terei que aceitar, aceitar que mesmo não tendo escolhido esse frio na barriga, o coração pulando feito louco, ou um ciúme idiota, se apoderarem de mim. E isso machuca. Machuca por que odeio me sentir assim. Machuca por que não quero manter distancia, e isso é praticamente impossível. Ás vezes acho que seria bem mais fácil se eu fosse um robô.

Humanos tem sentimentos. E eu odeio não saber controla-los, e estar tão vulnerável á eles. eu sinceramente espero que eu esteja apenas confusa. Isso, eu estou confusa.

Apenas isso.

Senti um nó querendo se formar em minha garganta, mas engoli. Me levantei tirando as roupas, e caminhei para o banheiro.

Nada que um banho de água gelada não pudesse resolver.

 

 Yoongi POV

- Eu a beijei. – suspirei encarando a mesa.

- O que disse? – o olhei e tive vontade de sorrir ao ver sua cara de incredulidade.

- Eu beijei a Victória.

- Você tá de brincadeira com a minha cara, né? Como assim beijou ela, Yoongi?

- Ah, Hoseok eu só fui pelo impulso. Ela me provocou, e eu não aguentei. – engoli em seco.

- Gosta dela, não gosta?

- Tá louco? Foi só um beijo, não exagera Hope. Além do mais tem a Lu. Eu estou com ela, e estou muito bem se quer saber. – tomei um gole do café, que começara a esfriar.

- Yoongi, nem vem com essa de ‘impulso’, você sempre soube se controlar. Além do mais, eu te conheço muito bem, nem adianta inventar. Você pode até estar com a Lu, mas quando fala dessa garota muda completamente. – bufou.

- Você tá viajando. – balancei a cabeça revirando os olhos.

- Sabe, ela parece gostar bastante de você. – sorriu sugestivo.

- Por que diz isso?

- No dia que você foi ao psicólogo, eu fui à sua casa. Era por volta das sete e meia, tu ainda não tinha chegado, e ela parecia aflita com isso. Não pensou duas vezes em pedir o endereço e saiu atrás de você. – franzi o cenho ao lembrar desse episódio. Era verdade, ela me ajudou.

Se preocupou comigo, e por pura ironia eu me senti bem com isso.

- Não quer dizer nada. – dei de ombros, fingindo indiferença.

- Ok, eu desisto de você. Vou deixar que perceba isso por si só.

- Não tenho nada pra perceber, Hope. Agora me deixa ir embora, eu só quero dormir. – me levantei pegando meu paletó e vestindo o mesmo.

- Eu também já vou.

- Eu te levo.

Pagamos a conta dos cafés, e entramos no meu carro. Dirigi apressado, com a cabeça a mil pensando em tudo.

Tudo.

Esse ‘tudo’ tem me tirado do sério ultimamente. Tem me deixado confuso, e disperso das minhas próprias ações. Tem me feito perder o controle sobre meu corpo, sobre meus pensamentos que me desobedecem. Tem me feito odiar-me ainda mais, e me feito querer fugir. Ah, Min Yoongi no que está pensando?

Nem percebi quando deixei Hoseok em casa, e voltei a dirigir. Liguei o rádio em uma música qualquer, que pudesse me distrair, e logo cheguei em casa. Deixei um logo suspiro escapar, e entrei fechando a porta atrás de mim. Meu coração quase saiu pela boca quando ouvi um grito soar no andar de cima. Joguei minha pasta no sofá, e corri o mais rápido que pude, entrando no quarto dela. A porta estava aberta, e não tinha ninguém lá. Entrei ouvindo o barulho do chuveiro, misturado com uns grunhidos baixos.

- Victória? – chamei colocando o ouvido na porta.

Nada.

- Victória, o que está acontecendo, eu ouvi você gritar. Está tudo bem? – ouvi soluços e comecei a me desesperar. – Abre a porta! Aish, o que essa garota tá fazendo? – passei a mão por meus cabelos, bati na porta, mas nada. – Eu vou arrombar a porra dessa porta! Eu tô ouvindo você chorar, por favor...abre a porta. – esperei alguns segundos, e seu choro só se tornava mais alto.

Desisti, e dei um chute arrebentado à maçaneta. Meus olhos quase pularam do rosto ao vê-la caída com as mãos no rosto; os sons de seus soluços se misturaram a minha respiração pesada. Eu não consegui processar nada direito, nem quis. Eu só tinha uma certeza.

Vê-la chorando estava me incomodando, mas por quê? Eu nunca me importei, nem mesmo quando dizia palavras duras para ela, nem quando a ignorava. Mas agora...agora me sinto angustiado.

Sinto que estou enlouquecendo.

Me aproximei e peguei a toalha, a cobrindo. Resolvi ficar calado, apenas a peguei no colo a levando de volta ao quarto.

- Calma. – sussurrei deitando-a na cama. Encarei seus olhos vermelhos, e senti um aperto no peito. Aperto que já estava se tornando constante. Tirei os cabelos molhados do seu rosto, e sequei algumas lágrimas com o polegar.

- M-meu pé, eu torci. – disse por fim fazendo uma careta de dor.

- Espera. – fui á meu quarto e peguei uma maletinha de primeiro socorros. Aproveitei e tirei a gravata que estava me sufocando, e voltei rapidamente, sentando-me na ponta da cama. – Onde dói? – abri a maleta.

- Aqui. – voltei meus olhos para onde ela apontava. – Aqui Yoongi, aqui está doendo. – seu dedo estava sobre o peito esquerdo. – Eu nunca pensei que fosse dizer isso, mas a porra do meu coração está doendo.

A encarei. A encarei com um misto de raiva, medo, confusão.

Desespero.

- Eu... eu sinto muito. – fiz menção de me levantar, mas sua mão me impediu.

- Por favor, Yoonie. Fica aqui.

 

 


Notas Finais


Eita, parece que os sentimentos estão COMEÇANDO a nascer em alguém.... Mas calma gente, é só o começo, nenhum dos dois está morrendo de amores kkkk
~Chumchum
Xauzinho, beijo no kokoro!
Ps. VIRAM QUEM PERDEU A VIRGINDADE? KKKKK EU SOU MÁ Q


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...