História Como eu era antes de você - sasugaa-gaasasu - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Akamaru, Anko Mitarashi, Asuma Sarutobi, Baki, Chiyo, Chouji Akimichi, Chouza Akimichi, Danzou Shimura, Darui, Deidara, Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Guren, Hanabi Hyuuga, Hinata Hyuuga, Hiruzen Sarutobi, Hizashi Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ibiki Morino, Ino Yamanaka, Inochi Yamanaka, Iruka Umino, Itachi Uchiha, Izumi Uchiha, Jiraiya, Kabuto, Kakashi Hatake, Kankuro, Karin, Karui, Karura, Kiba Inuzuka, Killer Bee, Kizashi Haruno, Ko Hyuga, Konan, Konohamaru, Kurama (Kyuubi), Kurenai Yuuhi, Kushina Uzumaki, Maito Gai, Matsuri, Mebuki Haruno, Mei, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Mirai Sarutobi, Moegi, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Oonoki, Orochimaru, Pain, Personagens Originais, Rikudou Sennin, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shion, Shizune, Shukaku, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju, Yondaime Kazekage
Tags Gaasasu, Gay, Konoha, Lemon, Lgbt, Naruneji, Naruto, Nejinaru, Romance, Sasugaa, Sasusaku, Shikatema, Suna, Yaoi
Visualizações 48
Palavras 2.526
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Crossover, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Hentai, Lemon, LGBT, Literatura Feminina, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa Leitura!

Capítulo 1 - Prólogo


O Kage andava pelas extensas ruas de Konoha vasculhando todos os bares clandestinos e restaurantes da região a procura de sua irmã. A algumas semanas sua irmã chegou em seu escritório alegando que seu irmão precisava tirar férias para poder pensar melhor na propostas dos conselheiros sobre seu casamento com a filha do senhor feudal do país do vento. 

Já fazia um tempo que os conselheiros perseguiam o kage de suna com essa idéia, que na opinião do ruivo era insignificante. O problema não era o fato de se casar, e sim a filha do senhor feudal. O Sabaku nunca sentiu-se atraído por nenhuma alma se quer em toda a sua vida, e não seria aum casamento arranjado que o faria amar alguém românticamente, e ainda Gaara se sentia muito pressionado e forçado a aceitar tal proposta. Sendo que foi indiretamente ameaçado por um dos conselheiros que alegou que se o kage não se casasse até ele atingir a maioridade, Gaara correria o risco de ser tirado de seu cargo como Kazekage. O que de fato é algo que não acontecerá tão cedo. Temari afirmou para seu irmão logo após a reunião, que enquanto Gaara tiver o apoio das outras nações shinobis, ele não perderá seu posto como Kage.

No mesmo dia, sua irmã, Temari o arrastou a contragosto de seu escritório o mandando arrumar as malas, pois os dois iriam para Konoha com a desculpa que vão tentar arrumar uma noiva lá, sendo que a única coisa que eles faram é sentar e relaxar. O kage ainda obrigado pela irmã, deixou seu outro irmão mais velho, Kankuro, cuidando de Suna na sua ausência. 

— Suna está em completa perdição nas mãos de Kankuro. – Pensou o dominador de areia seguido de um longo suspiro.

Gaara estava a procurar Temari por todos os cantos de Konoha mas não a achava em lugar algum. A exatamente quatro horas atrás, sua irmã sairá do hotel onde estavam hospedados alegando que iria sair com Shikamaru, o ruivo de início não ligou muito, até que encontrou o Nara conversando com Chouji na churrascaria, e quando perguntou onde estava Temari, o acastanhado disse que a loira nem compareceu a o restaurante a onde os dois iriam jantar.

O kage ouviu várias pessoas gritando em um barzinho velho e todo destruído, mesas espalhadas por todo o estabelecimento, as garçonetes com pouca roupa rodeavam o local recebendo elogios e até mesmo toques de homens malfeitores que não tinham lá uma cara muito convidativa, todos os sorrisos direcionados as probres mulheres estavam rexeados de segundas intenções.  

— Trogloditas. – Pensou o ruivo, a o ver um dos homens desferir um tapa estalado na nádega esquerda de uma das garçonetes.

O Kazekage até cogitou ir embora imediatamente daquele lugar assim que presenciou tal ato, mas logo teve que desistir a o avistar sua irmã sentada no balcão virando sua décima garrafa de chopp, não deu nem tempo de Gaara dizer nada pois Temari o viu assim que ele se aproximou.

— Maninho! – Gritou a loira recebendo alguns olhares curiosos e outros de raiva de alguns dos homens e algumas garçonetes presentes no estabelecimento, a loira rodeou seu braço esquerdo envolta do pescoço do caçula o abraçando de lado. — Meu irmãozinho favorito!

— Temari, o que faz aqui? – O jovem kage aproveitou o modo como sua irmã estava pendurada em si, o que facilitou o trabalho de arrasta-la para fora daquele estabelecimento cheio de trogloditas.

— Eu vim aqui pra beber, ué. – Debochou a loira com as bochechas levemente rosadas por causa da bebida, enquanto um biquinho infantil se formou em seus lábios.

— Eu quero a verdade. – O ruivo continuou sem expressão, deixando sua irmã sentada embaixo de uma árvore, para que desse tempo para a garota de explicar.

— Eu tenho que contar mesmo? – Temari fez manha batendo os pés no chão como uma criancinha mimada, bufando assim que recebeu um olhar sério de seu irmão. — Shikamaru, — Bufou mais uma vez e continuou — Ele marcou de me encontrar no restaurante, só que quando eu tava chegando lá... — Fungou, enquanto lágrimas teimosas escorriam por suas bochechas. — Eu vi pela janela, ele abraçado a Yamanaka.

— Sério? – Gaara olhou para a loira ainda sem qualquer tipo de expressão, não acreditava que era por algo tão bobo que sua irmã foi parar naquele buraco. — Me perdoe,  mas Temari isso é ridículo.

— Ridículo pra você! – Suspirou a mais velha se levantando praticamente cambaleando mal conseguindo ficar em pé, séria até cômico se a Sabaku não estivesse a chorar feito uma criança. — Você nunca amou ninguém românticamente, Gaara. Nunca que você entenderia isso.

— Hm... – Aquilo de fato machucou o ruivo, mas não podia negar que sua irmã estava com toda a razão. O kage nunca tinha amado alguém daquela forma, nunca que ele chegaria a entender algo assim. — Vamos voltar pro hotel.

— Se pingos de chuva fossem pingos de morango que chuva gostosa seria! – Sua irmã cantalorava uma musiquinha baixinho apenas para ela e Gaara ouvir. 

— Se o vento tivesse cheiro de chocolate, que vento gostoso séria! – O ruivo a o ouvir a letra da música não pode conter o sorriso doce que surgiu em seus lábios, logo se pegou cantalorando a música junto a sua irmã, enquanto caminhavam tranquilamente pelas ruas de Konoha.

— Se os raios de sol fossem raios de biscoito que sol gostoso seria! – A irmã do Kazekage tombou a cabeça para trás soltando uma gargalhada gostosa sendo seguida por Gaara.

Ambos caminhavam lado a lado, Temari gostava da forma como seu irmão e ela eram próximos, o caçula podia parecer as vezes frio e sem qualquer tipo de emoção, mas isso era só a imagem pública que todos tinham dele, entre quatro paredes Gaara se tornava outra pessoa. Se a loira falasse pra qualquer pessoa tanto desconhecida, tanto como pra um amigo, o quanto Gaara pode ser uma pessoa amável, que vive sorrindo, uma pessoa brincalhona e que adora cozinhar e jardinagem. Ninguém, absolutamente ninguém iria acreditar nisso. As únicas pessoas que tiveram acesso a esse lado doce da personalidade do Kazekage, foram Kankuro e Temari. Chega a ser inacreditável como os três mesmo tão diferentes, eram tão íntimos, sabiam tudo um sobre o outro. 

— Somos tão diferentes, e ao mesmo tempo completamente iguais. – Pensava Temari, olhando de relance para seu irmão. A loira podia estar a quilômetros de distância, ela ainda conseguiria ver a beleza jovial e ao mesmo tempo angelical de Gaara.

Os cabelos ruivos levemente despenteados o deixando ainda com a aparência mais jovem que o normal, a pele tão branca que poderia se assemelhar a um cubinho de açúcar, uma pele tão branquinha sem qualquer imperfeição. Poucos podiam chegar perto para perceber, mas as bochechas do Kazekage são meio gordinhas com um rosado natural em suas maçãs do rosto. Os lábios carnudos e vermelhinhos, que o deixavam até mesmo sexy. Os olhos redondinhos verde água, que faziam qualquer um se perder naquela imensidão verde com um pouquinho de azul. O corpo do kage também passava diapercebido, por causa das vestes um pouco folgadas, mas para Temari que já viu seu irmão com uma calça e blusa mais apertada, pode perceber os músculos mais ou menos definidos do caçula, as coxas grossas e bem delineadas, e principalmente a bunda farda que fez o queixo da loira cair naquele dia. Seu irmão era um pecado, era uma pena que ninguém percebia isso.

— Vocês dois aí. – Uma voz grave foi ouvida pelos dois irmãos que logo avistaram um homem encapuzado a frente dos dois.

— Quem é você? – Questionou Gaara, já entrando em estado de alerta. O ruivo se amaldiçoou por ter deixado sua cabaça dentro do hotel. Temari e ele estavam vulneráveis.

— Quieto! – Ordenou o homem encapuzado tirando sua katana de suas costas a empunhando na direção dos Sabaku's.

— Eu vou pegar ele! – Gritou Temari correndo na direção do homem mas não deu nem três passos e caiu de bunda no chão com as perninhas de índio. Gaara quis rir a o ver a cena, mas ele e sua irmã estavam em uma situação tensa, tinha que pegar Temari e sair de lá. — Não peguei..

— Isso parece mais fácil do que eu pensei. – O homem pegou um tipo de tubo e atirou um dardo na direção do Kage acertando seu pescoço.

— O que é... – O ruivo mal conseguiu completar a frase, sentiu seu corpo fraquejar e sua visão se escurecer aos poucos, tudo a sua volta parecia girar e logo a visão do Kage se escureceu por completo sentindo uma forte dor em sua nuca.

— Gaara! – A voz de Temari foi a última coisa que escutou seguros antes de apagar por completo.


...


— Ele vai ficar bem, Sakura-Chan? – Uma voz grave podia ser ouvida a o lado esquerdo do ruivo. Era Naruto.

— Sim, Naruto. — A voz de Sakura de fez presente em um canto da sala. Gaara não podia ver nenhum deles, ainda não tinha forças para abrir os olhos, nem mesmo falou nada.

— Ele só está cansado. — Afirmou Temari, fazendo um breve cafuné nos fios sedosos do ruivo. — Gaara passava a madrugada no gabinete de Suna todos os dias, ele mal para de trabalhar. O mínimo que ele merece é alguns dias de descanso. Aqueles bando de urubus.

— Urubus? — A voz rouca de Shikamaru podia ser escutada a o lado direito do ruivo.

— Sim, aqueles conselheiros sugam até a última gota de paciência de meu irmão. Eles vivem trazendo cada vez mais coisas para ele fazer. — Temari bufou se afastando um pouco de Gaara, para que pudesse se sentar em uma das poltronas. — Eles ainda querem que meu irmão se case com aquela chata da filha do senhor do país do vento.

— Casar? Gaara não é obrigado a casar com alguém que ele não ame. — Sakura se pronunciou em um tom de indignação.

— Diz isso a os conselheiros. — A irmã do kage de suna se aproximou do caçula olhando fixamente para seu irmão, era visível a preocupação de Temari em relação a Gaara, todos naquela sala já tinham percebido o como a loira aparentava estar tão cansada quanto o ruivo.

— Temari você precisa de um remédio para sua ressaca. — Disse Shikamaru segurando o ombro da Sabaku a seguindo para fora do quarto do hospital.

— Sasuke-kun! — Exclamou a Haruno ao ver a figura do Uchiha passar pela porta.

— Sasuke, o que faz aqui? — Questionou o Uzumaki, envolvendo seu braço a o redor do pescoço do Uchiha que logo se livrou do toque de afeto do amigo.

— Fui eu que trouxe ele e Temari para cá.. — Afirmou Sasuke, logo continuando a falar ignorando os olhares surpresos de seus colegas de time. — Achei eles desmaiados de madrugada, tinha um dardo no pescoço de Gaara, e vim ver se tinha algum tipo de veneno que os fizesse desmaiar. E outra, todos os poucos pertences que os dois carregaram ontem forma furtados.

— Bom, — Sakura sorriu olhando em sua prancheta tentando quebrar o clima tenso que estava entre Naruto e Sasuke. — Ainda estamos analisando o que pode ter causado o desmaio dos dois, mas logo receberemos a resposta do exame de delito.

— Hm.. — O ruivo resmungou baixinho atraindo a atenção dos membros da equipe sete. — O que aconteceu?

— Você desmaiou, e sinto muito mas seus e os de Temari pertences foram furtados pelo cara que barrou vocês. — Disse Sakura sentando-se na ponta da cama, segurando sua mão. — Pode me dizer o que exatamente aconteceu?

— Pode ser depois? — Perguntou o Sabaku meio cabisbaixo, entre todos os pertences roubados havia o colar de sua mãe, que o ruivo achou numa caixinha antiga no porão de sua casa em suna. Era um colar com o valor muito sentimental para o ruivo, aquele colar era a única coisa que tinha de sua mãe.

 Claro, você deve estar cansado. — A rosada sorriu se levantando novamente. — Eu tenho que ir agora ver alguns pacientes que chegaram hoje de manhã na emergência, todos sem a língua, preciso investigar isso.

— Nos vemos na churrascaria, Sakura-Chan. — Naruto sorriu acenando para a rosada que logo se retirou da sala. — Gaara você vai na churrascaria hoje a tarde? Todos vão.

— Acho que sim. — O ruivo se sentou para que pudesse se acomodar na maca melhor. Sentia dor em todos os músculos de a corpo, estava exausto. — Como eu vim parar aqui?

— Eu trouxe você e sua irmã pra cá, quando estava andando por Konoha. — O Uchiha no fundo da sala de pronunciou recebendo finalmente a atenção de Gaara.

— Obrigado. — Agradeceu o Kazekage se levantando da maca com um pouco de dificuldade sendo ajudado por Naruto. — A onde esta minha roupa?

— Aqui! — Naruto o entregou a muda de roupas do kage, e se retirou da sala junto a Sasuke para que o ruivo se trocasse.


...


Assim que saiu do hospital, Naruto abandonou Gaara alegando que tinha que ver alguém e já voltava, deixando o ruivo e Sasuke sozinho. Um silêncio desconfortável podia ser notado a quilômetros de distância entre ambos que caminhavam lado a lado, sem destino algum. Nem mesmo Sasuke sabia por que continuava a caminhar a o lado do ruivo, assim como Gaara não sabia porque continuava a andar a o lado do moreno.

— Eles furtaram o colar, — Falou Gaara na intensão de puxar qualquer assunto, embora o ruivo gostasse de silêncio e não fosse la muito aberto com os demais, além de seu irmão e sua irmã. Gaara sentiasse incomodado pelo enorme silêncio que circulava ambos. — o colar de minha mãe.

— Uh.. — Sasuke finalmente direcionou seu olhar a o ruivo, o Uchiha não parecia la muito interessante em gerar um assunto, mas não podia negar que também estava incomodado com o silêncio presente.

— Era a única memória que eu tinha dela. — O ruivo suspirou fechando os olhos por breves segundos, conseguindo impedir que lágrimas teimosas escorressem por suas bochechas.

— Sei como é. — Sasuke pareceu ter se interessado pelo assunto, pois o que tinha dito não era mentira, quando Pein destruiu Konoha todas as casas que pertenciam a os Uchihas foram destruídas junto com todas as lembranças de sua família. Sasuke entendia a dor que Gaara estava a sentir naquele momento. — Posso te ajudar a acha-la.

— Sério?! — Por um instante Sasuke viu um lado de Gaara que poucos tinham o prazer de testemunhar, os olhos verde água do ruivo brilharam em expectativas, o Uchiha teve que segurar o riso a o ver o leve pulinho de alegria que o mais novo tinha dado. 

— Sim. — Sasuke sorriu de ladinho recebendo um sorriso largo de orelha a orelha vindo do ruivo. De fato, o moreno nunca tinha visto aquele lado do Sabaku.

— Obrigado. — E logo aquele lado amável de Gaara tinha ido embora em instante, e uma expressão neutra tomou conta do rostinho angelical do ruivo, que logo voltou a postura séria de sempre voltando a caminhar sem destino deixando um Sasuke confuso para trás.




Isso foi estranho.. — O Uchiha tombou a cabeça levemente pro lado com uma expressão confusa no rosto.



Capítulo Um: Prólogo


Notas Finais


OiOi espero que tenham gostado do primeiro capítulo, me digam o que vocês acharam dele nos comentários é muito importante pra Tia Lety, saber o que vocês estão achando dessa fanfic.

Gostaria de Avisar também que essa fanfic está ligada com outra, que é sobre o shippe NejiNaru, que também é executado nessa fanfic mas o foco é GaaSasu aqui. É necessário ler a de NejiNaru para entender alguns acontecimentos que ocorreram nessa aqui, então aqui está o link dela para vocês lerem:

https://www.spiritfanfiction.com/historia/e-se-neji-nao-tivesse-morrido-11569033

Obrigado por lerem até aqui!

Kiss de Kookie 💋🍪


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...