1. Spirit Fanfics >
  2. Como eu era antes de você partir -Vhope >
  3. Capítulo 2

História Como eu era antes de você partir -Vhope - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Capítulo 2


Taehyung tentou convencer o namorado mas sabia que Hoseok era teimoso e que não iria desistir facilmente.

A manhã se estendeu rapidamente e logo já era tarde, Hoseok estava no quarto se arrumando enquanto Taehyung tinha um mal pressentimento.

Estava com medo de algo acontecer ao namorado e perdê-lo pra sempre, estava com medo de ir naquele cinema e se tornar mais uma vítima fatal do "maníaco do cinema "

Mas ao olhar pro seu namorado viu que o mesmo estava feliz e animado pra sair já que eles não saíam a meses.

Hoseok -Amor não fica preocupado com essas notícias do rádio, isso sempre aconteceu e agora eles estão colocando pânico na população propositalmente.

Taehyung queria acreditar nas palavras do namorado mas se lembrou que várias pessoas havia sido mortas naquele lugar. E se ele e Hoseok fossem os próximos?

Estava deixando o medo tomar conta e o pânico estava se alastrando por todo o seu corpo o impedindo de raciocinar ou prestar atenção no que o namorado estava dizendo.

Hoseok - Amor você está me ouvindo? Você está tão aéreo hoje, eu não devia ter ligado naquela rádio.

Taehyung respirou fundo e forçou um sorriso se levantando da cama e indo em direção ao guarda-roupa pra pegar uma roupa e se trocar.

Se algo acontecesse ele estaria lá pra ajudar o namorado ou pelo menos era o que pensava.

Hoseok estava com uma calça jeans azul Clara, uma blusa branca que se estendia até metade de seus braços e uma bolsinha vermelha onde estava levando o dinheiro da entrada e comida e também seu celular.

Taehyung vestiu um blusa de moletom cinza e uma calça jeans Preta e já estava pronto.

Apesar de estar com medo e um mal pressentimento que o fazia querer ficar em casa, ambos seguiram pro cinema.

Hoseok estava com seus dedos entrelaçados ao de Taehyung enquanto sorria e olhava os locais pelos quais iam passando.

Apesar dos olhares de reprovação dos mais velhos acerca do relacionamento dos dois pelo fato de serem homens ambos continuaram de mãos dadas até chegarem no cinema.

Taehyung sentia como se alguém estivesse os seguindo e a todo momento olhava pra trás o que despertou curiosidade em Hoseok.

Hoseok-Amor o que foi? Você tá pálido, aconteceu algo?

Taehyung estava com medo mas também não queria estragar o dia mais importante de sua vida.

Taehyung -Não é nada amor, só vamos logo porque já está ficando tarde.

Hoseok -Então tá.

Hoseok sorria e estava incrivelmente feliz, mais do que o normal, diferente de Taehyung que estava pálido e apreensivo.

Taehyung deu graças a Deus quando chegaram no cinema e depois de pagarem sua entrada e comprarem pipoca e refrigerante seguiram pra sala em que seu filme estava passando.

Durante o filme Taehyung sentia se observado a todo momento e assim que virou pra trás viu um homem de capuz Preto seguir até a saída mas antes de ir embora se virou e deu um sorriso pro mais novo.

Podia ser só uma brincadeira de mal gosto mas o Kim ficou apavorado e sentia seu coração acelerado.

Hoseok -Olha que cena romântica amor.

Hoseok sorria enquanto estava com a cabeça apoiada no ombro de Taehyung.

O mais novo começou a se sentir mais seguro e durante o filme sempre que sentia medo Hoseok acariciava suas mãos levemente o fazendo se sentir seguro.

O filme acabou e já se passavam das 23:35 então eles decidiram ir direto pra casa.

Taehyung E Hoseok saíram do cinema e viram uma mulher que parecia ter uns 24 anos e um rapaz de meia idade ensanguentados no chão.

Eles eram mais uma vítima do "maníaco do cinema ".

Taehyung notou que todos os policiais estavam naquela cena e então se eles seguissem em frente provavelmente seriam os próximos ja que toda a atenção estava focada ali.

Hoseok -Deus, quando esse cara vai parar?

A mulher estava sem as roupas e parecia ter sido arrastada até ali, além de ter diversas marcas de facadas em seu corpo, já o homem tinha a marca de uma bala em sua testa.

Aquilo parecia proposital até demais pro Kim e então se lembrou do cara rindo pra si antes de sair da sala de cinema, ele poderia ser o assassino e poderia muito bem estar esperando as próximas vítimas.

Hoseok - Amor vamos pra casa?

Taehyung sentia suas pernas bambas e sua respiração pesada, estava com medo e queria chorar ali mesmo, Mas mesmo assim seguiu o namorado.

Taehyung -Hoseok eu te amo você sabe não é? Eu quero que você saiba disso meu amor.

Taehyung sabia que estava sendo seguido pois ouvia Passos atrás de si mas estava tudo escuro e somente a luz do luar iluminava o local, então se algo acontesse daria sua vida pra salvar a do namorado.

Hoseok -Eu te amo meu amor, mas porque está dizendo isso do nada?

Ouviram um barulho de passos atrás de si e então uma voz chamou pelo nome do Kim que entrou em estado de alerta.

Taehyung -Quem tá ai?

O mais novo olhava pra todos os lados mais não via ninguém o que o apavorava mais ainda, estava tudo escuro e ele não queria que machucassem Hoseok.

O assassino queria Taehyung e já estava planejando isso desde o início, desde que Taehyung entrou naquele cinema já havia sido escolhido.

Então depois de alguns segundos Taehyung ouviu passos atrás de si e então ouviu o barulho de um tiro seguido de um corpo caindo no chão e assim que se virou viu seu namorado caído.

O pânico e o medo se instalaram em si e no local. Hoseok sangrava e falava com dificuldade.

Hoseok -Tae... eu te amo... desculpa por não poder ficar com você, eu nunca... vou te esquecer.

Essas foram as últimas palavras do Jung antes de falecer bem na frente de Taehyung.

Quando menos esperava acabou tomando um tiro de raspão no braço direito o que o fez sentir uma enorme dor.

Começou a gritar por socorro e então o assassino fugiu, mas antes de sair da cena do crime fez a seguinte promessa "Eu voltarei pra te matar Kim Taehyung, você vai implorar pra que eu pare. Onde você estiver eu estarei, eu vou matar todos que você ama e quando você tiver o mesmo fim que o seu namoradinho eu vou fazer questão de rir da sua cara " e depois sumiu na escuridão deixando mais uma vítima pra trás.

O Kim apesar de sentir uma imensa dor começou a gritar por ajuda e então uma Policial que ia passando por ali ouviu seus gritos.

Hoseok estava morto. Havia tomado um tiro e não havia resistido.

Taehyung pegou o namorado sem vida no colo e sentiu suas forças se esvairem. O rosto bonito tinha uma feição de tristeza estampada e sua blusa que antes era branca agora estava toda manchada em um tom de vermelho escuro assim como as mãos de Taehyung.

Taehyung -Amor, amor, fala comigo Hoseok.

Ele estava morto e Taehyung tinha que aceitar o fato que jamais veria aquele sorriso brilhante, que jamais seria chamado de "Amor" novamente, que jamais iria realizar o seu sonho de se casar com o mais velho.

Hoseok estava gelado e o sangue escorria de seu peito onde a bala havia perfurado. Em seus olhos haviam pequenas lágrimas e seu olhar estava vazio e triste como se ele ainda estivesse sofrendo por ver o mais novo daquela forma.

Taehyung fechou os olhos do mais velho com a mão e então suas lágrimas começaram a cair sem permissão.

A policial saiu correndo pra chamar ajuda e então depois de alguns minutos o local estava cheio de pessoas.

Taehyung estava todo sujo e não ligava pro seu braço que sangrava bastante, ele só queria que Hoseok acordasse e dissesse que estava tudo bem.

Mas como Hoseok iria acordar se ele estava morto?

A Policial puxou Taehyung pra longe do namorado e ambulância logo chegou. Dois socorristas foram até Hoseok e um garoto baixinho e de sorriso bonito seguiu até Taehyung.

Jimin -Eu sou Park Jimin e sinto muito pelo que acabou de acontecer, poderia me acompanhar até a ambulância pra fazermos um curativo no seu braço?

A bala havia passado de raspão mas ainda assim o local em que ela havia passado doía bastante.

Taehyung -Mas e ele?

Taehyung olhava a todo momento pra Hoseok enquanto via os socorristas o pegarem e o colocarem em uma maca e em seguida colocaram uma espécie de lençol por cima do mais velho.

Jimin -O Jungkook e o Yoongi vão levar ele pro hospital, mesmo que não possamos fazer mais nada ele ainda precisa ir pra lá.

O Kim não aceitava o fato de que a pessoa que ele mais amava em sua vida havia morrido e ele não pode fazer absolutamente nada pra ajudá-la.

Seu coração doía e seus olhos ardiam de tanto chorar. Só queria que aquilo fosse um sonho ruim e que acordasse ao lado de Hoseok novamente.

Mas aquilo era real e acompanharia o Kim pro resto de sua vida.

Depois de ir na mesma ambulância que Hoseok e sentir como se um imenso peso estivesse em suas costas, Taehyung finalmente chegou no hospital.

Hoseok foi enviado pro médico legista e Taehyung seguiu até a sala de uma médica que se chamava Kim Jisoo.

Assim que abriu a porta viu ele em pé enquanto advertia uma garota e que parecia ser sua filha.

Jisoo -Lisa imagina se você tivesse morrido? Eu disse pra você não ir naquele cinema.

Lisa - Ela tá morta mãe, se eu estivesse lá eu poderia ter ajudado.

Lisa se referia a sua melhor amiga Jennie que estava com o pai no cinema e que havia sido assassinada junto com ele.

Taehyung -Olá, eu vim aqui pois me mandaram pra pedir a receita médica.

Lisa -E agora o que eu faço mãe? Ela morreu e eu não estava lá pra ajudar ela.

Jisoo -Você vai ficar aqui e vai me esperar pra gente ir pra casa junto pois é perigoso você ir sozinha.

Taehyung -Posso me sentar?

Lisa se sentou em um banco que tinha no canto da sala e Taehyung se sentou de frente pra Jisoo.

Jisoo -O que faz aqui? Qual é seu nome?

Taehyung -Eu vim aqui pra você me dar uma receita pra eu ir na farmacia e comprar remédios pra dor já que eu acabei de ser baleado e estou sentindo dor.

A dor de Taehyung não era só física, seu coração parecia que havia sido quebrado e toda vez que se lembrava do rosto do namorado sentia seus olhos arderem.

Jisoo -Já fizeram curativo certo? Suponho que tenha sido o senhor Park certo?

Taehyung -Foi ele mesmo.

Jisoo -O que houve pra você ser baleado senhor...

Taehyung -Meu nome é Kim Taehyung e eu estava voltando do cinema com o meu namorado e a gente foi abordado, ele morreu e eu tomei um tiro no braço.

Jisoo -Sinto muito pelo seu namorado. Mas não tinha ninguém na hora do ataque?

Taehyung -Estavam todos olhando a garota que foi estuprada e o rapaz que estava com ela.

Lisa -Espera, ela foi estuprada?

Taehyung -Ela estava sem nada e sim ela foi.

Lisa começou a chorar e então a mãe foi até a mesma lhe abraçando fortemente.

Taehyung queria ser abraçado daquele jeito, mas a única pessoa que faria isso por ele havia acabado de morrer.

Taehyung -Poderia me dar a receita?

Lisa -Eu estou em um momento de dor e você quer receita?

Taehyung -Meu namorado morreu na minha frente no dia do nosso aniversário de 3 anos de namoro, eu não pude fazer nada pra salvar ele e ainda por cima tomei um tiro no braço e você acha que eu estou bem com isso?

Lisa ficou calada e Jisoo lhe olhou com pena enquanto se levantava do chão onde a filha estava ajoelhada.

Jisoo -Eu lamento muito pelo seu namorado senhor Kim, eu farei a receita.

Depois de lhe entregar o papel Taehyung saiu dali e viu todos lhe olharem com pena, Hoseok era filho dos Jung's um casal influente e importante na cidade e agora ele estava morto, a cidade toda sabia disso mesmo que não tivesse nem 30 minutos que tudo havia acontecido.

Taehyung viu Jimin conversando com dois garotos de cabelo Preto e assim que viu o Kim seguiu até ele e lhe encarou sério.

Jimin -Preciso que me acompanhe até a sala do legista.

Os dois seguiram até uma sala que ficava no andar debaixo e assim que chegaram o legista os chamou pra mais perto.

Jaebum -O senhor quer ver o corpo?

Taehyung sentiu o peso daquelas palavras afinal era o amor da sua vida que estava ali.

Taehyung -Droga...

Jaebum descobriu o corpo de Hoseok e Taehyung viu o lugar exato onde a bala havia acertado :em seu lado esquerdo.

O Kim sentiu vontade de chorar pois a pessoa mais importante de sua vida estava morta bem na sua frente.

Jaebum -Lamento muito senhor Kim. Eu vou dar o laudo legistico e mandar ele pra funerária já que todos os exames foram feitos.

Taehyung acenou e olhou o namorado novamente, era como se ele dissesse "Eu te amo ".

Jimin o tirou dali já que o Kim estava prestes a chorar de novo e resolveu levá -lo pra casa.

Taehyung estava com triste pela morte do namorado e estava com medo de morrer ou de alguém ser morto por sua culpa, afinal o assassino disse que mataria todos que ele amava e Taehyung sempre era afetuoso e amável com todos a sua volta mesmo que fosse sério e mais na sua.

Taehyung -Jimin eu consigo ir pra casa cozinho, eu vou ficar bem.

Depois de se despedir do Park Taehyung foi andando na noite escura até a sua casa.

Como ele moraria em um local repleto de lembranças suas com uma pessoa que já não estava mais ali? Como superaria a dor de perder alguém que ele amava mais que a si mesmo? Como iria sorrir novamente se se lembrava a cada segundo do corpo do namorado?

Pensamentos como esse foram rondando na cabeça de Taehyung, mas o garoto de cabelos acinzentados foi interrompido com um barulho de passos atrás de si e novamente quando ia olhar não havia ninguém.

Sua respiração estava descompassada, seu coração acelerado e sentia sua pernas bamberam a medida que via as pessoas sumindo.

Estava com medo de ficar sozinho, com medo de morrer, com medo de perder tudo que já havia conquistado.

Assim que chegou em sua casa viu algo estranho : a luz de sua cozinha e de seu quarto estava acesa, mas ele não havia deixado nada aceso quando saiu com Hoseok.

Era possivel ouvir os barulhos de coisas sendo reviradas dentro de seu quarto.

O Kim entrou de casa e uma sensação de estar sendo observado tomou conta.

Os barulhos continuavam e vinham do quarto onde o Kim dormia com Hoseok.

Só podia ser uma piada que isso estava acontecendo com ele? Ele não podia acreditar que esse cara sabia seu endereço e que agora estava dentro de sua casa revirando seu quarto logo depois de matar seu namorado.

O garoto foi até a cozinha e pegou uma faca que estava encima do balcão.

A cada passo que dava a escada fazia um barulho de ranger o que só aumentava a tensão no ar.

Notou que assim que chegou no corredor que dava entrada pro seu quarto a luz se apagou e então uma voz passou a chamar seu nome consecutivas vezes.

Taehyung -Sai do meu quarto agora seu desgraçado.

A voz ria e zombava do pânico do garoto que parecia aumentar a cada momento.

Respirou e ao entrar no quarto não viu nada de anormal, porém quando ia acender a luz sentiu uma respiração próxima a sua nuca, o que fez com que ele ficasse totalmente paralisado de medo.

Taehyung -Q-Quem é v-você e o q-que você quer na minha casa?

"Por que está com medo Taehyung, eu não vou te matar agora, eu adoro ver a sua expressão de medo "

Pra Taehyung aquele cara era um doente que eatava brincando com o seu sofrimento e o de outras pessoas.

Taehyung -O que você quer? Você matou o meu namorado e agora está na minha casa?

"Você complicou tudo Taehyung, era pra você estar sozinho e não com aquele seu namoradinho ridículo que só sabia sorrir"

Taehyung -Qual é o seu problema comigo?

"Desde a primeira vez que eu te vi não consegui parar de pensar em como seria te ver sofrer "

Taehyung -Você é doente.

O Kim conseguia sentir a lâmina gelada perto de seu pescoço e já não se importava mais com absolutamente nada.

Se aquele cara o matasse poderia ficar perto de seu namorado novamente e então estaria livre de toda dor e sofrimento.

"Eu quero acabar com tudo que você ama e no fim eu vou acabar com você lenta e dolorosamente "

Quando Taehyung ia se pronunciar ouviu a campanhia tocar e a voz de sua mãe pode ser ouvida do andar debaixo.

"Se você falar algo pra ela eu vou fazer questão de matar não só ela, mas como todos que se aproximarem de você "

Taehyung -Me solta, eu não vou falar nada.

"Não acenda a luz, saia em silêncio e quando a ver aja naturalmente "

Taehyung -Como você quer que eu aja naturalmente se eu estou de frente pro cara que acabou de matar o meu namorado sem um pingo de Dó?

"Era pra ter sido você, mas ele entrou na frente e eu não tive opção a não ser atirar nele "

Taehyung ignorou a voz e seguiu pro andar de baixo, naquele momento só se preocupava em sair daquela situação.

Sra Kim -Oi meu filho, eu fiquei sabendo o que aconteceu com o Hoseok, eu sinto muito.

Taehyung -Hoje era nosso aniversário de namoro de 3 anos e eu ia pedir ele em casamento.

A mais velha viu os olhos do Kim lacrimejarem e então o abraçou e ficaram ali até que ela p convidou pra ir passar um tempo na casa dela já que todas as suas lembranças estavam ali e agora não era uma boa ficar lembrando pois isso só poderia piorar a cabeça de Taehyung.

Taehyung -Eu não sei se é uma boa ideia ir pra lá, o Kim Jeong-gyu ja Esta lá e eu posso acabar atrapalhando.

Sra Kim -Que nada, não precisa levar nada, lá já tem tudo que você precisa e seu quarto ainda está do mesmo jeito de quando você veio morar aqui.

A verdade era que Taehyung estava com medo de deixar sua casa e aquele cara vir atrás de si.

Mas quando viu ja estava no carro de sua mãe e assim que olhou pra janela de seu quarto viu a luz acesa e então o assassino estava parado na janela com seu cachorro de estimação.

Havia esquecido Yeontan e tinha que busca -lo.

Taehyung -Mãe para o carro que eu esqueci o meu cachorro.

Taehyung desceu do veículo e voltou pra sua casa pra pegar seu cachorro já que ele era importante e não podia morrer.

Assim que entrou na casa ouviu os gritos do cachorro vindos do andar de cima e correu até o local.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...