1. Spirit Fanfics >
  2. Como Fogo e Água >
  3. Capítulo 6

História Como Fogo e Água - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Mais um capítulo, obrigada pelos comentários, fico feliz que estejam gostando!!! Zutara Forever😍
🔥🌊
Obs: Se tiver algum erro eu vou corrigir quando fizer a revisão.

Capítulo 6 - Capítulo 6


Duas horas e meia de intensa meditação não foram suficientes para acalmar os nervos de Zuko. Depois que a dominadora de água interrompeu a sua meditação, ele passou as últimas horas tentando entrar num estado de paz de espírito o que estava sendo impossível com ele repassando os últimos eventos em sua cabeça. 

O príncipe banido estava meditando quando ouviu fortes batidas na sua porta. Por um breve momento de pânico ele pensou que fosse seu tio vindo lhe avisar que haviam sido descobertos, porém quando ele estava se levantando de sua posição de lótus ouviu claramente uma voz feminina proferir palavras que fariam seu tio corar. 

Zuko sentiu seu temperamento aumentar ao notar que a dominadora de água do Avatar estava arruinando o seu estado de espírito. Já não bastava ter que atura-la durante seu expediente mas também em seu momento de busca pela paz interior que estava cada vez mais raro. 

Zuko não se envergonhou de gritar na cara da garota. Ela estava em seu espaço pessoal e ele tinha todo direito. Ele só queria descansar antes de ter que sair a noite como o Espírito Azul. Mas claro que os espíritos não o permitiriam ter um minuto de sossego. 

Quando ela exigiu a pele de água, ele se deu conta de que havia esquecido que estava em sua posse, mas o que lhe intrigou foi o fato de ela querer sair da loja. O que ela tinha para fazer em um lugar que ela claramente desconhecia? 

A garota ostentava um olhar tão desafiador que Zuko se viu encarando os olhos tempestuosos da dominadora de água. Grandes olhos azuis o encaravam tão intensamente que ele não pôde deixar de sentir a excitação subindo pela sua espinha. Fazia um tempo que ele não tinha uma boa luta e sem dúvida Katara era um oponente formidável por mais que ele odiasse admitir. 

Ele estava se aproximando dela inconscientemente até ao ponto de sentir um cheiro de jasmim e algo que o lembrava da brisa do oceano. Com um breve momento de lucidez, Zuko se afastou abruptamente e foi buscar a pele de água da garota. Não era que ele estivesse fugindo é só que ele se incomodava de ficar tão próximo do inimigo só isso. Ele jogou o objeto para o dono e com um aviso final ele se trancou no quarto. 

Zuko colocou a mão no peito que estava estranhamente acelerado. 

- É a vontade de lutar. – Murmurou para si mesmo. - Me pergunto o que ela vai fazer andando sozinha por aí... Que seja, não é da minha conta. 

Depois de um tempo ele desceu para se juntar ao tio no jantar. Ao sentar na mesa ele notou que a garota não estava presente e tentou não se incomodar com isso. 

- Como foi seu dia sobrinho? – Perguntou Iroh enquanto separava alguns legumes. 

- Suportável 

- Infelizmente a nossa amiga não se juntará a nós esta noite

- Sua amiga – murmurou baixinho.

Se Iroh ouviu ele não demonstrou. Seu tio começou a fofocar sobre as senhoras que costumam frequentar a loja e Zuko desligou a voz de seu tio para planejar sua saída noturna. Ele teria que sair o mais silenciosamente para que ninguém percebesse sua ausência. O tio dormia como uma pedra ele só esperava o mesmo da dominadora do Avatar. 

 

Ao terminar de comer, Zuko se despediu do seu tio e voltou para o quarto. Ele tirou a roupa preta e a máscara demoníaca do baú que ficava em baixo da sua cama. Ele esperou até a hora em que todos estavam dormindo e guardou suas espadas na bainha de suas costas. Com uma última olhada no cômodo ele saltou da janela e correu pelos telhados de Ba Sing Se. Hoje estava quieto e ele esperava impedir pelo menos um crime ante de ir treinar. 

O Espírito Azul patrulhou toda a área de Omashu e não conseguiu encontrar nenhum rastro dos Dai Li e muito menos de bandidos vagabundos. Com a lua alta no céu, Zuko foi em direção a floresta que ele costumava treinar para finalizar algumas manobras que ele andava praticando. Ao se aproximar da clareira familiar ele ouviu um gemido saindo de algum lugar próximo a ele. 

Com os sentidos alertas, Zuko desembainhou as espadas Dao e se esgueirou na direção do som. Ele chegou em um local que estava cheio de arbustos, com o antebraço ele atravessou os arbustos e encontrou o que parecia ser uma árvore de figos onde as folhas se inclinavam para o chão como cortinas. 

- Vamos lá – Ouviu uma voz familiar. O mais silenciosamente que pôde, Zuko escalou a árvore e se surpreendeu ao encontrar a garota da Tribo da Água logo abaixo da árvore escondida pela cortina de folhas. Milagrosamente a morena não tinha se dado conta que estava sendo observada. 

Ela estava usando roupas diferentes da que usava na loja. No lugar da tradicional do Reino da Terra, ela vestia um kimono verde escuro de mangas curtas com uma abertura lateral no meio das coxas e por um breve momento Zuko pensou que era só isso, mas ao dar uma olhada melhor ele viu que ela usava uma calça marrom extremamente apertada na opinião dele. A dominadora de água alheia à sua presença estava assoprando o punho fechado como se estivesse com dor. 

Dizer que o príncipe banido estava confuso era um eufemismo. O que em nome de Agni essa garota estava fazendo sozinha no meio da noite?!

- Isso é mais difícil do que eu pensava. – Ele ouviu ela dizer. 

A morena se afastou do tronco da árvore, respirou fundo e fez uma posição que parecia ser um kata. Zuko esperava que ela começasse a dominar água mas para a surpresa dele ela lançou os punhos para frente como se estivesse socando um inimigo invisível. “Ela enlouqueceu de vez” pensou Zuko. 

Ele esperou que ela fizesse algum tipo de truque novo mas suas esperanças foram vãs ao ver ela chutar o vento e cair de bunda no chão. 

- Por que eu não consigo?! Sokka faz parecer ser fácil! – A morena bateu com a mão no chão antes de se levantar. 

Ao ver que ela não iria utilizar de sua dominação, uma luz se acendeu na mente de Zuko. “Ela está treinando combate corpo-a-corpo “ Zuko acenou presunçosamente para o seu raciocínio. Como ele previra antes, a garota não sabia lutar sem a ajuda da dominação. 

A jovem em questão tentou dar outro chute que obviamente fez ela tropeçar pateticamente. Zuko se encontrava de braços cruzados e revirando os olhos para o absurdo a sua frente. Ele poderia voltar para casa agora e deixar ela se matando de suas próprias quedas ou ele poderia tentas ajudá-la como o Espírito Azul e se tiver sorte conseguir alguma informação do monge careca. 

Ele só podia torcer para que ela não o deixasse congelado contra a árvore. Com um pulo ele caiu em frente a uma Katara muito esparramada pelo chão. A morena arregalou o olhos cerúleos e com um gritinho se levantou rapidamente. 

- Quem é você?! – Encarou a figura negra. 

Zuko se aproximou com as mãos para cima em sinal de rendição e apontou para Katara. 

- Não se aproxime! – Gritou a jovem ofegante. 

Zuko parou e fez uma careta por trás da máscara. Como ele vai ensiná-la se ela não o deixa nem chegar perto? Com uma ideia em mente ele calmamente se aproximou e segurou o braço dela. Antes que ela pudesse se mover, ele direcionou o pulso da mão e empurrou para frente com um pequeno impulso esperando que ela percebesse que ele estava mostrando o movimento certo de um soco. 

Ela pareceu notar pois as bochechas estavam se tornando um tom avermelhado. Zuko sorriu para si mesmo. “ Isso mesmo, você é horrível e eu estava assistindo” pensou zombeteiramente. 

A morena arrancou o braço do alcance dele. 

- Quem você pensa que é?! – Olhava desconfiada. Zuko apontou para ela e depois para si mesmo e fez um gesto de luta. 

- Você quer brigar? – Ela perguntou. Ele resistiu ao impulso de bater na testa. O Espírito Azul balançou a cabeça negativamente e pegou um graveto que estava próximo. Ele se abaixou e fez sinal para que se aproximasse. Cautelosamente ela se curvou para observar o que ele escrevia. 

- Eu não entendo –Murmurou. “ Eles não ensinam a ler na Tribo da Água? “Pensou Zuko horrorizado. Katara apontou para o que ele escreveu. 

- Está errado, acho que quer dizer ensinar. – Apontou a jovem. Zuko corou e concertou o caractere. 

- Ah sim por um minuto pensei que você não sabia escrever. – Comentou ao se afastar. 

O príncipe banido sentiu seu temperamento aumentar. 

- Você quer me ensinar a lutar? – Zuko fez sinal positivo. 

- Como posso saber se não é um pervertido? – Ele fez a sua melhor pose de ofendido. “ Ela deveria estar me agradecendo e não me ofendendo, isso que eu ganho com bondade” Suspirou Zuko internamente. 

- Sou dominadora de água então se fizer qualquer gracinha acabo com você – Ameaçou Katara. 

O Espírito Azul acenou com a cabeça. A morena relaxou nitidamente e se afastou. Zuko a olhou curiosamente. 

- Olha eu tenho que ir, mas amanhã estarei aqui. – Ele assentiu e esperou que ela saísse do local. 

- Vejo você amanhã – Com uma última olhada, a dominadora de água saiu em meio a cortina de folhas. Zuko se encostou na árvore e tirou a máscara. 

- No que foi que eu me meti. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado, qualquer crítica é bem vinda! Beijos até o próximo capítulo 。・:*:・(✿◕3◕)❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...