1. Spirit Fanfics >
  2. Como na primeira vez - versão de teste >
  3. Um dia ruim

História Como na primeira vez - versão de teste - Capítulo 6



Notas do Autor


Oieee! Dessa vez eu postei capítulo novo bem rápido hehe.
Espero que gostem desse neném saído do forno, boa leitura!

Capítulo 6 - Um dia ruim


Eudora se dirigiu à porta, curiosa, Afinal, já eram onze da noite. Quando abriu, se deparou com um garoto de cabelos cor de mel, bem mais alto que ela mesma, parado na porta com uma carinha de cachorro abandonado.

-Ai tia, eu fiz merda.

-Entra.


-Posso saber o que aconteceu?- Ela disse, olhando para um Jonathan preocupado, jogado na poltrona.

-Eu.. bem… He, você vai me matar, eu sei. Eu fiz aquilo…

-Atropelou uma idosa com o Skate novo? Aquilo o que? Ao contrário do que você pensa, eu não sou vidente.

-Ai, tia, eu beijei ele.

-Beijou… que? Quem?- Se sentou no sofá ao lado do menino, sorridente.

-Aquele… Erm… O Ed.

-Ha! Eu sabia, hahaha!- A mulher parecia muito feliz com a notícia- Conta tudo.

-Ai, Dora, pelo amor, mulher. Eu tava na casa dele, fui lá mais cedo, como eu sempre vou. Eu tava planejando fazer isso já tem uns meses- Eudora o encarou com deboche -Anos… Então eu finalmente tomei coragem e… fiz. É claro que não durou muito, já que o Fred entrou no quarto…

-Ele flagrou vocês?- Perguntou, indignada.

-Não, ele bateu na porta… Ah, mas eu pensei que ele fosse me odiar, me bater ou sei lá. Mas…

-Mas?

-Ele me beijou. Quero dizer, me beijou mesmo. Sem que eu fizesse nada. Na hora que eu tava indo embora ele foi lá e Pá! Me beijou. Eu tô confuso até agora.

-Ele gosta de você. Tá explícito. Acho que vocês deviam levar isso pra frente. Ah, eu sonhei com vocês juntos desde meus cinquenta anos…

-Puta merda, Dora, não precisa exagerar. Você tem o que, trinta e dois?

-Cinquenta e sete.

-Que? Como assim, Eudora? 

-É de família…

-Tinha que ser bruxa. Doida. Aliás, falando em bruxa, cadê a Catherine?

-Em algum canto dessa casa, provavelmente no jardim… E como assim "falando em bruxa"?

-Vou procurar ela- Riu.

-Vai na fé, irmão- Zombou do garoto que ia andando em direção ao jardim, que ficava por trás da casa.

"Só espero que ela não surte" ele pensou, levemente preocupado. Talvez a garota ficasse maluca. 

Ao chegar no jardim se deparou com Catherine sentada fazendo carinho na gata que estava imensamente gorda.

-Ela deveria fazer uma dieta- Ele disse, fazendo a meninas pular de susto.

-Ai, homem! Não precisa me matar do coração!- Ela disse, ainda se recuperando -Tá fazendo o que aqui? Não imaginei que você viria hoje.

-Passei só pra dizer um oi.

-Você nunca passa aqui "pra dizer um oi". Aconteceu alguma coisa? Atropelou uma idosa com um skate?

-Ah, é de família mesmo… Sim, aconteceu uma coisa. Pior: Eu fiz uma coisa. Não é algo ruim, já dizendo de início.

-Conta, conta!- Se levantou de uma vez, fazendo a gata sair de seu colo e rosnar para a dona.

-É melhor continuar sentada mesmo…

-Só fala logo. Que merda você fez agora? Depositou um milhão na minha conta? Arrumou um Daddy? 

-Não, nada disso. Não tem muito a ver com dinheiro…

Ele contou cada mínimo detalhe para a garota que apenas o observou com um olhar extremamente surpreso. Os olhos verdes de Catherine estavam arregalados.

-Eu… Tô… No… Chão- Ela estava boquiaberta, mas esboçou um sorriso, que se transformou, indo de orelha a orelha -Ai caramba, aí caramba. Eu tô no chão!

-Sua reação foi menos exagerada do que eu imaginei.

-Já gastei toda a minha dose de serotonina… Mas isso, cara… Acho que foi a melhor coisa que eu ouvi em anos. Ah, eu tô feliz por vocês- Ela agarrou Jonathan em um abraço apertado e ele acabou por rir disso.

-Você acabou de me deixar mais feliz do que eu já tava. 

-Isso é bom. Mas e aí? O que rola agora? Vão se casar? Ter filhos? Sapinhos de estimação?

-Sapinhos? Não é uma ideia ruim. 

-Namorem, seu porra- Cate deu um soquinho no braço do amigo, mudando de personalidade instantaneamente, como se.pre acontecia -Cacete, cê tá esperando o que? Um convite formal? 

-An…

-Sem "an", fale com ele amanhã, hoje já tá tarde, deixa o coitado fazer as Fanfics dele. Amanhã você vai na escola, né? Na volta eu vou com a Eve e você com ele. Conversem no caminho. E qualquer coisa… peça. Mais de anos esperando por isso, então não perde sua chance.

-Tá bom, professora- Riu -Eu vou falar com ele.

-Vai mesmo?- Ela abriu um sorriso e o apertou novamente -Eee!

-Maluca.


A noite passou tão depressa que Fred nem ao menos notou que havia dormido. Já eram oito da manhã, ele estava acordando mais tarde que o normal, já que não iria para a aula de qualquer forma. O rapaz enrolou mais uns minutos deitado na cama, mas não estava cansado, ele realmente só não queria sair do seu ninho, mas seu celular começara a tocar repentinamente.

-Droga…

Fred se esgueirou da cama para pegá-lo e atendeu de imediato. De início ele ouviu apenas estática, mas alguns segundos depois uma voz muito baixa começou a falar: "Oi merdinha, já deu pro seu namoradinho gay hoje?"

Fred desligou na cara de quem quer que fosse. 

-Idiota, idiota… Aquele merda não cansa?- O ódio havia dado conta do garoto e tudo o que ele queria era esmagar Tristan e fazer picadinho dele. Mas tinha perdido toda a coragem no dia em que apanhou daquele desgraçado, como o chama, e foi salvo por Jeff. "Eu devia falar com ele sobre isso. Não, melhor não, ele com certeza iria arrumar problemas com o Tristan".

-Eu vou proteger ele disso. Pelo menos disso…



-Cara, já é o último dia… não acredito que o ano passou tão rápido- Ken disse, se sentando na cadeira atrás de Eve.

-É, faz parte. Pra falar a verdade eu tô bem aliviada com isso- Ela respondeu, demonstrando animação em sua voz. Catherine se sentou ao lado do garoto de cabelos castanhos e disse:

-Eu não sei… Apesar de estar feliz com as férias eu tô com um pouco de medo. Ano que vem é o nosso último ano aqui. E se… a gente acabar se separando? Quero dizer, existe o grande risco da gente perder o contato. Sei de muita gente daqui que pretende fazer intercâmbio.

-Cê tem razão. Seria bem chato- Eve disse enquanto tirava um caderno da mochila. Cate fazia o mesmo.

-Não vamos nos preocupar com isso agora, né? A gente ainda tem mais um ano.

-Verdade- Cate concordou. A garota jogou as tranças ruivas para a frente de seu ombro esquerdo e se abaixou para pegar um estojo na mochila. Quando levantou o rosto levou um susto enorme: Fred entrou na sala de aula, com mochila e tudo, e foi se dirigindo para uma cadeira vazia no outro lado da sala. Cate, Eve e Ken se encaravam boquiabertos e depois olharam para o menino, que os notou e se sentiu um pouco incomodado. Ele percebeu que todos da sala o encaravam. A maioria surpresos, o resto estava assustado. Alguns cochichavam entre si,e Fred se sentiu imensamente desconfortável, mas apenas os ignorou e tirou os materiais da mochila.

-Uma hora ele tinha que voltar, mas não imaginei que seria no último dia de aula- Eve disse.

-Acho que todos estão sabendo. Repara no jeito que estão olhando- Ken revelou, se sentindo mal pelo rapaz encolhido do outro lado da sala de aula.

-Espero que ele não fique muito chateado. Admiro que ele tenha tido coragem pra voltar pra escola- Disse Cate, rabiscando uma página de seu caderno.

-Tomara que ele não decida peitar o Tristan de novo. Se o Fred fizer isso eu vou esfolar ele. E depois o Tristan, claro- Eve ameaçou.


A aula correu normalmente, apesar dos cochichos e olhares. Fred foi o primeiro a sair da sala, seguido pelo trio que, ao alcançarem ele, o puxaram para um canto.

-O que você tá fazendo aqui?- Catherine disse, ameaçadoramente preocupada, enquanto o prendia contra a parede. Fred revirou os olhos:

-Não precisa disso.

-Como o Ed deixou você sair de casa?- Ken perguntou, indignado.

-Não acredito… ao contrário do que vocês devem pensar, ele não manda em mim.

-Se o Tristan descobrir…

-Que ele se foda! Não vou deixar de viver a minha vida por causa daquele filho da puta. Se ele tá falando alguma merda sobre mim, foda-se, é tudo verdade mesmo. Não vai mudar droga nenhuma na minha vida!- Fred empurrou o braço de Catherine que ficou surpresa com a atitude do mesmo, e saiu pisando fundo, indo para longe do trio.

-Vamos atrás dele.

-Não, Eve- Cate segurou a amiga pelo ombro -Deixa ele. Não vai acontecer nada, ele sabe o que quer. É melhor a gente ir se não quisermos perder aula. A gente te vê depois, Ken- Deu um sorrisinho fraco para o amigo, que foi ao lado oposto que as duas garotas.


Fred continuou andando, agora em passos leves, um pouco triste. Estava olhando para o chão, distraído, portanto acabou se esbarrando com alguém.

-Desculpa- Disse, antes de perceber de quem se tratava.

-Fred?- Charles disse, um pouco surpreso em ver o ex namorado.

-Ah… Oi, Charles. Quanto… Tempo.

-Verdade, não te vejo mais por aí. É bom ter te encontrado aqui. 

-É…

-Espero te ver de novo. Até logo, Fred!

-Até logo- Era inacreditável. Mesmo depois de Fred ter terminado com o loiro, ele ainda o tratava bem, como se nada tivesse acontecido. Ele disse um oi… um oi! Fred tenta esquecer isso e volta a andar. Iria descer para o segundo andar e ir para a sua próxima aula.


O dia demorou tanto para acabar, e Fred nem havia se encontrado com o primo. Talvez Ed tivesse matado aula, o que não era muito comum de acontecer. Também não havia esbarrado com Jonathan, o que parecia ser um sinal de que os dois estavam possivelmente juntos. Fred não duvidou disso, na verdade, ficou feliz pelo quase irmão, isso amenizou sua ansiedade para sair daquele lugar insuportável. Ele chegou a trombar com um Tristan completamente mudado, que apenas o ignorou e seguiu conversando com uma garota negra baixinha, a qual parecia estar se divertindo com o brutamontes babaca que, dias atrás, havia ameaçado um adolescente de morte.

Fred foi para casa andando, sozinho, como sempre.

Quando chegou em casa, viu Ed sentado no sofá, com um sorrisinho idiota no rosto, enquanto assistia alguma coisa na televisão.

-Você chegou bem rápido- Fred disse -Não te vi na aula.

-Ah, eu não fui hoje- Respondeu -Perai, como assim não me viu? Você foi pra escola?- Se virou num pulo para encarar o primo.

-É, eu fui, esquece, não aconteceu nada. Quando eu saí de casa você não tava, foi aonde?

-Segredo…

-O Johnny também não tava- Disse enquanto colocava a mochila no chão, apoiada no sofá, e se sentou, notando a vermelhidão no rosto de Ed.

-Seu idiota- Jogou uma almofada em Fred, acertando seu rosto em cheio -Não é nada disso!

-Tá bem, eu vou acreditar em você. Quer café?

-Quero…

Fred se levantou rapidamente e se dirigiu à cozinha. Pegou duas xícaras e as encheu com o café. Enquanto guardava a garrafa, pôde perceber um movimento na janela. Um vulto escuro passava depressa de um lado para o outro, como se rondasse a cozinha. Fred chegou mais perto da janela e a forçou, abrindo-a com rapidez, assustando o gato que nela estava. Amon pulou no chão, arrepiado, e correu para o jardim, antes que Fred pudesse fazer ou dizer qualquer coisa.

O mesmo apenas ignorou e fechou novamente a janela. Voltou para o sofá, levando as xícaras de café consigo.

- Acho que esse gato já está velho demais _ Sentou-se na mesma posição que estava antes e entregou a xícara para Ed, que o olhou curioso _ Ele estava na janela, sem motivo algum.

- Ainda é tabu? _ Ed deu uma golada no café, ainda encarando o primo _ O Charles, eu digo. Vocês não estão se falando há três meses. 

-Eu não ligo muito pra isso. Na verdade, eu trombei com ele hoje… na escola.

- Sendo sincero, como você se sente? _ Ed se acomodou no sofá, ficando cara a cara com Fred, que se empertigou, pensando na pergunta.

-Tem pouco tempo, você sabe. Na real, você é o único que sabe. Eu não contei nem pra tia Na! Mas eu tô bem. Agora… De verdade.

-Tá bom… Foi mal por ficar te pressionando. É que eu fico preocupado, e você sabe disso.

- Não tem problema. Eu te entendo. Mudando de assunto… Quer assistir o que?

-Lembra aquela série que a gente começou a ver ano passado, mas o senhor não continuou vendo comigo? _ Ed enfatizou a última frase.

-Perfeitamente… Quer passar a tarde toda assistindo com o seu primo preferido?

-Como toda certeza, mestre do narcisismo.

-Essa é a minha especialidade.


Notas Finais


Voltei aqui só pra agradecer por terem lido até o fim desse capitulozinho, me desculpem pelo tamanho dele, vou tentar fazer os próximos um pouco maiores.
Espero que tenham gostado, até o próximo!
Escrito por: Akira's Diary


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...