História Como (não) Conquistar o Crush - YoonKook - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Jungkook, Jungkook!top, Kpop, Romance, Suga, Wtjeongguk, Yoongi!bottom, Yoonkook
Visualizações 217
Palavras 2.679
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OI OI! Tudo bem com vocês?

COMIGO? TUDO BEM!

Misericórdia, acho que preciso parar de prometer coisas que não cumpro... ;-;
Enfim, de novo aqui me desculpando pela demora que faço vocês passarem, eu estive realmente ocupada esses dias e também, essa fanfic está acabando, não sei se agradeço a todos vocês ou se choro! :') Vocês foram e estão sendo imensamente importantes pra mim e quando digo que amo todos os 140 favoritos, não estou mentindo.
Creio que é só isso. ❤

E MEU DEUS DO CÉU, VOCÊS VIRAM KIM MARAVILHOSOJIN? Gente, eu tô até agora tentando absorver aquela intro. Confesso que fiz diversas teorias loucas com minha amiga, e socorro, só saiu doideira dali. SÓ SEI QUE ESSE ÁLBUM VAI LACRAR! (todos lacram)

AH, vocês também viram o MV e o álbum do Stray Kids? Simplesmente uma maravilha e se eu não estivesse tão longe, guardaria o Chan e seus cachinhos num potinho! E o Jisung? Sem palavras! ❤

Bom, voltando ao capítulo.
A tradução é basicamente “Uma ajuda à mais não mata ninguém.” E sim, teremos a ajudinha maravilinda de Jung Hoseok, que até o momento foi o vilão da história.

ESPERO QUE GOSTEM!

CHEGA DE ENROLEIXON!

Fighting!

Capítulo 22 - One More Help Does Not Kill Anyone


Fanfic / Fanfiction Como (não) Conquistar o Crush - YoonKook - Capítulo 22 - One More Help Does Not Kill Anyone

Alguns dias se passaram desde então. Minha amizade com Hoseok está voltando aos poucos e talvez isso seja um avanço, já que o ruivo aceitou de bom grado nos ajudar com os preparativos de tudo. Percebi que o Kim e Hoseok estão bem juntos, se eu ainda não estivesse pensando no suposto beijo entre Taehyung e Jimin estaria apoiando os outros dois.

Eu e Yoongi estamos mais próximos a cada dia que se passa. Fazemos coisas de namorados mesmo não sendo oficiais ainda, menos transar, acho que esse é um passo muito grande e não quero assustar o Min.

Mantive contato com minha mãe, a mesma disse que logo mais voltaria para a Coréia e traria consigo um amigo. Eu posso ser idiota mas não sou burro, sei que esse lance de “amigo” vai virar namoro mais tarde, e quero estar presente para saber quais são as intenções do sujeito com minha mãe.

Hyorin a cada dia que passa demonstra ainda mais amor por mim. Duas vezes a mesma me chamou de “papai”, mas mesmo que tenha sido sem querer, sei que é de verdade. Mal posso esperar para que a garotinha chame Yoongi assim também.

- Dormindo de olhos abertos, Jeon?

Meus pensamentos foram bruscamente despertos por uma voz familiar, e logo o sujeito se sentou ao meu lado, encarando a mesma direção que eu. O encarei, vendo que era Taehyung segurando algo. Era seu livro. Arqueei as sobrancelhas e o mesmo percebeu, rindo baixo e deitando sua cabeça em meu ombro.

- Vai me perguntar o que eu faço com isso? - questionou e eu assenti, vendo o garoto suspirar. - Talvez eu ainda goste do Hoseok, mas... Parece loucura, porém acho que estou sentindo uma leve atração pelo Park. - confessou simplista, e eu logo deixei que uma exclamação alta escapasse de minha boca.

- Park Jimin? - perguntei alto e assustado, vendo o Kim rir baixo e assentir. - Em todo esse tempo de amizade, eu nunca pensei que você iria gostar daquela bolota loira, Kim Taehyung. - brinquei rindo, fazendo com que Taehyung me acompanhasse e negasse com a cabeça, deixando o livro de lado.

- Ele está moreno agora, idiota. - disse e eu resmunguei um “ah” baixo, voltando a encarar as nuvens. - E então, Romeu... Faltam só alguns dias, não é? - questionou o Kim e assenti sorrindo de lado, imaginando a cena.

- Acha que ele vai aceitar? - questionei inseguro e o Kim riu revirando seus olhos.

- Claro que sim. - respondeu. - Aquele baixinho nasceu para você. Caso ele não aceite, vá num bar e derrame lágrimas enquanto bebe um drink barato, e depois adote um gato. - comentou rindo.

- Ah, sim. Vou anotar isso. - ri baixo e suspirei, modificando minha expressão feliz numa preocupada e murcha. - Eu tenho medo, sabe? Medo de que ele não me ame o suficiente para isso e desista de mim dias depois. - admiti e o Kim suspirou baixo.

- Nunca vai ter respostas se não insistir nas perguntas, Jeon. - disse e o olhei.

- Olhando assim até parece experiente.

- Ouvi isso num filme antigo. Não me lembro o nome, só recordo que o assisti porque na capa tinha meninas de biquíni. Isso foi antes de descobrir minha sexualidade, eu tinha só nove anos, cara. - resmungou rindo e o acompanhei, voltando minha atenção para o nada, encarando qualquer coisa.

- Não se lembra do nome do filme mas se lembra de uma possível fala de um personagem. - provoquei.

- Aish, não me enche logo cedo.

- São três horas da tarde. - respondi.

- É cedo, sim. - disse convicto e se levantou, me estendendo sua mão. A peguei e num impulso, me levantei do degrau, limpando os poucos resquícios de terra que ficaram presos em minha roupa. Olhei para trás e respirei fundo, segurando minha mochila e seguindo Taehyung até a rua. - Desde quando usa o ginásio da escola para pensar em sua vida? Achei que só os mais intelectuais e depressivos faziam isso.

- Faz dois dias que frequento esse lugar, sabe, eu achei legal. - dei de ombros e vi Jin saindo de uma loja de conveniência, arqueei minha sobrancelha e corri na sua direção. - Ei, Seokjin! - exclamei e o Min logo me encarou.

- Ah, oi Jeon. - sorriu de leve e segurou uma pequena sacola.

- O que faz aqui? Não estava cuidando da Hyorin? - questionei e arregalei meus olhos. - Deixou minha filha sozinha?! Quer dizer, deixou a Hyorin sozinha, Min Seokjin?!

- Acalma aí, papai. - provocou e me olhou com sarcasmo em sua expressão. - Hoseok ficou cuidando dela para mim. Ele ia faltar a escola então ficou com Hyorin. E eu só saí de casa durante dez minutos, o que uma menininha de 5 anos poderia fazer nesse tempo?

[...]


Assim que chegamos na casa do Kim, antes de abrir a porta, ouvimos alguns gritos. Arqueei a sobrancelha confuso e Seokjin fez o mesmo, pedindo que Taehyung abrisse logo. Quando tivemos visão total do interior da casa, vimos Hoseok com papel higiênico em seu corpo, correndo feito louco pela sala, enquanto no chão havia glitter e lantejoula espalhados. Arregalei meus olhos assim como Taehyung e Seokjin, tendo minha atenção voltada para a garotinha, que estava vestindo uma blusa branca extremamente grande em seu corpo, os cabelos bagunçados e rindo alto.

- O QUE ACONTECEU AQUI? - o primeiro a se pronunciar foi Taehyung, recebendo a atenção dos quatro em si. Tampei minha boca com a mão para abafar o riso, diferente de Seokjin que ria escandalosamente. Dei alguns passos parando em frente à Hyorin, a pegando no colo. - Hoseok!

- O quê? - disse o ruivo, indignado. - Eu só fui no banheiro por dois minutos. Eu tinha colocado Barbie ‘pra ela mas quando eu cheguei aqui, tinha lantejoula e glitter na sala toda! E o papel higiênico, Hyorin pode ter cinco anos mas é rápida. Essa danadinha me enrolou todo! - dizia Hoseok enquanto Taehyung o encarava de forma mortal, com uma das mãos em suas têmporas. Mordi os lábios para conter o riso e deixei um beijo suave na bochecha da menininha, que só sabia rir alto pela situação do Jung.

Digamos que Hoseok passou uma boa parte do tempo limpando a casa do Kim. Os móveis estavam intactos, mesmo que ainda tivesse um pouco de glitter no sofá. Eu e Seokjin demos um banho na garotinha, que brincava com a espuma e ria alto toda a vez que uma bolha estourava perto de si.

Eu, como um pseudo pai babão, sorria feito um bobo por esse ato, enquanto Seokjin tagarelava sobre o quão bom eu seria. Talvez minha relação com o Min mais novo irá se concretizar mais pela chegada dessa menininha, ou eu apanhe muito e seja abandonado e vire um pai solteiro.

- Querem acabar com a água do mundo? - ouvimos a voz de Taehyung, este que apareceu na porta do banheiro. - Não são vocês que pagam minhas contas de água, seus viados. - continuou o Kim e nós três rimos, logo desligando o registro. - Faltam só alguns dias, Jeon, está ensaiando com Yoongi direito, ‘né? Se você fizer alguma cagada pode apostar que eu te encho de bolachas.

- Não se preocupe, eu consegui decorar com facilidade aquela coreografia. - sorri e peguei Hyorin no colo. - Mas como vocês vão arrumar tudo aquilo sem que Yoongi veja?

- Não é atoa que meu apelido de infância era Ninja. - disse Taehyung convencido e não consegui controlar minha risada. - Está rindo de quê, palhaço?

- Se esse era seu apelido não quero nem saber o motivo de tal. - ri mais ainda sendo acompanhado por Seokjin e sua risada alta e extremamente escandalosa.

- Enfim, vamos trocar Hyorin logo, a sua sorte é que eu tenho roupas aqui. - disse o Kim.

- E por que você teria roupas de uma criança de cinco anos em sua casa? - questionou Seokjin.

- Acha mesmo que depois de um mês com Hyorin na minha casa nós não frequentamos um shopping? Meu amor, você precisa ser mais inteligente. - finalizou o Kim e escutamos passos na escada, e logo a imagem de um Hoseok cansado apareceu.

- Pronto, terminei tudo lá embaixo. - disse o ruivo respirando fundo.

- Acho bom mesmo, e se eu achar um mínimo pó sequer eu farei você limpar com a língua, Hoseok. - disse o Kim.

- Eu sei fazer outras coisas com a língua também, quer experimentar? - disse o Jung mordendo seus lábios e encarando o Kim, que estava com suas bochechas coradas.

- Eita porra, até me arrepiei. - disse Jin e eu ri baixo, colocando o vestidinho rosa em Hyorin, que olhava os meninos confusa.

- O que você pode fazer com a língua, titio Seokie? - questionou a menininha e eu me engasguei involuntariamente, mesmo que não estivesse tomando nem comendo nada.

- Coisas de adulto, mocinha. - respondeu Hoseok, se aproximando. - Quando você tiver cerca de... dezoito anos vai poder fazer isso.

- O quê? - exclamei. - Minha filha só vai poder ter relações com trinta anos ou mais, e com meu consentimento! - continuei.

- Se ela for igual você, fudeu. - disse Taehyung e desatou a rir, sendo acompanhado pelos outros dois.

- Vai todo mundo tomar no cú. - respondi.

[...]


Os dias passavam lentamente. Eu estava ficando nervoso em relação ao recital e treinava todos os dias com um simulador de piano grátis. Talvez isso seja idiota da minha parte, mas convenhamos que eu não tenho dinheiro suficiente para comprar um piano de cauda ou algo assim, e mesmo se eu tivesse, não pagaria uma fortuna nesse instrumento.

Yoongi tem me dado dicas todos os dias, eu as sigo mesmo que me atrapalhe algumas vezes, já perdi noites de sono com isso, desejando estar perfeito para o grande dia. Espero que minha mãe volte logo, faltam algumas semanas e quero que ela esteja aqui, me apoiando. 

Minha relação com Jeon Wonwoo continua um porre. Quase saímos no soco na semana passada por conta de um donut, mas não é culpa minha se Yoongi prefere de baunilha ao invés de passas ao rum. 

Hyorin a cada dia que passa me pergunta como seria se Yoongi a conhecesse. Confesso que nem eu mesmo sei a resposta, mas apenas abro um sorriso e digo que ele a amaria logo de cara, não posso assustar a garotinha dizendo que ele irá me fritar.

Seokjin e o tal Kim Namjoon estão bem próximos. O garoto que descobri ser mais novo que o Min tem uma ótima lábia e disse que sonha em ser compositor e rapper, e eu super o apoio nessa decisão. Viramos grandes amigos, e quanto à Hoseok, acho que já está na hora de parar de ser infantil e perdoá-lo logo, visando que ele tem me ajudado muito nesses dias, com tudo mesmo.

Nunca pensei que diria isso, mas parece que minha vida está começando a melhorar.

Troquei algumas mensagens com minha mãe antes de escolher um casaco qualquer que eu tinha, destrancado a porta e me certificando de que eu havia desligado tudo lá dentro, não quero chegar e ver minha casa em chamas. Disquei o número tão conhecido por mim e após três toques, consegui ouvir uma voz sonolenta:

- Alô? - disse o Kim, possivelmente coçando seus olhos. - Quem é?

- Você atende o telefone sem nem ver quem está ligando, senhor Kim? - provoquei.

- Vai se foder, Jeon. - respondeu rindo baixo, bocejando em seguida. - Eu estava dormindo. Espero que seja importante.

- Eu estive pensando bastante...

- Woah, é difícil você pensar. - brincou e ri de maneira forçada, começando a andar até uma cafeteria mais próxima.

- Obrigado pelo elogio. - disse irônico, encarando algumas flores pelo caminho. Sorri com uma ideia em mente, tirando uma rosa do gramado e inalando seu cheiro, logo suspirando. - Pensei em chamar Yoongi para sair. - continuei, ouvindo resmungos.

- Pois chame. - disse, dessa vez um pouco mais animado. - Onde pretende ir?

- Eu não sei... - confessei.

- Entendo. Que tal um parque de diversões? - sugeriu e pensei um pouco.

- Certo. - respondi sorrindo. - Eu reparei esses dias que você anda bem coladinho no Hoseok, Kim Taehyung. - provoquei, ouvindo o outro se engasgar com algo.

- Está usando drogas, Jeon? - questionou o Kim e logo eu neguei rindo. - De onde veio essa idéia maluca? - questionou novamente.

- Não sei... - respondi rindo. - Pergunte à Seokjin, ele deve estar usando a mesma “droga” que eu, pois o mesmo concorda comigo. - continuei e sentei-me numa mesa afastada das demais. - Enfim, pode vir na cafeteria... - pausei tentando encontrar o nome do recinto. - Na cafeteria Cookies and Cream. - continuei, fazendo careta. Esses coreanos que sentem prazer em botar nomes gringos nas coisas.

- Claro, chego aí em... 15 minutos. - disse e concordei, logo me despedindo e desligando a chamada.

- O que vai pedir, senhor? - ouvi uma voz feminina e levantei minha cabeça, me deparando com um par de seios e um sorriso ladino coberto de batom. Puf...

- Ah... - resmunguei pegando o cardápio. - Um sorvete de creme, por favor. - respondi sorrindo. Sim, eu sei que essa mocreia está dando em cima de mim, mas educação em primeiro lugar, não é, crianças?

- Uh, claro... - a mesma disse e se afastou minimamente, mordendo seus lábios e caminhando - lê-se rebolando - até o balcão.

Revirei os olhos e batuquei meus dedos na mesa, soltando alguns suspiros enquanto esperava meu sorvete e o Kim. Peguei meu celular e vi que haviam algumas mensagens.

2 mensagens não lidas de Mãe.

1 mensagem não lida de Hyung.

3 mensagens não lidas de 5482-9312.

Arqueei a sobrancelha não reconhecendo o número, optando por abrir em sua conversa primeiro.

Número desconhecido:

Vejo que conseguiu o que queria. [11:29]

Pensei ter sido claro com você quando disse para não confiar em seus.. amigos. [11:30]

Tudo bem, posso conviver com isso. Lembre-se de que nem tudo na vida são rosas, garoto. Aproveite seus curtos momentos de felicidade. Mantenha nosso segredo. Vi que aprendeu a tocar piano, uma dica: toque-o suavemente, não queira ver as teclas quebradas. Assinado: J. [11:32]

Deseja bloquear o número?


- E aí, bolacha. - ouvi a voz de Taehyung ao fundo, logo guardando meu celular rapidamente. Forcei um sorriso, indicando a cadeira para o Kim se sentar. Olhei para o lado e vi Hoseok, arqueei a sobrancelha e encarei o Kim que deu de ombros. - Eu não vou deixar Jung Hoseok sozinho na minha casa nunca mais. - Taehyung disse e ri baixo, vendo a garçonete de antes aparecer com meu sorvete.

- Aqui está seu pedido, doce. - disse a mesma e Taehyung fez careta, olhando a mulher de cima à baixo.

- Então é assim que você trabalha? - questionou o Kim encarando o pedaço de papel que a garçonete deixou junto do sorvete.

- Me desculpe? - perguntou a mulher, aparentemente confusa.

- É assim que você trabalha? Dando em cima de homens casados? - o mesmo continuou e fui obrigado a esconder meu rosto, segurando o riso. Hoseok não estava diferente, o mesmo fingiu estar lendo o cardápio quando na verdade estava vermelho de rir. 

- Me desculpe, senhor, mas eu não-...

- Sem “mas”, mocinha. Dê meia volta e saia daqui, mas antes... - disse Taehyung e analisou o cardápio. - Eu quero um café expresso. - respondeu com um sorriso forçado.

A garçonete cruzou seus braços e encarou o Kim com a sobrancelha franzida. Taehyung apoiou seu rosto na mão direita e passou a encarar a mulher com falsa inocência. Esse garoto é louco.

- Vou te dar três segundos para sair daqui, caso contrário, será uma honra conhecer seu gerente. - sibilou ameaçador e a garçonete bufou, dando meia volta e saindo dali depressa. - Corre mesmo, sua bola tetuda!

- Taehyung, você tem problemas. - disse o Jung rindo alto. O acompanhei e mordi um pedaço de meu sorvete, sentindo minha barriga doer pela risada.

- Não tenho problemas, o nome disso é “Sensor de Vadia”, e ele funciona muito bem pelo visto. - disse orgulhoso e riu alto.





Se Taehyung não é a melhor pessoa do mundo, eu não sei quem é.



Notas Finais


E AÍ? O QUE VOCÊS ACHARAM? HUM?

TAEHYUNG É A MELHOR PESSOA! ❤

Gente, de novo esse número apareceu. Quem vocês acham que é o tal J? 🌚

EU AINDA NÃO ACREDITO NOS 140 FAVORITOS, PARECE ATÉ QUE EU TÔ SONHANDO! Muito obrigada mesmo!

Mil desculpas novamente pela demora, e olha só! Estamos na reta final de Como (não) Conquistar o Crush! Não sei se choro ou se choro :') ❤
Vou sentir muita falta dessa fanfic, sério. Ela é meu xodózinho :3

MAS ENFIM, espero muito mesmo que tenham gostado! E eu tô precisando de um sensor de vadia, alguém me dá um?

TCHAU TCHAU GENTEN! ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...