História Como Não Conquistar O Seu Senpai - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Lu Han, Sehun
Tags Drama, Exo, Hunhan, Luhan X Sehun, Romance
Visualizações 58
Palavras 1.226
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Resolvi postar os dois de uma vez só!
Espero que gostem e boa leitura a todos!

Capítulo 9 - Lição 9: Não respire!


Fanfic / Fanfiction Como Não Conquistar O Seu Senpai - Capítulo 9 - Lição 9: Não respire!

 

Eu não atendi as ligações, faltavam pouco menos de duas horas para a aula do dia começar, eu estava na cama largado querendo dormir mais um pouco como se fosse resolver minha vida.

— O que eu daria para acordar no corpo de Bill Gates... — Acordei (agora completamente), tomei banho e vesti o uniforme, me olhei no espelho por um momento sabendo o que eu estava prestes a fazer, minha cabeça ainda doía mesmo tendo feito um curativo e escondido com com uma touca, agora eram duas coisas que me incomodavam.

“— Chame ele para um encontro, pra esse lugar em especial, convença ele, use tudo o que você tem, com certeza você sabe como fazer isso. O resto eu resolvo, se quiser visitá-lo poupe-se disso, duvido muito que ele vai querer te ver depois disso. Se eu souber que alguém mais veio com vocês não será só aquele desgraçado que irá se foder.”

Li o bilhete com o local escrito com um pesar monstruoso sobre meus ombros.

Ponte Yanghwa”

Suspirei. Eu realmente não queria sair de casa. Sem fome eu pulei o café da manhã, e assim que fechei a porta para finalmente para fazer meu caminho ao colégio Chanyeol me cumprimentara ao longe como se fosse alguma pessoa decente. Revirei os olhos e tranquei o pequeno portão caminhando como se ele não existisse.

Foi então que senti seu braço entrelaçar meu pescoço, confesso que quase dei uma cotovelada no estomago daquele infeliz.

— Bom dia, Lu — senti a falsidade em sua voz, isso me dava nojo. — Está tão quieto, normalmente você seria mais feroz — proferiu decepcionado.

— Desencosta. — Disse seco.

— Você é tão mau... — uma voz chorosa mostrou-se, seus dedos acariciavam meu pescoço, bem, até nos aproximarmos da escola. Depois disso eu não existia mais. Ele acenou para seus amigos, não se dispensou do meu lado até em um sussurro sério dizer. — Melhor eu não vê-lo agarrado com Oh Sehun, convide-o e vá embora.

E falando no diabo, o garoto que antes tinha suas madeixas loiras agora tinha seu cabelo em sua cor natural, um castanho escuro que deixava sua imagem ainda mais bonita, meu coração se animou — até demais — ele estava lindo. Porém tive que desviar meu olhar, e Oh Sehun com seus olhos atentos percebeu.

Apressei-me junto com minha tentativa falha de esconder algo que estava acontecendo, hoje teria aula de educação física e eu com certeza iria cabular e assim fiz.

As provas já haviam terminado e junto com minha preocupação sobre as notas, o que eu teria de fazer amanhã se afundavam juntas na areia movediça que era minha mente bagunçada.

Quando Chanyeol saiu da sala não antes de me lançar um olhar de canto de olho pude respirar direito novamente. Droga! Eu me sentia um imbecil manipulado.

A bola de futebol e vôlei zunindo no grande campo da escola, estudantes conversando, porque comigo as coisas não poderiam ser normais desse jeito? Passei as mãos pelos cabelos bagunçando-os. Fechei meus olhos.

— Parece que alguma coisa te incomoda — aquela voz estava perto assim como o cheiro do seu perfume, ouvi a mesa mexer e quando meu olhar cismou em espiar, Oh Sehun estava assentado em minha mesa, por um momento arregalei meus olhos e os desviei rapidamente. — Acha educado me ignorar? Olhe para mim.

Eu não conseguia, me neguei até que por fim seus dedos moveram meu queixo. Suas sobrancelhas cerradas e seu rosto descontente pela situação me fizeram engolir seco. Mordi meu lábio inferior.

— O que está escondendo?

— Não é da sua conta, intrometido — Ele sorriu de canto, debochado.

— Espero que tenha ido bem nas provas, caso o contrário meu esforço não valeu de nada — Colocou sua mão na nuca enquanto negava com a cabeça.

— Caso ao contrário as estrelinhas de melhor aluno vão ser negadas para você — ri e um peteleco na testa cessou a recente piada. Confesso que enquanto conversávamos meus olhos não saíam das pernas do aluno de elite sentado em minha cadeira, o que foi comentado.

— Para onde está olhando? — perguntou sério. Engoli seco. Droga.

— Você que está sentado na minha mesa, me diz você — cruzei os braços. Então senti um leve arranque em minha gravata — por sinal fora assim que eu percebi que eu era horrível em fazer nó.

— Está me respondendo demais, preciso te colocar no lugar? — Arregalei os olhos e ele riu, o riso abafado que por alguns segundos pude esquecer o que estava prestes a fazer diante do tremer de meu corpo por aquele gesto, iria sim concluir algo.

Mas não com ele.

O sinal tocou, e antes dos alunos chegarem em sala e cada um ir para seus devidos lugares, Oh Sehun me fitou como se soubesse que algo estava errado, que só naquele gesto haviam várias conclusões em sua mente.

Respirei fundo com o final das aulas, se tinha uma coisa que sabia que não iria fazer, era enganar meu novo “tutor”, Chanyeol saiu primeiro exibindo seu sorriso galanteador e um para mim em especial, repleto de significados.

Naquele dia deixei minha mochila na escola e meu medo também, o verão se despedia e eu senti isso pelo ar que congelava minhas narinas ao respirar, caminhei devagar como se fosse apenas um passeio, anoitecia lentamente assim como meus passos.

Então na ponte Yanghwa, pouco movimentada naquele dia, contando Chanyeol e mais três seguidores seus que esperavam, impacientes ao longe, mais impacientes ao me aproximar, o mais alto retirou o cigarro de sua boca apagando-o no parapeito de ferro. Ele se aproximou soltando a fumaça do cigarro em meu rosto. Encenou estar procurando por alguém.

— Não estou vendo ele.

— Que ótimo, sua visão está perfeita — Logo um soco fora desferido em meu rosto, cai no chão enquanto cuspia uma boa quantidade de sangue.

 — Dá ultima vez eu estava no seu lugar — riu enquanto eu me levantava um pouco cambaleante. — O que pensa que está fazendo? Querendo ser o herói? Você sabe o que é isso aqui? — mostrou o celular com a foto.

Foi nesse momento que fiz exatamente o que Chanyeol não esperava, não fiquei com medo, muito menos receoso, em um gesto rápido retirei o celular das mãos daquela pessoa e vi o brilho do celular desaparecer nas águas do rio lentamente.

— Filho da puta — Foi a ultima frase que ouvi depois de sentir algo bater em minhas costas, minhas pernas cederam, me segurei no parapeito, as mesmas mãos de quem proferiua frase puxara meu cabelo, mas eu não me importei de rir mesmo com a dor incrivelmente incomoda.

— Parece que sua chantagem acabou — lambi o sangue do canto de minha boca. — como pode alguém ser tão baixo assim? — as mãos de Chanyeol se desprenderam do meu cabelo, mas levou meu corpo até o parapeito, a água pouco agitada se tornou minha paisagem.  

— Chanyeol não precisa fazer isso, vamos nos ferrar! — algum seguidor anônimo disse.

— E quem é você para dizer o que eu devo ou não fazer? — senti ódio em sua voz. — Vamos ver se consegue nadar, putinha.

— Lu Han! — Novamente aquela voz, virei minha cabeça para ver a figura suada e ofegante, nunca vi seus olhos perplexos se tornarem de um ódio tão profundo.

O gesto rápido de Chanyeol, os passos de quem estava a fugir e da pessoa que se aproximava. Tudo nos momentos em que ao ser jogado da ponte vi Oh Sehun correr e minha visão tornar-se escura. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado do capitulo e até o próximo!
Obrigada por ler!
Beijos rosados com glitter dourados!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...