História Como (não) convidar o crush para um café - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Got7
Personagens Jinyoung, Yugyeom
Tags Café, Defcyjsoul, Jingyeom, Kim Yugyeom, Meção!2jae, Menção!markbam, Park Jinyoung, Pepigyeom
Visualizações 74
Palavras 2.005
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Slash
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura; 🐥💚

Capítulo 1 - Único - (Não) stalkeie o feed do crush


Yugyeom se sentia extremamente grato por ter ido falar com o Tailandês fofo há uns anos atrás, quando o mesmo havia sido transferido para sua escola. Pois mesmo que atualmente o mais velho tenha o dom de irritá-lo nas horas vagas, todo o estresse era compensado por todas as outras demonstrações de amizade que Bambam lhe dera.

Desde os momentos difíceis da vida de Yugyeom, quando Bambam era o único que estava ali para cuidar do mais novo, até os momentos de demonstração de carinho e amizade sem que nada fosse lhe cobrado em troca. E em momentos como aqueles, Yugyeom agradecia profundamente por ter um garoto tão amigável e adorado por todos como seu melhor amigo.

Até mesmo porque, se não fosse por Bambam e sua inegável facilidade em socializar, quando que Park Jinyoung estaria ao seu lado, na biblioteca da faculdade que ambos frequentavam, ajudando-o em um trabalho importante?

Em todos os anos, desde o surgimento da instituição de ensino, eram promovidos alguns eventos anuais para todos os estudantes da faculdade, e entre eles havia uma espécie de trabalho de entrosamento, que era também o mais esperado.

Como uma maneira de que os pequenos grupos que eram formados no início dos anos letivos pelos alunos que tinham mais afinidade fossem mais comunicativos entre outros grupos, a faculdade fazia trabalhos com alunos do mesmo curso — em etapas diferentes — para que as experiências adquiridas ao decorrer dos anos pelos veteranos seja repassada aos calouros, no intuito de encorajá-los a persistir e se manterem no curso até o fim, mesmo que dificuldades possam surgir ao decorrer dos semestres.

E quando soube disso, Yugyeom teve certeza que faria a colaboração com Im Jaebeom, seu amigo de infância que sempre o ajudou em tudo e esteve ao seu lado sempre que fosse preciso, mas surpreendente, o mais velho resolveu traí-lo, lhe informando de última hora que faria o trabalho com o aluno novato transferido da universidade católica de Mokpo.

Obviamente, Yugyeom se sentira extremamente traído, afinal, ele e o mais velho eram amigos há anos, e Jaebeom era o maior dos traidores por trocar essa amizade — até então inabalável —, por um crush que mal notava sua existência, e de uma hora pra outra havia aceitado ser sua dupla no trabalho.

Quando achou que estava completamente perdido e que acabaria fazendo a colaboração com um qualquer que sobrasse, Yugyeom foi salvo por Bambam — quem ele deveria gratidão eterna —, e até que sentiu-se grato pelo ocorrido com Jaebeom, o que fez com que começasse a simpatizar mais com Youngjae, o menino de sorriso fácil e olhar fofo que teria sido o provocador de toda a situação

Como Bambam estava de rolo com Mark Tuan, obviamente ele seria sua dupla na colaboração para desenvolver o trabalho — lê-se trocar amassos de tempos em tempos —, e para a sorte de Yugyeom, durante algumas conversas sobre as duplas que estavam sendo formadas, Bambam soube que Jinyoung estava sem par para o trabalho.

Como era de extrema importância e garantia de alguns pontos na média, o tailandês teve a brilhante idéia de falar para Mark que Yugyeom também estava sem par para o trabalho, e unir o útil ao agradável. Bambam estaria ajudando seu melhor amigo a se aproximar do crush e dando solução ao problema de Mark, que reclamava há dias do mau humor de Jinyoung  que estava insuportável pela preocupação sobre essa nota — e também pois Mark saberia recompensar Bambam muito bem, deixamos em aberto para interpretações.

E por causa da intermediação de Bambam, ali estava Yugyeom, ao lado de um dos caras mais cobiçados da universidade — por sua inteligência excepcional e beleza sem igual, que ficava ainda mais evidente vista assim de perto.

— Jinyoung hyung… — Yugyeom disse em um tom de voz baixo, enquanto observava o mais velho digitar as últimas anotações para a finalização do projeto do trabalho em seu computador.

O trabalho era simples, apenas um seminário com análise e interpretação de textos sobre a matéria passada ao decorrer do semestre, nada muito grande, apenas uma estratégia da universidade para que alunos de diferentes etapas consigam aprender a trabalhar melhor com pessoas que não participam de seu ciclo social.

Ao receber o olhar de Jinyoung sobre si, Yugyeom entendeu como um sinal para que continuasse e prosseguiu em sua fala.

— Eu fiquei surpreso quando Mark hyung comentou que você também precisava de um par para o trabalho. — Yugyeom falou ainda mantendo seu tom de voz baixo, não porque estava nervoso ao lado do mais velho, é claro que não. Apenas porque estavam em uma biblioteca, e o silêncio deveria ser respeitado. — Er… quase todas as garotas da minha turma disseram que queriam fazer com você, sabe? Você é alguém popular entre as garotas e… eu fiquei surpreso.

Jinyoung observou Yugyeom intensamente ao percebê-lo meio tímido. Faziam alguns meses que Jinyoung prestava mais atenção no garoto alto que estava sempre grudado em Bambam — o tailandês simpático que Mark não parava de falar sobre —, mas nunca havia trocado mais que palavras de cumprimento com Yugyeom, por não ter tido um motivo palpável, ou alguma oportunidade para uma conversa mais duradoura.

Entretanto, quando soube por Mark que ele também estava sem ninguém para o seminário, não pensou duas vezes antes de pegar o número do calouro e usar a situação como o motivo que tanto procurava para comprovar se o garoto era tão interessante quanto parecia ser quando visto de longe. E fora comprovado, ele realmente era. Mas não apenas isso, ele também era divertido e extremamente fofo.

— Ah! — Jinyoung deu uma risada baixa, formando as características ruguinhas ao lado de seus olhos, que logo foram disfarçadas por sua mão que as cobria parcialmente enquanto ria. Yugyeom as achava adoráveis. — Bem, algumas garotas e garotos vieram falar comigo sim. Mas todos deixaram evidente que não estavam interessadas apenas em fazer o trabalho, sabe?

Yugyeom assentiu com a cabeça e voltou a observar os dedos ágeis de seu hyung digitando no notebook — enquanto pensava também que não eram apenas eles que tinham outras intenções com Jinyoung —, o que não durou muito tempo, pois logo em seguida Jinyoung fechou o notebook, colocando-o dentro de sua bolsa junto com seus óculos de leitura.

— Bem, acho que acabamos por aqui. — Jinyoung logo levantou-se e começou a caminhar em direção a saída da biblioteca com Yugyeom.

Durante o breve caminho das mesas mais distante da grande sala repleta de livros até a saída do local, Jinyoung pensou um pouco a respeito da situação que se encontrava. Há um bom tempo tinha um enorme precipício por Jinyoung, mas nunca havia trocado muitas palavras com ele, nem tentado investir na aproximação, e agora ele estava ali, ao lado do outro.

Não era como se Yugyeom fosse alguém inseguro, na verdade ele era bem confiante habitualmente, mas o mais velho mexia consigo de uma forma que nem ele mesmo podia explicar. Yugyeom não sabia se era por conta do olhar intenso, ou dos comentários que sempre soavam de forma provocativa, mas era praticamente impossível não sentir-se intimidado com qualquer coisa sobre Park Jinyoung.

— Jinyoung hyung, você conhece o café que fica ao lado dos dormitórios dos calouros? — Yugyeom falou antes que o mais velho pudesse se despedir, e quando recebeu um aceno de cabeça como um pedido mudo para que prosseguisse, o loiro voltou a falar. — Bem, é conhecido pelos cafés deliciosos e, você não gostaria d... — Antes que Yugyeom pudesse completar a frase, o som do celular de Jinyoung tocando pôde ser ouvido.

A ligação foi breve, mas nos poucos minutos Yugyeom pode ouvir Jinyoung dispensando alguém no telefone, o que o fez pensar que talvez o mais velho não quisesse sair ou tivesse outro compromisso importante. Quando estava finalizando a ligação, Yugyeom murmurou para Jinyoung que tinha que ir embora e acenou, logo tratando de sair dali.

Sem entender ao certo o que havia acontecido, Jinyoung tentou chamar Yugyeom mas ele já estava longe, então ficou um tempo observando-o pegar o ônibus que o deixava em seu dormitório.

~~ • ~~

Assim que chegará no dormitório, Yugyeom sentiu-se um grande idiota. De todas as chances que teria para chamar o crush para sair, talvez aquela teria sido a mais proveitosa, e por insegurança, ele deixou-a passar. Pensando bem, o máximo que ele poderia receber seria um não, o que não era algo tão ruim para alguém como ele que colecionava diversos foras.

Lembrava-se perfeitamente que o primeiro havia sido do próprio Jaebeom — seu hyung mais próximo —, o que visto de hoje fora algo bom, pois se tivesse ficado com ele teria sido algo extremamente nojento, afinal, eles eram como irmãos.

Enquanto lembrava dos foras de sua coleção — alguns bons como esse, e alguns um tanto quanto traumáticos —, Yugyeom decidiu olhar um pouco suas redes sociais a procura de alguma distração. Em uma de suas passadas pela timeline do Instagram, Yugyeom deparou-se com uma foto de Jinyoung e não pôde deixar de notar o quão fofo ele ficava quando tentava tirar selcas, pois aquele tipo de foto não era bem o que ele parecia mais fotogênico.

Como já estava ali, e stalkear o perfil do arroba não era algo novo em sua vida, Yugyeom começou a olhar as fotos do feed e quando percebeu já estava vendo fotos de 2015, onde deparou-se com uma foto em que Jinyoung fazia uma pose um tanto quanto engraçada, o que fez Yugyeom rir e deixar seu celular cair em seu rosto. Não seria nada novo no horizonte, isso acontece com todo muito, entretanto, poucos têm o nível de azar — e o grande nariz — do Kim que acabou acidentalmente curtindo a foto de Jinyoung que havia sido postada em 2015.

— Droga, droga! — Exclamou Yugyeom exasperado e tentando desfazer o like da foto o mais rápido possível.

Não que isso fosse apagar a notificação ou algo do tipo, fora apenas um ato desesperado de alguém que com certeza estava ferrado. Dentro de alguns segundos, uma mensagem chegara em seu direct, e como se a situação não pudesse estar melhor, era uma mensagem de Jinyoung. Agora sim, as coisas estavam todas prrdidas!


pepi_jy_

Stalkeando o perfil do hyung, Gyeommie-yah?


Assim que leu a mensagem, Yugyeom não pôde deixar de sentir-se soft só em imaginar o mais velho pronunciando seu apelido tão belamente. Mas esse sentimento doce logo tornou-se um leve desespero por não saber bem como explicar a situação. Na verdade, aquele tipo de situação nem tinha explicação.

yu_gyeom

Stalkear? Eu não. Foi meu gato que curtiu a foto.


pepi_jy_

Você é alérgico a gatos, Kim.


Por um momento Yugyeom não soube ao certo se sentia-se estranho por Park Jinyoung saber sobre suas alergias, ou pelo mesmo ter tentado arrumar argumento para rebater um “meu gato que curtiu”.


yu_gyeom

E como você pode ter tanta certeza, hyunggie? ~


pepi_jy_

Eu tenho meus contatos.

[img]


A foto que chegou acompanhada da mensagem de Jinyoung era uma imagem do mais velho com uma pose de indiferença, mas propositalmente bem posicionada para que fosse possível ver  bem o ambiente que ele estava.

Durante o momento antes da foto desaparecer, Yugyeom percebeu que aquele local lhe era bem familiar. Quando clicou para ver a foto novamente e os poucos segundos em que ela ficaria na tela começaram a ser contados, o loiro logo pôde perceber que o local lhe era familiar pois ele estudava ali sempre que entrava em semana de prova. Sim, aquele era o café perto do seu dormitório, e agora Kim Yugyeom tinha a certeza de que era um grande idiota por não convidar Jinyoung pra sair mais cedo.

Mas antes que pudesse sentir-se frustrado ou algo do tipo, teve um surto de coragem e decidiu agir e não perder mais oportunidades.


yu_gyeom

Certo hyung, eu estava te stalkeando. E se eu te disser que sou um ótimo stalker e sei onde está agora, você aceita tomar um café comigo?


Talvez aquela havia sido uma forma um tanto quanto estranha de chamar o crush para um café, mas a resposta de confirmação que lhe chegou logo em seguida, mostrou para Yugyeom que talvez as coisas não estivessem tão perdidas assim.


Notas Finais


Oi xuxus
Tentativa falha de humor
Capinha linda que a Lya fez ❤️
Dêem amor pro otp da nação
Escrito de coração
Espero que gostem
Chu~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...