História Como (Não) Disfarçar Perto do Crush - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, SHINee
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Jinki Lee (Onew), Jonghyun Kim, Kai, KiBum "Key" Kim, Kris Wu, Lay, Lu Han, Minho Choi, Sehun, Suho, Taemin Lee, Tao, Xiumin
Tags 2min, Baekyeol, Chanbaek, Hunhan, Jongkey, Kaisoo, Markson, Sulay, Taoris, Xiuchen
Visualizações 386
Palavras 4.352
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fluffy, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


~~~OIEEE
Me desculpem pela demoraaa
Estava sem WiFi e o meu irmão inteligente COF COF desgraçado COF COF passou o endereço errado para o moço
Mato ou nao??
Duvida cruel dksnsos
Boa leituraaa (*^▽^*)

Capítulo 11 - Conversa Adulta, Históricos que Comprometem e Pego Pelo Sata


Capítulo Onze — Conversa Adulta, Históricos que Comprometem e Pego Pelo SatanSoo!

“Você era o começo que eu esperava... ”

Será que essa regra iria funcionar? Acho que sim, pois a Como Disfarçar Perto do Crush funcionou até agora. Respirei fundo e tentei tomar coragem para falar realmente aquilo, iria ser constrangedor? Com certeza.

—Chanyeol, não posso dormir abraçado com você, porque de manhã eu acordo duro. —disse como se fosse a coisa mais normal do mundo, mas o retardado vulgo meu futuro marido, caiu na risada.

—AI MEU DEUS! —disse rindo. Ele batia as duas mãos e fazia algumas caretas enquanto ria sem parar. Fiquei o fitando com um olhar mortal. Aos poucos as risadas foram parando e ele ia colocando a mão no peito. 

—Isso não tem graça, é serio, Chanyeol. —disse bufando e estalando a língua. Queria que ele caísse e fosse deitadar na sua cama, antes que eu tivesse um ataque ao sentir os dois corpos colados.

—Você é muito engraçado, Baekkie! —riu e apertou a minha bochecha. —Mas não tem problema, pequeno. Amanhã se quiser, eu posso até te ajudar com isso. —sussurrou no meu ouvido.

Aquela voz rouca dizendo aquilo no meu ouvido, fez um estrago enorme? Claro, pois eu me arrepiei e fiquei sem reação. A minha garganta secou e mesmo tendo notado que ele tinha me chamado de “pequeno” – o que foi fofo – ainda sim aquela aura estava muito… Quente!

—Então, aceita a minha ajuda? Já podemos dormir agora? —ele estava brincando com o meu coração e com o meu corpo! 

—CLARO QUE NÃO! —eu praticamente gritei de nervoso. Minha voz deu uma tremida no final, que maldição! —E-Eu não quero a sua ajuda, posso fazer isso sozinho… —menti e senti minhas bochechas esquentarem.

—Sozinho é menos divertido, Baekkie. —sorriu malicioso. Agora definitivamente está sendo a minha morte! GDeus me leva!

—Se quer tanto me foder assim é só falar, porra! Não precisa ficar me deixando vermelho! —disse sem pensar e quando fui perceber o que tinha falado, o Chanyeol já estava me olhando com o mesmo olhar de antes.

—Pessoa mais sincera que você não existe, Baekhyun. —riu, mas logo voltou com o sorriso. Ele se aproximou e colocou uma das mãos em meu rosto e começou a fazer um pequeno carinho ali. Quando o maior ia se aproximar do meu pescoço, eu  levantei correndo.

—VOUAOBANHEIRO! —disse tudo junto e me embolei nas palavras, o que fez o Park voltar a rir que nem um doido. Entrei no cômodo correndo e me tranquei. 

Minha lista para esse ano vai ter que aumentar, porque veja bem, além de ter beijado Park Gostoso Chanyeol, ainda recebi uma proposta de ajuda. O que está acontecendo comigo? Será que o universo quer me ajudar pelo menos uma vez na vida, ou ele quer me matar de vez com essas ações do platinado? Se na minha vida passada eu tiver morrido por causa de um ataque cardíaco, digamos que foi o universo conspirando contra mim. Gdeus, aonde está o hétero com quem eu dividia meu quarto? Foi sequestrado por alienígenas que querem abusar do seu corpinho lindo? Tudo bem que sou muito lindo e irresistível, mas nunca pensei que seria tanto assim. Posso dizer uma verdade? Gdeus, deixe o Chanyeol assim, gosto dele desse jeito. Sei que o mesmo ama me provocar, então eu também posso certo?

Dei alguns pulinhos no banheiro e comecei a sorrir, estava louco? Não, isso é a felicidade pelo seu crush ter te notado tanto! O celular que estava no meu bolso serviu para eu começar a tirar fotos, até uma dancinha estranha fiz enquanto tocava Rookie. Ah, Red Velvet, só vocês para serem a minha trilha sonora de felicidade.

A música já estava quase acabando, então abri a porta e sai sorridente de lá. O platinado estava deitado com a barriga para baixo, aproveitei e corri até a minha cama e pulei bem em cima dele que deu um grito. 

—Vingança! —ainda não iria provocá-lo. O outro riu e tentou me tirar, mas não conseguiu. —Desista, Chanyeol. —ele negou com a cabeça.

—Você é pesado! —disse tentando me tirar. —Vou ficar com as costas doendo, depois você que vai cuidar delas? —tentou arrumar uma desculpa.

—Costa doendo uma ova! Agora aguente a ira desse ser maravilhoso que é Byun Baekhyun. —eu disse colocando a mão no rosto e fazendo cara de rico!

—Baekkie, você é tão malvado comigo. —fez bico e eu ri. —Não acha que deveria se preocupar mais com o seu colega de quarto que tanto te adora? —o maior disse. No mesmo instante começou a tocar Mi Mi Mi.

—Mi Mi Mi Mi Mi Mi, Mi Mi only Mi Mi. —cantei e me levantei para dançar novamente. Ainda estava tocando essa parte, então fiquei apenas mexendo a cabeça. O Chanyeol virou e se levantou.

Quando começou a tocar apenas a parte instrumental, olhei para o Park que riu e assentiu. Nós dois começamos a dançar. Fazíamos passos estranhos que dançarinos profissionais não entenderiam nunca. Eu tentava dar umas reboladas e quando conseguia, não segurava a risada, o mesmo para o Chanyeol que fazia uns movimentos que ele mesmo inventava. Quem entrasse no quarto agora e nos visse assim, diria que somos doidos. A noite foi passando assim: com risadas, danças do satanás e vergonha alheia, pois tentamos fazer aegyo.

Observação: eu não dormi abraçado ao Park. Amém!

×××

Se me perguntassem se eu preferiria ir para o inferno e dar de cara com o Kyungsoo sentado no trono enquanto o Jongin está ao seu lado como um servo fiel, ou ir para o céu e ver o Junmyeon mandando em tudo enquanto muitas ovelhas correm pelas nuvens e pulam cercas, eu diria que preferia ficar quietinho na minha cova. Só que o assunto não é esse, mas sim o quão endemoniado o Soo aparenta ser. Meu amigo jogava macumba nas pessoas e dava extremamente certo, além de eu já ter visto ele com um livro sobre bruxaria e encantamentos. As pessoas pensam no Tio Lu como alguém com chifres – coitado, pensam que ele é corno – e um rabo que me faz lembrar Dragon Ball, será que na lua cheia o macaco aparece? Mas vejam pelo lado bom, o tido cujo não é nem um pouco assim, pelo contrário, é um baixinho com olhos grandes e que mesmo com a maldade é bonito! Por que estou falando tanto assim no Kyungsoo? Bem, tudo começou na maravilhosa paz que se estendia pelo colégio, até porque era sábado e não precisávamos acordar cedo. O Chanyeol meio que me obrigou a ir até a porra da cantina com ele, tudo bem que comer era uma das melhores coisas da vida, mas ainda estava de manhã! 

Depois de um quase surto meu, nós dois sentamos na mesa mais afastada do refeitório e o maior pode apreciar a sua torta de chocolate. Eu apenas o olhava e o via sujando o rosto com todo aquele doce, isso era um tanto fofo. Minha mão permanecia apoiada ao meu maxilar e toda aquela atmosfera de preguiça estava me dominando, mas uma certa pessoa estragou tudo isso. O Minseok chegou já gritando e olhando para todos os lugares procurando alguma coisa. O meu irmão veio até a nossa mesa e se sentou, como ele parecia cansado e desesperado, percebi que o assunto se tratava de uma nova fofoca. E como um passe de mágica, era exatamente isso mesmo, mas a fofoca envolvia o Z.Tao que estava escondido no quarto enquanto relia pela décima vez a mensagem que seu namorado tinha acabado de mandar falando que logo chegaria aqui. Minha mente voltou a trabalhar e em pouco tempo, chegamos ao seu quarto. O Yifan estava tentando acalmá-lo enquanto dizia coisas como “cara, pelo menos você ainda está respirando” se eu ri? Pode ter certeza. Mas voltando ao assunto do Soo. 

O segundo passo para a desgraça foi eu indo furtar o carro do diretor. Mentira, não furtei, apenas arrumei algumas peças que o seu filho tinha quebrado, assim, com o veículo arrumado, o diretor poderia ir visitar a sua tão amada família. O Junmyeon me ajudou indicando as partes certas e o caminho até a garagem do seu pai. O Jong ficou responsável por fazer as ligações entre todos nós, ele era uma espécie de rádio ambulante. O Luhan e o Sehun tentaram isolar o local aonde seria o tão esperado encontro, sabe como fizeram isso? Os dois simularam uma transa no quartinho do faxineiro – bem feito, quem mandou mexer comigo – e o Jongdae ficou na frente da portinha dizendo que era melhor ninguém se aproximar, até aviso do piso molhado o meu cunhado colocou. O Luhan aproveitou isso e molhou um pouco o chão para dar ainda mais desculpa. O Chanyeol ficou responsável por fazer as pessoas se reunirem em algum lugar, isto foi na quadra, pois o platinado chamou alguns amigos para jogarem basquete e quase todos os alunos foram assistir. O Minseok e o Yixing ficaram na entrada do colégio observando os carros que passavam, eles iriam avisar quando o outro chegasse. O Jongin, o Soo e eu ficamos escondidos por ali para observarmos a conversa que os namorados teriam e o Yifan ficou consolando o chinês que tremia.

O terceiro passo para a desgraça foi o Kyulgi chegando, pois o Minseok avisou o Jong que mandou mensagem para nós. O Tao esperava ali no local marcado e o Yifan já estava com a gente espionando o encontro. No começo foram apenas alguns beijinhos e perguntas super aleatórias, o namorado do chinês era bonito, mas a cara dele já dizia tudo: era um idiota por completo – e dessa vez não era elogio –. Tudo estava indo bem, até uma garota brotar dos quintos do inferno e começar a falar com o loiro e pior, falar sobre a porra da viagem!

—Tao, você já arrumou suas coisas para a viagem para a Califórnia? —a desgraçada perguntou sorrindo como se tivesse dito algo normal.

—Que viagem? —o moreno perguntou com uma expressão nada boa. Fodeu! —Amor, sobre o que ela está falando? Você vai para a Califórnia? —a garota olhou para o outro estranho.

—Sim, as nossas salas vão ir. —ela disse.

—Ah, obrigado. —o Kyulgi disse. —É claro que o Tao vai, então depois vocês conversam, sabe como é que é passar um mês longe do namorado. —sorriu amarelo e a garota assentiu e saiu.

—K-Kyulgi, eu posso explicar! —o chinês disse com os olhos arregalados e com a voz falha. —E-Eu não te contei, porque ainda não era nada certo e… —ele foi interrompido pelo outro que segurou a gola de sua camisa.

—Você realmente acha que vou acreditar nessa desculpa esfarrapada? —perguntou com um sorrisinho diabólico no rosto. —Você não vai nessa viagem e muito menos irá sair desse maldito colégio! —encostou o Tao na parede.

Engoli em seco, por isso que ele tinha tanto medo assim do namorado? O Kyulgi é alguém ruim que não merece o meu amigo. O Soo já estava quase partindo para cima dele, mas o Jongin estava o segurando.

—E-Eu vou! —o Tao disse tentando o empurrar. —É com os professores, não vai acontecer nada! —o outro riu.

—Você não vai, Taozi. —disse dando um sorriso diabólico. —Até porque, você vai estar comigo, fora desse lugar. —gdeus me ajude!

O namorado do Tao parecia o próprio satanás em pessoa.

—Sabe a coisa que mais odeio? —perguntou rindo. Esse cara tem problemas. —Mentiras! E você mentiu para mim, sabe que isso terá uma punição certo, Tao? —o chinês tremia de medo.

—E-Eu ia te contar… —ele interrompeu a própria fala quando o outro levantou a mão pronto para bater em si.

Nesse momento, eu não aguentei e sai do meu esconderijo indo correndo para perto dele. O Jongin e o Kyungsoo fizeram o mesmo, mas como eu, não chegariam a tempo, só que o Yifan chegou.

—Não toque nele! —o Yifan segurou a mão do Kyulgi e o olhou sério. Ele nem parecia o garoto que sempre estava envolvido com o celular e em seu próprio mundo.

—Quem é você? —o Kyulgi ergueu a sobrancelha e olhou para o loiro. —Você está me traindo agora, Taozi? —perguntou com uma voz raivosa e tentou tocar nele com a outra mão.

—Já disse para não tocar nele! —o Yifan o empurrou e entrou na frente do chinês que já estava com lágrimas nos olhos. 

—Eu estou aqui, Tao. —disse e abracei ele. Os seus soluços podiam ser ouvidos, enquanto os outros dois se encaravam com uma intensidade enorme. Só que isso não durou muito, pois um certo Tio Lu da Coréia veio correndo e acertou um soco certeiro no Kyulgi.

—SEU IDIOTA! —e o mais alto cambaleou para trás. Os meus olhos se arregalaram, como o Kyungsoo conseguiu fazer isso?

—Seu baixinho. —o Kyulgi estava com sangue nos olhos e estava indo pra cima do Soo, mas o Jongin o parou.

—Se você dar mais um passo, pode se considerar um cara morto. —o Kim disse e esticou o dedo para ele. —Tem certeza que quer vir? —o chamou usando o dedo e o outro bufou.

—Se afaste do Tao e não o procure mais! —eu disse ainda abraçado ao outro. —Você não o merece e nunca mereceu. —nas crises de choro sempre foi eu que o apoiei.

—Ele ainda é o meu namorado. —disse rindo irônico. O Yifan foi para mais perto dele e se curvou até o ouvido do outro.

—Você deixou de ser namorado dele há muito tempo atrás, então pode ter a educação e sair daqui agora? —sussurrou e se afastou. Ele veio até o chinês e o pegou no colo. —Vou levar ele para o nosso quarto. —disse e sumiu pelo corredor.

—Além de idiota, você ainda é surdo? —o Kyungsoo perguntou rindo. —Não ouviu o que o Yifan disse? Quer que eu repita? —o outro o olhou.

—Não me surpreendo com os tipos de amigos que o Z.Tao tem. —disse nos olhando. —Vocês todos sempre fizeram mal a ele. —ri.

—Quem sempre brigava com ele e o mal tratava era você, querido. —disse segurando na mão do Soo e o puxando para irmos embora. —Agora aguenta, porque o meu amigo não é trouxa para continuar com você. —deixei claro.

—Acho que você se enganou um pouquinho, pois é atrás de mim que ele sempre vai depois de ser consolado pelos seus amiguinhos. —sorriu malicioso.

—Não acredito que estou ouvindo isso. —o Jongin disse colocando a mão na testa. —Acho melhor te dar outro soco logo, apenas para garantir. —sorriu maldoso.

×××

Naquela manhã que tinha começado com uma paz enorme, descobrimos duas coisas: o namorado do Tao era mais desgraçado do que pensávamos e o Jongin podia parecer alguém carinhoso e pacificador, mas sabia bater muito bem! O Kyulgi levou outro soco do mais novo e posso dizer a verdade? Até o Kyungsoo ficou surpreso com o namorado que riu e nos guiou para fora do corredor. Já o chinês tinha ficado sobre os cuidados do Yifan que prometeu que o animaria. O Junmyeon ficou preocupado, mas mesmo assim entendeu que o outro estava se aproximando do pequeno pandinha e deu espaço para os dois. A terceira parte para a minha desgraça foi no almoço! 

Pensem no fim do mundo causado por zumbis. Agora imaginem que você está em um farol se sentindo a pessoa mais segura da porra toda, mas do nada o local começa a cair. É desesperador, não é mesmo? Sei que sim.

Como o Yifan – o cara que merece uma estátua de cinquenta metros na pirâmide Egípcia – não estava na mesa, o Chanyeol levou a Min Soo e de brinde a minha irmã. Os meninos entenderam a Lynn Hee, mas alguns deles ficaram fazendo cara feia para a namorada do Park que parece ter percebido. O clima estava um tanto tenso, talvez seja pela minha consciência que estava me culpando pela conversa de ontem e pelo rumo que ela estava tomando. Então, tratei de comer bastante e não pensar em nada, mas sabem como a vida ama me dar uma rasteira bem na cara! A porra do Kyungsoo – o responsável pela minha queda do império da Coréia do Sul – estava determinado a fazer merda! Começou com o Sehun lançando um assunto nada discreto na mesa sobre sexo gay, o Jongin foi quem o respondeu, mas o Yixing continuou falando sobre o assunto e para piorar o Jongdae perguntou se o colorido era o único virgem no grupo. Adivinhem a resposta? Apenas eu e ele éramos virgem! Até a Lynn Hee que era mais nova e estava indecisa sobre a sua sexualidade já tinha transado!

—COMO ASSIM? —gritei apontando para a Lynn Hee que fez cara de paisagem e riu de nervoso. O Minseok finalmente percebera o que estava acontecendo e ficou com uma expressão de choque.

—LYNN HEE! —ele abriu a boca em um perfeito “O” e a fitou. —Com quem foi? Quando foi? Por que não nos contou? Quero o endereço da pessoa! —ele disse.

—Calma! —ela disse rindo. —Eu não contei, porque o Baekhyun surtaria e você morreria de ciumes, então achei melhor ocultar essa parte! — surtaria? Magina! 

—Surtaria? Magina, você nem me conhece, Lynn Hee! —disse bufando. —Que porra! Você nem sabia de que lado estava e agora vem me dizer que já me passou? —fiz bico e cruzei os braços.

—Já fazem três meses... —disse baixo, mas nós dois ouvimos. 

—TRÊS MESES? —gritamos juntos. —Minseok, pega ela antes que eu a mate! —pedi e em poucos segundos, a nossa irmã saiu correndo pelo colégio e o hyung atrás dela.

—Baek, não fique triste. —o Junmyeon disse dando alguns tapinhas na minha costa.

—É verdade, o seu irmão só perdeu a virgindade quando me conheceu! —o Jongdae disse tentando me consolar, mas só piorou.

—Vocês se conhecem já faz a porra de três anos, Jongdae! —disse ainda com o bico em lábios. Que droga! A minha vida era muito broxante, até o meu crush sabia disso agora.

—Baekhyun, se acal... —a Min Soo foi interrompida pelo Chanyeol que abriu a boca para dar o próximo passo para a minha desgraça!

—O Baekkie tem muito fogo para alguém que é virgem! —disse sorrindo malicioso e eu quis definitivamente morrer ou matá-lo! 

A mesa se explodiu em risos e o meu rosto esquentou, enquanto a minha mente pensava seriamente na ideia de me cortar com uma colher de plástico! O platinado ultimamente está me fazendo ter uns ataques que o meu coração acelera a cada dez minutos!

—Chanyeol… —o chamei quando o mesmo parou de rir. —Você se mata ou eu te mato? Porque, só pode ser essa a minha missão na Terra! —bufei.

—Sua missão na Terra é… —ele próprio se interrompeu e olhou para a Min Soo. —É assistir doramas e ficar sofrendo pelo Lee MinHo. —e ele me chamou para perto e eu fui. —Que na verdade é o meu marido. —sussurrou para só eu ouvir.

—SEU MARIDO UMA OVA! —sem querer gritei e percebi a merda. O Chanyeol me olhava com uma cara de “OBRIGADO POR TER CONTADO PARA A MINHA NAMORADA QUE EU ME IMAGINO CASADO COM UM HOMEM” e eu quis rir? Magina!

—Chanyeol nera hétero? —o Junmyeon disse e eu quis me enterrar, pois os garotos que deveriam ser os meus amigos, começaram a rir.

—Faz tempo que deixou de ser. —o Jongdae disse rindo.

—Ele nunca foi, apenas se passava por um. —o Jongin disse e deu um tapinha na costa do maior que estava vermelho. —Ele mostrou sua verdadeira face! —mexeu no cabelo do outro.

—Lee MinHo é gostoso pra porra! —eu disse tentando salvar a situação. —Qualquer um quer se casar com ele! —o Kyungsoo me olhou com a maior cara de paisagem.

—Eu não! —o satanás disse. —Prefiro meu Jongin que é o melhor namorado que o mundo poderia ter, pena que sou eu que ele ama! —disse dando um selinho no outro.

—Também prefiro o meu pequeno. —sorriu e entrelaçou os seus dedos.

—Não tente ajudar o Chanyeol. —o Luhan disse rindo com aquele sorriso maldoso.

—O Chanyeol nunca enganou ninguém. —o Yixing disse. Olhei para a Min Soo que parecia meio desconfortável e estava com uma expressão indecifrável.

—Pessoal, vou ir para o banheiro que é a melhor coisa que eu faço. —disse me levantando e pegando a bandeja da minha comida.

—Também vou ir, hyung! —o Sehun disse e se levantou comigo.

Nós dois fomos até o local em silêncio. Eu pensava seriamente na cara da Min Soo ao ouvir aquelas baboseiras que os garotos falavam. Ela realmente parecia gostar do maior, mas agora parece que está um pouco solitária. Antes, os dois trocavam beijos pelos corredores do colégio e a cada ano que se passava o Chanyeol dava mais e mais flores para ela nas datas especiais, também teve a cesta de chocolate na primeira comemoração de namoro. Só que agora algo parece diferente… O que estou dizendo? Os namorados ainda estão juntos e felizes.

—Hyung, você está bem? —o colorido pergunto assim que chegamos ao banheiro que estava vazio.

—Estou, apenas algumas coisas que estão me atormentando. —sorri e entrei no local. O Sehun se sentou na pia e ficou balançando as pernas. —O que quer me contar? —perguntei lavando a mão.

—Se você precisar desabafar, vou estar aqui, Baekkie! —sorriu e eu baguncei o seu cabelo. Ele era um anjinho mesmo! —Agora, queria te contar sobre algo que estive pensando. —assenti.

—Pode me contar, sabe que não conto para ninguém, Sehun. —ou quase!

—Na viagem, vou tentar dar o primeiro passo para a minha relação. —o olhei se entender nada. —Vou beijar o Luhan hyung! —isso me pegou! SEGURA O TETO QUE UM RAIO ME ATINGIU!

Fiquei animado novamente pelo Sehun estar crescendo e se decidindo!

—É assim que se fala, Sehun! —sorri malicioso e fui até ele. —Pegue o Luhan de jeito! —as bochechas do outro ficaram vermelhas.

—Pode deixar! —estendeu a mão para fazermos um high five! Se vou tirar toda essa inocência que o meu pequeno anjinho tem? Lógico, pois não quero o Luhan solteiro!

×××

O meu resto do dia se resumiu a mais pensamentos, um jogo idiota de queimada, o que me rendeu uma mancha vermelha bem na coxa, pois um cego vulgo Minseok, acertou bem forte a bola. Eu sai de lá com um mini saquinho de gelo e fiquei sentado observando o Chanyeol rir da minha desgraça. Ele que me aguarde, porque rir de Byun Baekhyun é brincar com fogo e como ele disse “estou tendo muito fogo! ”. Provavelmente aconteceria merda a noite e não deu outra, pois o último passo para pisar no inferno foi ali naquele quarto nada inocente. 

Os garotos combinaram que faríamos algo no nosso dormitório, pois o diretor estava fora e era sábado! Como sou um bom amigo, deixei e fui direto para o banheiro, precisava estar divo! Tomei aquele banho quente que só eu aguentava e depois me troquei com uma roupa folgada, mas que deixava o meu corpo bem desenhado. Saindo do cômodo, encontrei o Chanyeol sentado em sua cadeira enquanto mexia no notebook, ou mais fácil: assistia algo. Quando me aproximei, ele desligou o mesmo e se levantou dando a desculpa que iria tomar banho. Só que o platinado parecia cansado e agitado, como se estivesse suando muito. O olhei com a melhor expressão acusadora que eu tinha, pois sabia que o outro estava provavelmente vendo pornô. Então, assim que ele fechou a porta, abri o aparelho e tentei descobrir a sua senha que foi muito fácil: era o seu aniversário! Procurei no histórico assim que abri a aba da internet e o que achei me surpreendeu. Não era nada mais do que pornô gay! Se tentei segurar a risada? Claro que não!  Eu me contorcia de tanto rir, pois vejam bem: o seu crush hétero assiste esse tipo de coisa! Gente, se isso não quer dizer que o Chanyeol está virando um arco-íris, eu não sei mais o que quer dizer!

Só consegui parar de rir, quando ouvi o chuveiro sendo desligado. Fechei o notebook com cuidado e me deitei na minha cama. Eu já estava com um plano na cabeça, mas o Park apenas facilitou ele.

—Ah, que vontade de beijar alguém. —disse saindo do banheiro já trocado. Eu apenas o olhei e tentei segurar o riso que queria vir. FOCO!

—Beije o seu travesseiro, mas se ele não te responder, tem outra opção. —disse e o maior me olhou curioso. —Eu, Byun Baekhyun! —sorri e pisquei. Tio Lu está dividindo o seu fogo comigo!

—Baekkie, eu não sei se aceito ou rio da sua sinceridade. —disse me olhando. O Chanyeol estava sentado na cadeira do computador com as pernas cruzadas.

—Aceite. —disse me arrumando na cama. —Yeollie, os vídeos que você estava vendo, não eram nem um pouco educativos. —disse dando um sorriso malicioso. 

—Que vídeos?

—Não tente arrumar uma desculpa, pois eu vi o seu histórico que era bem “hétero”. —fiz aspas e ele me olhou com um sorrisinho. PORRA BAEKHYUN BRINCAR COM FOGO FAZ VOCÊ SE QUEIMAR!

—Eu realmente estava vendo. —confessou.

—Então, vai aceitar? —perguntei. PARA DE FAZER ISSO, TROUXA!

—Eu realmente estava pensando em aceitar a sua proposta. —disse se levantando. —E com você me provocando assim, não é nada fácil recusar. —ele se sentou na minha cama.

—Sou irresistível, Chanyeol. —disse o fitando. PORRA VOU TE UM TRECO!

—Sei que é. —sorriu. —Por que, acha que sempre quis virar o seu amigo? Sempre pensei em você como alguém legal e bonito. —BAEKHYUN SE CONTROLA E NÃO BEIJA ELE! 

—Você está tentando me fazer ficar corado de novo, Chany? —perguntei tentando controlar a minha voz que queria falhar. 

—Talvez. —sussurrou e se aproximou MUITO de mim. Se eu fosse um centímetro para frente ou ele fosse, iríamos nos beijar! Mas foi ai que a desgraça aconteceu!

—Cheguei! —o Kyungsoo disse abrindo a porta e dando de cara com nós dois naquela situação. Rapidamente desviamos nossos olhares para ele que estava estático. FODEU!


Notas Finais


Foi issoooo
Oq o Soo vai fazeeer??
COMO O TAO ESTÁ??
CALIFORNIA PROMETEEE??
CLARO QUE SIIIM DBSKSNS❤
Um abraço e um beijooo
Até logooo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...