História Como (não) encomendar um Lucas Olioti. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Christian Figueiredo, Igor Cavalari (Igão Underground), Júlio Cocielo, Lucas "Luba" Feuerschütte, Lucas "T3ddy" Olioti, Lucas Lira (Invento na Hora), Mauro Nakada
Personagens Christian Figueiredo, Igor Cavalari, Júlio Cocielo, Lucas "LubaTV", Lucas Lira, Lucas Olioti, Mauro Nakada, Personagens Originais
Tags Boyxboy, Christian Figueiredo, Gusta Stockler, Igor Cavalari, Julio Cocielo, Luba, Lucas Lira, Lucas Olioti, Manual, Mauro Nakada, Romance, T3ddy, Youtubers
Visualizações 4
Palavras 732
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - (Não) minta para sua família.


Fanfic / Fanfiction Como (não) encomendar um Lucas Olioti. - Capítulo 1 - (Não) minta para sua família.

-Eu vi isso num filme, é um bom negócio. -Lucas terminou de falar, abrindo seu salgadinho.

-Parece aqueles filmes de menininha que tem na Netflix com o Noah Centineo como protagonista. -Falei pegando um pouco do seu salgadinho.

-Eu vi lá mesmo. -Ele riu.

Este é o Lucas, meu melhor amigo. O cara viciado em filmes de romance e Just Dance -Nunca consigo vencer uma partida, ele é muito bom.

-Céus. -Ri.

-Bem, você me ajudaria? -O moreno começou a andar de costas enquanto jogava um salgadinho no alto, o pegando com a boca.

-O que você me pede sorrindo que eu não faço chorando? -Ri quando o vi tropeçar.

-Não ria da desgraça alheia. -O mais velho voltou a andar normalmente, e levou os olhos para os nossos pés, me levando a fazer o mesmo.

Assim que nossas risadas cessaram, vi uma sombra tomar conta da minha e bati a cabeça em algum lugar.

Levantei o rosto e pude encarar Gustavo.

-Oi. -Sorri meio tímida, me afastando.

-Eai? -Falou com um sorriso mínimo em seu rosto. 

-Eai. -Lucas respondeu com firmeza.

-Lari, você tem algo 'pra fazer depois da escola? -Ele perguntou colocando uma mecha de cabelo atrás de minha orelha.

-Bem, eu acho que- 

-Sim, ela vai fazer maratona de filmes comigo, é sexta, todo mundo sabe que sexta é o nosso dia. -Lucas me cortou, cruzando os braços.

Lucas é um idiota.

-Ah, tudo bem. -Sorriu meio triste.- A gente se vê por aí?

-Ah, claro. -Sorri e o vi coçar a nuca enquanto saía.

Olhei para Lucas que ainda se encintrava de braços cruzados e uma expressão séria.

-Tá, o que foi isso? -Pergunto também cruzando os braços.

-Isso o que?

-Você sabe que o Gustavo é meu crush desde o ano retrasado, por que o empediu de me chamar 'pra sair?

-Você sabe que ele não presta. -Retrucou.

-Claro que presta, ele é um ótimo garoto. -Olhei para Gustavo, que estava rindo junto com seus amigos.

-Que se foda. Não quero mais falar disso. -Revirou os olhos.

-Parece uma criança. -Ri e fui correspondida.

Sabádo.

15:06

-E quantos você conseguiu? -Perguntei.

-Três encontros só hoje. Eu disse que seguir as instruções do Noah Centineo e virar "um prostituto" ia dar certo.

-Você não é um prostituto, só 'tá imitando o filme "o date perfeito".

-Posso não ser prostituto, mas ainda assim, sou um gênio.

-Claro Lucas, pense o que quiser.

-Vou ter que desligar, minha mãe quer que eu lave a casinha do cachorro.

-Que estranho você ter que lavar a própria casa. -Falei.

-'Hiláriante'.

-Tchau. -Ri.

-Tchau, baixinha.

Desliguei o aparelho e fui em direção as escadas, as descendo dei de cara com algo que não queria ver.

-Olha só quem está aqui! -Minha mãe disse me puxando.

-Oi. -Falei tentando demonstrar que não estava interessada.

-Quantos anos ela tem? -Minha vó perguntou.- Dezesseis, não é?

-Sim vó, eu tenho dezesseis anos. -Revirei os olhos. 

-Essa moça 'tá bonita. -Meu vô falou sorrindo.

-Até que os peitos dela estão grandinhos, achei que ela não iria ter peito. -Minha tia falou, pude ver meu irmão rir por trás da tela de seu notebook.

-E a bundinha também. -Minha vó falou dando um tapa em minha bunda, me fazendo arregalar os olhos levar a mão até onde ela tinha batido.

-Ela tem tudo que uma garota da idade dela poderia ter. -Meu tio falou sorrindo.

-Menos um namorado. -Mauro fez questão de tirar o headset para dizer isso e fazer toda a família rir.

Mauro é um idiota.

-Na sua idade eu já tinha um namorado. -Minha tia disse. Desde quando isso é bom?

-E eu, estava com seu tio na barriga. -Minha vó falou como se fosse um prêmio.

-Fiquem vocês sabendo que eu namoro. -Instintivamente, isso foi a única coisa que saiu de minha boca.

-E por que não me contou? -Minha mãe perguntou indignada.

-Eu estava planejando trazê-lo aqui. -Engoli seco.

-Então o traga, quero conhecer esse rapaz antes de vocês saírem por aí, assumindo namoro.

-Aqueles coreanos nem sabe que você existe. -Mauro perguntou se referindo ao BTS.

-Toma conta da tua vida! -Gritei, correndo para dentro de meu quarto.

Puta merda.

Se você leu desde o começo, está bem ciente que eu não tenho nenhum namorado.

Peguei meu smartphone novamente, e disquei o número mais famoso da minha lista de contantos.

-Alô?

-Lucas, tenho um trabalho 'pra você.


Notas Finais


^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...