1. Spirit Fanfics >
  2. Como Não Engolir Sentimentos >
  3. Mesmo sem álcool me sinto assim

História Como Não Engolir Sentimentos - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Um capítulo levinho para vocês, espero que gostem.
Boa leitura!

Capítulo 3 - Mesmo sem álcool me sinto assim


Lee Minho tinha muitas sensações favoritas na vida, como subir no palco e ouvir as STAYs gritando animadas, comer os brownies de Felix recém saídos do forno e chegar em casa depois de um dia cheio. Mas nenhuma das sensações se comparavam a ter Han Jisung sentado em seu colo no sofá beijando seu pescoço, com ambas as mão dentro de sua blusa. Com a cabeça tombada para o lado, Minho arfava a cada mordida que sentia, uma das mãos arranhando as costas de Jisung por dentro da camiseta e a outra apertando de bom grado sua bunda. Han mordia a base de seu pescoço, deixava trilha de beijos molhados e fazia todo o caminho inverso com a língua.

Levou as duas mãos para seu quadril e o trouxe para mais perto, gemendo quando sentiu a pressão em sua ereção. Sentiu os beijos subirem por seu queixo e logo tratou de alcançar sua boca, chupando sua língua e arrancando gemidos de Jisung. O beijo calmo que iniciou tudo já estava esquecido a tempos, se beijavam como se o mundo estivesse acabando e dependesse disso. As mãos do mais velho foram dentro da blusa alheia em direção aos seus mamilos, apertando e torcendo, sentindo enrijecer sob seus dedos, enquanto Han parava o beijo para ofegar, mas logo teve o lábio inferior puxado e sugado, fazendo o sangue ir todo para o meio de suas pernas. Se movimentou procurando por alguma fricção no membro dolorido e sentiu as mãos em seu quadril o ajudando.

— Hannie, caralho... — A voz de Minho estava tão baixa, sem força para fazer barulho. Ao contrário do outro garoto, que gemia sem se importar com os vizinhos, sendo barulhento como era normalmente. E Minho amava.

Jisung tombou a cabeça para trás, passando a mão pelos cabelos, com a mente nublada pela sensação dos dois membros de esfregando. Teve o braço de Minho enlaçado por suas costas, para que não caísse.

— Porra, eu...

Jisung nunca chegou a terminar aquela frase, sendo interrompido pelo barulho das chaves na porta. Alguém estava prestes a entrar e ter uma surpresa não muito boa. Se olharam assustados.

— Hyung! Porra! — Dessa vez mais consciente, Jisung levantou e correu para os quartos, deixando um Lee Minho ofegante, com os cabelos bagunçados e um volume bem visível novamente. Puxou a manta para o colo e encostou no sofá, tentando controlar a respiração.

— Hyung? Está acordado? — Droga, Changbin de novo.

— Ei, Binnie, tudo bem? — Minho virou o rosto, sem coragem de rezar novamente pela mesma coisa. - Aonde você foi?

— Estava com o Wooyoung, Chan hyung já saiu? — Changbin sentou ao seu lado. — Está só você, hyung?

— Han está no quarto, Lixie saiu com Chan hyung também.

— Ah sim, Chan hyung me falou que iria sair com ele. — E então a maldita expressão tomou conta de seu rosto, a expressão de quem sabia mais do que deveria, e estava se divertindo com isso. Minho tentou continuar com o semblante sério, sem demonstrar muita emoção. — O filme estava bom, hyung?

— Que filme? — E a próxima coisa que Minho ouviu foi uma gargalhada. Fechou os olhos e respirou fundo, droga Minho. — Acabei dormindo no começo dele.

— Dormiu em cima de uma corrente, hyung? — Changbin se levantou, rindo da situação. Enquanto Minho tentava entender o que ele queria dizer. — Talvez queira se olhar no espelho, hyung, você sabe, antes do Chan hyung chegar.

E pela décima vez naquele dia, Lee Minho queria se estrangular. Jisung estava a minutos atrás maltratando seu pescoço, é claro que no mínimo estava vermelho. Santo Deus, onde ele iria parar assim?

 


~~~~~~~~

 

Mais de cinco minutos parado na frente do guarda-roupa sem ter ideia do que vestir para jantar fora, Lee Minho de repente estava preocupado demais com o que usar, e nem era uma ocasião especial, muito menos encontraria alguém fora os membros. Os três iriam até o restaurante preferido do grupo e encontrariam Bangchan e Felix lá. Normal. Já haviam feito parecido muitas vezes, mas em nenhuma delas... Lee Minho havia beijado Han Jisung. E não se tratava apenas de beijos, visto que o garoto estava preocupado demais com o que Jisung acharia de suas roupas.

Era ridículo, certo? Jisung o via o tempo todo, muitas vezes até sem roupa. Ele certamente não se preocuparia com isso, acharia seu hyung bonito com qualquer peça. Mas Minho... céus, ele queria parecer bonito para o outro. Frustrado, soltou o ar com força, escolhendo a jaqueta de couro e os jeans preto.

Toda a preocupação caiu por terra quando viu o sorriso do mais novo para si, sorrindo de volta imediatamente. Chamou por Changbin e logo estavam a caminho do lugar.

Na sala do restaurante, Felix se sentou ao lado de Bangchan, e Minho entre Changbin e Jisung, como se sentavam na maioria das vezes. O ambiente estava tão confortável que Minho agia normalmente, conversando e brincando com Jisung como sempre faziam.

— Jinyoung hyung perguntou pelo Jinnie. — Bangchan sorriu ao dizer. — Ele ficou bem decepcionado quando eu disse que tinha viajado.

— Quando eu mostrar o vídeo do hyung dançando, o Hyunjin hyung vai se arrepender tanto. — Felix contou, os olhos brilhando de quem sabia mais do que dizia. — Não vou esquecer tão cedo, era Im Your Man do 2pm sunbaenim. — Suspirou e voltou a comer. — Com direito a camisa aberta e tudo.

— Meu Deus, Felix você precisa me passar esse vídeo para eu chantagear ele.

— Han! — Bangchan repreendeu.

— Você quer do Chan hyung também?

— O QUE? — Jisung gritou, os olhos brilhando de animação. — FELIX ME MOSTRA AGORA.

— HAN JISUNG! — Bangchan tentou conter o garoto, as bochechas vermelhas.

— Desculpa, Han hyung, o vídeo do Channie hyung é só meu. — Ele virou e beijou a bochecha do Chan, sorrindo perverso.

Changbin ria, achando muito divertido ler tanta coisa de seus membros nas entre linhas. Quer dizer, Bangchan e Felix estavam se tocando bem mais que o normal, Felix abraçou o braço do líder com o sorriso nos lábios que só o australiano era motivo. E Chan, bom, Chan sempre olhava para Felix como se fosse o mundo dele.

— Minho hyung poderia fazer um dance cover dessa música. — E lá estava Changbin jogando lenha a fogueira.

— Deus, nem brinca com isso, hyung. — Jisung arregalou os olhos e fez sinal de não com a cabeça, colocou a mão na coxa de Minho. — Acho que ninguém iria sobreviver até o final.

Minho mordeu o interior das bochechas, desviando o olhar do rapper. Pegou outro pedaço e colocou na boca, fugindo da conversa, sem saber o que dizer enquanto o toque do outro invadia sua mente. A conversa fluía rápido, o Lee nem se dava conta de qual era assunto e outro já estava engatado. A mão continuou em sua coxa, vez e outra apertando o músculo, o fazendo lembrar da pressão de quando Han estava sentado nelas.

— Hyung? Tá tudo bem? — Sentiu Han se aproximar e falar baixo. — Você tá tão disperso. — Por mais que a mesa estivesse barulhenta com Changbin e Felix empolgados falando alto e Chan gargalhando, Minho só conseguiu ouvir a voz de Jisung, o arrepiando e eriçando seus pelos.

Virou o rosto, se aproximando para falar assim como ele havia feito. O olhar passando por todo o seu rosto, demorando em seus olhos. Levou a boca para perto de sua orelha, resistindo a vontade de puxar entre os dentes o lóbulo e distribuir beijos molhados ao redor até seu pescoço.

— Sim, Hannie. Eu só não consigo tirar você da cabeça. — Ouviu o outro prendendo o ar, surpreso. Não conseguia ver, mas tinha certeza que seus olhos estavam ainda maiores. — Talvez eu faça um cover particular para você, o que acha? — Se afastou, podendo olhá-lo nos olhos. — Im Your Man é uma música tão bonita, não acha?

Assistiu sua expressão ir de surpresa e choque para deleite, deixando um "porra" escapar baixinho, os olhos menores e a boca semi aberta, o peito descendo devagar e o tom avermelhado pelo rosto. O mais velho riu baixinho, gostando de como seu coração parecia quente.

Presos no próprio mundinho, Minho levou sua colher até a boca de Jisung, sem desfazer o contato visual por muito tempo. Não percebeu em que momento a mão dele apertava a sua, apoiados na sua coxa. Conversavam amenidades enquanto terminavam seus pratos, Changbin que iria pagar, então capricharam no menu. Foi entre risadas que os dois voltaram a atenção a mesa, todos prontos para voltar ao dormitório.

No caminho de volta, Minho conversou com o líder, sentindo a falta do calor da mão da Jisung na sua.


Notas Finais


Um side chanlix rapidinho.
Obrigada por lerem!
(Meu twitter @emptyvashta caso queiram interagir)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...