1. Spirit Fanfics >
  2. Como (não) salvar um casamento - Kuroken >
  3. 13- Você (não) é o meu casinho

História Como (não) salvar um casamento - Kuroken - Capítulo 13


Escrita por: Satori_girxl

Capítulo 13 - 13- Você (não) é o meu casinho


Pov Kuroo:


- Vocês dois querem parar de se agarrar à minha frente.


Hoje será a prova dos ternos e padrinhos da noiva e do noivo para o grande evento, e para piorar ainda vou ter que ver Kebma e Daishou juntos, como casal.


Que maravilhoso.


Chegamos um pouco mais cedo, como Hinata e Tobio fizeram um verdadeiro escândalo para me tirar do escritório por me recusar a vir por razões óbvias.


E aqui estamos nós três, sentados quase a meia hora esperando que os noivos e o resto dos padrinhos apareçam, e enquanto isso, meu irmão e meu cunhado decidiram quase se engolir na minha frente.


- Pessoas, onde está a solidariedade?


Eles pararam de se beijar e olharam para mim rindo, Hinata saiu da perna de Tobio, e Tobio tirou uma mão da perna do rapaz enquanto  a outra pousava sobre sua coxa.


— Eles chegaram.


Os três olhamos para a entrada do quarto, e vimos Hyeun, o padrinho de Daishou, e outro homem vindo em direção a nós, e assim que ele viu, ele, Hyeun, sorriu para de lado.


Digamos que ele tem interesse em minha pessoa.


- Este é Jeon Dongsun, um amigo meu e de Daishou, ele é o outro padrinho.


Hyeun disse que assim que ele se aproximou e cumpriu-nos apresentou o homem dito. 


O rapaz, Dongsun,nos cumprimentou, e nos levantamos.


Assim que nos sentamos novamente, Hyeun sentou ao meu lado, e o outro rapaz ao seu lado.


- Então Kuroo… - eu olhei para ele - Eu pensei que você ficaria como Kenma para ver o salão.


Eu olhei pelo canto para Hinata que, segurando sua risada, tinha me ignorado fazendo perguntas sobre os eventos no salão, e como ele tinha escolhido o pior lugar possível para colocar a tenda para o casamento, entre outras coisas, como provocar Daishou.


Hinata também mencionou como Kenma reagiu quando Hyeun perguntou por mim, e como ele jurou que iria bater no amigo de seu noivo. 


Particularmente, eu não achei que fosse sério, Nana tende a exagerar às vezes, mas mesmo assim, fez um bom enorme para o meu ego e meu pobre coração apaixonado.


E claro, mandei algumas fotos novas para Kenma, que disse que gostava de todas, pensei até em pedir umas para ele, para fortalecer a amizade, mas  achei melhor não.


- Eu estava ocupado no trabalho. - ele concordou com a cabeça e discretamente tocou minha mão.


— Faz um tempo que não nos vemos. Poderíamos sair em qualquer dia para beber alguma coisa, ou algo do tipo.


Eu levantei uma das sobrancelhas.


Tanto quanto Hyeun é bonito, e a proposta é tentadora, mas, eu só tenho olhos para uma pessoa, esta pessoa que, assim que eu estava pronto para responder Hyeun, entrou na sala, e pela primeira vez, eu digo que posso concordar com Nana.


Kenma olhou para Hyeun que ainda estava segurando minha mão com uma expressão de alguém que estava pronto para matar, tanto assim que eu puxei minha mão sob a mão de Hyeun.


- Boa tarde. - Daishou disse abraçando Kenma pela cintura, ele não disse nada, ele só continuou olhando para Hyeun.


Kenma teria ciúmes de mim? Ou estou ficando enganado ao ponto de pensar assim?


- Boa tarde, senhores. - todos nós olhamos para a porta onde uma menina alta estava de pé com as mãos na frente de seu corpo. - Meu nome é Marry, e eu vou ajudá-lo no teste de roupa. - ela olhou para Kenma e Daishou. - Vocês são os noivos , certo?


- Sim, somos - disse Kenma, e Marry sorriu - Ah, meus parabéns pelo casamento, e estamos muito honrados em escolher-nos para vesti-los neste dia tão especial.


Eu revirei meus olhos e comecei a bater meus dedos no braço do sofá.


- Você e seus padrinhos podem me acompanhar, por favor?


Kenma e o pessoal concordaram e seguiram Marry, eles agora estavam de mãos dadas, como um belo casal que não são.


Levantei-me do sofá e segui-os com os olhos, Nana e Tobio esperaram-me na porta do provador.


- Você sabe Kuroo… - Hinata começou a falar quando me aproximei deles - É a primeira vez que eles não acham que você é o noivo de Kenma. - ele terminou e riu alto, tão alto que toda a nossa frente voltou para trás em nossa direção.


Eu olhei para o Kenma que estava mais vermelho do que uma pimenta, e depois para o Daishou, que parecia sério, e como eu não podia perder a oportunidade, eu dei uma piscadela  para Kenma que, virou para a frente.


O mesmo virou o rosto, mas eu vi, ele sorriu.


- Com quem você vai ao casamento? - eu saltei com o susto, e virei para o lado vendo Hyeun, que falou perto do meu ouvido, olhou para a frente olhando Kenma falando com Marry e Daishou. 


- Vou com uma pessoa especial.


O sorriso em seu rosto desapareceu e ele foi para o amigo, que estava tentando conversar com a namorada em seu celular.


- Que pessoa especial você vai levar? - olhei para o lado, onde Hinata estava com o braço ao redor de Tobio.


- Vou pegar o noivo. - respondi ao meu irmão e sorri se lado.


Se há uma coisa que eu realmente quero ficar de fora quando for o meu casamento com o Kenma, é a escolha da roupa, porque eu nunca vi uma pessoa mais hesitante do que ele em escolher um terno.


Enquanto ele olhava para as opções dos noivos, juntamente com a tragédia da humanidade, Nana e Dongsun escolheram os ternos dos padrinhos.


Hinata encarregado-me com a tarefa de distrair Hyeun, enquanto a complementação de seu plano, como seria mais fácil de enrolar Dongsun para obter o pior terno possível.


Sim, continuamos a boicotar tudo, e com êxito.


Já tínhamos estragado a decoração, o salão, os doces e os músicos, agora faltava apenas o buffet e a despedida de solteiro, e eu tenho algo grande em mente, se nada correr bem até lá, este vai ser o minha ultima cartada.


- E como está a vida, Kuroo? -Hyeun perguntou, e eu olhei para ele tentando fingir que eu estava prestando atenção a algo que ele estava me dizendo, já que, na verdade, eu só estava prestando "atenção " a ele porque eu era obrigado pelo meu cunhado com um rosto bonito e personalidade assassina.


Às vezes eu acho que se Hinata é separado um dia de Tobio, ele o caça até o inferno, e puxa-o de volta pelo pé.


- Está bem, um pouco gaiata. - encolhi os ombros, e ele se aproximou. 

- Eu entendo...Então agora Kuroo Tetsurou está namorando. - ele me diz, e eu olho para o lado, na direção de Kenma que, embora me viu olhando, virou os olhos para longe, então eu virei minha atenção para Hyeun.


- Não, eu não estou. Eu ainda não estou lá, mas algo indica que vai logo ocorrer uma mudança.


- Mas você disse que iria pegar uma pessoa especial para o casamento.


Eu concordei.


- Sim, mas não significa necessariamente um namorado.


Na verdade, eu mesmo vou levar minha mãe, ninguém melhor do que ela para me confortar se tudo der errado e o Kenma se casar.


- Kuroo, Hyeun, vamos, escolhemos o terno. - Hinata disse com um sorriso maldoso, o que era um mau sinal, para os noivos óbvio, eu olhei para Tobio que estava olhando para a situação  com um olhar de desespero.


- Vamos lá. - Hyeun levantou-se e me puxou, então fomos para os provadores.


- Hinata ? - aquele que eu chamei de entrar no pequeno provador com divisórias.


- Aqui, kuroo. - ele respondeu, deixando o provador com Tobio depois dele rindo, e logo depois, Dongsun saiu.


Hyuen abriu os olhos, e confesso que tive que fazer um esforço para não rir.


Dongsun estava vestido com um smoking em algum tom de azul claro desconhecido para mim, que também parecia ter faixas de ombro e uma gravata de borboleta.


- Isso não é bonito Kuroo ? Eu achei que se encaixa perfeitamente com a decoração. - eu não sei o que mais me surpreende, Dongsun tendo concordado em usar aquela roupa, ou o rosto pacífico e calmo de Hinata ao falar sobre sua escolha de figurino.


- É… Diferente… - eu digo, e Hinata revira os olhos.


- Você não entende nada de moda, e você Hyuen, o que você acha? - ele perguntou sorrindo amigavelmente


Olhei para o homem ao meu lado, que ainda estava de olhos abertos e sem palavras.


- Honestamente.... - ele começou a falar, e Hinata olhou para mim com um olhar que queria dizer: faz  ele dizer que ele gostou.


- É diferente, mas eu gostei. - eu falo antes que Hyeun terminasse de falar, ele olhou e concordou com a cabeça.


- Eu … Eu também gostei, boa escolha Hinata.

Hinata sorriu satisfeito, e empurrou Dongsun de volta para o vestiário.


- Bem, todos nós concordamos, então.


Duas meninas entraram no camarim para tomar as medidas, primeiro foi Hyeun, depois eu, em seguida Dongsun e por último Hinata.


Por sorte, para Tobio, cada noivo teria apenas dois padrinhos, e por esta razão, ele escapou do traje.


- Foi um prazer conhecê-los, mas tenho que ir.  - Dongsun quando ele se despede de nós.


-Deixe-me levá-lo, Sun - Hyeun disse levantando-se do sofá.


- Não precisa, e eu pego um táxi. - Dongsun respondeu, mas o amigo insistiu e os dois se despediram de Hinata , tobio e de mim.


- Caras, sobre o terno, queremos surpreender a noiva e o noivo, então se puderem, não comente. - Nana diz antes dos dois saírem com um sorriso suave, e depois que eles olharam um para o outro, os dois amigos concordaram.


- Se você quiser sair qualquer dia Kuroo, basta ligar para mim. - Hyeun disse antes de deixar para trás o amigo.


Olhei para o meu cunhado que estava rindo.


- Este quer você e não disfarça. - Tobio  disse começando a rir e Hinata lhe deu um tapa.


- Não começa, eu não estou tendo todo este trabalho para estragar este casamento, para que você queira juntar Kuroo com outro.


A menina que fez as medições dele, olhou para ele, e notou, ele olhou para baixo.


- Este panaca gigante, tem amado seu melhor amigo há anos, mas só agora que o despacho de seu namorado decidiu pedir-lhe em casamento, decidiu agir e ir após o tempo perdido… - a mulher olhou para mim com os olhos bem abertos. - E agora aqui estou eu, bonito porém nessa roupa um tanto apertada. 

Hinata afastou o olhar da mulher e olhou para mim.

- O que eu não faço por você panaca....


Uma coisa eu posso dizer, eu quero morrer amigo de Nana, se com um cara ele não gosta que ele já faz tudo isso, imagine o que ele é capaz de fazer com um inimigo.


Eu olhei para Tobio que estava olhando distraídamente para as costas de seu namorado.


- É por isso que ninguém se aproxima do Tobio . - ele riu de acordo,- E ai daqueles que vêm. - ele olhou para o namorado e mandou um beijo para o amado


- Senhor Hinata, senhor Kozume está chamando você para o provador. - Marry disse entrando na pequena sala onde estávamos.


- Ele pode esperar um pouco? Eu sou o padrinho… - ele olhou para mim e sorriu.  - Kuroo você pode ir lá, por favor ? Estou meio enrolado agora.


Eu olhei seriamente para Hinata, ele realmente queria que eu fosse até Kenma e Daishou para vê-los escolhendo as roupas para este casamento? Ele mudou de lado e não avisou?


- Vai logo Kuroo. - Hinata disse fazendo um biquinho e eu me levantei.


- Este seu namorado é um folgado, Tobio.


Tobio virou os olhos para longe do namorado e olhou para mim, eu sacudi a cabeça.


- Vê se não se comem, eu sou obrigado a assistir porque eu sou da família, mas a menina não. - apontei para uma mulher com a cabeça.


Eu saí do provador, e segui Marry por um corredor, eu ouvi a voz de Daishou vindo de um dos provadores perto da entrada, mas Marry andou direto atr e abriu outra porta para mim.


- Qualquer coia, basta chamar.


Eu concordei e entrei na sala fechando a porta atrás de mim. 

Assim que ele ouviu meus passos, Kenma saiu atrás da cortina do provador.


- Nana, me ajude com a camisa, eu não consigo … - quando ele me viu, parou onde estava com a camisa na mão, assim como eu o vi com o peito nu.

— O Hinata  continua tirando as medidas. - disse-lhe apontando para trás, sem tirar os olhos do Kenma, sem tirar os olhos do seu corpo maravilhoso.

- Mas se eu quiser, eu posso ajudá-lo. - eu completei, e vendo meu olhar no tronco dele, Kenma o cobriu com sua camisa, e concordou com sua cabeça, então eu me aproximei dele, caminhando devagar.


- Qual é melhor ? - ele levantou as duas camisas - A branca gelo, ou a pérola?


Eu olhei para as duas camisas.


- Para ser honesto, eu não tenho idéia da diferença entre os dois, mas eu gostei desta. - eu apontei para o que ele disse que era a pérola.


É impressão minha ou tá mais quente neste provador do que no outro?


- Certo, então. - ele disse.


Eu olhei para o corpo dele, começando a me aproximar dele diminuindo a distância. Os olhos do Kenma se abriram, eu sorri de lado ao ver isso, e eu me abaixei um pouco, já que sou um pouco mais alto que ele.


- Kuroo… - eu parei a cabeça, perto da pele exposta do seu pescoço


Eu olhei para ele, e ele olhou para mim de lado, eu sentia a respiração irregular dele, eu ansiava por uma resposta dele, mas tudo que eu tinha era o olhar dele, um olhar de quem eu não conseguia dizer oque queria.


E com ele permaneceu em silêncio, ele consentiu.


Eu abaixei meu rosto ao pescoço dele, e o beijei lentamente usando minha língua, é claro, tomando cuidado para não deixar uma marca, mas eu não posso garantir que esse cuidado vai continuar por muito tempo.


Kenma estava imóvel enquanto passava a boca pelo pescoço, e eu coloquei uma mão na sua cintura, e outra no rosto, e ele deixou a cabeça nela, e eu acariciei a bochecha com o polegar enquanto eu seguia meu caminho com a boca pelo pescoço, e ele prendia um gemido.


Quando eu me aproximei do ouvido dele, eu a beijei e mordi o lóbulo dele, puxando-o, Kenma soltou um gemido baixo, que me fez sorrir satisfeito, consegui tirar um gemido dele que, mesmo que baixo, era um gemido bonito.


Minha mão desceu da cintura dele, e puxou-a em direção a mim, terminando quase nenhuma distância entre nós.


- Eu… Eu… Nós não.... O meu noivo está no provador ao lado. - ele disse entre os gemidos com alguma dificuldade.


- Apenas não faça barulho. - eu disse em seu ouvido, e deixei uma mordida em seu pescoço


Depois disso, a camisa que ele estava segurando caiu no chão, e suas mãos foram para a frente do meu corpo.


Tirei o meu rosto do pescoço vermelho dele, e virei-o de Kenma para mim; Eu puxei a cabeça dele, e nossas bocas se encontraram.


Embora eu tenha acabado beijando ele naquele dia apoiando-o no meu carro, eu perdi um monte de sua boca, e eu acho que eu sou viciado nisso.


Pedi passagem com a minha língua e ele cedeu.


Minha mão deslizou para trás pelas camisa meio aberta, que, com um simples puxão, caiu através de seu abdômen nu, sua bela boca e que parecia me chamar.


Dei alguns passos em sua direção.


- Você tava lindo nela, mas, eu prefiro você sem camisa. - eu lhe disse olhando para sua boca e depois para seus olhos perfeitamente desenhados.


Kenma mostrou seu rosto de inocência e confusão. E como um bom jovem, eu usava minha falta de vergonha na cara para remover essa inocência, então eu me aproximei dele, e ele caminhava para trás.


A gente acabou parando numa parede, Kenma virou para um lado para tentar fugir, mas eu fui mais rápido e parei ele colocar meu braço na frente dele, então ele tentou o outro lado, mas, meu braço também, já estava lá.


Ele então subiu sua camisa até a frente de seu corpo para cobrir-se mais, olhando para mim com seus olhos escuros de uma forma estranha.


Que eu pensei que poderia ser medo, mas, era algo diferente disso, e me prendeu a eles.


Eu segurei meu antebraço contra a parede e sua cabeça, eu passei meu outro braço em torno de sua cintura nua.


Kenma, por sua vez, levantou as mãos na minha nuca e ali, eles permaneceram durante o beijo, nossas línguas se moveram juntas, no mesmo ritmo, não em beijo desesperado, e muito menos calmo, mas em algo como intermediário de ambos.


Separamos o beijo quando o ar se esgotou, Kaoru tinha os olhos fechados.


- Você vai me dizer oque disse no carro Kenma ? - ele abre os olhos, e puxou a minha cabeça para si, beijando-me sozinho, eu reciproquei o beijo e desci as duas mãos para o corpo dele


Kenma puxou-me ainda mais para baixo, tanto assim, eu desci as pernas dele e puxei-as para cima, tomando-o no meu colo. 

Kenma envolveu minha cintura com suas pernas, sua boca e minha se separaram, e ele atacou meu pescoço, e nada no mundo poderia comprar essa sensação de sua boca passando por cada centímetro de minha pele.


Eu o puxei da parede e fui para onde ele estava antes, atrás da cortina.


- Se alguém aparecer, a primeira coisa que ele vai ver seria nós dois em tal situação. - eu fechei a cortina com ele, segui-o até a parede, apoiando nela, e em nenhum segundo durante essa curta abertura, Kenma tirou a boca do meu pescoço, e até abriu alguns botões da minha camisa.


Eu abaixei a cabeça para os mamilos dele, já que ele está apertado, e comecei a chupá-lo.


Kenma tremeu, e eu comecei a sentir um certo volume entre nós, mas não posso dizer de quem ele realmente é, já que estamos espremidos.


Eu mordi a ponta do mamilo dele, e ele gemeu alto.


- Sem barulho. - foi tudo que eu disse


Se alguém ouvisse, ficaríamos fudidos, o que realmente não me importaria, ainda mais vendo o rosto de Daishou, mas certamente Kenma ligava, e por mais que eu queira acabar com as coisas entre eles, não quero que seja assim.


Por mais contraditório que possa ser.


Kenma concordou com a cabeça, e eu peguei suas mãos e entrelacei nossos dedos, e eu o beijei novamente, ele começou a se mover entre mim ea parede, e aquele que tinha começado a tentar não gemer agora, era eu.


Eu soltei suas mãos, e desabotoei o botão das calças que ele estava usando, ele pegou em minhas costas, segurando-se, e sua boca foi para a parte de trás do meu pescoço.


Fechei os olhos quando sua boca chegou ao meu ouvido, e gemi tão baixo quanto pude.


- Alguém tem um ponto fraco.


Kenma disse no meu ouvido e mordeu o meu lóbulo. E para vingança, eu mordi o ombro dele.


— Não se preocupe, vou descobrir qual é o seu.


Eu lhe disse, finalmente conseguindo abaixar a mão em sua coxa, ele riu calmamente ainda com a boca no meu ouvido.


- Senhor Kozume ?


Kenma  tirou a boca do meu pescoço, nós nos olhamos.


- Senhor Kuroo ? - a voz de Marry ecoou pelo provador.


Era bom demais para ser verdade.


Kenma olhou para mim com os olhos bem abertos em desespero, parecia uma criança que foi apanhada pelos pais fazendo coisa errada.


Ouvimos passos em nossa direção


- E ago… - fechei a boca dele.


- Estamos aqui, Marry… - disse. - Pode pegar uma camisa de um número menor? Essa é enorme em Kaoru.


Os passos pararam.


- Evidentemente, senhor Kuroo, eu estou voltando para pegar.


Os passos se afastaram, e eu descobri a boca de Kenma que, respirou aliviado.


Passamos alguns minutos olhando um para o outro, Kenma ainda estava preso entre mim e a parede, e eu, no meio de suas pernas, e percebendo isso, ele me deixou ir, e eu fui embora.


- Isso não poderia ter acontecido. - ele me disse olhando para cima e para baixo.


- Mas aconteceu. - respondi.


— Kuroo, eu …


- Você vai se casar- eu digo que a interrupção eu sei que Kenma vai falar -. E não tem um dia que não sofra por isso.


Kuroo olha para mim com espanto.


- isso não pode voltar a acontecer … - olhei para ele


- Você vai me dizer novamente que foi apenas impulso?


Eu me aproximei colocando as mãos na cintura dela.


- Você vai me contar tudo isso … - olhei ao meu redor - Tudo isso que acabou de acontecer aqui foi um simples impulso?


Kenma ficou parado, e eu o puxei selando os lábios.


A partir de agora, quando eu tiver a chance, eu vou fazer isso, Kenma pode dizer o quanto ele quiser que tudo é apenas impulso, mas ninguém beija do jeito que ele me beijou, ou geme, por impulso.


- senhor Kuroo, eu trouxe a camisa.


Parei o beijo e fui embora do Kenma.


- Você pode negar tanto quanto você quer gatinho, mas eu sei. Não foi um simples impulso.


Eu coloquei os botões de minha camisa, e selei nossos lábios rapidamente, e sai do provador.


Marry estava no meio do pequeno corredor, e assim que ela viu, ela me olhou para cima e para baixo, e eu, num olhar no espelho, notando meu cabelo com cada movimento indo para um lado.


Passei a mão entre eles para consertá-los e sorri para ela.


- venta muito aqui dentro.


Eu dei um piscar de olhos, e ela sorriu, segurando-a camisa.


Eu saí do provador, e fechei a porta atrás de mim e fui pelo corredor.


- Você ficou por minutos lá,, você escolheu as roupas?- Hinata perguntou assim que ele me viu, e ao seu lado, estava Tobio e Daishou 


- Eu acho que sim, ele tinha problemas com a camisa, mas eu decidi por ele.


Alguns minutos depois, eu ouvi a porta abrir, e eu me virei. Kenma estava perto de Marry, e eles olharam para mim, então eu dei a ele um piscar de olhos.


- Senhor Kozume, assim que a roupa estiver pronta, entro em contato. - ela disse se voltando-se para Kenma, que concordou.


- Como tudo está resolvido, vamos lá, estou morrendo de fome. - disse Hinata, levantando-se puxando o meu irmão.


Daishou também se levantou e foi para Kenma e o abraçou.


No entanto, durante este abraço, seus olhos estavam sobre mim, e os meus sobre ele.


Saímos da loja, cada um foi para o seu automóvel, Hinata e Tobio foram para o carro do meu irmão, eu para o meu, e Kenma para o seu futuro ex-noivo.

- Você ainda vai ser meu, Kozume kenma, ou não me chamo, Kuroo Tetsurou. - disse ao virar da esquina.



[...]



Abri a porta da casa, entrei e fechei, me joguei em cima do sofá olhando a minha mochila.


Nela eu peguei o telefone celular do bolso, vamos mandar algumas mensagens....

[18:05]: Kenma ?

[18:05]: Kenma  ?

[18:06]: Kenma ?

[18:06]: Hey Ken ? Pspspsps gatinho ?

[18:07]: Queria a sua opinião.

[18:08]: *foto*

[18:08]: Ken responde, estou precisando aqui :(


Levantei do sofá e fui para o meu quarto, deixei meu celular na cama, e fui ao banheiro tomar um banho frio.


Por sorte, minhas calças não estavam tão apertadas hoje, o que era suficiente para disfarçar o volume dentro dela, o que não era o caso de Kenma, pois ele saiu do camarote com a camisa fora das calças.


Tomei banho e saí do box , olhei para mim no espelho, e mesmo com o banho frio, meu  grande amigo, Kuroo Júnior, para os mais íntimos, ainda estava animado.


Kenma, isso vai ter volta.


Eu me vesti, e fui ao meu celular e notei a luz da notificação ligada, então eu peguei.




Kenma ❤😼 [18:21]: eu não acredito na sua cara de pau, você deve enviar essas fotos para o seu casinho kuroo.

Kenma ❤😼 [18:21]: Idiota


Eu comecei a rir lendo as mensagens.


- Então ele está bem ciumento, bem, já é alguma coisa.


[18:22]: tudo bem, vou mandar as fotos para a minha casinha.

[18:22]: foto


[18:22]: Casinho, esta foto esta boa?


Notas Finais


Agora foi real kkkkk sem sonho, perdão por erros galera, qualquer coisa, me corrijam nos comentários!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...