História Como não se apaixonar - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Romance
Visualizações 14
Palavras 2.662
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Capítulo triste, mas nem tanto. Eu sei que nesse momento vocês devem estar querendo me matar, mas é só ter calma que tudo vai se resolver... ou não, kkkkk. Bem, não vou dar spoiler de algo que eu nem sei como terminará.
Espero que estejam gostando meus lindos.
Bjs

Capítulo 6 - I'll give up on you


Fanfic / Fanfiction Como não se apaixonar - Capítulo 6 - I'll give up on you

- Alguém vai falar alguma coisa ou vou ter que adivinhar? – perguntei irritada. Já estava sentada naquela mesa fazia uns 10 minutos e ninguém se pronunciava.

- Veja bem, querida, não quero que se exalte, tudo bem? – Vovó disse e eu sorri para ela. O único motivo de eu não ter perdido a cabeça (ainda) é por ela.

- Claro, vovó.

- Eu e seu pai estamos nos divorciando – Abri minha boca, sem conseguir falar nada. Fiquei um bom tempo daquele jeito. Até que meu pai disse:

- Vai dizer alguma coisa ou...?

- Você quer que eu diga o que, pai? Parabéns pelo término? – Fui irônica, sem saco para tentar ser legal.

- Olha, também não está sendo fácil para nós, ok? Mas você, mais do que ninguém, sabe que esse casamento já estava desgastado – Minha mãe disse.

- E o que vão fazer? Um de vocês vai se mudar enquanto o outro permanece com a casa?

- Nós iremos vendê-la. – Meu pai disse, e se antes eu não estava chocada, acabei de ficar.

- Como assim, vender? Vocês tem aquela casa desde que se casaram!

- Não faz mais sentido ficar com ela, já que não faz bem para nenhum dos dois, e você, bem, não mora conosco. – Mamãe falou.

- Só porque eu não moro com vocês não significa que ela não tenha um significado para mim.

- Já está decidido, Ana Luiza. Não tente nos fazer mudar de ideia. – Meu pai disse.

- Mas onde irão morar?

- Seu pai voltará para Liverpool e eu irei morar aqui até conseguir um lugar que seja suficiente para mim.

- O que? – perguntei baixo.

- Isso mesmo que você escutou, Ana Luiza. – Minha mãe falou, firme. – E sobre seu pai morar em Liverpool, não se preocupe, irá visita-lo nas férias.

Apenas assenti, me levantando e indo para o meu quarto, sem condições de respondê-la.

Decidi que não iria conversar com ninguém agora, iria apenas deitar e digerir o que havia acabado de escutar.

***

Uma semana depois da conversa mais chocante que tive com meus pais, eles já tinham entrado com os papeis do divórcio e já haviam se mudado para onde falaram, o que significa que faz quase uma semana que estou morando com a minha mãe, depois de muito tempo. Confesso que quase não faz diferença, pois ela trabalha mais do que fica em casa. Mas como disse, quase, já que ela resolveu pegar no meu pé de uma maneira que nunca a vi fazer.

Eu não podia falar que iria em algum lugar para ela resolver encanar comigo e não deixar eu ir. Confesso que estou estranhando muito essa proteção extremamente exagerada, pois minha vó sempre me deu muita liberdade. Sempre deixou eu viver tudo que ela, minha mãe e meus tios viveram. Mas parece que minha querida mãe não pensa da mesma forma.

Quanto a questão do Harry, na verdade nós estamos bem. Quer dizer, acho. Ele diz gosta de mim, eu gosto dele, e tudo fica melhor quando nós estamos juntos, tudo bem que ninguém, nem mesmo nossos amigos sabem que estamos meio juntos, mas foi algo que achamos melhor, já que só temos amigos fofoqueiros, e como não temos nada definitivo, se acabar, pelo menos ninguém nunca vai saber que começou. Não que eu ache que pode dar errado, mas não acredito que o Harry mudou de uma hora para a outra. Mesmo assim, estou tentando com todas as minhas forças confiar nele. Espero que valha a pena no final. Quanto ao Sam, bem, ele não disse nada sobre o dia no shopping. Parece até estar meio que me evitando, sei lá. Não sei se realmente se importa, o que me deixa meio triste, pois, por mais que esteja com o Harry, ainda sinto muitas coisas pelo Sam. Eu sei, é errado, mas eu não posso mudar um sentimento de uma hora para outra. Além do mais, Harry e eu não estamos namorando, ainda.

Falando no show de talentos, finalmente colocaram quando vai ser, e acreditem ou não, é só para daqui a 2 meses. Essa escola é muito enrolada. Fica toda hora remarcando as coisas. Se bem que quanto mais longe, melhor.

Ao chegar na escola, fui direto procurar o Harry. Tudo bem que eu literalmente nunca faço isso, já que eu sempre vou primeiro na sala de música falar com o Sam, e só fiz isso pois eu estava realmente com um pouco de saudades, claro que nunca admitirei isso verbalmente. Mas onde será que esse garoto está? Eu literalmente procurei por toda a escola, só faltava aquele corredor que ninguém vai. Ao chegar, o vi se agarrando com outra garota. Obviamente, fiquei em choque. Tudo bem que eu sabia que não tínhamos nada, só achei que o nosso nada era sério o bastante para não ficarmos com outras pessoas. Se ele quisesse ficar com outras garotas, era só ele ter falado, não precisava fazer isso escondido.

Não chorei, não gritei. Apenas dei as costas e fui para a mesa onde eu, meus amigos e Harry ficamos.

Aproveitei para refletir sobre os últimos acontecimentos. Não sei se estava mal por causa do Harry, mas que estava com um aperto no peito, isso eu estava.

Ao chegar em casa morta de cansada depois de um longo dia de ensaio com o Sam, fui tomar um banho longo.

Hoje os meninos e meninas combinaram de ir ao karaokê, o que por um lado era bom, pois precisava me distrair, mas por outro era horrível, pois o motivo de precisar me distrair iria conosco.

Coloquei um cropped de manga longa branco, uma saia rodada marrom e uma bota que ia até a coxa preta. Optei por deixar meu cabelo solto, só que com chapinha. De maquiagem, fiz apenas um delineado de gatinho, passei lápis e rímel, e meu batom vinho. Peguei uma bolsa, coloquei meu celular, dinheiro, chiclete e o batom vinho que passei.

Desci as escadas e dei um beijo na minha vó.

- Aonde você pensa que vai? – Escutei minha mãe falando.

- Vou ao karaokê, posso? – perguntei irônica.

- Com quem?

- Com os amigos de sempre. Aliás, Liam também vai e já está no carro.

- Bom, se Liam vai, tudo bem, mas toma cuidado.

- Sempre tomo. – Nem esperei ela terminar de falar e saí.

- Finalmente, né, careta?! – Liam disse assim que entrei no carro.

- Adivinha quem me prendeu?

- Já sei, mas pelo que te conheço, você demorou foi para se arrumar.

- Isso também – rimos. – Vamos logo.

***

Ao chegarmos, entramos e já encontramos a maioria sentados em uma mesa próxima ao palco. A maioria, tirando Harry e Melyssa.

- Oi meus amores – disse, me sentando e chamando o garçom.

- Você vai cantar hoje, não é, Ana? – Ali perguntou.

- Não estou muito afim não, Ali.

- Mas você vai, pois eu já te coloquei na lista, daqui a pouco vão te chamar.

Revirei os olhos, pedindo um refrigerante e batata frita ao garçom, que havia acabado de chegar.

Conversávamos e comíamos, até que Mel chegou, atrasada como sempre. Esta se sentou ao lado do meu primo. Já falei que ela é caidinha por ele? Pois é, até hoje não sei porque nunca ficaram, já que eu já reparei ele olhando de um modo digamos que diferente para ela.

- Ana Luiza – me chamaram ao palco.

- Você me paga, Alissa. – disse, me levantando.

Subi ao palco, não fazendo ideia do que cantar, até que veio um estalo na minha cabeça. Era uma composição minha.

- Qual vai ser, Ana? – Will perguntou. Todos já conheciam nossa turma por sempre passarmos nosso tempo aqui. – Vai ser uma composição sua novamente?

- Acertou em cheio. Cadê a guitarra? – perguntei, procurando-a. Jonathan me entregou. – Me acompanhem.

Sentei no banco, ajeitei o microfone e olhei para todos. Ao olhar para a porta, vi Harry parado, olhando para mim e sorrindo. Não o retribuí por motivos óbvios.

- Boa noite gente – disse, sorrindo rapidamente – Hoje irei, novamente, cantar uma de minhas composições. Mas esta foi feita para uma pessoa que está aqui hoje. – Olhei para qualquer pessoa, para não dar na cara de quem eu estava falando, depois, olhei para Harry por 1 ou 2 segundos, o vendo fechar o sorriso. – Espero que gostem.

Comecei a tocar a introdução.

MÚSICA: Dive - Ed Sheeran (Cover by Fiona Culley)

Oh, maybe I came on too strong

Oh, talvez eu tenha chegado agressiva demais

Maybe I waited too long

Talvez eu tenha esperado tempo demais

Maybe I played my cards wrong

Talvez eu tenha feito a jogada errada

Oh, just a little bit wrong

Ah, só um pouquinho errada

Baby I apologize for it

Querido, eu peço desculpas por isso

Olhei para Harry, que havia ido para uma mesa longe do palco e juntei as mãos em sinal de desculpas, claro que fiz isso ironicamente, e ele entendeu, pois arqueou as sobrancelhas em sinal de dúvida ou desafio, não dizer.

I could fall or I could fly

Eu poderia cair ou voar

Here in your aeroplane

Aqui no seu avião

And I could live, I could die

E eu poderia viver, poderia morrer

Hanging on the words you say

Me apegando às palavras que você diz

And I've been known to give my all

E eu sou conhecida por dar tudo de mim

And jumping in harder than

E por me jogar mais forte do que

Ten thousand rocks on the lake

Dez mil pedras no lago

Subi o pedestal do microfone e me levantei, ainda tocando na guitarra.

So don't call me baby

Então não me chame de amor

Unless you mean it

Se não for verdadeiro

Don't tell me you need me

Não me diga que precisa de mim

If you don't believe it

Se não acredita nisso

So let me know the truth

Então me diga a verdade

Before I dive right into you

Antes que eu mergulhe de cabeça em você

Olhei-o com tristeza e ele novamente não entendeu porque fiz esta canção para ele. Mas ele vai entender, assim eu espero.

You're a mystery

Você é um mistério

I have travelled the world

Eu viajei o mundo

There's no other boy like you

Não há outro garoto como você

No one, what's your history?

Ninguém, qual é a sua história?

Do you have a tendency to lead some people on?

Você tem uma tendência para enrolar as pessoas?

'Cause I heard you do, mmh

Pois eu ouvi dizer que você faz isso

Desta vez, meu olhar parou em meus amigos, aposto que nessa parte eles já haviam descoberto que era para Harry, e a julgar pelos seus olhares que se revezavam entre mim e o Styles, diria que é certeza absoluta.

I could fall or I could fly

Eu poderia cair ou voar

Here in your aeroplane

Aqui no seu avião

And I could live, I could die

E eu poderia viver, poderia morrer

Hanging on the words you say

Me apegando às palavras que você diz

And I've been known to give my all

E eu sou conhecida por dar tudo de mim

And lie awake, every day

E ficar acordada, todo dia

Don't know how much I can take

Não sei o quanto eu posso aguentar

Fiquei completamente mais emotiva nesta parte. Eu realmente acreditei que ele poderia mudar?

So don't call me baby

Então não me chame de amor

Unless you mean it

Se não for verdadeiro

Don't tell me you need me

Não me diga que precisa de mim

If you don't believe it

Se não acredita nisso

So let me know the truth

Então me diga a verdade

Before I dive right into you

Antes que eu mergulhe de cabeça em você

Comecei a tocar o meu solo maravilhoso. Eu realmente sou viciada em solos, então nessa música tive que colocar. E não é para me gabar não, mas eu arrasei.

I could fall or I could fly

Eu poderia cair ou voar

Here in your aeroplane

Aqui no seu avião

And I could live, I could die

E eu poderia viver, poderia morrer

Hanging on the words you say

Me apegando às palavras que você diz

And I've been known to give my all

E eu sou conhecida por dar tudo de mim

Sitting back, looking at

Sentado, olhando para

Every mess that I made

Toda bagunça que eu fiz

Ao cantar essa parte, me sentei novamente. Parte por causa da música, parte porque estava cansada de ficar em pé. Ao menos sou sincera.

So don't call me baby

Então não me chame de amor

Unless you mean it

Se não for verdadeiro

Don't tell me you need me

Não me diga que precisa de mim

If you don't believe it

Se não acredita nisso

So let me know the truth

Então me diga a verdade

Before I dive right into you

Antes que eu mergulhe de cabeça em você

Before I dive right into you

Antes que eu mergulhe de cabeça em você

Before I dive right into you

Antes que eu mergulhe de cabeça em você

Ao acabar a música, todos me aplaudiram de pé. Fiquei com um pouco de vergonha, pois eu realmente odeio chamar atenção.

- Obrigada gente. – Desci do palco e fui até Harry, desviando da mesa de meus amigos com muitos protestos deles.

- O que exatamente você quis dizer com essa música? Achei que estávamos bem. – Harry disse, colocando as mãos no bolço de sua jaqueta. – E a propósito, está linda. – Sorriu e eu mantive a mesma cara de quando fui falar com ele.

- Não tente desviar o assunto. Eu também achei que estava tudo bem entre nós, mas como sempre você tem que arrumar um jeito de estragar tudo.

- O que eu fiz dessa vez? – revirou os olhos.

- Eu te vi beijando aquela garota no nosso... no corredor vazio.

- Oh – olhou para o nada – achei que nós não tínhamos nada sério.

- Eu achei que a coisa era para rolar só entre nós.

- Eu nunca disse isso.

- E eu nunca disse que podíamos ficar com qualquer um. Eu apenas acho que se não quisesse nada sério, poderia ter falado diretamente comigo, e não deixar com que eu descobrisse sozinha.

- Se eu te falasse, você iria aceitar me “dividir”?

- Claro que não! Eu nunca tive um namorado, beijei pela primeira vez a menos de um mês, o mínimo que eu quero agora é algo mais sério, não necessariamente um namoro, mas algo sério.

- Me desculpe, mas isso eu não posso dar a você.

- Eu sei. – Sorri triste e me virei para sair, mas parei e virei novamente para ele – Sabe qual é a pior parte? É eu realmente ter acreditado em você quando disse que estava apaixonado por mim. Mas você disse aquilo para que? Para eu desistir do Sam?

- Eu sou apaixonado por você, Ana. Não tem nada haver com o Sam – tentou colocar a mão no meu rosto mas eu não deixei.

- Então você não falou aquilo por eu ter saído com o Sam e que, provavelmente, começaria algo sério com ele se você não tivesse atrapalhado e me feito de otária?. – Cruzei os braços, arqueando a sobrancelha.

- Eu realmente não gostei de você ter saído com o Sam, mas...

- Mas que pensamento escroto, Harry. Você pode ficar com várias, mas eu não?

- Eu não disse isso, Ana.

- Chega, eu não quero perder meu tempo com você, não mais. - Não achei que iria, mas senti lágrimas nos meus olhos, e juro que tentei me segurar ao máximo para não chorar, porém não adiantou muito.

- Me desculpe - disse.

- Não tem problema, Harry. Não foi nada demais, estou apenas desistindo de você. - Sorri triste. Ele não disse nada, então apenas me virei e fui embora, não suportando ficar no mesmo ambiente que ele.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...