1. Spirit Fanfics >
  2. Como (não) se apaixonar pelo seu melhor amigo >
  3. Prólogo

História Como (não) se apaixonar pelo seu melhor amigo - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Como (não) se apaixonar pelo seu melhor amigo - Capítulo 1 - Prólogo

      ↬♡↫↬♡↫↬♡↫↬♡↫

Respira...

Inspira...

Respira...

Inspira...

Não surta!

Ali, sentada na areia branca e fofa da praia, observando a quebra das ondas do mar enquanto o céu tomava um tom alaranjado único e a brisa amena de verão atingia sua pele, Alice repassava mentalmente tudo que havia planejado revelar ao melhor amigo. Treinava consigo mesma a melhor forma de contar o que a incomodava ao garoto pois guardar aquele sentimento forte que fazia seu peito latejar de dor a sufocava de maneira lenta e agonizante.

Havia combinado de se encontrar com Bakugou às 18:00, e agora, faltando dez minutos para o tal horário, poderia se lembrar claramente de quando enviou um sms ao garoto dizendo que precisava contar algo urgente e o mesmo a surpreendeu, respondendo que também havia algo a contar e, nesse exato momento , ela amaldiçoava até sua vigésima geração, se perguntando o quão otária ela poderia ser. Se arrependia amargamente de ter mandado aquela maldita mensagem, deveria simplesmente ter ficado na sua já que agora estava quase travando devido ao pânico e ao medo da rejeição. Além disso, tinha medo de que isso afetasse drasticamente a amizade dos dois e isso com certeza era o pior a acontecer:

O clima ficar estranho entre os dois e bakugou se afastar da garota.

Alice com certeza se detestaria pelo resto da vida, então, para não se afundar em suas próprias paranóias e cair desmaiada logo ali, a garota tratou de afastar rapidamente esses pensamentos.

- Certo, vamos lá - Mais uma vez, ela puxou o ar com força, inflando seus pulmões e inspirando fortemente logo em seguida, preparando mais uma vez o seu discurso pré-declaração - Sabe, Kacchan, eu não quero parecer uma daquelas garotas mimizentas que vivem suspirando por garotos, mas é que nós nos conhecemos desde pequenos e eu meio que... que... - Suspirou, desistindo no meio da frase quando percebeu o quão ridícula estava sendo - AAAAAA ISSO É IMPOSSÍVEL! MAS QUE PORRA! - Seu grito histérico e indignado fez algumas gaivotas próximas a ela voarem assustadas. Realmente, a garota estava muito encrencada.

Ela choramingou, lamentando seu fracasso enquanto soltava seu cabelo, fazendo suas longas madeixas negras acompanharem o movimento da brisa litorânea. De fato, conhecia bakugou desde que se entendia por gente, as respectivas mães eram melhores amigas e os dois estavam sempre juntos: Eles brincavam juntos, jogavam video-game juntos, compartilhavam segredos e até beijaram pela primeira vez no mesmo dia (um dia fatídico, diga-se de passagem). Entretanto, de três anos para cá, Alice começou a sentir coisas no mínimo estranhas pelo seu melhor amigo: Seu corpo tremia a cada toque do garoto em si e sentia como se borboletas estivessem voando em seu estômago a cada simples sorriso do loiro.

As típicas e malditas borboletas no estômago.

Ela tentava mentir a si mesma e alegar ser só confusão da sua cabeça, mas era um sentimento tão avassalador que a menina se viu obrigada a aceitá-lo. Sem sombras de dúvidas, ela amava bakugou katsuki com todas as forças. Ela ouviu uma garota qualquer dizer em um filme clichê que ela se sentia destinada a gostar tanto de alguém, que chegava a sufocar:

Alice se via exatamente no lugar dessa garota: gostava tanto de katsuki, que chegava a comparar o sentimento com um tipo de asfixia.

Após mais outro longo suspiro, a morena voltou a repassar sua declaração enquanto reparava os raios alaranjados colorirem o céu de uma maneira esplêndida. Ela teria que fazer aquilo uma hora ou outra:

- Sabe, Kacchan, eu não quero parecer ridícula e nem quero que ria ou se afaste de mim, mas... eu sou... - Nessa mesma hora, o loiro de cabelos rebeldes vinha em sua direção, trazendo dois copos de milk-shake em mãos e com um sorriso nervoso no rosto. A morena se virou em direção ao "melhor amigo", reparando desde a coloração alaranjada de seu cabelo devido ao reflexo dos raios solares até os músculos bem definidos pela camiseta polo Branca, ela estava completamente vidrada no garoto - Eu sou completamente apaixonada por você... - Sussurou a última frase, tornando audível apenas para ela. Não demorou muito para que katsuki a alcançasse.

- Eae - Ele se sentou ao lado da garota, lhe entregando o milk-shake de cereja, o qual ele sabia que era o preferido da melhor amiga.

- Obrigado - Alice agradeceu, pegando o copo das mãos do garoto e dando uma longa sugada no canudinho vermelho, vendo o maior fazendo o mesmo com seu milk-shake de chocolate.

O som relaxante proveniente da quebra das ondas misturado ao som das gaivotas alçando vôo foi acalmando lentamente a garota que tinha suas bochechas coradas. Se ela fosse dizer, teria que ser naquela hora.

- Então... - Os dois disseram na mesma hora e se calaram em seguida. Houve alguns segundos de silêncio.

- Pode falar - Os dois novamente falaram juntos e após um curto período de silêncio, eles caíram na gargalhada. O clima entre os dois estava tão tenso que chegava a ser ridículo.

Eles eram Alice e Katsuki afinal, não tinha motivos para aquela tensão.

- Ok, fala você primeiro - Bagukou sugeriu com um sorriso nos lábios.

- ham-ham - A garota deu mais uma sugada no canudinho, sentindo seu cérebro congelar quando o líquido entrou em contato com a boca - Da última vez eu falei primeiro.

- Tá bom, porra - O loiro prossegiu revirando os olhos, aparentando irritação. Logo, o mesmo antes sorridente agora estava meio tenso, um pouco tímido Alice ousaria dizer - Mas não é para entrar em pânico ou fazer seu show de escândalo, ok? Essa merda 'tá me abalando.

"ah, meu querido, o que eu vou te contar vai te abalar mais ainda" Foi o que Alice pensou enquanto mordiscava o canudinho, atenta a todo a movimentação inquieta do melhor amigo.

- Estou ouvindo - A morena deu espaço de fala ao maior que mordeu levemente o lábio inferior, fazendo a garota estreitar os olhos.

Malditos hormônios!

- Alice - Katsuki respirou fundo, era perceptível seus músculos tensos e o desconforto no rapaz, logo, ele fechou os olhos e soltou a bomba de uma vez - Eu acho que sou gay!

Houve silêncio...

Foram exatamente dez segundos de silêncio até a ficha da garota cair e ela arregalar os olhos, se engasgando com a bebida gelada em sua boca.

- COMO É? - Katsuki tampou a boca da morena com as mãos na mesma hora, a olhando com repreensão.

- Eu falei para você não surtar, caralho - Ele sussurrou a frase e a menina assentiu com a cabeça, ainda desnorteada com o que tinha acabado de ouvir. Logo, bakugou tirou a mão da boca da garota.

- Kat, espera... - Alice puxou fortemente o ar, tentando assimilar tudo o que tinha ouvido - Você não está me zoando, né?

- E eu lá tenho cara de palhaço, maldita? - Meigo como uma pedra.

- Ok, Ok, como você descobriu isso? - A garota estava pasma, mas queria entender com todos os detalhes a repentina mudança de sexualidade do garoto em plenos dezessete anos.

- Então... - O loiro coçou a nuca, lhe oferecendo um sorriso nervoso - Aí vem a outra bomba - Houve uma pausa silenciosa até que bakugou cuspiu as palavras lentamente, tentado fazer com que ele mesmo aceitasse a idéia - Eu meio que 'tô apaixonado... Por um cara.

O espanto da garota não podia ser maior... Ela sentia dentro de si algo se quebrando em mil pedaços e uma dor começando a surgir, entretanto não perdeu a postura e ofereceu ao loiro uma cara de espanto.

- E quem é o cara...? - Perguntou não tendo certeza de que queria uma resposta. Novamente bakugou respirou fundo e voltou seu olhar para o mar, admirando o fenômeno belo que era o pôr-do-sol. O reflexo das luzes solares atingiam a pele clara de katsuki, dando-lhe um tom dourado e realçando os olhos vermelhos do garoto.

- Kirishima... - Ele soltou de uma vez só e por pouco Alice não cai para trás de espanto.

- O Kirishima? Tipo... O Kirishima...? - O loiro lentamente assentiu com a cabeça - Espera, estamos falando do mesmo Kirishima? O Kirishima Eijirou, capitão do time de basquete da escola? - E mais uma vez bakugou assentiu, pressionando os lábios um contra o outro e arqueando as sobrancelhas.

- É exatamente esse porra aí.

- Wow - A garota deixou escapar pelos lábios - Tipo... Eu até entendo, ele é um tremendo gato... - Ela admitiu e o loiro acabou por concordar com - Mas é tipo, o reizinho da escola... O "príncipe do playground".

- Da para acreditar em uma desgraça dessas? - Katsuki abriu os braços, demonstrando sua indignação - O Universo ama me foder.

- Realmente, inacreditável - A garota sussurou um pouco alto, enquanto encarava o sol se escondendo na linha do horizonte. Se ela um dia já teve um coração, ele agora estava em pedaços.

- E agora, o que eu faço...? - Bakugou estava a beira de um surto de nervos.

- Isso é óbvio - Alice encarou o amigo.

- É? - O loiro arqueou as sobrancelhas.

- Sim - A morena se levantou do chão, dando tapinhas na parte traseira do seu jeans rasgado, a fim de limpar a areia grudada no mesmo - Nós vamos juntar vocês dois!

Dizer aquilo doeu mais do que ela imaginava que doeria, entretanto, mantinha um sorriso aberto no rosto.

- 'Cê 'tà maluca, só pode! - O maior também se levantou, se aproximando da garota - Esses seus livrinhos clichês estão pirando sua cabecinha oca.

- Eu vou fingir que você não desprezou a qualidade das obras de arte que são os livros de jhon Green e continuarei insistindo na idéia - A garota cruzou os braços na altura dos seios, tampando a frase "God is a woman" estampada em uma fonte pequena na regata preta que ela usava, a qual contrastava com sua pele bronzeada e continuou a se impor - Fala sério, Kat! O todoroki já me deixou claro de que o reizinho era bi! você tem a faca e o queijo nas mãos e só precisa de um empurrãozinho da sua melhor aqui! - Os olhos amendoados da garota brilharam em uma falsa satisfação, sendo que na verdade eles estavam prestes a lacrimejar.

Bakugou abriu um sorriso negando com a cabeça e logo pegou a melhor amiga no colo, a girando no ar.

- Ali, sua maldita, eu já disse que você é a melhor? - Seu coração se apertou de tal maneira, que ela se sentiu prestes a desabar, entretanto, seu sorriso não saía de seu rosto.

- Eu sei que sou! - E logo o cheiro da água do mar invadiu suas narinas, juntamente com a brisa litorânea, agora forte, que atingia seu corpo.

Aquele era o "lugar especial" deles. Escolhiam aquele canto isolado da praia para conversar sobre coisas importantes ou para desabafar sobre problemas. As melhores coisas sempre aconteciam ali! Desde confissões de algum vacilo até as promessas sobre como estariam sempre juntos.

E bem, ele estava ali com ela naquele momento, mas seu coração estava em Kirishima. E a partir dali, Alice decidiu que o importante seria a felicidade de seu melhor amigo e assim ela iniciou uma longa batalha para esquecer seus sentimentos, pois desse jeito seria melhor para os dois.

- Mas agora é sua vez - A pergunta da qual a garota mais temia foi proferida, era óbvio que o loiro insistiria em saber. Alice tremeu dos pés a cabeça, pensando em alguma desculpa esfarrapada para dar a Bagukou.

- Bem... É que... Ham... Eu... - Seus olhos percorriam a extensão da areia imaculada, procurando histericamente por algo útil a ela naquele momento.

- Você...? - A garota olhou para os lados e viu, jogado no chão da praia, um cartaz pin up onde um marinheiro batia na bunda de uma mulher vestida de vermelho. Não pensou duas vezes antes de falar a mentira.

- Eu descobri que tenho um puta fetiche em marinheiros - Cuspiu as palavras de uma vez só, sentindo suas bochechas corarem.

Houve silêncio por alguns segundos...

- Ah não, Ali! Não 'tô acreditando nessa merda - Katsuki pareceu magoado - A gente tinha um pacto de odiar marinheiros, lembra? Você lembra o que fizeram com o Ollie! - Ollie, no caso, era a foca de estimação de Bakugou que por algum motivo veio parar na costa, junto com algumas redes. Uma semana depois Ollie desapareceu e bom, acharam a foca em um bar local dos marinheiros, mas ela estava assada e servida em uma travessa de cerâmica, junto com salada de alface e com uma maçã em sua boca. Foi tenso, até hoje katsuki tem traumas com barqueiros e focas.

- A culpa não é minha, poxa! Moramos em uma região litorânea!- A menina tentava se justificar, sendo avaliada pelo loiro que balançava a cabeça negativamente - Toda semana chega uns marinheiros gostosos e sarados, com aqueles braços fortes e regatas que marcam o abdômen definido e aí, quando vi já estava procurando "marinheiros" no pornhub.

- Ali, você é uma tremenda decepção! - O maior cruzou os braços - Espero que quando você estiver fodendo com um marinheiro, lembre que eles são monstros comedores de focas a cada estocada!

- Pare de jogar praga nas minhas fodas!

A noite havia acabado de cair e, como previsto, a temperatura também. O alaranjado do céu deu lugar ao estrelado e a lua cheia que esbanjava seu esplendor na imensidão azul escura, também agitava as marés, deixando assim as ondas violentas.

E foi ali, naquele fatídico dia, que começou o drama de Alice a fim de ajudar o seu melhor amigo (por quem a mesma é apaixonada) a ficar com o gostosão da escola.

      ↬♡↫↬♡↫↬♡↫↬♡↫

Como (ᥒão) sᥱ ᥲρᥲιxoᥒᥲr ρᥱᥣo sᥱᥙ mᥱᥣhor ᥲmιgo




Notas Finais


Qualquer coisa eu apago e finjo que nunca escrevi hahaha.

Boa leitura ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...