História Como (não) se livrar de um ômega apaixonado - Capítulo 3


Escrita por:

Visualizações 209
Palavras 1.309
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oláaaa, turu bão com vocês?
Trazendo mais um cap xeroso aqui. Espero que gostem!
Boa leitura ☕❤


PS: Cap não revisado, me perdoem e avisem se tiver erros.

Capítulo 3 - Dica 3: (Não) Convide Park Jimin


Fanfic / Fanfiction Como (não) se livrar de um ômega apaixonado - Capítulo 3 - Dica 3: (Não) Convide Park Jimin

Dica 3: (Não) convide Park Jimin

 

— Nem pensar!

— Aigo, por que não? — emburrado, Yoongi-hyung cruzou os braços, fazendo bico. 

— Por que eu não estou afim. E sem contar que nem conseguirei assistir o filme, o Jimin com certeza vai ficar no meu pé. 

Balancei a cabeça, em negação. 

— Pelo amor de Deus, Jeongguk, deixa de frescura, vai. E o Jiminie nem é tão grudento assim.

Sorri em escárnio. 

— Não, imagina. — ele bufou e fez uma cara pensativa. Não durou muito até um sorriso maldoso surgir em seus lábios. 

Lá vem.

— E se eu convidasse o Taehyung? 

— Ah, hyung, aí não vale!

— É claro que vale, se você não vai pelo bem, vai pelo mal. 

Arqueou a sobrancelha, debochando.

Soltei o ar pelos lábios, contragosto.

— Tudo bem, mas tenha ciência que manterei o Jimin bem longe de mim.

— Fechado. Agora, — começou, levantando-se, assim que o sinal bateu, indicando o final da aula. Coitado do senhor Choi, não prestamos atenção em quase nada — você vai lá e vai convidar ele.

Arregalei os olhos, indignado. 

— O que? Por que eu?

— Por que ele gosta de você e obviamente vai aceitar? — respondeu, ironicamente, com outra pergunta. Revirei os olhos.

— Não foi esse o trato.

— Foda-se o trato. Agora, vai lá, alfa fresco!

O filho da puta me empurrou em direção ao ômega baixinho, que já havia me visto, e por coincidência — ou não — corria em minha direção. 

Ninguém merece.

— Gguk-ah! — apertou-me, fazendo-me perder o ar e levantar os braços, querendo me ver livre do seu aperto — Que saudades. Não sabe como contei as horas para te ver, aquela sala é muito chata sem você... — começou a tagarelar coisas e coisas que não dei importância. 

Peguei-o pelos ombros e olhei em seus olhos.

— Jimin. — Olhei para trás, percebendo que Yoongi nos observava com um sorrisinho. Desgraçado — Ahn... ainda bem que te achei, eu estava mesmo te procurando. — menti, dando com sorriso mais falso do mundo.

— Sério?!

Seus olhinhos brilharão. Oh, Deus.

Ah... sim? — o que era para ser uma resposta, saiu como uma pergunta. 

O rosado voltou a me abraçar, sufocando-me com um sorriso maior do que a própria cara. 

— Ei, ei, eu quero te perguntar uma coisa. 

Voltei a afasta-lo. 

— O que é? 

Cocei a nuca, enquanto recebia o olhar atento do baixinho.

Puta merda.

— Eu... tava' pensando em pegar um cinema hoje, já que amanhã não tem aula, sabe? E queria saber se você...

Calei-me ao senti-lo me apertar novamente, só que desta vez, com mais força. 

— Sim, sim, sim! Eu aceito sair com você, Kookie. Aceito!

Ri nervoso.

Porra. 

Escutamos uma buzina, que atrapalhou a alegria do ômega por alguns segundos. Olhamos na direção, vendo um homem de cabelos grisalhos acenar para nós. 

— É o meu tio, estarei pronto as dezenove e meia. Mal posso esperar para o nosso encontro! — deixou um beijo estalado em minha bochecha e saiu correndo em direção ao carro.

— Mas não é um... encontro. — murmurei, vendo que o garoto não escutará, pois já estava longe.

Voltei para onde Yoongi estava, rindo de nervoso por dentro.

— E aí, como foi?

— Ele não me deixou falar direito, e agora pensa que vamos ter um encontro. 

Min começou a rir escandalosamente, enquanto saíamos pelos portões do colégio. 

— Não ri, não, desgraça, isso é culpa sua.  — resmunguei, puto da vida.

— Mas bem que não seria má idéia. — colocou a mão no queixo, fazendo cara de pensativo — vocês são o caso mais dificil que eu enfrentei em meus dezoito anos, caralho...

— Caso?

Prendi o riso.

— Sou um psicólogo não descoberto ainda, sabia?

— Yah, não me faça rir, hyung.

— Seu merdinha — deu-me um beliscão, me fazendo resmungar de dor — não duvide da minha capacidade! Agora vai pra casa, temos que buscar seu príncipe encantado mais tarde.

Ri.

— Pode sonhar, hyung. Eu deixo.

.

.

.

— Jimin, desmancha esse bico, nós já vamos entrar.

— Não. Isso é seu castigo por não dizer que convidaria mais gente.

E lá estava eu, com pouca paciência e um Jimin emburrado a minha frente, após ter descoberto que o nosso 'encontro', não era mais tão encontro assim.

— Aish. — Eu já estava desistindo de tudo isso, foi uma péssima idéia. 

Dica 3: não convidar Park Jimin.

Anotado.

— Pessoal, eu trouxe três baldes de pipoca, vocês vão ter que dividir ente si.

— Tudo bem, eu divido com o Yoongi e, Jungkookie... — engoli o seco, assim que percebi o olhar de Taehyung sobre mim — tudo bem dividir o seu com o Jimin?

— Sim.

Não. 

Não, porra, não. Eu quero dividir a minha pipoca com você, apenas com você! 

Ótimo, então podemos entrar agora, já peguei os ingressos. — Namjoon se pronunciou, pegando na mão de SeokJin e indo na frente. 

Seguimos os dois, entrando na enorme sala cheia de poltronas e nos acomodamos.

E como esperado; Park Jimin sentou do meu lado. 

Taehyung sentou do outro, ou seja, fiquei entre os dois.

Resumindo: Fodeu.

Os trailers foram passando, e junto com eles, o meu nervosismo foi aumentando. 

Não sei se era pelo fato do garoto por quem tenho sentimentos fortes estar do meu lado, ou se era por que havia outro garoto totalmente psicopata que era doido por mim, e, com todo aquele escuro, podia me agarrar a qualquer momento.

Repito, fodeu. 

O filme finalmente começou, e eu nem sabia de que aquela porra se tratava.

As vezes eu me inclinava um pouco, e podia ver Yoongi retribuir o olhar, debochando de mim na cara dura.

Olhei para o Kim ao meu lado, vendo como ele ficava lindo concentrado. Reprimi a vontade de suspirar.

Ah...

Sentir um olhar queimar em mim e uma pequena mão — que eu conhecia muito bem — agarrar a minha. Fechei a cara.

— Jimin, presta atenção no filme. — sussurrei, voltando minha atenção para o telão. 

— Olhar para você é mais interessante. — retrucou. 

— É, mas o problema é que eu estou cem por cento incomodado com você me olhando tanto, e sem contar que o meu dinheiro não é lixo, pra você vir até aqui e não assistir a droga do filme, então para de me olhar e presta  atenção! — resmunguei, evitando olhar para ele. 

Exagerei? É, talvez.

Percebi que minhas palavras afetaram o baixinho, que imediatamente soltou minha mão, desnorteado. 

Voltei a assistir meu precioso filme em paz.

Passaram-se uns dois minutos, e franzi o cenho, estranhando a falta de reação do menor. 

Olhei para Jimin e tive vontade de me socar quando vi o mesmo passar as mãozinhas pelos olhos, segurando o lábio inferior entre os dentes.

Ao perceber o meu olhar, o ômega levantou brutalmente, e saiu sem dizer nada, o que fez Yoongi olhar em nossa direção, atento.

— Minnie? Onde vai?

— B-banheiro. — o baixinho sussurrou, inaudível. 

No mesmo instante, o Min olhou-me de modo repreensor, como se dissesse foi você, não foi? 

Dei de ombros, fingindo não me importar.

Mas estaria mentindo se dissesse que não senti um aperto no coração ao ver o rosado sair daquele jeito. 

O outro suspirou, levantando-se e indo atrás do Park. 

É, admito que exagerei. Mas agora já foi, não tem como voltar atrás. 

Taehyung me cutucou, fazendo-me sair do transe e olha-lo nervoso. 

— Aconteceu algo, Kookie? Está aéreo, e o Jiminie saiu meio cabisbaixo. 

Perguntou, preocupado.

Balancei a cabeça negativamente.

— N-não é nada, — pigarrei, xingando-me por ter gaguejado — ele me disse que foi só um enjôo. — menti, dando-lhe um sorriso reconfortante. 

Ele pareceu se convencer e voltou a assistir o filme.

Suspirei, aliviado.

Minutos depois, Yoongi voltou com um Jimin um pouco tristonho e com a cara vermelha.

Automaticamente preparei-me para me desculpar pelo tom rude que usei, mas estranhei quando o ômega rosado passou direto, indo sentar na poltrona onde antes estava Yoongi. O último citado sentou ao meu lado, ele não me olhou e enfiou a mão no balde de pipoca.

— Hyung... — comecei, mas fui cortado de forma fria e seca pelo mesmo. 

— Sh, conversamos depois.

 


Notas Finais


E essa conversa ae, ein? Humm kkkk
Espero que tenham gostado!

Até o próximo 🐦❤

Meu perfil @baegopa


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...