1. Spirit Fanfics >
  2. Como (Não) Ser Um Cafajeste >
  3. Sempre Há Chance De Ser Pego

História Como (Não) Ser Um Cafajeste - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


olá, olá! Disse que não ia demorar Ü
Aproveitem <3

Capítulo 6 - Sempre Há Chance De Ser Pego


Eu fui tolo e cometi um grande equívoco ao aceitar a proposta de Jimin. Logo eu, que só me relacionava com Tae e meus namorados, que nunca valiam a atenção que eu os dava, aceitei dormir na casa de um estranho. Foi um erro de tamanho inestimável. Porém, já havia sido feito, e coragem para desmarcar, me faltava. 

Passei horas e horas tentando desenvolver um plano. Não consegui nada, apenas anotei em minha mente que devia conseguir as informações que queria de alguma forma. Se eu conseguisse me aproximar de Jimin, voltaria satisfeito para casa. 

Me aproximar, eu até me aproximei. Mas, infelizmente, não foi do jeito que eu queria.



ㅡ Você está com tudo?

ㅡ Estou.

ㅡ Sabe exatamente o que fazer?

ㅡ Não, mas sim.

ㅡ Não esqueceu de levar escova e pasta de dentes?

ㅡ Não.

ㅡ Vai me manter atualizado?

ㅡ Vou.

Tae suspirou e me abraçou. Jimin estava me esperando no carro para me levar à sua casa. Minha mochila tinha roupas e tudo que eu precisaria para dormir lá por dois dias. Tae havia me ajudado a ajeitar tudo e também me deu alguns conselhos para me aproximar de Jimin. Ele não acreditava que eu levaria o plano até o fim, mas disse: "Ele vai te fazer gostar dele, da forma que for; e sei que você também vai fazer ele gostar de você. Quando você desistir do plano, serão bons amigos."

Eu não acreditava naquilo, mas usaria os conselhos de Tae para saber o que precisava sobre meu alvo.

Jimin me chamou. Tae e eu nos olhamos e nos abraçamos mais uma vez. Entrei no carro. 

Tae ficaria na casa de Hoseok para fazer o trabalho também. Mas era óbvio que eles fariam o trabalho se sobrasse tempo, pois passariam todo tempo se beijando e fazendo atos que não desejo nomear por conta de minha mente inocente. Acenei para ele e o carro começou a andar.

ㅡ Oi, de novo. ㅡ Jimin sorriu pra mim. Sorri de volta e acenei. E isso foi estranho, pois ele estava do meu lado; abaixei minha mão, fingindo que nada havia acontecido. Jimin riu. ㅡ Você já tem algum plano?

Meus olhos arregalaram. Jimin sabia de tudo?! Me deixar ir na casa dele era apenas uma forma de me enganar para me pegar no flagra?! Acho que fiquei pálido, pois Jimin ficou preocupado e tocou minha bochecha direita.

ㅡ Yoongi? O que foi?

ㅡ V-você sabe sobre o plano? Como descobriu? Jimin, eu sinto muito! Meu namorado tinha acabado de terminar comigo, e eu estava arrasado! Eu não quis fazer isso com você! Ahh! Eu sou um monstro! ㅡ cobri o rosto com as mãos, lágrimas escorriam pelo meu rosto. Jimin me olhava completamente perdido. Tentou falar várias coisas, mas nada saiu de sua boca.

ㅡ Mas… Você… Quando… O que… Eu… ㅡ ele gesticulava. Eu ainda estava chorando. O motorista de Jimin me olhava pelo espelho, acho que estava rindo de mim. Mostrei a língua pra ele e ele parou de me olhar. ㅡ Yoongi… Do que é que você está falando?

ㅡ Como assim? ㅡ funguei. ㅡ Você perguntou se eu tinha um plano…

ㅡ Sim. Um plano para o trabalho de geografia. 

Meu queixo caiu. Toda aquela situação pareceu tão engraçada de repente. Eu estava sem palavras. Comecei a rir enquanto limpava as lágrimas. Jimin me encarou por alguns segundos, completamente sem reação. Depois ele começou a rir também; negava com a cabeça e tinha as mãos no rosto.

Item 4 da lista do alvo perfeito:

- Risada do alvo. Se ele rir de um jeito escandaloso não dá, porque eu também sou escandaloso e isso vai desequilibrar. Um alvo que tenha controle da risada. Obs: Se for fofa, melhor.

A risada de Jimin era fofa. Fofa o bastante para me fazer rir ainda mais, mas porque me senti contagiado, e não porque achei engraçado. Jimin parecia se encaixar em alguns itens e destoar completamente de outros. Meu coração falhou ao pensar no que eu estava fazendo, porém tentei ignorar. 

ㅡ Ai, Yoongi… ㅡ ele limpou uma lágrima no canto do olho. ㅡ Você fala umas coisas tão fora da curva. Ao que você achou que eu me referi quando falei de plano?

ㅡ Nada, nada importante. ㅡ ri e passei as mãos no rosto. Jimin assentiu. ㅡ E, respondendo, não, eu ainda não tenho um plano para o trabalho. Mas tenho algumas ideias.

Jimin concordou com a cabeça e pegou seu celular; começou a falar de todas as ideias que tinha tido e como seria a execução.

Geografia não era o meu forte. Meu forte era artes e culinária. Não que tivesse aula de culinária na minha escola, só citei porque eu cozinho muito bem mesmo. Ouvir o Jimin falando sobre formas de diminuir a pegada de carbono, as consequências ambientais e econômicas da pecuária e algo sobre como nossa galáxia iria colidir com outra em alguns bilhões de anos me deixou levemente confuso. Disse a ele que era melhor falarmos daquilo na casa dele, onde poderíamos anotar tudo, pois eu realmente iria esquecer de tudo que ele me disse. Ele concordou, porém acabamos decidindo no carro que íamos falar sobre a pegada de carbono. 

Pensar nisso me fazia imaginar uma cena muito boba de mim e Jimin segurando carbono com as mãos. 



{...}


ㅡ Bem vindo à casa dos Park! ㅡ Jimin anunciou quando o carro estacionou. Ele abriu a porta e saiu antes de mim.

Quando coloquei os pés para fora do carro, me faltou cair de cara. A casa de Jimin era enorme. Era linda, tinha um jardim grande, dois São-bernardos correndo pela grama e algumas árvores altas. Quase disse a Jimin que ele estava acabando sozinho com o aquecimento global de tanta planta que tinha ali. O oxigênio inteiro da cidade era produzido no quintal dele, eu tinha certeza.

ㅡ Yoongi, esses são meus bebês! ㅡ ele disse, abraçando seus dois cachorros. ㅡ Essa aqui, de coleira vermelha, é a Samantha. Esse, com a coleira roxa, é o Sebastian. 

Enquanto Jimin acariciava seus cães, eu ajeitava minha mochila nas costas e pensava sobre como ela devia ser mais barata que as coleiras dos cachorros.

ㅡ Eles não mordem?

ㅡ Não. O Sebastian é desconfiado, mas só enquanto não te conhece. A Samantha é um amor, mas não mede limites. Mantenha tudo que for seu longe dela, ela realmente roubou um boné meu uma vez.

Me aproximei devagar e me ajoelhei ao lado de Jimin. Toquei a orelha de Sebastian, que me olhou de canto.

ㅡ Yoongi é amigo, Sebastian. ㅡ Jimin disse e tocou o nariz dele. O cachorro me olhou e virou a cara pra mim. Jimin riu. ㅡ Ele vai agir assim até se acostumar com você. Mas a Samantha é mais carinhosa, pode tocar nela.

Eu mal havia tocado na cachorra e ela já tinha me derrubado no chão enquanto lambia meu rosto todo. Deu boas lambidas na minha boca, enquanto eu ria e pedia para Jimin me ajudar. Eu estava usando um batom com gosto de cereja e ela deve ter gostado.

ㅡ Samantha! Sam! Não mate o Yoongi! Nós temos um trabalho pra fazer! ㅡ Jimin dizia e tentava tirar ela de cima de mim.

ㅡ Ai, tá bom, chega, chega! ㅡ eu rolei por baixo das patas dela e saí correndo pelo jardim. Ela veio atrás de mim. Eu já não sabia mais se ela queria brincar ou me matar. ㅡ Jimin! O que eu faço?

ㅡ Continua correndo! Eu vou abrir a porta pra você!

Fiquei correndo naquele quintal enorme, tentei me esconder atrás de algumas árvores e descobri que Samantha era tudo menos burra. Jimin estava destrancando a porta quando a cachorra pegou a barra da minha calça. Meu desespero foi visível. 

Eu sou tão pequeno e magrinho que ela não teria dificuldade alguma para me arrastar. 

ㅡ Pode vir, Yoongi! ㅡ Jimin gritou, segurava a porta pra mim.

Eu fui até lá quase puxando a cachorra comigo, pois ela não soltava a minha calça. Apenas quando Jimin olhou feio pra ela, quando eu estava na porta já, ela me soltou. Eu corri para dentro e comecei a tentar normalizar minha respiração. Jimin fechou a porta, colocou a mão na cintura e sorriu pra mim, estava meio nervoso.

ㅡ É… eu sinto muito.

ㅡ Sente muito? Jimin… Aquilo... ㅡ peguei mais ar. ㅡ Aquilo é um animal extremamente perigoso, violento e mortal! Minha nossa! ㅡ eu me sentei no chão, ainda respirando rápido. Meu coração batia descontrolado. Eu estive tão perto da morte.

ㅡ Sinto muito por isso. Ela deve ter gostado de você.

ㅡ Tomara que ela nunca me odeie então…

Jimin riu e me estendeu as mãos, me ajudou a levantar e deu batidas nas minhas roupas para tirar pedaços de grama que tinham prendido em mim; tinha uma joaninha no me cotovelo. Ele correu até a porta e a abriu um pouco, colocou a joaninha ali e voltou para o meu lado. Foi fofo.

ㅡ É… Então… Posso te apresentar a casa?

ㅡ A ca…

Só então reparei que estava parado em uma espécie de hall de entrada. O chão era de madeira e brilhava, tinha uma estante e um espelho em cima; mais a frente, do lado esquerdo, tinha uma sala. Haviam dois sofás brancos e uma grande televisão diante deles. Do lado direito tinha um corredor. Fiquei olhando para o lustre no teto por um bom tempo. Aquilo não podia cair e matar alguém?

ㅡ Bom… Aqui é a primeira sala da casa; normalmente a gente não usa. É só pra receber visitas rápidas. ㅡ Jimin falava enquanto andava até o corredor.

ㅡ Primeira sala? Precisa de mais de uma? ㅡ perguntei a mim mesmo; Jimin não ouviu. Segui ele pelo corredor até uma grande cozinha.

ㅡ Aqui não é a cozinha principal, normalmente só visitas rápidas tomam vinho aqui ou algo do tipo também.

Me questionei naquele momento o quão podre de rico você tem que ser para ter uma cozinha enorme que é usada apenas para servir vinho para visitas rápidas. Acredito que você tem que ter muito dinheiro e mais nada em que gastar. Não que eu esteja criticando, inclusive, se Jimin quiser trocar de casa comigo, eu adoraria oferecer vinho às minhas visitas rápidas.

ㅡ Aqui tem um banheiro. ㅡ apontou para uma porta no corredor na outra saída da cozinha. Depois apontou para outra porta no corredor.  ㅡ Ali tem outra sala; é onde eu vejo filmes normalmente. 

ㅡ Ah, claro. Quem não tem uma sala apenas para ver filmes? ㅡ fiz um "pfff". Jimin não entendeu. ㅡ É que… Tipo… Desculpa, cara. Sua casa é enorme e ter uma sala só pra assistir filmes é, meio, muito fora da minha realidade. Foi uma piadinha.

ㅡ Ah, meu deus! Eu devo ter parecido tão exibido! Desculpe! ㅡ ele pareceu tão preocupado que eu me senti um opressor de pessoas ricas.

Item 5 da lista do alvo perfeito:

- Educação do alvo. Eu não preciso de um príncipe, mas não quero um Shrek, ele ser educadinho é essencial.

Jimin é tão educado e gentil...

ㅡ Não, não, você não pareceu exibido. Foi só uma piada sem graça, eu juro! Tá tudo bem. Eu tô gostando de conhecer a sua casa. Sério. ㅡ Jimin assentiu e eu suspirei aliviado. ㅡ Mas, então, qual o próximo lugar?

Jimin seguiu e me mostrou apenas mais alguns cômodos dali. Acho que realmente não tínhamos nem tempo para ver a casa toda. Ele disse que me mostrou só os lugares que ele mais usa e mais próximos da saída para que eu memorizasse. Não que tenha funcionado, pois se ele me deixasse sozinho por 1 minuto, eu já não saberia por onde tinha vindo. 

ㅡ Lá em cima tem os quartos. Quer escolher em qual quer dormir ou tanto faz?

ㅡ Ah… Eu posso escolher?

Jimin sorriu e subimos as escadas. Andamos pelo longo corredor e ele ia me mostrando os quartos. Quase no fim do corredor tinha o quarto dele. Era grande e todo azul com verde. Jimin tinha muitos livros e perfumes. 

ㅡ Não tem nada realmente interessante aqui.

ㅡ Eu achei seus mangás de Love Stage muito interessantes. ㅡ apontei com o dedão para a coleção toda organizada em uma prateleira. Jimin ficou rubro. ㅡ Relaxa, cara. ㅡ coloquei a mão no ombro dele. ㅡ Todo mundo já leu yaoi em algum momento da vida. É um caminho do qual não podemos fugir. ㅡ mexi a cabeça em concordância várias vezes. Jimin pigarreou.

ㅡ Enfim, é isso. Você quer dormir em qual quarto?

ㅡ No seu.

Aquilo não devia parecer uma cantada. Eu não lembrava como eram os outros quartos e tinha um medo muito grande de passar a vergonha de me perder pela casa. Tinha certeza que se Jimin virasse de costas e dobrasse um corredor, eu me tornaria o Tom Hanks em Náufrago.

Eu não tinha pensado em todas as outras interpretações que aquela resposta poderia ter. Levei uns segundos para entender por que motivo Jimin tinha ficado envergonhado. 

ㅡ Ahh! Não, não era isso! Eu só me sinto seguro perto de você! ㅡ Jimin arregalou os olhos e eu me desesperei ainda mais. ㅡ Não! Não desse jeito! É que sem você por perto, eu me sinto perdido!

A situação estava piorando a cada segundo. Minha vontade foi ligar para Tae e pedir que ele explicasse tudo, pois ele conseguiria ser menos prolixo e confuso que eu. 

ㅡ Não! Não era isso também! ㅡ passei as mãos por meus cabelos curtinhos. ㅡ A sua casa! Eu não vou conseguir dormir sem você! ㅡ Jimin começou a tossir e eu desejei me jogar pela janela. ㅡ Jimin, eu juro que não estou tentando te cantar! Eu só estou tentando dizer que vou me perder pela sua casa! Ela é grande e sem você me guiando, eu vou me perder nos corredores! Queria dormir no seu quarto por isso! Eu juro!

Jimin pigarreou e eu suspirei. Será que nunca vou parar de passar vergonha na frente dele? Tudo sempre acaba ficando estranho quando estamos perto.

ㅡ Se você quer ficar no meu quarto, tudo bem. Você não vê problema em dividir cama?

ㅡ Quanto mais perto de você, melhor. Para eu não me perder! Quanto mais perto, mais seguro! ㅡ tentei consertar. Jimin ainda estava sem jeito, mas concordou.

Pediu que eu deixasse minhas coisas em algum lugar do quarto e me mostrou o banheiro que ficava no quarto também. Isso me fez pensar que todos os quartos dali deviam ter banheiros.

Me senti um idiota. Meu maior medo era sair para ir ao banheiro e me perder, mas se todos os quartos têm banheiros, eu podia ter dormido em qualquer outro.

Eu passei vergonha por nada.


{...}



Jimin e eu comemos alguns lanches que tinha na geladeira antes de ir fazer o trabalho. Eles eram realmente muito bons e eu nem percebi que estava catando os grãozinhos no prato. Só percebi quando Jimin começou a rir do quão concentrado eu parecia. Ele disse que esperava que eu não ficasse mal depois de tanto comer. Fiquei sem jeito, mas comi todos os grãos. 

Começamos o trabalho depois disso. Foram horas infernais. Não, eu exagerei. Tudo era relativamente mais fácil com Jimin, mas também era mais complicado, pois às vezes eu não acompanhava o que ele dizia. Fizemos a parte da pesquisa primeiro, já que já era quase noite e a gente estava muito cansado. Amanhã a gente faria alguns gráficos e estimativas, além de um plano detalhado que mostrava soluções para a pegada de carbono em nível mundial.

Eu queria tanto poder fazer um cartaz explicando por que vulcões têm erupções… Essa época já havia passado, e eu ainda não havia superado.

Enquanto Jimin fazia alguns cálculos super concentrado, e checava umas coisas no computador, eu estava indeciso sobre qual cor usar na capa do trabalho. 

Verde água ou coral? Era tão difícil escolher…

ㅡ Jimin, desculpa interromper, mas você não acha que está fazendo coisa demais? E não me refiro às etapas do trabalho, mas em quantas delas você está fazendo. Eu não devia ter mais participação nisso?

Eu adorava a ideia de ter menos trabalho, mas odiava a ideia de Jimin fazer quase tudo sozinho. Era um dilema…

ㅡ Ah, desculpe… Eu me envolvo demais. Você quer fazer os cálculos?

ㅡ Não tem outra coisa que eu possa fazer? 

ㅡ Bom, vamos economizar tempo se você anotar e classificar esses números para o gráfico.

Ele me deu uma folha. Quase me perdi com tantos números, palavras e anotações. Me senti um senhor de idade estreitando os olhos.

ㅡ Tá muito bagunçado? Eu deixo as coisas próximas demais…

ㅡ Não, não. É totalmente o contrário. ㅡ afastei o papel do meu rosto para ver se a visão melhorava. ㅡ É tão organizado que eu não sei nem o que está organizado. Mas eu consigo, relaxa. ㅡ mostrei o dedão pra ele.

O "relaxa" foi uma mentira. Eu levei minutos para conseguir entender como começar. Mas fiz cara de pensativo pra Jimin achar que eu estava entendendo e acrescentando coisas importantes. Eu só estava enrolando, mas ele não tinha que saber. 

Quando Jimin disse "Acho que está bom por hoje" eu quase deitei a cabeça na escrivaninha e dormi. Meu cabelo estava todo bagunçado de tanto que passei as mãos ali quando ficava confuso. Tinha um lápis dentro da minha camisa, ele caiu ali, mas eu estava concentrado demais para pegar. Senti medo de me distrair e me perder no meio dos números. Deviam ter riscos de caneta no meu rosto e eu parecia um maluco obcecado olhando aquela folha.

Tenho quase certeza que Jimin perguntou se eu queria tomar banho porque se assustou com a minha cara de morto. Eu aceitei com muito prazer e fui para o banheiro. Tinha uma banheira tão linda e grande… fiquei metade do banho brincando com bolinha de sabão. Jimin bateu na porta perguntando se eu estava bem, pois já estava lá dentro faziam 30 minutos.

Eu nem tinha lavado a cabeça ainda… Maldito seja meu vício em bolinha de sabão. 

Tomei o resto do banho um pouco mais rápido, até porque eu acabaria dormindo lá. Saí usando meu pijama amarelo com estampa de girafa. Era o pijama da minha mãe, mas era muito confortável e eu tinha pegado pra mim. 

Não tem problema roubar se você não for pego.

ㅡ Você tomou banho também? ㅡ perguntei quando saí do banheiro e vi Jimin de cabelo molhado mexendo no guarda-roupa.

ㅡ Ah, sim. Eu também estava muito cansado.

ㅡ Desculpa ter demorado tanto. Estava tão cansado que não vi o tempo passar.

Não tem problema mentir se você não for pego.

ㅡ Não tem problema.

Jimin deixou seu pijama dobrado em cima da cama e tirou a camisa que estava usando antes. 

Ok, eu sei. 

Item 10 da lista do alvo perfeito:

- NÃO, DE JEITO NENHUM, EM CIRCUNSTÂNCIA NENHUMA, DE NENHUMA FORMA, SE APAIXONE PELO ALVO.

Mas não tinha nada na lista sobre se sentir atraído de forma sexual pelo corpo extremamente bonito do alvo. Tudo ok.

ㅡ Nossa, me perdoe! ㅡ ele vestiu rápido a camisa do pijama. ㅡ Te deixei desconfortável? Eu não quis ser tão desinibido e atrevido.

ㅡ O quê? ㅡ fiquei confuso. ㅡ Não, não tem problema. Pode trocar de roupa. Eu só fiquei surpreso. Tá tudo ok. ㅡ fiz sinal de positivo.

Jimin assentiu e tirou a calça. Eu tentei olhar para o celular o tempo todo, mas… que pernas eram aquelas? Me senti tão infantil usando aquele pijama amarelo de girafa; o calção era curto e minhas pernas fininhas estavam a mostra. 

Jimin parecia um fisiculturista perto de mim.

Eu parecia uma galinha perto dele. Pó, pó.

ㅡ Você quer ficar desse lado da cama mesmo? ㅡ perguntou quando apagou a luz. O abajur do meu lado da cama estava aceso, então ele pôde deitar e se ajeitar sem problemas.

ㅡ Sim. Esse lado é perto da luz. ㅡ apontei para o abajur. Ele assentiu.

Eu já tinha passado uma tarde na casa dele e não havia descoberto nada sobre ele ainda. Senti que devia aproveitar aquele momento para arrancar alguma informação.

Me deitei de lado na cama e coloquei a mão na cintura. Pose de sedução.

ㅡ Então, Jimin… Qual seu tipo ideal?

Jimin estava certo sobre todos aqueles lanches que eu comi. Tão certo. Logo depois que perguntei isso, minha barriga fez um barulho alto e um odor nada agradável se espalhou pelo ar. O silêncio foi enorme depois que aquele ruído alto soou pelo quarto.

Jimin ficou olhando para mim e eu fiquei olhando para Jimin. 

As bochechas dele estavam vermelhas, mas não mais que as minhas. Nenhum de nós parecia saber o que fazer. Ficamos apenas nos encarando por quase um minuto.

Eu apaguei o abajur e me virei para o lado contrário ao dele. Ele fez o mesmo.

Ficamos quietos até dormir.


{...}


Acordei sem saber que horas eram. Jimin não estava na cama. O sol entrava pela janela, mas não era tão forte para me acordar. Eu simplesmente acordei. Ou foi o que pensei até sentir minha bexiga se contorcer dentro de mim. Corri para o banheiro e coloquei tudo o que devia ter saído noite passada para fora. Suspirei aliviado depois disso e voltei ao quarto; peguei minha escova e pasta de dentes. Escovei os dentes cantando Very Very Very do I.O.I. 

Não sabia o caminho até canto nenhum da casa, andei bem devagar pelo corredor e desci a primeira escada que vi. Acabei em uma sala cheia de homens jogando sinuca e cartas. Eles olharam pra mim e eu olhei pra eles. Dei meia volta.

Após sair dali, desci a segunda escada que vi. Acabei em uma sala cheia de telas, pintadas e em branco. Dei meia volta.

Desci a terceira escada e acabei na sala que Jimin tinha me mostrado ontem, logo perto da saída. Suspirei aliviado por estar em um lugar que eu conhecia. Mas Jimin não estava ali.

E agora? Eu sairia por aí gritando o nome dele? O pior é que eu nem tinha trocado de roupa ainda e a ideia de conhecer a família de Jimin usando pijama de girafa me assustava um pouco. 

Andei até a cozinha; tinha uma mulher cozinhando. Não tive escolha, tive que chamar ela.

ㅡ É… Senhora…

ㅡ Hm? ㅡ ela se virou. Me olhou bem e disse um "Aah". Ela devia ter uns 40 anos, tinha alguns cabelos grisalhos. ㅡ Você deve ser o amigo do Jimin!

ㅡ Isso, isso. É… Você sabe onde ele está?

ㅡ Acho que está lá no quintal com os cachorros. Quer que eu vá chamá-lo?

ㅡ Não, não. Eu vou até lá. ㅡ ela sorriu e eu retribui. ㅡ Licença. 

Quando cheguei na porta, lembrei que não sabia em que parte do quintal Jimin estava. Me virei e chamei a mulher novamente.

ㅡ É… A senhora sabe em que parte do quintal ele está?

ㅡ Lado esquerdo. É onde tem a casinha com todos os brinquedos dos cachorros.

Assenti e agradeci mais uma vez. Fui até o hall de entrada e fiz força para abrir a grande porta de mármore. A porta, no fim, era bem leve e eu caí igual idiota de cara no chão por conta da força com que a empurrei. Mas tudo bem. Me levantei e agi como se nada tivesse acontecido. O jardineiro riu de mim, mas eu fingi que não tinha visto e que meu joelho direito não estava doendo porque o bati quando caí e fui atrás de Jimin. 

Andei pelo grande quintal até chegar no lado esquerdo da casa. Fiquei cansado de andar até lá; longe demais. Jimin nem precisa fazer exercícios, dar a volta na casa uma vez por dia já equivale a andar vários quilômetros. 

De longe, vi a "casinha" com os brinquedos dos cachorros. De "inha" não tinha nada. Era mais um grande rancho, Jimin estava na frente com os cachorros. Senti medo por minhas pernas nuas quando vi Samantha.

ㅡ Jimin! ㅡ chamei, mas ele não ouviu. ㅡ Oh, meu deus… Se os cachorros me verem antes, acabou Yoongi… Jimin! Jimin! 

Gritei mais alto. Ele me viu e sorriu pra mim. Ele ia dizer alguma coisa quando a cachorra dele correu.

Eu já tinha visto aquele filme antes.

Corri de volta até a porta da casa dele, mas Samantha me alcançou e mordeu meu calção. Eu fiz carinho na cabeça dela e corri quando ela parou de me morder para lamber minha mão. Entrei na casa de Jimin e fechei a porta. Me encostei nela e fiquei respirando fundo.

Meu deus, quase foi a minha hora.

Ouvi uma batida na porta e meu coração disparou de novo. Os cachorros não eram fortes o bastante para abrir a porta. Eram?

ㅡ Yoongi! Você está segurando a porta? ㅡ fiquei aliviado por ser Jimin e abri a porta pra ele, que entrou e me olhou nervoso outra vez. Fechou a porta. ㅡ Me desculpe. Eu realmente não sei o que acontece com ela quando te vê. Acho que ela gosta muito de você ou… ㅡ mordeu o lábio. ㅡ Te odeia.

ㅡ Não é a primeira vez que um animal sente algo assim por mim. Já corri de animais maiores e ladrões também. A Samantha me assusta, mas é a criatura menos perigosa que já me perseguiu.

ㅡ Ladrões?

ㅡ Meu caro… ㅡ coloquei a mão no ombro dele. ㅡ Você não sabe as coisas por que já passei. 

Jimin ficou me olhando, atento. Eu movi a cabeça em concordância. Ele tinha levado aquilo a sério demais, não tinha?

ㅡ Eu exagerei, Jimin. Eu já fui roubado sim, mas não foi tudo isso.

Ele pareceu mais calmo. Park Jimin é tão inocente assim?

ㅡ Enfim, eu fui atrás de você porque acordei e não te vi e não sabia por onde ir. Eu entrei por engano em uma sala e vi um monte de caras jogando e fiquei com medo…

ㅡ Calma aí… ㅡ ele engoliu em seco. ㅡ Você entrou na sala de jogos do meu pai?!

ㅡ Ah… Seu pai estava lá?

ㅡ Ele disse algo pra você? Alguém disse?

ㅡ Não… A gente se encarou, eu e os caras, por um tempo até eu sair dali. ㅡ Jimin passou a mão pelo cabelo. Senti que tinha feito algo ruim. ㅡ Me desculpe se causei problemas… Eu só estava procurando você.

ㅡ Não foi sua culpa. Você não fez nada errado. A minha família, o meu pai, ele… ㅡ bufou. ㅡ Ele dificilmente gosta de algum dos meus amigos. O estereótipo de cara rico, sabe? ㅡ concordei. ㅡ Enfim, por que estava me procurando? Quer comer? O almoço está quase pronto, mas pode comer alguma outra coisa se quiser. Tem bolo na geladeira.

ㅡ Almoço? Que horas são?

ㅡ Quase 12:30.

ㅡ Ah… Mas… ㅡ resmunguei. ㅡ Por que não me acordou? Meu deus, devo ter parecido um preguiçoso. ㅡ lamentei e Jimin riu.

ㅡ Tudo bem. Eu não te acordei porque não sabia o quão cansado você estava. E você parecia tão imerso no sono. Não quis atrapalhar. Eu ia te chamar para o almoço, mas devia ter te avisado que ia sair ou esperado você acordar para te guiar. Desculpe.

ㅡ Jimin, você vai pedir desculpas por tudo? Tá tudo certo, cara. Relaxa. Se eu te contar que sou alguns meses mais velho que você, você vai pirar por não ter me chamado de hyung todos esses anos?

ㅡ Você é meu hyung?!

ㅡ Por que eu fui abrir a boca…. ㅡ suspirei. Jimin parecia ter descoberto que havia cometido um crime. ㅡ Jimin, foi um exemplo. Tá tudo certo. Vem cá, não era hora de comer? Vamos comer. ㅡ saí em direção à cozinha.

ㅡ Yoongi… Mas você falou sério sobre ser meu hyung? ㅡ segurou minha mão. Me assustei; Jimin é tão… Quente.

ㅡ Uns 7 meses. Sou 7 meses mais velho que você. 

ㅡ Eu não sabia.

ㅡ Eu sei, tá tudo bem.

ㅡ Vou te chamar de hyung.

ㅡ Mas não precisa…

ㅡ Mas eu quero, hyung.

ㅡ Ok, ok. Vamos comer.

ㅡ Ah, aliás… Não é aqui que almoçamos, é na sala de jantar. 

ㅡ Sua família vai comer com a gente?

ㅡ Sim.

É claro que eles vão. No que eu estava pensando? Yoongi, seu burro.

ㅡ Certo… Mas preciso colocar outra roupa. Não quero comer com sua família usando pijama.

ㅡ Sobre o pijama… Acho que a Sam rasgou ele.

ㅡ O quê?

Jimin me virou de costas para o espelho do hall de entrada. Tem um buraco no calção. Tem um buraco bem na minha bunda e a minha cueca tem estampa de macaco. Por que comigo? Meu rosto avermelhou e eu neguei com a cabeça.

ㅡ Eu vou trocar de roupa. ㅡ saí andando.

ㅡ Está indo pelo lado errado, hyung!


{...}



Me arrependi de não ter levado nenhuma roupa bonita para dormir no Jimin. A família dele estava bem vestida. Eu estava usando uma camisa azul com desenho de super-herói, um calção marrom velho e minhas botas pretas. O kit menino de 12 anos.

Ninguém falava nada, isso me aliviava, pois eu não sabia o que dizer, mas me deixava nervoso porque o clima era horrível. 

ㅡ Então… Yoongi, há quanto tempo conhece Jimin? ㅡ a mãe de Jimin perguntou.

ㅡ Ah… Acho que faz 6 anos.

ㅡ Nunca ouvimos falar de você.

ㅡ Eu e Jimin não somos tão próximos.

Aquilo pareceu bastar. O pai de Jimin parecia alheio, comia e não dizia nada. A mãe dele me olhava às vezes, mas também não ligava muito pra mim. Jimin parecia calmo.

Eu me sentia apavorado. Uma sala de jantar daquele tamanho, toda branca, a família dele agindo estranho e todo aquele silêncio… Eu quase sentia espíritos se aproximando de nós.

Jimin me convidou para assistir tv, disse que a gente podia acabar o trabalho mais de tarde e aí o motorista dele me levaria pra casa ou eu podia ir amanhã com ele até a escola, o que fosse melhor. Fomos assistir Gravity Falls. O tempo estava passando e eu tinha que descobrir, pelo menos, se Jimin era heterossexual. Não queria passar ainda mais vergonha tentando conquistar ele com a possibilidade de ele nem gostar de garotos.

ㅡ Então, Jimin… ah… Você namora?

ㅡ Como? ㅡ perguntou sem tirar os olhos da tv. 

ㅡ Você namora alguém?

ㅡ Não. E você?

ㅡ Não.

E agora?! Maldita seja a minha dificuldade em estabelecer conversas! Respirei fundo e tentei outra vez.

ㅡ Eu… Eu achei que a gente devia se conhecer melhor, sabe? Faz 6 anos que a gente estuda junto e mal conversou.

ㅡ Entendo… ㅡ pensou por um momento e se ajeitou, se virando para o meu lado. ㅡ Você gosta de basquete?

ㅡ Basquete? ㅡ ele assentiu. ㅡ Gosto.

Omiti o fato de não jogar há anos. Mas ele perguntou se eu gostava, não se eu jogava.

Não tem problema omitir se você não for pego.

O assunto sobre esportes não durou muito, começamos a falar sobre o desenho que passava na tv. Ficamos o resto da tarde revisando, finalizando o trabalho e acrescentando alguns detalhes. Depois decidimos o que cada um falaria, pois infelizmente teríamos que apresentar aquele monte de coisa. Já era bem tarde quando acabamos tudo.

Eu acabei dormindo com Jimin outra vez.


{...}


ㅡ Obrigado por ter sido tão legal e ter me trazido até aqui. ㅡ agradeci a Jimin quando o carro estacionou na frente da escola.

ㅡ Imagina. Eu que agradeço por ter feito o trabalho comigo, hyung.

Assenti e saímos do carro. Jimin foi à quadra porque tinha treino de basquete antes da aula começar. Eu procurei Tae e corri até ele rapidinho quando o achei. Ele me abraçou.

ㅡ Por que não me mandou mensagens? Fiquei preocupado.

ㅡ Tae, você não faz ideia de todo o trabalho que eu tive. Eu estou com olheiras! Minhas mãos doem de tanto digitar e eu sonho com o mundo acabando de tanto que estudei sobre pegada de carbono! Estou morto! Um caco! Nunca mais me aproximo de Park Jimin!

ㅡ Meu deus… Foi tão ruim assim?

ㅡ Ele conseguiu transformar o trabalho de geografia em matemática, Tae.

ㅡ Eu sinto muito por você. ㅡ fungou. Eu concordei com a cabeça e limpei uma lágrima. ㅡ Mas e sobre a conquista? Como foi?

ㅡ Jesus… ㅡ bufei. ㅡ Nem tive tempo pra isso. Não vou mais tentar iludir Jimin. É trabalho demais, Tae. Demais. Eu desisto.

Tae sorriu aliviado e me olhou com aquela cara de "Eu avisei", mas ele avisou mesmo, então eu só suspirei. Ele olhou estranho para algo atrás de mim.

ㅡ Você desistiu de Jimin, mas não sei se ele desistiu de você. ㅡ apontou.

Segui sua mão e vi Jimin, já de uniforme do time de basquete, correndo até mim. Até olhei para os lados para ver se era com outra pessoa, mas não, era eu mesmo. Quase fugi com medo de que ele estivesse me chamando para outro trabalho em dupla.

ㅡ Yoongi hyung! Hyung! Preciso da sua ajuda! Se importa de perder a primeira aula?

ㅡ An? Pra quê?

ㅡ Seokjin, um dos jogadores, machucou o tornozelo e não pode treinar com a gente nem participar dos jogos! Você pode substituir ele?

ㅡ Eu? 

ㅡ Sim! Você joga basquete, não joga?

Corrigindo: não omitam, sempre há chance de ser pego.



Notas Finais


Love stage é muito bom! Vejam Love stage. Leiam love stage.
Torçam pelo Yoongi. De novo? Sim. Sempre KSKSKSKSK
Até <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...