História Como (não) ser um cupido; Chanbaek - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kai, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Kris Wu, Lay, Lu Han, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Baekyeol, Chanbaek, Hunhan, Kaisoo, Kristao, Lubaek, Sebaek, Sulay
Visualizações 21
Palavras 1.297
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Orange, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - 01; Sobre mudanças no visual


Bom, nesse momento você deve estar se perguntando “Mas quem diabos é Marjorie Beauchamp?”. Eu nunca me incomodaria em responder essa pergunta. Se quiserem, podem pular essa parte, mas é óbvio que não vão pular, já que todos querem saber sobre mim. Eu sou a melhor personagem dessa história.

Tudo começou quando eu decidi que amor era um sentimento desnecessário para existência humana. Afinal, tudo se tratava de reprodução, exceto pelos homossexuais e mulheres e homens estéreis, mas esses pelo menos faziam uma coisa boa, geralmente adotavam crianças. Eu cresci em um orfanato, e sei como é horrível, então eu era a favor da adoção.

E não, eu não sou homofóbica, se fosse assim não tentaria juntar dois homens já que Byun Baekhyun é extremamente homossexual. Era isso que eu deveria estar fazendo agora, ajudando esse garoto na sua vida amorosa, mas vocês devem saber algumas coisas sobre mim primeiro. Então vamos continuar.

Quando eu morri, Deus decidiu que minha punição não seria queimar no inferno pra sempre, e sim trabalhar como um cupido, já que eu não acreditava no amor. Hoje eu percebi que queimar no inferno deve ser bem melhor que ajudar alguém a encontrar sua alma gêmea. É isso mesmo que vocês estão ouvindo, nós não andamos por aí carregando um arco cor de rosa e flechas mágicas que fazem as pessoas se apaixonarem instantaneamente, é bem mais complicado, temos que nos passar por pessoas vivas, ajudar nosso protegido a amar uma pessoa, no mínimo, decente, depois fazemos essa pessoa cair de amores por, nesse caso, Byun Baekhyun.

Agora que todos tiveram uma pequena introdução sobre mim, vamos voltar para programação normal, em que eu deixo de ser a narradora.

[ _ ]

— Olá, você deve ser Byun Baekhyun. É bem mais bonito pessoalmente. – Disse a garota de cabelos platinados ao aparecer magicamente na janela daquela simples casa. Baekhyun tomou um belo de um susto, o que resultou em um pulo que o fez se desequilibrar, consequentemente, o banco caiu e agora o rapaz se contorcia em busca de ar.

— Socorro! – Exclamou enquanto segurava a corda que estava no seu pescoço, em uma tentativa falha de sair daquela “armadilha mortal”.

— O que você tem na cabeça, seu animal?! – Marjorie pulou da janela rapidamente, indo na direção do futuro defunto, posicionou o banco que o Byun havia derrubado embaixo do mesmo, e logo o garoto já estava seguro novamente.

Ambos respiraram profundamente e sentaram no chão imundo daquele local antigo que provavelmente cairia a qualquer momento. Baekhyun enxugava o rosto enquanto algumas lágrimas insistam em cair, em seguida, começou a encarar a garota que estava sentada na sua frente. Eles se olharam por algum tempo, até que Marjorie resolveu cortar o silêncio.

— Vai continuar me olhando com essa cara de bunda por quanto tempo?

— Quem é você? – Questionou Baekhyun visivelmente irritado pela forma que a garota de aparência ocidental se referia a si.

— Sou a pessoa que salvou sua vida e que também vai te salvar com algumas dicas de moda, porque você tá precisando. – Levantou e, antes que o Byun pudesse se defender dizendo que suas roupas não eram feias, ela continuou. — Mas minha principal missão é te ajudar a encontrar o par ideal. Prazer, sou Marjorie Beauchamp, o melhor cupido que você já teve.

A platinada cruzou os braços e um sorriso orgulhoso nasceu em seu rosto de feições bonitas. Marjorie era extremamente convencida. Já Baekhyun encarou aquela garota como se fosse louca. Uma lunática que fugiu de um hospício próximo, pensou. Ele se afastou dela lentamente e tirou seu telefone do bolso de sua calça, pronto para ligar para polícia, quando o mesmo flutuou na direção daquele ser de lindos olhos verdes que o encarava como se o conhecesse a vida inteira. Pronto, agora o louco sou eu.

— Como pode provar que é um cupido e não uma doida que fugiu do hospício? – Ao terminar de falar, Marjorie revirou os olhos como se aquela fosse a pergunta mais idiota que alguém já havia lhe feito durante toda sua vida (mesmo que tenha morrido bem cedo).

— Primeiro, eu sou bonita demais pra ficar em um hospício. Segundo, já olhou bem pro meu cabelo? Acha que vão cuidar dele tão bem assim na merda de um hospício? Terceiro, você é cego? Eu acabei de levitar seu celular, que mero humano faria isso? – A garota falava aquilo como se fosse a coisa mais óbvia do mundo, tanto que Baekhyun cogitou na possibilidade de acreditar na platinada, mas ainda parecia relutante. Então a garota bufou e bateu os pés no chão, voltando a falar logo em seguida. — Se precisa de mais alguma prova, então veja mais um de meus truques. – Ela caminhou rapidamente na direção do Byun e segurou o braço do mesmo, estalando os dedos com a outra mão e, como em um passe de mágica, eles agora estavam no quarto do mais alto.

— Mas que porr... – Baekhyun foi cortado antes que terminasse sua fala.

— Ei, moleque, olha como você fala quando eu estou por aqui. Tá achando que eu sou sua mãe? – Foi a vez do garoto de bufar, afinal, ambos pareciam ter a mesma idade, qual era a necessidade daquilo? Mas ele não contava que, logo em seguida, a platinada começasse a rir. — Eu tô brincando, seu idiota. Achou mesmo que eu ia querer que você me tratasse igual uma velha?

Baekhyun ficou em silêncio por um tempo, repassando tudo que acontecera nas últimas horas. Carta de suicídio enviada para o ex-namorado, tentativa falha de morrer, conhecer uma possível cupido que provavelmente é uma louca que o drogou para, em seguida, mata-lo. O dia mal tinha começado, e o Byun já teria que lidar com vários problemas, mas no momento estava destruído emocionalmente, tudo o que ele queria era dormir e, de preferência, nunca mais acordar. Então ele simplesmente se jogou na cama e, sem se importar com a presença de Marjorie, dormiu.

[ _ ]

Baekhyun acordou com o barulho irritante do despertador do seu celular, e como se fosse uma criança ingênua, levantou da cama pensando que tudo que aconteceu tinha sido um simples sonho. Chanyeol não havia lhe trocado pelo time de futebol, ele não tinha enviado uma carta de suicídio para o mesmo e com certeza não teria tentado cometer tal ato, falhando miseravelmente ao ser salvo por uma louca que dizia ser seu cupido. Mas a realidade lhe deu um tapa na cara no momento em que o garoto abriu os olhos.

Marjorie estava parada na frente do mesmo, de braços cruzados e com o mesmo sorriso cínico de sempre, mas dessa vez ela estava com roupas bem mais modernas e extremamente bonitas. Ele olhou ao redor e percebeu que seu quarto estava bem arrumado, e seu armário parecia maior que o normal (e bem mais lotado). O Byun esfregou os olhos, como se duvidasse do que estava vendo. A platinada percebeu o quanto o garoto parado bem na sua frente parecia confuso, então começou a explicar.

— Bom, eu disse que ajudaria você a encontrar sua alma gêmea, então, nada melhor do que começar por uma mudança no visual. Eu joguei todas as suas roupas no lixo e...

— VOCÊ FEZ O QUÊ?! – Gritou, vulgo berrou, Baekhyun.

— Me deixa terminar de falar, Satanás! – Respondeu Marjorie num tom mais baixo. — Eu comprei roupas novas e bem mais bonitas, porque seu senso de moda é péssimo e o meu claramente é bem melhor. – O Byun revirou os olhos. — Agora vista-se, porque hoje você vai matar aula pra renovar o visual. Vamos a um cabelereiro, urgentemente. Esteja pronto em 10 minutos. – E então ela saiu do quarto.

Baekhyun iria negar aquela proposta, mas no fundo sabia que realmente gostaria de mudar algumas coisas em si, só precisava de alguém para lhe incentivar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...