História Como Reconquistar Seu Amor Com K-POP ! - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Tags Desenvolvimento Pessoal, K-pop, Musica, Romance
Visualizações 2
Palavras 1.012
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Esse capítulo mostra mais um pouco dessa relação que esta num momento difícil enquanto nosso protagonista tenta se virar do jeito que pode para quebrar esse clima.

Capítulo 2 - Lembranças Que Vem Bem A Calhar


Passou-se uma semana de discussões intensas e boas doses de ironia entre nós, bem isso foi algo maçante e totalmente frustrante por não estar se sentindo bem com a sua pessoa amada... Mesmo que virtualmente... Eu acho...

Primeiro dia após uma trégua que aparentemente é momentânea e isso me deixa preocupado, pois não consigo me sentir a vontade em nossas conversas, ela vem tentando agir de uma maneira neutra, mas que é totalmente imparcial quanto a nosso estado. Claro ela tem toda razão, pois em 4 anos de namoro chegarmos a um momento em que estamos numa relação complicada que tem diversos problemas que são ignorados por uma parte e engolida “a seco” por outra iria explodir alguma hora. No momento estou desempregado há 3 meses, o meu trabalho anterior estava me consumindo não me sentia bem nele após trabalhar 1 ano com aquela equipe e foi um dos gatilhos para essa situação que estou agora, sem dinheiro, com contas a pagar e sem nem sequer poder visitar a namorada sem ter que pegar um bilhete para poder vela; na verdade nossa relação sempre foi complicada até mesmo no início e isso me faz lembrar o quão estranho e normal nossa história tem sido durante essa vida. Quando nos conhecemos e ela uma pessoa insegura e eu alguém confiante, foi no segundo ano do ensino médio em uma escola pública eu avistei ela na sala de aula que para mim era um porre pois estava longe dos meus amigos da antiga classe e precisa socializar com alguém e me sentia totalmente deslocado naquele espaço. Aquilo me conturbava porém ver ela no canto da sala com seu grupo de colegas me trouxe uma sensação muito boa, uma menina tão linda de cabelo preto curto e que usava óculos era o meu tipo de garota e então me apaixonei e tentei aos poucos me incluir no grupo em que ela estava.

Comecei a falar com seus colegas e consequentemente com ela estava tudo ok uma pessoa muito interessante que tinha uma forte opinião e não falava apenas por falar, nos tornamos amigos em torno de 3 meses e quando chegamos nas férias do meio de ano peguei seu número de celular e começamos a trocar mensagens desta vez mostrei minhas intenções ( tenho que admitir que me sinto estranho hoje em pensar que só conheci algumas pessoas por querer conhecer ela, e apenas falar com ela por que eu tinha estas segundas intenções... Bom basicamente todos fazem algo á partir de uma segunda intenção não é?! ). Quando retornamos das férias foi algo “caliente” nada era comum entre nós tudo parecia levar para outro ponto de vista que não era o óbvio e comum em uma conversa, tomei iniciativa após uma semana e durante o intervalo da escola chamei ela para conversar no canto do pátio numa ala mais reservada próxima aos banheiros e numa conversa desconcertada de ambos chegamos ao assunto do beijo e enfim nos beijamos pela primeira vez. Foi algo espetacular pois eu realmente queria estar daquela maneira com ela a bastante tempo e senti que ela queria a mesma coisa que eu e isso trouxe algo muito bom naquele momento, sua perna tremia de nervosismo e sua boca soltava palavras sólidas e com total direcionamento ao momento que estava para chegar, esse é o tipo de pessoa que ela é uma garota decidida, uma mulher decidida que diria o que for necessário para chegar em uma decisão e acabar com sua dúvidas. Na verdade esse ainda é um dos traços dessa mesma mulher que hoje me jogou a verdade de uma forma que fiquei embasbacado por não ter percebido o qual desatencioso estava sendo como namorado e realmente me sinto um retardado por isso.

Entre uma dessas conversas estranhas que estamos tendo nessa semana conturbada, enquanto eu ouvia minha playlist de rock brasileiro e tocava Vivendo Do Ócio – Dilema uma música que é totalmente o contrário da minha situação é uma música que descreveria melhor o momento que minha namorada está passando como a pessoa que notou os problemas e quer acabar com tudo e superar está fase com maturidade e foco ou encerrar tudo de vez. Certamente ouvir esse tipo de música não é muito bom mas parece aliviar o espírito de uma maneira indiscutível, de certa forma me sinto terrível por entender e aceitar o ponto de vista dela sobre toda a situação, pedir desculpas e tentar agir normalmente e ela voltar a mesma estaca onde se inicia a discussão e mesmo que eu tente ser paciente e se esquivar acabo caindo e discutindo pontos que gostaria que ela colaborasse mais e me ajudasse a entender melhor, entender melhor alguém que já estou a muito tempo junto e ao mesmo tempo longe nessa relação de tanto tempo. Foi ai que tive a idéia de buscar algo que ela gosta e que realmente fica animada para nossa conversa como forma de acalmar esse clima super pesado que está no momento, eis que me lembro que o K-pop gênero musical que ela mais gosta e sempre evita de falar comigo por eu sempre criticar a cultura ou as melodias, poderia ser a chave para mim dar a volta por cima, um plano otimista sinceramente me sinto uma criança tentando falar de um desenho que passa na TV tentando pescar assunto com um colega ou com alguém que te chamou atenção na escola e voe precisa achar algo para conversar com essa pessoa.

E então perguntei:

- Oi! Qual era o nome daquele grupo novo de K-pop que você estava vendo o clipe esses tempos atrás ? – Fiquei um pouco nervoso por trocar repentinamente de assunto, que na verdade estávamos numa conversa um tanto quanto pausada para considerar como conversa.

E então após dois minutos depois de ter visualizado a mensagem ela escreve:

- Hm...

Nesse momento me senti aliviado por saber que era uma onomatopéia que ela usava para pensar no por que eu escrevi aquilo para ela, ou por parecer uma ironia fora de tempo para ela. Como será que ela interpretou?!


Notas Finais


A partir dos próximos capítulos terão mais diálogos entre os personagens e muito mais detalhes da relação e a histórias dos dois juntos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...