História Como se ferrar de verde e amarelo - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Wanna One
Personagens Daehwi, Guanlin, Jaehwan, Jihoon, Jinyoung, Jisung, Kang Daniel, Minhyun, Seongwoo, Sungwoon, Woojin
Tags 2park, Chamwink, Jihoon, Ongniel, Wanna One, Woojin
Visualizações 178
Palavras 3.935
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
jesus, achei que não ia conseguir terminar esse capitulo nunca, maaas cá estou eu com ele hehehhe
Então picolézinhos, ele não tá 100% como eu planejei, mas até que ele não tá tão ruim hhehe
Eu não tive muito tempo pra corrigir ele, e com as voltas as aulas eu to bem lascada pra fazer isso, então vão desculpando os erros futuros.
Não posso demorar aqui pq tenho 377367 tarefas pra fazer, mas é isso ai...
Boa leitura nenês!

Capítulo 11 - Uma vez trouxa, sempre trouxa


Eu nunca dormi tão bem, apesar de ter me incomodado um pouco com os braços de Woojin. Eu me sentia tão bem, tão relaxado. Toda a tensão que eu passei no dia anterior pareceu sumir e eu fiquei bem feliz, porque eu estava morto de cansaço.

Me espreguicei fazendo Woojin, que ainda estava abraçado ao meu tronco, resmungar algo manhoso contra meu pescoço. Sentir meus pelos se arrepiarem por aquilo, assim como meu coração acelerar.Ah mais porque diabos eu estou tão sensivel?

 

Tentei me soltar do moreno mais o mesmo não me permitiu me mexer quando me apertou mais entre seus braços. Decidi ficar quieto por motivos de: Caralhos, eu to com uma enorme vontade de fazer merda, merda essa que no caso seria safadagens mesmo. Que é?! Eu não sou nenhum santo ou puritano que não pensa em atiçar o inimigo às vezes. Só que no meu caso eu só não faço por que eu não to em condições pra fazer algo e não me deixar levar e por que não sou experiente assim como Woojin.

Mas mesmo quieto Woojin acordou invocado no satânico e resolveu ser o filho de uma mãe boa que só ele conseguia ser.

 

E eu juro que que eu tentei não ligar para o nariz geladinho descendo e subindo pelo meu pescoço, as mãos sapecas subindo a barra de minha  blusa, ou os lábios quentes que vez ou outra depositava um beijo carinhoso na minha pele, mas acontece que nessas horas o corpo fala mais do que a mente.

Levei minhas mãos para os cabelos do mais velho os puxando de leve ao sentir as curtas unhas do mesmo arranharem minhas costas. Woojin subiu seus beijos pelo meu pescoço chegando-os até meu queixo sem eu nem ao menos perceber. Uma de suas mãos desceu até minhas coxa a subindo até se encaixar em sua cintura enquanto invadiu minha boca com sua língua me beijando devagar, apertando vez ou outra suas mão que ainda estava em minhas costas. Minhas mãos deslizaram até os ombros de Woojin agarrando com força o tecido de sua blusa quando senti o mesmo se  inclinar um pouco a mais para cima de meu corpo, subindo suas pernas entre as minhas, me fazendo suspirar forte em meio ao beijo. Woojin soltou meus lábios me encarando com seus olhos menores do que o de costume por ter “acabado” de acordar. Deslizou sua mão que estava em minhas costas até minha cintura a forçando um pouco para o lado me fazendo encostar as costas no colchão de vez quando, em um movimento rápido, se encaixou no meio de minhas pernas.

 

Sabe… esse é o momento em que eu devia parar porque aquilo estava ficando sério demais, mas quem disse que eu tava me importando com algo naquela altura do campeonato?!?

 

Minhas mãos deslizaram de até seu pescoço o puxando para um beijo, que pela primeira vez tinha sido eu a tomar iniciativa. Woojin pareceu gostar daquilo me permitindo ditar o ritmo do beijo, apenas apertando minha cintura as vezes ou sua mão que ainda estava em minha coxa. Fiz questão de sentir cada cantinho de sua boca de forma calma, nada muito apressado ou lento demais, suguei, mordi como pude seus lábios. Woojin tinha um gosto muito bom que eu, mesmo ficando sem ar, não soltei seus lábios fazendo o moreno rir em meio ao beijo.

Woojin deslizou sua mão de minha cintura até a barra de minha blusa me fazendo arfar soltando seus lábios quando sua mão deslizou pela minha barriga arranhando-a de leve. Arranhei o pescoço de Woojin sentindo seus lábios descerem por todo meu pescoço e peito que descia e subia de modo rápido por já começar a me animar demais com aquilo, era quase um caminho sem volta agora. Se afastou minimamente subindo minha blusa um pouco me olhando como se pedisse permissão para continuar a subi-lá, eu tirei minhas mãos de seu pescoço permitindo que ele tirasse a mesma. Woojin a subiu delicadamente bagunçando meus cabelos assim que terminou de tirá-la por completo. Senti minhas bochechas ficarem vermelhas ao ter meu tronco observado pelo mais velho, que assim que eu tentei me tapar com meus braços, fui impedido.

 

-Você é tão... lindo - Woojin continuou a me olhar me fazendo ficar mais envergonhado ainda.

 

-N-Não diga essas coisas a-assim - levei minhas mãos até meu rosto os tampando.

 

-Eu posso? - Woojin deslizou seus dedos pela minha barriga fazendo eu morder os lábios com força ao assentir com meu rosto ainda tampado.

 

Parei de respirar sem ao menos ver, enquanto os dedos dos mais velho tocava suavemente por todo meu tronco me causando arrepios seguidos de outros arrepio. Caramba… ele sabia o que estava fazendo, já eu só sabia aproveitar de seus toques e morder os lábios para não soltar sons vergonhosos demais. Woojin deslizou sobre meu corpo e eu tirei meus braços de meu rosto sendo encarado pelo mesmo que. sem tirar seus olhos dos meus, beijou minha barriga, mordi os lábios com força e Woojin deixou outro beijo em minha barriga, desta vez um pouco mais demorado. Ele continuou a dar beijos e mais beijos por todo meu tronco me fazendo levar minhas mãos para seus cabelos, os puxando assim que deixou um chupão em meu peito.

Woojin continuou a marcar cada cantinho que sua boca alcançava me fazendo arfar e arqueia meu tronco contra o do mais velho cada vez que uma onda de prazer, causada pelos seus lábios, passava por todo meu corpo.

 

-W-Woo-j-jin - levei minhas mãos até seu rosto o puxando  delicadamente assim que seus beijos desceram demais e suas mãos foram até o cós de minha calça me deixando um pouco tenso. O moreno pareceu me entender sorrindo e voltando apenas a me beijar de forma lenta.

 

Sabe aquele capetinha e aquele anjinho de filmes, que sempre fazem o personagem principal se bugar inteiro por qual lado seguir… então… acredite se quiser mas eu, Park Jihoon, resolvi seguir o lado do capetinha.

 

Intensifiquei o beijo deslizando minhas mãos até a barra da blusa do mais velho a puxando para cima fazendo Woojin encerrar o beijo apenas para que eu pudesse tirá-la por inteiro, voltando a me beijar com a mesma intensidade de antes, minhas mãos foram para as costas largas dele a arranhando, em resposta Woojin levou suas mãos até minhas coxas as puxando para cima me fazendo arfar ao descer e subir minimamente sua cintura entre minhas pernas.

Woojin desfez o beijo parando para me encarar fazendo os mesmo movimentos de antes, me permitindo sentir sua ereção contra a minha. Fechei meus olhos com força e mordi os lábios tentando de forma falha segurar o resmungo manhoso, eu sentia os olhos de Woojin sobre meu rosto me negando a abrir os olhos por estar naquela situação com o moreno que eu odiava a três semanas atrás, mas do que aquilo me importava mesmo?

Uma de suas mãos saiu de minha coxa indo até minha cintura a forçando contra a sua no momento exato que impulsionou sua ereção contra a minha, me fazendo arranhar com mais força suas costas descontando tudo que eu sentia naquele momento. Meu corpo queimava com um inferno, o corpo quente de Woojin só fazia com que tudo piorasse. Sua respiração acelerada, seus dedos sobre minha coxa e cintura, seus olhos me queimando. Nada contribui pra eu me pôr de volta em meu lugar e sucessar todo aquele fogo

 

Mas sabe.. Tudo que é bom dura pouco ou na melhor parte acaba. E foi com um Jaehwan me sacudindo como um louco enquanto falava algo aos quatro ventos que eu acordei todo suado e com um puta tesão. Senti minhas bochechas queimarem quando o mais velho parou de gritar e me olhou sério enquanto tinha as mãos na cintura

 

-Caramba, que tipo de sonho ou pesadelo você tava tendo em?! - perguntou com certa raiva - To tentando te acordar tem quase meia hora - suspirou frustrado - Venha, vamos comer logo hm?! - tirou sua mão da cintura indo até a porta do quarto me deixando   sozinho ali na cama, todo suado e com um puta problema pra resolver.

 

Eu nasci pra ser trouxa viu!

 

Me joguei de costas na cama me abanando por sentir todo meu corpo ainda quente, como se eu não tivesse sonhado e sim vivenciado aquilo tudo que minha mente me fez o favor de representar tão bem naquela droga de sonho.

Quase chorei de tristeza quando senti um dor em meu membro denunciando que eu teria que cuidar daquilo logo caso não quisesse me contorcer de dor por apenas um sonho besta… Ah mais eu deio muito Park Woojin por ser tão filho da mãe e gostoso.

E por falar nisso eu fiquei me perguntando se eu também imaginei que ele me abraçou de madrugada, mas minha duvidas foi respondida de forma automática quando senti algo vibrar ao lado de minha cabeça denunciando o celular do moreno ali. Aparentemente era uma mensagens de Dan. Não que eu tenha aberto a mesma, era só porque tinha o nome  dele ali na notificação

 

Fui até o banheiro trancando a porta para evitar constrangimentos futuros. De vergonha já basta a que eu passei por sonhar algo aleatório quanto eu pegando Woojin daquela forma. Bem que eu estranhei eu tirar a blusa tão fácil. Deus me free de alguém ver minhas gordurinhas, já basta Lee Daehwi.

 

Não vou falar que pensei no sonho todinho e uns sete finais diferentes para ele enquanto eu me aliviava de modo silencioso, mas foi exatamente isso que eu fiz. Não me orgulho disso pode ter certeza, mas ser homem tem seus ruins né, ser gay então… Vou nem falar nada pra não sujar tanto minha imagem.

 

Minhas bochechas arderam assim que eu abri a porta e vi o dito cujo de meu sonho ali parado com a escova de dente e com a carinha toda amassada, seus cabelos parecia um ninho de pássaro o que quase me fez rir. Mas o sorriso malicioso que ele me lançou me deixou tenso.

De duas a uma, ou não foi totalmente um sonho, ou ele percebeu meu estado crítico.

Agradeci aos Deuses quando Jaehwan apareceu ali me chamando pra comer logo.

 

Jaehwan sentou em sua pia me observando enquanto comia uma maçã. Eu comia meu lámen de galinha calado, até porque né?! Eu tenha certeza que ele sabe muito bem o que eu estava sonhando, e eu to mortíssimo de vergonha de imaginar se ele escutou algo, ou se eu fiz algo muito estranho.

Woojin desceu as escadas coçando os olhos. Jaehwan soltou um risinho quando me viu enfiar minha cara na panela com o lámen.

 

-Bom dia hyung - Woojin se sentou ao meu lado puxando a panela que eu tinha meu rosto enfiado me fazendo o olhar feio

 

-Bom dia Woojin - Jaehwan riu descendo da pia indo jogar fora o que restou de sua maçã.

 

Woojin se virou de frente para meu rosto depois de comer boa parte de meu lámen, cerrou os olhos parecendo curioso e eu senti um desespero enorme apenas com aquilo. Puxei a panela de suas mãos voltando a comer o que ainda tinha ali. Woojin continuou a me olhar e toda vez que eu olhava para o lado eu logo tratava de desviar o olhar por vergonha mesmo.

 

-Você costuma ter muitos sonhos ? - perguntou e eu o olhei sem entender enquanto mastigava o lámen - É que você ficou se esfregando em mim e gemendo, parecia que estava tendo algum sonho… erótico - eu engasguei começando a tossir desesperado.

 

Jaehwan se desesperou quando começou a me ver vermelho me obrigando a tomar uns dois litros de água, por os braços pra cima , e até mesmo bateu nas minhas costas. Woojin riu no começo, mas quando eu comecei a tentar puxar um pouco de ar veio até a mim me abraçando por trás em um procedimento de primeiros socorros e eu quase morri quando ele me apertou, mas pelo menos o ar voltou a circular em meu pulmão, e por estar tonto Jaehwan me segurou assim que Woojin me soltou e eu quase fui de cara com o chão.

 

-O que tu’ fez com ele ? - Jaehwan me sentou no sofá de sua sala olhando feio para Woojin

 

-Eu só perguntei se ele sonhava muito - deu de ombros - Você tá bem? - me analisou por alguns segundos e eu assenti ainda sentindo meu pulmão arder.

 

- Q-Que horas afinal? - perguntei sentindo minha cabeça doer um pouco

 

-Acho que deve ser duas da tarde - Jaehwan se sentou ao meu lado destravando seu celular e me mostrando a tela.

 

Eu quase chorei ao ver na verdade 15h. Eu teria problemas com meu pai e Daehwi na certa.

 

-Ah, você ainda vai sair? - Woojin perguntou a Jaehwan que assentiu

 

-Eu tenho que ir na verdade, Jisung vai voltar pra casa às 19h, Podem fazer o que quiserem, só deixa minha casa limpa no final ok!? - Se levantou me fazendo piscar alguns segundos…

 

-Pera ae… eu vou ficar aqui? - perguntei o olhando e ele assentiu

 

-Eu até te levaria pra fraternidade, mas acontece que meu carro deu pau e além de que… Não acho que seja uma boa ideia eu te levar lá - o olhei sem entender - Daehwi me avisou pra  deixar você afastado da fraternidade, falou que era pro seu bem e que depois te explicava

Eu não falei mais nada estranhando aquilo. Jaehwan deixou a sala me deixando sozinho com Woojin que jogava algo no ps4. Eu passei a olhar o rosto do moreno na tentativa falha de achar alguma imperfeição, e quando eu vi eu já estava de volta ao meu sonho. Balancei minha cabeça mandando aquelas imagens para longe, o que fez o mais velho me olhar.

 

-Quer jogar ?- apontou para o controle em suas mãos e eu neguei - Vem logo! - mandou e eu revirei os olhos me sentando ao seu lado - Você já sabe o básico certo?! - assenti - Ótimo, ti’ vira - sorriu me entregando o controle assim que apertou em iniciar uma nova partida.

 

Não vencer não existia para Park Jihoon, e mesmo sem conhecer muito daquele jogo, eu venci. Claro que não foi tão fácil assim como era com os jogo que eu já tinha virado no meu computador, mas eu consegui vencer três ou quatro partidas. Woojin as vezes me empurrava por desespero e outras de propósito apenas para eu errar. E eu já estava ganhando a quinta partida seguida quando Woojin se aproximou de meu ouvido me fazendo errar um ataque. Pausei o jogo virando meu rosto para sua direção. Meus lábios tocou os de Woojin pela proximidade, e ele apenas continuou a me olhar com seus olhos castanhos, parecia relutante com algo.

Eu já estava uma bagunça só por dentro e ter os olhos castanhos me sugarem a alma não me ajudava em nada a organizar meu pensamentos. Não sei explicar o que aconteceu exatamente com minha mente, que eu mandei toda a minha vergonha pras cucuias.

Larguei o controle levando minhas mãos até o rosto do moreno que me olhou surpreso por ter feito aquilo. Observei com calma seus olhos para depois descer o olhar para seus lábios carnudos, os sugando suavemente, voltando a encarar os olhos castanhos de Woojin com um certo medo de ter feito algo errado.

 

-Podia ter esperado eu sair...Tem camisinha lá no meu quarto, só não usem a de morango, o cheiro impregna na casa toda, é horrível - Jaehwan avisou batendo a porta assim que gritou um tchau trancado a porta.

 

Woojin riu se afastando um pouco e bagunçou meus cabelos em seguida. Bati em seu braço o afastando de meus cabelos e o moreno ficou tentando pegar nos mesmo de novo sendo impedido por meus tapas em seu braço. Mas o filho da mãe cutucou minha costela fazendo cócegas  me fazendo perder aquela briguinha infantil de não deixar ele pegar nos meus cabelos.

O moreno os arrumou delicadamente enquanto eu apenas me mantive quieto tentando normalizar minha respiração por ter me mexido demais antes. A casa estava silenciosa, sendo o único barulho, as nossas respirações falhas.

 

Woojin deu um meio sorriso assim que terminou de arrumar meus cabelos e eu o olhei sem ter uma reação visível para aquilo, mas por dentro eu tava surtando, por que foi muito fofo da parte dele. E eu cheguei a conclusão de que; Eu tô muito encantadinho com esse Woojin todo soft comigo. O medo de ter aquele Woojin filho da puta de volta era real e por isso eu tratei logo de deixar de lado aqueles pensamentos sobre ele.

Como se uma lâmpada ligasse de repente em minha cabeça eu me afastei dele voltando a pegar o controle do ps4 e dando start no jogo.

 

Quando eu fui parar de jogar já eram seis da tarde, Woojin mexia em seu celular jogado no outro sofá. Minha barriga reclamou de fome e eu me levantei indo até a cozinha. Eu abri boa parte dos armários de Jaehwan atrás de comida, mas aparentemente aquela casa não tinha comida nenhuma. A geladeira só tinha cerveja e soju, o que eu achei um absurdo, mas a casa não é minha mesmo.

Eu estava olhando uma das gavetas da parte de baixo dos armários, achando finalmente algo para se comer. Era um simples lámen, mas na hora da fome a gente come qualquer coisa mesmo.

Woojin apareceu na cozinha alguns instantes depois que eu coloquei a água para ferver. Se  sentando na bancada que tinha junto a pia.

 

-Como é ser o capitão do time? - perguntei apenas por ter ficado um pouco incomodado com o silêncio

 

-Ah! É cansativo às vezes, carrego muita coisa nas costas, mas eu amo o que eu faço - deu de ombros e eu concordei algumas vezes - E você, porque entrou na nossa fraternidade? Não acho que seja por gostar de festas de arrombar, ou pelo futebol

 

-Lee Daehwi é o culpado - vi a água ferver pondo o macarrão na água - Ele implorou pra eu entrar aqui com ele, mas não me pergunte o motivo disso

 

-Não duvido que seja pelas festas - Woojin desceu da bancada indo se sentar na mesa

 

-Você não é de Seul né?! - joguei o tempero junto a mais algumas coisas que eu consegui achar no final da gaveta da geladeira fazendo um cheiro gostoso subir

 

-Sou de Busan, saí de lá depois que meus pais se separaram

 

-Porque ainda aceita as agressões de seu pai?… Digo… Você poderia muito bem ter ido morar com sua mãe - Woojin soltou um suspiro pesado e eu me senti um pouco curioso demais

 

-Bem… Na época eu me importei com quem tinha mais dinheiro. Eu era um adolescente mimado. Aprendi a ser humilde com os meninos do futebol, principalmente Jisung e Daniel - explicou enquanto eu colocava o lámen em cima da mesa, pegando dois hashis

 

-Ainda não entendo isso do seu pai…Muito menos o por que de você deixar ele controlar sua vida - entreguei um dos hashis para ele me sentando

 

-Isso é complicado de se entender. Mas não posso arriscar minha condição física principalmente por agora. Os campeonatos estão chegando, desafiar meu pai seria pedir para ficar fora dos jogos por dois anos ou mais - comeu um pouco do lámen

 

-Então por que você desafiou por conta desse tal Seob ? - ergui as sobrancelhas em dúvida

 

-Seob foi alguém especial pra mim Jihoon. Foi com ele que eu aprendi a não sentir vergonha de gostar de… você sabe… meninos. Ele foi o primeiro menino que eu transei sem querer me matar depois por ter descomprido uma ordem de meu pai. Ele que muitas vezes cuidou dos meus machucados, ele quem dormia agarrado comigo quando eu sentia medo. Naquele dia eu só quis me despedir dele. Mas veja… eu levei um puta fora - riu sem realmente ver graça

 

-Eu… Sinto muito por isso! Tenho certeza que ele também está mal por ter feito isso com você… - me calei sem saber o que realmente falar.

 

Jisung entrou pela cozinha jogando uma boa quantidade de sacolas em cima da mesa se jogando em uma das cadeiras enquanto respirava forte.

 

-Vocês estão com cara de velório, credo!- comentou se levantando indo até a geladeira pegando três garrafas de soju - Vou te levar para fraternidade lindo, mas tome essa garrafa toda antes, você tá todo destruído, vai precisar dela - deixou uma garrafa em minha frente e esticou uma para Woojin que a pegou

 

Eu encarei uns bons minutos aquela garrafa e resolvi tomá-la de verdade. Eu me sentia tão confuso com tudo que estava me acontecendo, o que tinha demais em tomar aquela garrafa de soju não é mesmo…

Se eu e Jisung tivéssemos tomado só aquelas estaria de bom tamanho, mas em meio a conversas que eu nem mesmo sei dizer do que eram ou o por que começamos a conversar, eu já tinha tomado três garrafas e Jisung umas sete. Woojin nem na cozinha estava. Jaehwan chegou me impedindo de pegar mais uma garrafa me levando até a sala, fazendo o mesmo com Jisung.

Depois de um bom tempo jogado naquele delicioso sofá, eu dormi. Tanto dormi que quando eu vim acordar eu estava no quarto de Woojin na fraternidade.Eu me sentia um pouco feliz demais, eu estava tonto, e sentia uma necessidade enorme de beijar… Acho que soju não me fazia tão bem viu?!

Me sentei sobre a cama vendo Woojin abri a porta se seu guarda-roupa guardando algo ali.

Me levantei meio tonto indo até o moreno e o encarando.

 

-Tá se sentindo melhor? - tocou em minha testa preocupado

 

-Como eu vim parar aqui? - encarei os lábios carnudos sentindo uma vontade enorme de beija-los

 

-Eu peguei o carro do Jisung-Hyung… - tirou suas mão de minha testa se afastando mas eu segurei seu pulso o fazendo me olhar com duvida - O que foi?

 

Sabe aquele capetinha do meu sonho…. pois é, ele realmente ganhou minha briguinha boba me fazendo beijar os lábios de Woojin de forma rápida. O moreno arregalou os olhos e eu quase morri de vergonha por ter feito aquilo. Por mais que tenha sido apenas um selinho  e já ter beijado Woojin.

Meu coração deu uma paradinha quando o moreno riu e bagunçou meus cabelos me puxando pelo pulso em seguida.

 

-Vá dormir Jihoon - me levou até sua cama me sentando na mesma - Vou dormir no quarto de Jisung, então fique a vontade - se afastou ainda rindo, pegou seu celular, um casaco e foi até a porta do quarto me olhando ao abri-la - Amanhã você me explica o que diachos é aquela fantasia estranha de coelho

 

Eu pisquei sem entender vendo o moreno fechar a porta em seguida. Fiquei um bom tempo sentado na cama sem saber o que fazer. Meu coração estava batendo forte por algum motivo que eu sabia muito bem mas seria preferia não admitir tão cedo. Meu cérebro estava lento demais para processar  tudo o que eu sentia naquele momento. Eu ainda me sentia tonto pelo soju, e eu cheguei a conclusão de que… Eu estou virando um alcoólatra e preciso estudar e voltar a ser quem eu era antes de entrar nessa fraternidade… Ou seria melhor dizer que eu tenho que parar de ter surtos internos toda vez que Park Woojin sorrir ou chega perto demais de mim?!

 


Notas Finais


FOI ISSO AI POVO!
Jihoon todo confuso tadinho do menino viu, mas como não fica né meu povo, Woojin é muito estranho ainda, faz cada coisa com o Jihoon.
Jaehwan icone que não gosta de camisinha de morango, muito eu sim, é realemente bem enjoativo viu gente, não usem pelo amor kkkkk

Jisung e Jihoon bêbados é minha religião kkkkk, adoooro!

E esse Jihoon tonto beijando o Woojin, GRITEI ALTÍSSIM!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...