1. Spirit Fanfics >
  2. Como se fosse a primeira vez >
  3. Jantar na casa da frente ou do lado

História Como se fosse a primeira vez - Capítulo 22


Escrita por: Vidoto

Notas do Autor


Ala, eu postei rapidão hein, MINHA INSPIRAÇÃO VOLTOU! ent, eu ate ja sei o que vou fazer no proximo cap! enfim, acho que vocês vão precisar de alguma explicaçôes e mais avisos
AVISO: LEIAM ISSO!!!
o nome do cap tem explicações, na fic, a momo e o bakugou e o denki moram praticamente na mesma rua, e o bakugou mora quase do lado do denki e a momo na frente deles
não é o de mais importante, mas vamos lá, se lembram que em alguns caps anteriores eu coloquei nomes nos pais da momo? se não, sem problemas, eles vão ser citados nesse cap, e não sei se vcs lembram, ent vou falar aqui p ajudar
Pai da Momo: Masayasu
Mãe da Momo: Fumiko
acho q é isso, ah, não deixem de ler as notas finais

Capítulo 22 - Jantar na casa da frente ou do lado


Fanfic / Fanfiction Como se fosse a primeira vez - Capítulo 22 - Jantar na casa da frente ou do lado

 

~Denki Pov~

Acordei travado, ontem o dia tinha sido cansativo demais, lutar com aquele tanto de gente me cansou. Olhei a tela do meu celular e vi que nem era tão tarde assim, me espreguicei, fui para o banheiro fazer minhas higienes matinais de sempre e logo desci para comer alguma coisa.

- Bom dia. – falei entrando na cozinha – AAAAH QUE ISSO? VOCÊS ESTÃO PREPARANDO UM PÃO PARA MIM?? – perguntei animado vendo meu pai me olhar com cara de “ué?” enquanto amaçava uma massa – EU NÃO ACREDITO, eu to emocionado, não precisavam, nem é meu aniversario! – falei fingindo chorar

- Para de ser besta garoto! – minha mãe falou me dando um peteleco na cabeça – Hoje os Yaoyorozus, Bakugous e os dois Midoriyas vão jantar aqui. Então vamos preparar algo. – ela explicou

- Mãe, são nove horas, da manhã. – eu falei e ela me lançou um olhar mortal

- Eu tentei filhão, eu tentei.... – meu pai disse quando eu fui para seu lado pegar um pouco de chá, quando eu vi a enorme, gigantesca marca de mão da minha mãe na cara dele, era provável que ele tenha tido outra opinião mesmo sabendo que sempre que alguém vem aqui em casa, quem coordena as coisas para se fazer é a mamãe

- Uau, acho que vou servir a suar ordens senhora dona mãe. – falei assustado me sentando com o chá em uma mão e na outra um ovo já feito por eles

Tomei meu café da manhã tranquilamente, além de ter minha mãe murmurando o que poderia fazer de janta e meu pai cantando enquanto amaçava aquela massa que ficava cada vez maior.

- Ai ai, acho que vou subir um pouco para tomar um sol. – falei bocejando

- Nada disso garoto, nem pense que vai se salvar só porque lutou ontem. – ela disse aparecendo atrás de mim, me fazendo gelar – Vá arrumar teu quarto e depois vai arrumar a sala, varrer a casa e fazer as compras. – ela disse e logo me deu um beijo na bochecha e eu a fiquei encarando – ANDA DENKI, NÃO TEMOS O DIA TODO! – ela gritou e eu quase cai da cadeira

- AAAAH SE ACALMA MÃE. – gritei ainda assustado e me levantei – Eu posso chamar a Momo para ir no mercado comigo depois? – perguntei na frente da escada

- Pode, alias até prefiro, já que você é meio esquecidinho. – minha mãe falou colocando a mão na frente da boca enquanto ria, eu subi com cara de repolho

Logo que cheguei lá em cima, fui para meu quarto, troquei de roupa e pegue um bom fone e meu velho e quebrado celular, pluguei o fone no celular e coloquei uma musica qualquer enquanto arrumava o lixão, digo, meu quarto. Fiquei quase que uma hora arrumando aquilo tudo, desci para a sala e comecei a ajeitar o lugar que não estava tão bagunçado, fui até o quartinho que lavamos roupa e peguei uma vassoura e varri a casa rapidinho, mas bem feito. Assim que terminei, mandei mensagem para a YaoMomo e fui em direção a minha mãe, minha mãe deu o cartão dela e fui em direção a casa da Momo.

- Não vai abrir não? – perguntei para mim mesmo apertando a campainha da casa dela de novo e de novo

- Desculpe a demora. – ouvi e tirei o fone rapidamente – Denki? O que foi garotão? – o pai da Momo perguntou serio abrindo a porta

- Ohoo, oi Tio, como você esta? – perguntei alegre e ele abriu um sorriso

- Estou bem, veio chamar a Momo? – ele perguntou dando passagem para mim entrar mas recusei com a cabeça

- Vim, vamos no mercado e minha mãe prefere que ela venha junto já que sou esquecido. – falei brincando e fiz ele rir

- Haha, sem problemas, tenho certeza que logo ela vai descer, já que vocês provavelmente devem ter se falado hoje. – acenei em sim e ouvi ele chamando por ela

- Ah, não se esqueçam que hoje à noite vai ter o jantar lá em casa tá?! – falei – Acho que podem chegar as sete. – conclui e o Tio passou a mão em minha cabeça, bagunçando meus cabelos

- Não iremos esquecer. Vamos fazer sua sobremesa favorita. – ele disse e eu sorri em vitória

- Oi Denki, cheguei, já podemos ir. – vi Momo atrás do pai dela, que deu espaço para ela sair de casa – Logo eu volto ta pai.

- Tudo bem, não comprem coisas além do necessário, não quero ver a Kaminari eletrocutando vocês dois. – o Tio falou fechando a porta, fazendo eu e a YaoMomo rir enquanto íamos em direção ao mercado

 

- Então, como foi a noite Momo? – perguntei pegando uma cesta e indo em direção as prateleiras de macarrão

- Um pouco ruim, dormi bem, mas mesmo assim, acordei diversas vezes. – ela disse também pegando uma cesta depois de ver o tamanho da lista

- Pesadelos?

- Sim.

- Sobre? – perguntei em busca de arranjar um jeito de a ajudar, mas mesmo assim, continuamos a pegar as coisas da lista

- Katsuki Bakugou e Shoto Todoroki... – ela falou passando a mão no rosto

- QUE ISSO MOMO? UM PESADELO AONDE AQUELES DOIS BRIGAVAM POR VOCÊ? – quase que berrei, fazendo todos que estavam perto olhar para nós

- Denki Kaminari, eu juro que vou te matar ainda hoje. E espere eu terminar de falar antes de surtar e me fazer passar vergonha. – ela falou sorrindo “amavelmente” para mim, eu realmente tive medo

- Ok, me perdoa, eu juro que deixo você pegar meus palitinhos de chocolate. – eu falei e vi ela ficar sorridente

Continuamos a pegar as coisas da lista enquanto a Momo explicava o sonho dela. Era praticamente o Bakugou e o Todoroki morrendo pela Liga dos Vilões e eles ferrando com a nossa vida. Continuamos a pegar as coisas enquanto a Momo me explicava uma matéria que não tinha entendido. Eu entendi? Não, menos ainda.

- Acho que já pegamos tudo. Podemos ir para o caixa? – ela perguntou olhando a lista e vendo tudo marcado que já tinha pego, eu acenei em sim e fomos em direção ao caixa, já que o mercado estava cheio, tinha fila, estava olhando ao redor e vi a Jirou comprando varias e varias latinhas de energético e muitos salgadinhos

- Olha a Jirou ali. – falei apontando para ela e a Momo se virou para onde apontei, mas assim que a Momo pareceu ir falar algo, vimos a Jirou indo embora com as sacolas e logo depois vimos quem? – OLHA O BAKUGOU! ALA O BAKUGOU! – falei alto agora apontando para ele, que se virou para mim rapidamente

- Cala a boca Denki. – a YaoMomo falou grossa, abaixando minha mão e seguidamente pondo a mão na minha boca e se colocando em minha frente, tudo isso tão rápido que nem sei se o Bakugou chegou a me ver, logo em seguida ela tirou a mão da minha boca já que tinha varias pessoas nos vendo – Não queremos um Bakugou surtando para cima de nós. Certo? – ela perguntou e eu não respondi e somente a fiquei encarando – Certo!! Ele deve estar surtado por ontem, a Mina me disse que ele chegou a querer pular da arquibancada quando nós dois lutamos. – ela falou aparentemente irritada, tudo bem que qualquer coisa em relação ao Bakugou, é normal que ela fique assim, mas não tão “NOSSA, DEIXA ELE LONGE”

- Ok, vocês brigaram né? - perguntei desconfiado, quando eles tem essas discussões ela fica meio “MATA ELE!!”

- Ah, ontem ele quis se mostrar de “bonzão” para cima de mim. – ela falou revirando os olhos, ela era tão educadinha, será que eu a deixei assim?

- Sem problemas, mas você sabe que vão ter que se aturar no jantar de hoje. E não quero ninguém destruindo minha casa! – disse procurando o cartão da minha mãe no meu bolso

Pagamos as compras e fomos em direção a minha casa, assim que chegamos, elas se despediu de mim e foi para a sua casa, sabia que ela provavelmente estudaria, arrumaria seu quarto ou ajudaria seus pais a fazerem a sobremesa. Confesso, sinto que estamos um pouco mais distantes depois que entramos na U.A, isso me deixa um pouco pensativo, não quero me afastar dela de jeito nenhum, da mesma forma que não quero me afastar do Deku e até mesmo do Katsuki.

-Quebra no Tempo-

Já era seis e meia, já estou cheiroso e bem arrumadinho, sabia que se não ficasse “decente”, minha mãe meteria a mão na minha cara e isso não seria nada legal. Me sentei no sofá, esperando os convidados.

- Denki, suba aqui, por favor! – minha mãe gritou e eu fui em direção ao seu grito – Oi meu bem, poderia me fazer um favor? – ela perguntou sorrindo, já sabia que ela queria algo

- Oque? – pergunto e ela coloca algo na minha boca

- Sem questionamentos garoto, se você fizer meu secador de cabelos funcionar, eu lhe dou dinheiro depois. – ela falou e eu até liguei o secador para ela

- Por que não usou a tomado do banheiro ou sua própria individualidade? – perguntei depois dela já ter acabado

- Seu pai esta demorando demais no banho e não podemos usar as tomadas enquanto alguém esta no chuveiro. – ela explica me fazendo soar frio, só de lembrar quantas milhões de vezes liguei o micro-ondas enquanto ela tomava banho – E minha individualidade não funciona como a sua, eu meio que tenho chicotes e cordas de energia. – ela explicou, não sei se ela lembrava, mas ela era uma heroína meio que famosa e todo mundo sabia sua individualidade

- Entendi essa ultima parte, eu vou descer para esperar pelos nossos convidados. – falei rapidamente descendo as escadas e pulando no sofá, ligando a Tv em busca de algo

Demorou mais um tempo e finalmente a campainha tocou, me levantei rápido e arrumei o sofá que tinha bagunçado, alisei minha roupa e fui até a porta.

- Boa noite Denki! – Vi Tia Mitsuki direto na porta abrindo um sorriso enorme

- Muito boa noite senhora. – falei brincando

- Olhe aqui Kaminari, se você me chamar de “Senhora” novamente, eu solto meu filho em cima de você. – ela falou segurando a gola da minha camisa

- Calma Tia, eu só brinquei contigo. – expliquei e ela sorriu novamente, me soltando e pegando na mão do Tio Masaru – entrem, meus pais já vão descer.

- Claro. Katsuki, quero que você fique na sala. Entendeu? Na sala, junto com eles. – ela falou entrando na casa me fazendo ver o Katsuki de braços cruzados na porta

- Boa noite. – falei

- Meu cu. – ele falou e entrou, se sentando brutalmente no sofá, ele não tinha tido um bom dia

Logo depois os Yaoyorozus chegaram e depois a Tia Inko e o Deku, meus pais desceram e sentamos todos na mesa, comemos muito e conversamos também. Já estava bem cheio e vi que os outros também. Era cedo ainda, e sabia que os adultos conversariam por MUITO tempo ainda. Pensei, pensei, pensei, cheguei numa ideia, não iria querer ficar ouvindo os adultos falarem em como as contas estão caras, então lembrei de um jogo antigo de RPG que eu tenho. Sabia que se oferecesse para assistir um filme, pelo menos o Bakugou negaria, mas o RPG acho que ele vai querer jogar.

- Ei, vamos jogar RPG? – perguntei me referindo aos que eu sempre estou junto

- Não.

- (Ele foi o primeiro que recusou?) – perguntei para mim mesmo de queixo caído - (Puta que pariu Bakugou, tem horas que eu realmente te odeio, seu vagabundo.) – pensei novamente colocando a mão no rosto – (Pensei que com a nossa aproximação ele mudaria um pouco!)

- Vamos só nós três então, os de sempre, Deku, Denki e Momo. – a YaoMomo falou sorrindo se levantando e vi Deku fazendo o mesmo movimento – Mulheres, se precisarem de mim, podem me chamar. – ela continuou e me olhou, indo em direção as escadas com o mesmo sorriso

Estava subindo junto com eles quando ouvi o baque forte de alguma coisa com a mesa, nós três nos viramos para a cozinha e vimos quase que a raiva encarnada levantada.

- Katsuki Bakugou, meu querido filho, eu quero que você suba e jogue RPG com eles. – ela falou de costas para nós

- Não vou, não tente mudar o que eu vou fazer. – ele falou em deboche, sabia que ele poderia muito bem ficar falando com o Tio Masayasu, eles eram bem amigos quando mais jovem

- Meu bem, eu não estou pedindo, EU estou mandando! – a Tia continuou, aquilo fez com que eu realmente arrepiasse, ela era uma das únicas pessoas que me davam medo, ela estava em segundo lugar, perdendo apenas por minha mãe

- Tsc, mas que droga. – o loiro falou se levantando e vindo até nós

- Ele pode ficar aqui comigo, podemos conversar. – o Tio Masayusu sugeriu e vi o rosto do Katsuki se iluminar

- SIM!

- NÃO. Vamos, suba. – ela reforçou e vi o rosto do Bakugou se escurecer e vir até nos pisando os pés

- Pô Mitsuki, você poderia ter o deixando aqui comigo. – ouvi baixo o pai da Momo falar

 

- Enfim, aqui esta o jogo. – falei depois de pegar a caixa e assoprar em cima, fazendo sair um pouco de pó – Escolham seus personagens, eu vou narrar. – continuei abrindo o jogo e pegando o caderno que leria

- Eu vou ser o Feiticeiro. – Deku falou pegando o personagem e o tabuleiro, o abrindo no chão

- Vou ser o Ferreiro. – disse rápido, pegando o personagem

- A Cavaleira.

- O Rei dos Dragões.

Não sei se isso é apenas coincidência, mas jogávamos com esses mesmos personagens a uns nove anos atrás. Começamos o jogo e antes disso, expliquei algumas regras que eu mesmo tinha criado, falei que dependendo do ataque, deveríamos nos levantar e fazer o ataque. Aquilo realmente animou o jogo. A Momo, em pedidos meus e do Deku, criou nossas armas, o que deu mais diversão ainda. Era incrível como um simples RPG poderia fazer eles rirem tanto, até mesmo o Bakugou riu, e ele e a Momo estavam formando uma dupla perfeita, eles combinavam golpes e conversavam sobre o jogo. Não imaginaria que esse simples jogo faria eles parecerem melhores amigos desde sempre.

- Eu preciso de uma capa! – o Bakugou falou empolgado, se levantando e começando a fuçar nas minhas coisas

- Aqui. – a Momo falou dando uma capa vermelha, criada pela mesma naquele exato momento, assim que ele se virou para ela, trocaram olhares demorados, eu no mesmo segundo, me virei para o Deku que tinha os olhos arregalados

- Vai Kaminari, narra essa jogada. – ele meio que me mandou e eu fiz, narrei a cena que ele tinha conseguido e e ele agia como se estivesse matando anões

Eu já estava com um chapéu e luvas, sem contar o colete; Deku usava uma mochilinha de lado e tinha vários potes de poções do seu lado e um punhal; o Bakugou usava a capa, um brinco de pressão e vários colares; e a Momo usava as luvas de aço, a espada e a “coroa” que usava deu um charme enorme.

- “Então, a Hidra continuou estável, ela precisava de dois golpes duplos para ser derrotada.”, ok, isso ta tenso. – falei e respirei fundo – “Quem esta lendo deve escolher algum companheiro e atacar a Hidra.” – quando terminei de ler e olhei ao redor, sabia que quem eu deveria escolher, virei para o lado e cochichei no ouvido do Deku, nos levantamos – Um, dois, três e... – contei

- Cavaleiro de Aço Eterno, poção de ácido! – eu e o Deku falamos juntos nos movimentando fazendo os outros dois rirem e nós também, novamente peguei o caderno e comecei a ler de novo

- “Agora que a Hidra foi atacada, precisamos de mais um golpe duplo! Mas para isso, o jogador que esta a frente de quem ler, terá que jogar o dado e pedir por sorte!” – li com voz de suspense – Vai lá Katsuki, se você não conseguir essa merda, eu juro que vou te chutar até você visar sopa. – falei empolgado

- Cala a boca Kaminari, torce pra mim conseguir então! – ele falou pegando o dado e o chacoalhando e logo em seguida o jogando no chão, ficamos apreensivos de ver o numero que cairia – AAAAAAAAH, ISSO AI PORRA! – ele gritou se levantando – Vamo lá Rabo de Cavalo. – ele falou e ela também se levantou ficando do seu lado, eles combinaram o golpe e falaram

- Cavaleira dos Dragões! Chamas Divinas! – gritaram fazendo os movimentos mais inesperados que eu imaginaria, levantaram os braços que estavam próximos, e depois abaixara apontando para nós, e enfim, intercalaram as mãos e ficaram um de frente para o outro, sorrindo

- “Então, finalmente a Hidra morreu.” – falei e eles se sentaram no chão novamente, só que não soltaram as mãos, eu sabia que eles ainda sentem algo um pelo outro

- Isso foi incrível! Eu sabia que conseguiríamos derrotar a Hidra! – o Deku disse animado fazendo inúmeros gestos

- Foi mesmo, eu não consigo nem explicar como foram esses dois últimos golpes finais! – a Momo falou, e notei que ela apertou um pouco mais a mão do Katsuki, sorri por aquilo, mas algo me fez perder o sorriso

- Denki? O que foi? – Deku me perguntou e eu voltei a sorrir

- Que nada, só me deu um cansaço, fomos muito fortes! – falei e ele riu

- Foi legal. – Bakugou falou baixo, só consegui perceber a YaoMomo se virando para ele e sorrindo de leve

- Momo, querida? Esta ai? – ouvi a voz da minha mãe e percebi a Momo soltando da mão do Bakugou, que a olhou no mesmo instante

- Estou sim! Meus pais estão chamando? – ela perguntou e minha mãe abriu a porta do quarto

- Na verdade, os pais dos três já estão indo embora, e vocês tem que ir junto. – ela disse e nós nos levantamos e nos despedimos

- Nos vemos segunda! – Deku falou saindo de casa junto com as outras duas famílias, assim que foram embora e fecharam a porta de casa, fui para cima e me deitei rapidamente na minha cama, apertando um travesseiro enquanto falava comigo mesmo

- Por que isso esta me incomodando tanto? Por que não consegui sorrir com eles dois juntos? Eu quero que eles fiquem juntos! Eu quero que eles fiquem juntos! Eu quero... Eu quero que ela esteja segura... Eu não quero a ver chorando... Eu... Eu a só quero.


Notas Finais


ent, eu NUNCA joguei RPG na minha vida, ent eu n sei direito como funciona, e só pus o jogo pq n achei nada q combinasse melhor.
Os pais do Denki, gnt, como vcs devem notar, eu não os descrevo em momento algum. ent, p tentar """facilitar""" p vcs, eu pensei em uma solução, (eu sou burra, ent n sei transformar uma imagem em um link e tmb tenho preguiça e medo de dar errado). Assim, vcs assistiram o segundo filme de BNHA? espero que sim, ent, no começo, aparece uma mulher loira e com poderes de eletricidade como nosso querido Denki, ent eu a adaptei como mãe dele, mas para vcs conseguirem ver ela, pesquisem "mãe do denki kaminari", vão em imagens e vai aparecer lá algumas, desçam um pouco e vai aparecer a nossa maravilhosa mulher do filme, CLIQUEM na imagem e desçam um pouquinho, talvez apareça outra imagem, que seria ela, o suposto pai do denki e o proprio denki, se isso der certo, POR FAVOR, ME AVISEM, que se não vou arranjar um jeiito de mostrar para vcs

ja perceberam como o nome e a imagem do cap da spoliers?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...