História Como Ser Mãe - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Haikyuu!!
Tags Asanoya, Daisuga, Iwaoi, Kagehina, Kuroken, Tsukiyama
Visualizações 69
Palavras 1.486
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Yaoi (Gay)
Avisos: Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Como vi que gostaram muito da fic "Como Ser pai" resolvi fazer mais uma fic desse estilo.

Lembrando que todos eles são mães e pais.

Boa leitura!

Capítulo 1 - Mães iditas


Fanfic / Fanfiction Como Ser Mãe - Capítulo 1 - Mães iditas

- Asahi, vem buscar eu e o Natsu na cadeia.

- O que vocês fizeram?!

- Fomos fazer compras. Aí resolvemos brincar de corrida com os carrinhos do super mercado. Acabou que eu derrubei uma prateleira, atropelei uma senhora e o mercado agora está fechado pra reforma.

- Não acredito! Só fez isso?!

- Não. Também registraram uma multa por deixar um menor dirigir um carrinho de super mercado.

- Hina, onde está seu boletim?

- Não está comigo, mãe.

- Posso saber por quê?

- Emprestei pro Tsukei assustar os pais dele.

- …

- … que foi?

- Filha, pensei que ele queria dar um susto, não infartar o coitado do Tsukishima com a nota!

- Cheguei.

- Onde você estava, Akira? - Suga pergunta irritado.

- Dando uma volta.

- Eu queria você em casa às sete.

- Tenho bola de cristal pra saber o que você pensa?

- …

- Corre, Akira. Respiração do pai exemplar, segunda forma. Chinelo voador!

- Socorro!

- Filha, por que você passa isso no cabelo? - Kageyama analisa a chapinha nas mãos das meninas.

- Pra ele ficar mais comprido e bonito.

Mais tarde

- Mãe, o pai queimou o pinto com a minha chapinha!

- Hey, hey, hey, Oikawa! Não acredito que nossos filhos vão sair juntos!

- Nem me lembre isso.

- Eu até dei uma cortina pra ele pra usar de camisinha.

- O que?! Iwa-chan, me segura que eu vou capar esse maldito!

- Mãe, achei cinquenta reais!

- Que bom, Ako. Onde achou?

- Na sua bolsa.

- Mãe, você não sabe o quê eu descobri.

- Diga, Tsukei.

- Se você coloca um bis na água ele vira um "bisnaguinha"

- Que?

- Você não entende o senso de humor genial dele, Tadashi.

- Preparei o café! Venham comer!

- Espera, vou rezar ali rapidinho e já como.

- Eu vou acender umas velas enquanto o Shoyou reza.

- Pai, mãe! Kanato, me defende.

- Não. Eu até estou fazendo minha matrícula para ser padre.

- Vocês são a pior família de todas!

- Tio Kei, ajuda! Você é doutor, né?

- Em filosofia.

- A minha amiga se afogou, ela vai morrer!

- Todos nós vamos.

- Mãe, me conta uma piada? O papai também quer ouvir, né? - aponta para Daichi.

- Claro! Então... Sabe qua a cidade que não têm táxi?

- Qual?

- Uberlândia!

- Suga, quer o divórcio.

- Hisui, sabe por que a sua mãe não é paciente?

- Não sei, Hina. Por quê?

- Porque ela é médica!

- Mãe!

- Sim, querido?

- Arruma uma foto do papai Asahi bebê pra mim?

- Claro. Mas para que?

- Preciso de uma foto da "coisa" mais medrosa na minha casa.

- Oi, mãe. O pai gostou de tocar piano?

- Devolvemos, Hina. Trocamos por uma clarineta.

- Por quê?

- Porque com a clarineta o Kageyama não consegue cantar junto.

- Como está o meu pai?

- Senhor Shun, Kenma, devo-lhes informar que a cirurgia de troca de sexo do senhor Kuroo Tetesurou foi um sucesso!

- Mas doutora Yachi, ele só ia retirar a firmose!

- Taporra.

- Hina, temos um problema. Sua professora disse que dos vinte alunos, você é a pior.

- Mas mamãe, poderia ser pior. Poderia ter quarenta alunos na sala!

- Mas o pior já aconteceu. Você puxou o Tobio.

- Mãe, ela não me ama.

- Mas se realmente a ama, insista para sempre!

Não satisfeito, vai até Oikawa falar da sua triste vida.

- Filho, um conselho.

- Qual?

- Vá dar pra outro, ela que se foda!

- Maldito, Tsukishima! - Kageyama discute com o loiro.

- Você sabe que meu filho é mais inteligente que a Hina, não adianta insistir.

- Você vai ver só! Filha, faça uma texto reflexivo e incrível usando apenas os temas "religião, sexo e mistério".

- Claro! "Oh, meu Deus! Estou grávida! Quem será o pai?"

- Essa é a minha menina, genial.

- Yuu, você viu que sequestraram com caminhão com pastas hoje?

- Sim. Também roubaram um caminhão de post-its de tarde.

O filho deles que apenas escuta resolve se pronunciar:

- Nossa, que crime organizado!

- Que?

- Ele tá passando muito tempo com o Tsukei.

- Com licença, senhor policial. Eu sou Hajime Akaashi e esse é meu filho. Meu marido desapareceu, aqui está uma foto dele.

- Posso ajudar vocês. Mas… vocês têm certeza que querem isso de volta?

- Mãe! Mãe! Tenho uma piada!

- E lá vamos nós de novo. Diga, filho.

- Por que os peidos têm som?

- Não sei.

- Para que os surdos também possam aprecia-lo!

- Kei, nosso filho é um idiota.

- Mãe, é verdade que o papai queria ser padre?

- Sim. Mas ele desistiu depois de perceber que padre e árvores de Natal são iguais.

- Como assim?

- As bolas servem só pra enfeite.

- Bokuto, para de falar essas coisas pro menino!

- Akira, a função do homem na limpeza da casa é levantar os pés pro esposo varrer.

- Seria bom se ele servisse pra levantar o principal…

- Suga!

- Na frase tifutifutifu quantos tifu deu?

- três tifu deu.

- Te peguei, Hina!

- Eu vou chamar o meu pai.

- Não! O Kageyama não!

- Agora tu tifu deu?

- Mãe, a vizinha me bateu!

- O que?! É hora da Suga mamãe entrar em ação!

Mais tarde

- A senhora bateu no meu filho, ele me contou. Agora faça o favor de dizer o porquê.

- Ele é um mal criado! Me chamou de gorda!

- E você acha que vai emagrecer essa barriga de bola de pilates batendo no meu bebê?

- Pai, como a mamãe se machucou assim?

- Nós estávamos passeando por uma fazenda quando vimos um poço dos desejos. Joguei uma moeda e quando o abestado do Oikawa foi fazer o mesmo, caiu dentro do poço.

- Nossa! Mas o que o senhor pediu?

- Que eliminasse todos os erros que cometi na minha vida. Poço rápido.

- Mãe!

- Sim, Akira?

- O pinto do Natsu parece um amendoim.

- Nossa. É por que é salgadinho?

- Mãe! O que é isso! É que é pequeno!

- Ah.

- Hina, já tá na hora de você ir morar sozinha.

- Okay. Podem sair de casa quando quiserem, mãe.

- …

- SOCORRO!

- Papai, por que você se interessou pela mamãe?

- É que o Kenma tem uma bundinha que ó. É uma maravilha.

Hina vai até seu pai.

- Pai, sou Lésbica!

- Tudo bem, filha.

Em seguida, é a vez de Hisui, filha de Yachi.

- Sou lésbica!

- Tá bom.

Agora é a vez de Kou, filho se Oikawa.

- Papai!

Oikawa segura uma faixa escrito "meu filho dá a bundinha"

- Bem vindo, novo gay da família.

- Droga, Oikawa. O Kou mijou na cama de novo.

- Supera.

- Até parece. Eu que vou ter que limpar.

- Superaaaaaaaa!

- Para com essa merda!

- SUPERA!

- Oika-

- SUPERAAAAAAAAAAAAAAAA!

- Ryuu, por que você está dançando Macarena sem camisa?

- É o ritmo que chama, não é mesmo, Tougo?

- Sim, papai!

- Eu devia ter virado padre.

- Que bom que não virou! Você tem uma bundinha linda, Ennoshita.

- Tá, quando eu me casei e tive um filho, eu pensei que o vídeo game poderia ser um problema. Mas você só fica aí há dias!

- Pai, a mamãe ainda não parou de jogar? - Kuroo responde que sim com um aceno.

- Kenma, chega. Tô cansado de comer comida congelada. - arranca a tomada da televisão.

- NAOOOOOOO! KUROO, VAI FICAR SEM TRANSAR POR UM ANO! QUE MERDAAAAA! EU IA BARER MEU RECORD!

- Doido.

- Asahi, vai vir me buscar quando na delegacia?

- Filho, vamos como eu ensinei!

- Certo!

- SINTO NO AR! VAI COMEÇAR! TUDO AQUILO QUE EU SONHEI UM DIA!

- VOU CONSEGUIR! VOU LUTAR!

- E FINALMENTE EU POSSO DAAAAAAAR!

- Tanaka, você é um péssimo pai.

- Pedoro, estava pensando em criar a minha filha no Brasil. Acha que é uma boa ideia?

- Depende, o que você acha de ter um colete aprova de balas como material escolar?

...

- Escuta aqui, velha! Ninguém bate no meu menino não. Segura o meu poder! Respiração de pai exemplar, nona forma: MORRE MOCREIA!

- Mãe, pai, comprei um vibrador. - Hina mostra para os pais.

- O que?! Você não tem idade pra isso, menina! - enquanto isso Shouyou se aproxima bem curioso.

 - Bebê, dá essa pra mim. Depois você compra outro.


Notas Finais


Como alguns pediram na outra fic, trouxe um pouco do Tanaka com o Ennoshita.

Espero que tenham dado pelo menos uma risada!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...