História Como Ser Uma Garota. - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Charlotte, Debrah, Iris, Kentin, Li, Lysandre, Manon, Nathaniel, Nina, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Senhora Shermansky, Violette
Tags Casnath, Ken/aly, Magia, Yaoi, Yuri
Visualizações 13
Palavras 4.550
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Hentai, Magia, Romance e Novela, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oii, tudo bem?? Espero que sim.
Boa leitura

Capítulo 2 - Capítulo 2


Fanfic / Fanfiction Como Ser Uma Garota. - Capítulo 2 - Capítulo 2

— Algum de vocês entenderam alguma coisa? — Alexy perguntou observando o rosto de seu irmão e do seu "amigo", eles balançaram a cabeça em negativo.

— Não. — Disseram em uniçosso e se entreolharam, confusos, talvez.

Eles estavam visivelmente assustados, Alexy mantinha seu olhar num lugar fixo, o azulado tinha uma sensação ruim quando pensara no que Priya havia dito, ele tentara pensar em outra coisa, sem ser no Kentin ou nas palavras da índia "Vocês irão se arrepender". Essas palavras não saíam de sua cabeça, o azulado colocou seus fones no ouvido e começou a ouvir uma música aleatória, enquanto Kentin e Armin conversavam do seu lado, Alexy ficara meio enciumado, mas conseguia controlar o ciúmes "idiota" na opinião dele.

O sinal logo bateu, dando fim ao intervalo, os meninos se levantaram sem vontade alguma e começaram a caminhar em direção ao mural para ver qual seria os dois últimos horários.

— Qual aula vocês têm agora? — Armin perguntou, olhando no mural.

— Tenho aula de Física, e vocês? — Disse Alexy, num tom calmo, se encostando na parede.

— Eu também. — Disse Kentin, Alexy tentou não ligar, se amaldiçoando mentalmente.

— Então... A gente se vê... — Armin disse, saindo de perto dos meninos, Alexy e Kentin ficaram um tempo se entreolhando, o Porpurina bufou, dando de ombros, ele respirou fundo e começou a caminhar em direção á sala de aula, Kentin o seguiu, ele não entendia completamente nada.

Por que Alexy estava agindo assim com ele? Por que ele estava o ignorando?

Essas perguntas o perturbavam frequentemente, ele ficou assim do nada na opinião de Kentin, assim que o esverdeado adentrou a sala de aula, ele procurou Alexy com os olhos, assim que o achou, sorriu levemente começando a se aproximar lentamente, decidiu perguntar ao mais novo oque estava acontecendo, por que estava o tratando assim?

— Posso me sentar aqui? — Perguntou ele observando os olhos violetas de Alexy.

— Tanto faz. — Disse o azulado num tom seco, isso fez Kentin se assustar, o esverdeado afastou lentamente a cadeira para trás, de uma forma que ele pudesse se sentar.

— Alexy, por que está me tratando assim? — Perguntou o mais velho, visivelmente chateado, Alexy passou a sua língua entre os lábios.

— Nada, não é nada. — Disse Alexy, num sussurro.

— Como assim "não é nada"? Você começou a ser grosso comigo sem eu ter feito absolutamente nada com você! — Kentin exclamou, ele parecia irritado, mas ele estava chateado.

— Você é sempre grosso comigo e eu nunca reclamei!

— Não é a mesma coisa... Você fica me irritando. — Kentin falou, dando de ombros logo em seguida.

— Kentin, eu não vou ficar perdendo meu tempo com você, me deixe em paz, vai se sentar com a Jenniyffier. — Alexy indagou, enciumado.

— Você está agindo grosso comigo por ciúmes? — Perguntou Kentin, rindo logo em seguida, Alexy ficou calado e fechou seus olhos, soltando um suspiro, ele contou até dez mentalmente e se levantou da cadeira em que estava sentado.

— Kentin, eu não vou perder meu tempo discutindo com você. — Alexy disse, olhando os olhos esverdeados de Kentin: — Eu tenho mais oque fazer. — Sussurrou, se levantando da cadeira, Alexy respirou fundo, ele já ia caminhar para fora da sala, mas sentiu seu braço ser puxado.

— Escute. — Kentin sorriu levemente o olhando no fundo dos olhos: — Não fique chateado, você sabe muito bem que é meu melhor amigo. — Disse, observando os olhos violetas do mais novo, aquilo doeu muito no azulado, ele respirou fundo tentando se controlar e deu um solavanco conseguindo se soltar das mãos de Kentin, o esverdeado respirou fundo e ficou o observando se afastar.

(...)

Kentin ficou fazendo um desenho qualquer, vez ou outra, olhava oque o professor estava escrevendo na lousa, mas quase não ligava, o esverdeado respirou fundo e começou a pensar na hipótese de Alexy estar o tratando feito um "nada".

Kentin soltou um longo suspiro e deitou a sua cabeça, fechando seus olhos por um bom tempo, acabou dormindo durante os dois últimos horários.

Ele sabia muito bem que não deveria dormir, Física era uma matéria muito complicada na opinião dele e de todos que estavam na sala, Kentin nunca teve problemas com as matérias, mas Física era o ó, esta matéria realmente não o animava, muito menos entrava na cabeça dele.

O sinal bateu, finalmente dando fim às aulas, Kentin abriu vagarosamente seus olhos, coçando os mesmos logo em seguida, ele se levantou da carteira e pegou a sua mochila, colocando a mesma em suas costas, o esverdeado pensou em ir conversar com Alexy, mas sabia que ele não queria o ver, não agora.

— Acho melhor eu dar um tempo para ele. — Disse num sussurro, caminhando pelo corredor da escola, ele avistou Armin enfiado no seu celular jogando como sempre e Iris tentando falar com o mesmo, sorriu levemente começando a se aproximar do "casal".

— Sério? Legal! Então a gente se vê amanhã á noite! — Ouviu Iris exclamar animada e se afastar do moreno.

— O que quê ouve? — Kentin perguntou sem entender, observando o rosto do azulado.

— Nada, ela só me chamou para sair. — Disse Armin num tom simples e calmo.

— Ahh, entendi. — Indagou o esverdeado, sorrindo levemente: — Você sabe onde está o Alexy? — Perguntou Kentin, não escondendo a sua preocupação, ele viu Armin balançar a sua cabeça em negativo.

— Ele não estava com você? — Perguntou Armin, começando a observar o rosto de Kentin.

— Bom... A gente teve uma pequena discussão e ele saiu da sala, por mais que eu tivesse vontade de ir atrás dele eu me segurei. — Explicou o de cabelos castanhos, soltando um longo suspiro logo em seguida: — Eu estou pensando em dar um tempo... Dar um tempo para ele pensar um pouco. — Kentin explicou, começando a caminhar para fora da escola, Armin o seguiu.

— Então... Podemos mudar de assunto. — Armin perguntou, guardando seu celular no bolso da blusa de frio.

— Pode ser. — Kentin disse, sorrindo levemente: — Para onde você pretende levar a Iris? — Perguntou o esverdeado, tentando puxar assunto.

— Ah, eu ainda não sei, se ela quisesse ficar lá em casa jogando videogame comigo, tudo bem, mas não, ela quer sair pra andar, ela deveria saber que eu não gosto de ar livre, deveria saber que sou mais caseiro do que a Jenniyffier. — Disse o moreno, dando de ombros logo em seguida.

— Você gosta dela? — Kentin perguntou, sorrindo de lado.

— Sim. — Armin respondeu observando o rosto do maior e percebeu que ele soltou um risinho malicioso: — Não, eu não gosto dela desse jeito. — Indagou o moreno fazendo uma cara de tédio: — Eu não estou afim de ninguém. — Armin afirmou, dando de ombros.

— Hum... E a Mittsukyh? — O esverdeado perguntou, rindo logo em seguida.

— Ah... Eu não sei o que eu sinto. — Disse Armin, observando o rosto do mais velho.

— Vocês já ficaram? — O esverdeado perguntou não escondendo a sua curiosidade.

— Ah... Não. — Armin disse, fazendo cara de tédio logo em seguida, Kentin soltou um risinho.

— Por que não fica com ela logo? — O esverdeado perguntou.

— Bom, para começo de conversa, eu nem sei se ela quer ficar comigo. — Indagou Armin, parando de andar logo em seguida, eles conversaram tanto que quando se deram conta, estavam bem longe do colégio. Armin pegou seu celular.

— O que vai fazer? — Perguntou Kentin franzindo uma de suas sobrancelhas.

— Eu irei ligar para o Alexy, estou preocupado com ele. — Disse o moreno discando o número do irmão, ele colocou o celular no ouvido e ficou esperando o azulado atender, demorou um pouco, mas ele logo atendeu.

~ Alô? ~

~ Alexy, aonde você está? ~

~ Eu estou com a Rosa, pode ir para casa, daqui a pouco eu vou. ~

~ Okay, só não venha muito tarde. ~

Alexy não disse nada, apenas desligou na cara do moreno, ele estava realmente chateado e precisava desabafar com alguém, Armin ficou realmente preocupado com Alexy, ele poderia também desabafar com seu irmão, mas provavelmente não iria dar em nada, Alexy preferia desabafar com as meninas, que, na opinião dele, já eram "especialistas" nisso.

Oque Alexy não sabia, era que ficar ignorando e tratando Kentin de tal forma o magoava muito, os dois sempre foram amigos próximos, mas como Kentin é "hetero" Alexy resolveu mesmo dar um gelo nele, quando viu Kentin pela primeira vez, o achou bem bonito e atraente, mas sabia que suas chances com ele era 0%.

Ao chegarem na casa de Armin, Arnaldo, pai dos gêmeos estava correndo feito uma criança na casa.

— Pai, o que houve? — Armin perguntou ao mais velho, rindo logo em seguida, Arnaldo finalmente achou a sua gravata, ele colocou a mesma no pescoço na maior pressa.

— Eu estou super atrasado para o trabalho, preciso ir imediatamente. — Dizia ele, empurrando Kentin levemente para o lado, Arnaldo passou pela porta, começando a correr em direção ao seu carro.

Kentin e Armin ficaram se entreolhando um tempo, eles riram e começaram a caminhar em direção ao quarto do moreno, Armin jogou a sua mochila num canto e se sentou na cama, começando a olhar o rosto de Kentin.

— Sabe... Eu estou preocupado com seu irmão... — Indagou o esverdeado meio chateado.

— Ah... — Armin pensou em falar oque Alexy sentia por Kentin, mas achou melhor não arriscar, talvez se ele falasse, poderia afastar os dois: — Eu também estou preocupado com ele, ele anda... Estranho, o que houve entre vocês dois na cozinha ontem á noite? — O moreno perguntou curioso.

— Ah, bom... — Kentin respirou fundo e se sentou na cama, observando o rosto de Armin: — Nada, a gente só "conversou" — Kentin fez aspas no ar: — E depois disso eu fui deitar... Enfim, nem conversamos direito e quando estávamos tomando café hoje mais cedo, ele meio que me ignorou. — Explicou o esverdeado abaixando a sua cabeça.

— Você gosta dele? —

— Sim. — Disse o esverdeado, corando levemente: — Eu gosto dele... Ele é o meu melhor amigo, nunca tive... Segundas intenções com o mesmo. — Kentin explicou, Armin ficou observando seu rosto um tempo.

— Eu entendo... — Armin se sentiu chateado pelo irmão: — Bom, tente dar um tempo para ele... — Disse o moreno abaixando a sua cabeça, a intenção dele não era magoar nenhum dos dois e sim fazer Alexy esquecer Kentin, talvez seria melhor para ele.

— Eu não sei... Eu não gosto de ficar longe dele, como já disse, ele é o meu melhor amigo, ele me entende super bem... Mas às vezes, me afastar é o melhor a se fazer... — Kentin soltou um longo suspiro, ele estava visivelmente chateado por causa de Alexy, ele não conseguia esconder isso, realmente gostava do azulado, Alexy sempre o ajudou em momentos ruins e Kentin o agradecia por isso, era bom ter um amigo em que você podia contar em todas as horas.

(...)

— Rosa, eu já falei que eu não tenho coragem! — Dizia o azulado, fazendo bico, Rosalya riu de seu ato e o abraçou.

— Às vezes, vocês dois consigam resolver! — A garota tentava animar o amigo de todas as formas possíveis.

— Rosa, nem insista nesse assunto, okay? — Alexy a olhou em canto de olho: — Eu não irei dizer oque sinto por ele... Nem aqui e nem na China! — Exclamou o azulado, fazendo Rosa soltar um risinho.

— Alexy, você tem que parar de ser "tímido" — A garota fez aspas no ar e soltou um risinho logo em seguida: — Ah, eu tive uma ideia! — Exclamou a garota juntando as suas mãos com um sorriso nos lábios.

— Okay... — O azulado revirou seus olhos: — Qual é a sua ideia? —

— Bom, eu sei que pode não funcionar, mas... Por que você não chama o Kentin para sair? — Sugeriu observando o rosto do azulado: — Se ele ace... — Alexy cortou a amiga.

— Sem chances! Eu não estou falando com ele! — Disse o garoto cruzando seus braços emburrado.

— Por que? — Perguntou a garota ao seu lado, curiosa.

— Como eu sei que não tenho chances com ele, resolvi me afastar... Quem sabe assim, eu o esqueça mais rápido. — Alexy disse visivelmente chateado: — Eu acho essa hipótese impossível, porque eu me apaguei á ele. — Continuou o azulado, se encostando no sofá.

— Bom, siga o meu conselho, quem sabe assim role algo entre vocês dois. — Indagou Rosa, tentando reanimar o amigo.

— Eu vou pensar nisso que você sugeriu... — Alexy disse, fazendo a mais nova dar um pulo.

— Isso! Pense mesmo, pense bem, quem sabe dê certo! — A garota exclamou animada.

— Bom, agora eu tenho que ir. — O azulado disse se levantando do sofá: — O Armin disse para eu não voltar muito tarde para casa. — Ele dizia observando o rosto de Rosa, a garota balançou a sua cabeça em positivo e sorriu levemente.

— Está bem. —

— Você sabe se a Mitty vai pro colégio amanhã? — Perguntou o rapaz desviando seu olhar.

— Se a cólica tiver melhorado, ela vai sim. — Rosalya abriu um sorriso largo, Alexy retribuiu seu ato e balançou a cabeça em positivo.

Ele começou a caminhar em direção á porta e assim que passou pela mesma, sentiu o vento gélido bater contra seu rosto, fazendo seus pêlos se arrepiarem.

(...)

— Priya? O que aconteceu? — A idosa de olhos castanhos e cabelos grisalhos perguntou, observando o rosto da neta: — Por que chegou em casa á esta hora? — Perguntou a avó preocupada, Priya mordeu seu lábio inferior pensando numa resposta para dar a avó.

— Bom... Assim que as aulas acabaram, eu decidi ir para a casa de uma amiga. — Inventou uma desculpa qualquer e sorriu falsamente, a idosa ficou calada e voltou a fazer a sua sopa.

Priya respirou aliviada e começou a caminhar em direção ao seu quarto, assim que adentrou o cômodo, ela se jogou na cama, com um sorriso satisfatório em seus lábios.

— Vocês... Irão pagar muito caro pelo que disseram! — Exclamou com um sorriso malicioso em seus lábios.

A morena de olhos azuis achara o seu "plano" perfeito, ela muito bem que iria dar certo, já tivera feito isso outras vezes e nessas vezes tivera funcionado muito bem!

A garota soltou uma risada maléfica e respirou aliviada.

(...)

Alexy's P.O.V

Eu tinha pensado muito na minha conversa com a Rosalya, será que ela estava certa? Eu tenho muito medo de falar pro Kentin oque eu sinto e levar um fora, esse sempre foi o meu maior medo, eu pensava em muitas coisas... Ruins, vamos dizer assim, por isso nunca tive coragem de desabafar com o mesmo oque eu sinto.

Eu estava terminando de tomar uma sopa que a minha mãe tinha feito, a sopa estava realmente deliciosa, embora eu não estivesse a elogiando como fazia frequentemente.

— Alexy, por que essa cara? — Perguntou meu pai, provavelmente observando meu rosto, eu levantei meu olhar e soltei um suspiro.

— Ah... Não é nada. — Dei um sorriso forçado e empurrei levemente o prato de comida: — Eu estou sem fome... — Falei abaixando a minha cabeça, eu me levantei da mesa e comecei a caminhar em direção ao meu quarto, sem dar chances de meus pais, ou até mesmo Armin se pronunciarem.

Abri a porta do cômodo e adentrei meu quarto, fechando a porta logo atrás de mim, eu respirei fundo passando a minha mão no rosto e peguei a minha toalha branca, tirei a minha jaqueta laranja e comecei a caminhar em direção ao banheiro.

Eu estava precisando de um banho na água fria, quem sabe assim eu conseguiria esfriar minha cabeça, terminei de me despir no banheiro e me joguei embaixo do chuveiro liguei o registro sentindo a água fria cair em meu corpo nu e respirei aliviado.

Enquanto tomava meu banho, eu não parava de pensar na minha conversa com a Rosalya, o Kentin realmente pode aceitar sair comigo, mas eu não acredito muito na hipótese de termos um relacionamento sério depois, eu posso tentar fazer de tudo para tentar conquistar o Kentinho, mas provavelmente não irei conseguir.

Eu tenho que tentar esquecê-lo de uma vez por todas, isso será melhor para mim, assim eu não irei ficar sofrendo por um "amor não correspondido", se eu fosse... Hetero, talvez eu não estaria passando por isso, mas na verdade eu nunca me senti bem ficando com mulheres, no início, quando tive a minha primeira namorada, eu não pensava na hipótese de ser homossexual, eu me sentia... Estranho quando ela me beijava às vezes, cruzes, era muito estranho para mim, como isso estava acontecendo comigo, eu pensei que não gostasse realmente dela e decidi terminar o relacionamento de 4 meses mais ou menos, assim que terminei o relacionamento, eu me senti um pouco mais aliviado, mas comecei a duvidar realmente da minha sexualidade.

Descobri ser gay assim que um menino da minha sala me deu um beijo, não foi aquele beijo de língua, foi um beijo normal, eu me senti feliz mesmo assim, passando alguns dias, nós dois começamos a ficar e como meus pais não sabiam da minha sexualidade, eu decidi contar para eles, eles aceitaram isso numa boa e disseram que queriam conhecer o Ryan, o menino que eu estava ficando, eu contei tudo para ele e ele ficou visivelmente animado e feliz.

Levei ele para jantar lá em casa no dia seguinte, meus gostaram muitíssimo dele, infelizmente nosso relacionamento acabou não dando certo, por coisas pessoais, decidimos ser só amigos mesmo, depois de um bom tempo eu conheci o Kentin, eu gostei dele, mas não pretendia passar de uma amizade com ele, mas é aquele ditado, a gente não escolhe de quem gosta.

Nunca cheguei a dizer á ele por ele ser hetero, ele parecia gostar da Jenniyffier, confesso que tenho um pouco de ciúmes dela, mas eu consigo me conter, eu acho... Assim que terminei meu banho, eu desliguei o registro e peguei a minha toalha, começando a me secar, terminei de me secar e enrolei a toalha na minha cintura, começando a caminhar para fora do banheiro, caminhei para perto do meu guarda-roupa e peguei meu pijama, vesti o mesmo e pulei na cama, desliguei a luz do abajur e fiquei no escuro com meus olhos arregalados.

Eu estava sem sono algum, respirei fundo me deitando de barriga para cima e fechei meus olhos tentando dormir, depois de algum tempinho, me mexendo de um lado para o outro na cama, fazendo um pequeno barulho, eu consegui dormir, às vezes eu acordava com barulhos de carros e motos passando na rua, mas isso era em vão.

Acordei no outro dia um caco, meu corpo todo doía, parecia que eu tinha sido atropelado por um trem, eu ouvi meu celular despertar e resmunguei como reprovação, tirei uma de minhas mãos debaixo da coberta e procurei pelo celular com uma certa dificuldade, assim que o encontrei, abri vagarosamente meus olhos e o desliguei, respirei fundo me sentando na cama e me espreguiçei, eu ouvi a porta do quarto sendo aberta.

— Oh, Alexya minha filha, já está acordada, que bom. — Meu pai disse sorrindo para "mim", eu observei seu rosto sem entender e olhei envolta para ver se não tinha mais ninguém no quarto: — Levante-se e arrume logo para ir á escola, você vai se atrasar. — Continuou o homem, eu fiquei sem entender: 


— Hoje é sábado, pai! — Exclamei e fiz cara de tédio olhando o rosto do homem.


— Sábado letivo, agora levante-se e se arrume, eu não quero ter que levar você e a Yasmin no colégio. — Disse ele, eu franzi a minha sobrancelha.


— Yasmin? —


— Sim, orasm. Yasmin é sua irmã, Alexya! — Meu pai exclamou como se fosse óbvio, eu fiquei "calada" e me levantei de minha cama, comecei a caminhar em direção ao banheiro, adentrei o cômodo e olhei meu rosto no espelho.

Olhei para baixo e olhei para o espelho novamente, peguei uns fios de cabelos meus azulados e notei que eles estavam maiores do que o normal.

— Como assim...? — Perguntei num sussurro sem entender: — A minha voz... — Falei franzindo a minha sobrancelha, a minha voz estava... Fina igual de uma menina, eu estranhei, isso estava muito estranho, peguei meus "peitos" o segurando de baixo para cima e os balancei lentamente.

— Nossa... Meus peitos estão... Maiores do que o da Rosa... — Sussurrei e soltei um risinho, balancei a minha cabeça em negativo e comecei a escovar meus dentes.

Armin's P.O.V

Eu abri vagarosamente meus olhos e soltei um suspiro, bocejei saindo debaixo da coberta e me sentei na beirada da cama, respirei fundo calçando as minhas pantufas e comecei a caminhar em direção ao banheiro meio cambaleando por conta do sono, para a minha sorte, eu acabei tropeçando e meu próprio pé e caí de barriga no chão, soltei um gemido indesejado e meu cabelo foi para frente cobrindo a minha visão.

Como assim?

Pensei comigo mesmo, meu cabelo estava maior do que o normal, coloquei a minha mão entre os fios de cabelo, fazendo um tipo de "cortina" franzi uma de minhas sobrancelhas me levantando do chão, eu não estava entendo merda alguma que estava acontecendo, eu tentei procurar um espelho qualquer.

— YASMIIN! — Eu ouvi uma voz feminina e olhei assustado de onde viria a voz: — Nossos pais estão nos chamando para tomar café. —

— Alexy? — Perguntei sem entender franzindo uma das minhas sobrancelhas.

— Xiu, meu nome agora é Alexya. — "O garoto" dizia na maior naturalidade do mundo.

— Como assim, o que houve? — Perguntei sem entender batendo meu pé no chão.

— Eu também não sei. — Alexy tocou meu ombro levemente: — Mas pense pelo lado bom, olhe isso. — Alexy tocou seus próprios peitos os balançando lentamente, eu franzi uma das minhas sobrancelhas sem entender.

— O que quê tem? —

— O que quê tem? Querida, agora eu posso jogar na cara da Rosa que meus peitos são maiores que os dela! — Exclamou meu irmão, ou deveria dizer minha irmã?!

— Alexy, como você pode estar gostando disso? — Perguntei sem entender num sussurro.

— ALEXYA! — Gritou seu nome me fazendo dar um pequeno pulo para trás, eu peguei meu celular e comecei a mandar mensagens pro Kentin.

»Oi, Kentin eu e o "Alexy" precisamos de ajuda! Tem como você nos encontrar no parque? Não, no parque não.... Tem como.. Você vir aqui em casa? « 6:12

»Kentin, é muito sério, pode nos encontrar no parque mesmo. « 6:13

»KENTINHO, ME RESPONDA!!!!! « 6:13

Bufei irritado e observei o rosto de Alexya.

— Ele não responde... — Indaguei chocado e revirei meus olhos.

— Okay, vamos tomar café e depois resolvemos isso, pode ser? — Alexya sugeriu tocando levemente meu ombro, eu respirei fundo e assenti com a minha cabeça.

Kentin's P.O.V

Eu tentei sair desesperadamente debaixo do edredom, assim que consegui, eu soltei um suspiro e olhei para os lados respirando fundo, passei a minha mão no meu rosto suado e me levantei da cama começando a caminhar em direção ao banheiro, eu me olhei um tempo no espelho e franzi uma de minhas sobrancelhas.

— Bom... MÃE! — Gritei olhando o espelho e tampei a minha boca, assim que percebi a minha voz fina: — MÃÃÃE!!! — Okay, eu tecnicamente berrei e comecei a mexer lentamente certas partes do corpo, percebi que a menina fazia a mesma coisa que eu.

— O QUE HOUVE? — Eu ouvi a minha mãe gritar de volta para mim.

— MÃE, TEM UMA GAROTA NO BANHEIRO! — Eu ouvi a minha mãe subindo as escadas, ela apareceu porta do meu quarto e começou a caminhar em direção á porta do banheiro, ela se aproximou um pouco de mim e riu:

— Oh, coitadinha! Esta é você, Katheryne. — Minha mãe disse na maior naturalidade do mundo.

— NÃO, MEU NOME NÃO É KATHERYNE, MEU NOME É KENTIN. — Berrei observando o rosto da mais velha, que me olhou com cara de tédio.

— Não comece com essas suas gracinhas, Kathy! Troque de roupa e desça para tomar café, você vai chegar atrasada no colégio. — Continuou ela dando de ombros, eu respirei fundo revirando meus olhos logo em seguida.

— EU NÃO IREI APARECER NO COLÉGIO DESSE JEITO, EU NÃO IREI HOJE PRO COLÉGIO. — Gritei, ouvindo minha mãe soltar um risinho.

— Okay, você quem sabe. — Disse saindo do quarto logo em seguida, eu respirei ofegante e saí de dentro do banheiro começando a caminhar para perto de minha cama, eu peguei meu celular e comecei a olhar as mensagens.

»Oi, Kentin eu e o "Alexy" precisamos de ajuda! Tem como você nos encontrar no parque? Não, no parque não.... Tem como.. Você vir aqui em casa? « 6:12

»Kentin, é muito sério, pode nos encontrar no parque mesmo. « 6:13

»KENTINHO, ME RESPONDA!!!!! « 6:13

A primeira pessoa que eu pensei que poderia ter enviado essa mensagem, foi no Armin, mas o nome do contato estava Yasmin, eu franzi uma das minhas sobrancelhas e não respondi, eu caminhei em direção ao meu guarda-roupa e respirei fundo, eu peguei uma blusa regata branca e uma jeans preta rasgada, peguei um sutiã azul água e fiquei olhando o mesmo com uma cara feia, respirei fundo começando a me despir, coloquei as alças do sutiã por cima dos meus ombros e tentei abotoar o mesmo atrás, respirei fundo e cheguei da porta do quarto que estava entre aberta.

— MÃÃÃE!!!! — Gritei pela a mesma e fiquei esperando um tempo, comecei a ouvir barulhos de pessoas subindo as escadas, a minha mãe apareceu me olhando e cruzou os braços: — Pode me ajudar? — Perguntei abrindo um pouco mais a porta, eu me virei de costas, a minha mãe soltou um risinho e abotoou meu sutiã: — Isso incomoda! — Exclamei fazendo cara feia, me aproximei da cama e peguei a minha blusa branca, vesti a mesma e vesti a minha calça depois, calçei um tênis All Star preto e caminhei em direção ao banheiro, escovei meus dentes e arrumei meus cabelos, assim que terminei, eu peguei meu celular em cima do criado-mudo e caminhei para fora do quarto, desci as escadas que davam para a cozinha.

— Mãe, pai eu irei sair. — Disse apenas e passei pela porta não dando chances do dois se pronunciarem, respirei fundo, eu estava completamente desacreditado com oque estava acontecendo, eu caminhei em direção ao parque, eu iria esperar Armin e Alexy saírem para ir á escola e iria conversar com eles, assim que ccheguei, eu me sentei num banco isolado e respirei fundo, peguei meu celular e olhei as horas, eram 6:24.

Tomara que Armin e Alexy não tenham ido pro colégio ainda.

Pensei comigo mesmo e olhei para o lado, notei duas meninas sentadas num banco, elas me olharam e desviaram seu olhar, uma das meninas tinha o cabelo preto e a outra tinha o cabelo azul, respirei fundo e me levantei do banco, começando a me aproximar delas.

— Com licença... — Disse meio tímido chamando a atenção das duas: — Vocês duas, por acaso viram dois meninos, um de cabelo azul e outro de cabelo preto? — Perguntei observando o rosto delas.

— Quais os nomes deles? — A de cabelos azuis perguntou, observando meu rosto.

— Alexy e Armin. — Disse respirando fundo.

— KENTIN?! — As meninas disseram em uniçoso, eu arregalei meus olhos.

— ALEXY? ARMIN? —


Notas Finais


Continua?? ;-;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...