História Como Sobreviver ao Ensino Médio - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias TWICE
Personagens Chaeyoung, Dahyun, Jihyo, Jungyeon, Mina, Momo, Nayeon, Personagens Originais, Sana, Tzuyu
Tags 2yeon, Chaeyu, Colegial, Girl&girl, Humor, Michaeng, Mina, Minayeon, Mitzu, Nayeon, Sahyo, Teenfic, Twice
Visualizações 79
Palavras 1.634
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Famí­lia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Postando de madrugada só pra não perder o dia de atualização rs

Capítulo 9 - Regra 8: Nunca subestime a Lindinha


Aos poucos eu desenvolvia um plano perfeito para conquistar a garota perfeita e sinceramente, não havia formas de dar errado. Como Florzinha, eu sabia que era boa em planos e tudo deveria ser melhor que a péssima ideia de Chaeyoung que atear fogo no encosto.

Minhas irmãs riram de mim ao saberem que agora eu era a Florzinha e nós éramos as Meninas Superpoderosas, mas acredito que elas só fizeram isso porque estavam com inveja. Agora eu finalmente estava fazendo parte de um trio, mesmo que Sana e Momo estivessem me excluindo a vida toda do que deveria ser o "nosso trio". O bom disso tudo era que com Tzuyu e Chaeyoung eu deixava de ser Myoui Mina, a irmã mais nova, para Florzinha, a mais velha das três. E eu só poderia dizer uma coisa:

Eu sou a mais velha agora. Aguenta essa, Momo!

As aulas estavam começando a ficarem interessantes principalmente agora que a escola teria um trabalho em que cada sala ficaria com um país, mas isso seria futuramente. Eu esperava que ficássemos com um país legal e que a sala da crush ficasse também e com um país de boa comida para eu ter um bom motivo para vê-la.

Tzuyu tentava me ajudar com o plano que eu estava montando para aniquilar o encosto enquanto Chaeyoung ainda sugeria a maldita ideia de atear fogo na coitada da Yoo Jeongyeon — essa menina só me dá dor de cabeça.

Dahyun não acreditou que nós poderíamos ser um bom trio, mas eu não me surpreendia por isso ter vindo justamente dela. Dahyun estava muito cética ultimamente.

O fim de semana chegou e eu finalmente pude acordar e pensar que não haveria aula hoje. Minha mãe me obrigou a sair do computador quando deu umas duas da tarde, mas ela somente estava sendo chata já que Sana e Momo não estavam fazendo nada desde que acordaram ao menos eu estava fazendo alguma coisa.

— Está na hora de você sair para fazer alguma coisa, Mina. — Foi a única coisa que minha mãe disse antes de me empurrar para fora do quarto.

— Mas está chovendo lá fora. — Reclamei. — O que quer que eu faça?

— Por que não chama suas amigas para cá? — Minha mãe sugeriu.

— Quem viria num dia de chuva, Okaasan? — Perguntei cruzando os braços enquanto ela me obrigava a descer as escadas.

— Acredito que suas amigas viriam. — Mamãe deu de ombros ao estarmos no último degrau e eu respirei fundo.

Mereço isso, senhor!

Peguei o meu celular que estava largado em cima da bancada e mandei uma mensagem no grupo que Dahyun havia criado para nós conversarmos. Eu duvido que alguém viria até aqui em um dia de chuva.

                           ***

Retiro o que disse. O mundo realmente está cheio de pessoas desocupadas e essas atendem por Chaeyoung e Tzuyu.

— Acho que sua mãe tem problemas. — Chaeyoung comentou assim que eu fechei a porta do meu quarto após elas entrarem. — E a gente também porque nem mesmo a Dahyun concordou em vir.

— Na verdade sua mãe somente queria ter um motivo para se livrar de você e do Jeonghun. — Tzuyu comentou. — Espero que ele fique bem com a Sana e a Momo.

— Eu não acreditaria nisso. — Comentei sentando-me em minha cadeira giratória. — Sana e Momo são péssimas com crianças que tenham menos de quinze anos. Elas não são boas nem mesmo comigo!

— Bem, ao menos ele não é problema meu. — Chaeyoung deu de ombros.

— Como sempre sendo uma boa irmã mais velha. — Tzuyu comentou.

— Mas então, o que vamos fazer em um dia de chuva? — Perguntei observando as duas garotas com dúvida.

— Contar estórias. — Tzuyu propôs. — A gente fazia isso com a Dahyun e o Myungsoo.

— Mas ele sempre estragou a estória toda. — Chaeyoung deu de ombros.

— Certo e como vocês faziam isso? — Perguntei, realmente interessada com a ideia. Era um milagre!

— Marcamos em um cronômetro quinze minutos e cada um tem esse tempo para inventar uma estória. — Chaeyoung disse. — Quando o tempo acabou a outra pessoa continua onde ela tinha parado e escolhemos por ordem de idade quem começa, então…

— Eu começo! — Me pronunciei pegando o celular e marcando quinze minutos nele. — Hum… pois bem…

Era uma vez uma garota que morava em um lugar muito, muito distante. Essa garota era incrível e poderia fazer com que qualquer um fizesse o que ela mandava simplesmente com pedidos inteligentes, pois ela era muito inteligente e acima de tudo muito bonita. Essa garota estava tentando conquistar a rainha daquele lugar, mas seria difícil, pois parecia que a rainha era imune a toda sua beleza e inteligência.

Um certo dia, tentando descobrir formas de conquistar a rainha a menina encontrou um elfo que havia se perdido da sua família enquanto fugia de terríveis caçadores de animais fantásticos. Sensibilizada ela resolveu ficar com o elfo e levá-lo junto em sua missão de conquistar o coração da bela rainha do reino distante
.

— Espere aí! — Chaeyoung interrompeu. — Que negócio é esse de elfo?

— Não interrompe, espere a sua vez. — Respondi. — Então… onde eu havia parado? — Pensei por alguns segundos. — Ah sim, lembrei…

O elfo concordou com a ideia de se juntar a menina em busca de conquistar o coração da rainha, mas com uma condição e era de que…

O alarme do cronômetro soou avisando que o tempo havia acabado e isso me fez revirar os olhos.

— Minha vez! — Chaeyoung deu um sorriso macabro e eu fechei os olhos esperando o que estava por vir.

Na verdade, a menina era uma bruxa e o elfo ao saber disso pediu para que ela a transformasse em uma garota muito mais bonita e mais inteligente. A bruxa concedeu o desejo, pois sabia que não podia viver sem o elfo e então ele se tornou uma garota muito mais bonita e muito mais inteligente.

— Espero que sua inteligência seja realmente melhor que a minha, pois meus planos são uma porcaria e eu detesto que coloquem fogo nas pessoas. — Disse a bruxa. — Eu sou tão chata por me achar tão esperta.

— Que negócio é esse?! — Cruzei meus braços a encarando com os olhos semicerrados. — Eu não sou chata!

— Shhh… — Chaeyoung colocou seu dedo indicador em meus lábios. — Deixa eu continuar, porcaria.

Então as duas garotas partiram em busca da rainha do reino distante e somente conseguiram chegar lá graças a garota elfo, pois a bruxa não era nada boa em achar caminhos. Na verdade, ela não era boa em nada além de achar que era boa.

Ao chegar no palácio, as duas garotas encontraram a rainha. Mas um soldado não deixou que se aproximassem dela para que seu segredo não fosse revelado. Na verdade a bela rainha era um monstro gigante de duas cabeças que devorava garotinhas inocentes e cada vez que matava uma nova garotinha um dente de ouro surgia em sua boca imensa.

— Wow! Estou tão surpresa, eu nunca poderia saber que ela era isso. Eu sou tão idiota! — A bruxa disse.

— É, espero que esteja satisfeita. Foi você que meteu a gente nessa. — Respondeu a garota.

— Desculpe, eu não sou tão inteligente quanto aparento ser. Na verdade, eu não sou inteligente. — A bruxa disse, desesperada. — O que iremos fazer bela, inteligente e maravilhosa, Chaeyoung?

— Por que eu diria isso, Chaeyoung? — Praticamente gritei após ouvir aquela barbaridade.

Chaeyoung me encarou com descaso e respirou fundo antes de dizer:

— Porque sou eu quem está contando a estória e nela eu faço o que eu quiser.

Revirei os olhos após ouvi-la. Isso é um absurdo!

Eu somente não fiquei mais irritada porque o cronômetro avisou que os minutos de Chaeyoung haviam acabado.

— Droga! — Chaeyoung reclamou.

— Agora é minha vez. — Tzuyu sorriu.

Enquanto o elfo e a bruxa brigavam surgiu uma princesa montada em um Pégaso metade unicórnio da cor  branca e com sua espada feita de ouro celestial destruiu o monstro devorador de meninas indefesas.

— Nossa! Ela destruiu o monstro enquanto discutiamos. — O elfo comentou chocado.

— Sim, ela foi realmente incrível. — A bruxa completou.

— Obrigada! — A princesa unicórnio agradeceu. — Mas agora preciso assumir o meu reino.

Na verdade o reino distante pertencia a princesa unicórnio que foi expulsa pelo monstro que fingia ser a bela rainha. Pela coragem da bruxa e do elfo, ela as transformou em suas fiéis escudeiras. Prometendo proteger todos os elfos e bruxas do reino e na verdade as brigas do elfo e da bruxa era porque elas se amavam muito então resolveram se casar e viveram felizes para sempre. Fim.


— Pronto, caso resolvido. — Tzuyu levantou-se de cima do tapete. — Fim da estória, agora podemos fazer algo melhor?

— Mas você matou a Nayeon! — Falei, chocada.

— E me fez casar com ela. — Chaeyoung completou me encarando.

— Ficou melhor assim. — Tzuyu respondeu. — Agora podemos fazer algo que preste como terminar o plano para aniquilar o encosto.

Mesmo confusa e um pouco assustada, assenti me levantando da cadeira. Eu ainda não acreditava que uma pessoa tão fofa quanto a Tzuyu pudesse matar a Nayeon e ainda me fazer casar com a Chaeyoung, elfo irritante sendo que ela me fez ser uma bruxa!

Isso deveria ser uma regra. Jamais subestimar Chou Tzuyu.

Abri a porta do quarto caminhando mais a frente enquanto procurava o local que eu havia guardado minhas anotações sobre o plano de aniquilar Jeongyeon, ou melhor, o encosto.

— Mas espere aí, eu continuo casada com ela? — Chaeyoung perguntou me fazendo revirar os olhos.

— Acredite em mim odiei isso tanto quanto você, elfo irritante. — Respondi.

— Ao menos não sou uma bruxa. — Chaeyoung sorriu cínica. Aquela praguinha!

Eu até poderia ser considerada uma bruxa por ela, mas ser chata? Jamais. Eu não sou chata, somente quero deixar isso bem claro.


Notas Finais


Essa estorinha tem muitas coisinhas aí rsrsrs prestem atenção


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...