História Como te Vejo ||Simbar|| - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Amanda, Ámbar Benson, Delfina, Jazmin, Luna Valente, Matteo, Miguel, Monica, Nico, Nina, Pedro, Rey, Sharon, Simón, Tino
Tags Amor, Romance, Simbar, Sou Luna
Visualizações 166
Palavras 1.099
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Este capítulo demorou para ser postado, sorry.

Eu excluí minhas contas do wattpad, mas vou continuar do Spirit vai ser dificil postar, pois vou escrever no pc, mesmo assim não desistam da história, ok?

Boa leitura!!

Capítulo 7 - Capítulo 6: Discussão


  Ámbar estava claramente muito irritada. Eu estava perto do centro da mansão quando ouvi a mesma sair pisando forte no degrau das escadas. Quando ela chegou na sala de refeição, a mesma ficou cara a cara com a madrinha, a qual a ignorou.

  - Ah! Então vai me tratar como se eu nem existisse?! - Ámbar gritou histérica e ao ver a madrinha rir, ficou mais furiosa ainda. - O que é engraçado?

  - Seu chilique, Ámbar... o seu chilique. - Ela colocou a xícara com chá em cima da mesa e olho para a afilhada. - Você está fazendo drama por causa de um empregado.

  - Ele dormiu comigo! E tenho certeza que ele fez alguma coisa errada enquanto eu dormia! - Ela gritou de um jeito o qual dava para ouvir da ala dos empregados.

  - Pare de fazer drama, Ámbar. - Ela desvia o olhar da garota e passa em um relance no lugar onde eu estava, me escondi rápido. Espero que ela não tenha me visto. - E eu sei que você não gosta muito dele, além de ser capaz de tudo para que eu o demita. Então não vou acreditar em nada que você diga a respeito dele.

  - Não pode... - Ela foi rapidamente cortada por Sharon.

  - Eu posso sim! Eu não vou ser manipulada por você!

  - Você vai se arrepender de duvidar de mim! - Ela disse histérica. - Se eu sair grávida a culpa vai ser sua!

  - Pare de drama, Ámbar! Odeio quando você fica com essas mudanças de humor, me dá enxaquecas! - Ela se levantou da mesa e eu ouvi a risada irônica de Ámbar.

  - Eu não tenho mudanças de humor. - Ela disse fria, mas do nada começou a chorar desesperadamente. - Eu te odeio!

  Ela subiu correndo as escadas e bateu a porta do quarto.

  - Simón, saia daí! - Sharon falou alto, o que me fez gelar. Segui a ordem e fui até ela de cabeça baixa. - Você dormiu com a Ámbar?

  - Olha, sim eu dormi, mas... - Ela me cortou igual cortou a Ámbar.

  - Como conseguiu? - Eu a olhei confuso e ela repetiu. - Como você conseguiu?

  - Como assim? - Ela revirou os olhos e eu continuei confusa.

  - Ámbar nunca deixou nem mesmo Matteo, apenas entrar no quarto dela, muito menos dormir junto com ela. - Fiquei chocada com o que eu ouvi.

  - E-eu... - Eu não sabia o que falar. - Eu apenas acalmei ela, depois ela me pediu para ficar.

  - Muito obrigada por me contar. Você está fazendo um bom trabalho. - Assenti e ela subiu.

  Fui até o quarto de Ámbar e bati na porta. Eu estava com medo da resposta. Mas algo me surpreendeu.

  Ámbar abriu a porta e me jogou no chão, depois ficou em cima de mim me segurando pelo colarinho. Ela parecia com raiva, estava toda descabelada e com um olhar desesperado.

  - Ámbar, o que foi? - Disse preocupado.

  - Não me chame assim! Você não tem direito de falar comigo! - Eu fiquei confuso.

  - Como assim, Ámbar? Eu sou seu empregado e te conheço faz quase um ano. - Ela riu e logo me deu um tapa.

  - Você não me conhece! Você nunca me conheceu! - Algo em mim me fez segurar nas bochechas ela e a beijei, foi um selinho, bem demorado, mas com isso notei a mesma perder a tensão nos músculos e começar a ceder o beijo. Do nada, ela me empurrou e começou a chorar feito uma louca.

  - Sai do meu quarto, por favor. - Ela disse um tanto calma. - Sai do meu quarto agora! - Ela falou brava dessa vez.

  - Você está em cima mim... - Falei meio envergonhado, então ela saiu de cima de mim e apontou para a porta.

  - Às dez e meia me encontre na porta da mansão... Iremos ao Roller. - Ela disse sentada no chão, sem resposta eu assenti, pois não sabia o que dizer.

  Sai do quarto dela, e me encostei na porta.

  O que está acontecendo com ela?

  Pensei curioso, ela nunca tinha me tratado assim, nem sei se com alguém.

  Desci as escada às pressas e fui ao meu quarto. Peguei meu telefone e comecei a deslizar até o nome que eu queria: Delfina. Eu sei que poderia ligar para a Jazmín, mas eu precisava de alguém que tratasse aquilo sem se distrair.

  Disquei o número e coloquei o aparelho no ouvido. Esperei até chamar. Quando começou chamar, uma chama acendeu em mim e logo fui atendido.

  - Alô? - A voz de Delfi soou do outro lado da linha.

  - Delfi? É o Simón. - Falei aguardando resposta.

  - Ah. Oi Simón! Como conseguiu meu número? - Indagou a morena em um tom de curiosidade.

  - Pedro, - Falei direto e breve. - ele salvou seu número no meu celular sem querer, e eu pensei que poderia ser útil alguma vez... então não excluí.

  - Ata. - Ela falou em tom entendimento. - Mas, bem... por que você me ligou?

  - Ámbar... - Falei rápido.

  - Ámbar? Ela está bem? O que aconteceu? - Ela disse preocupada.

  - Calma, ela está bem! Mas, eu estou com um problema pessoal e profissional com ela.

  - Profissional? Ámbar está trabalhando no Roller, ou o quê?

  - Quem está trabalhando sou eu... Sou empregado pessoal dela. - Ouvi ela dizer um "Wow" então prossegui. - Ela está com problemas... e bem graves.

  - Como assim?! Ela se acidentou? Você disse que ela está bem! - Ela gritou histérica e eu afastei o telefone do ouvido.

  - Não é desse jeito! Ela está com problemas de humor. - Falei meio baixo, mas parece que ela entendeu.

  - Você se surpreendeu com isso? - Ela deu uma pausa. - Faz um tempo ela já está assim... Ou pelo menos que ela está se descontrolando. - Disse a mesma cabisbaixa.

  - Mas você sabe o por quê? - Perguntei. Minha voz estava fraca, por um motivo desconhecido.

  - Ninguém sabe. Jazmín e eu já conversamos com a Sharon anos, mas ela nos disse que não sabia de nada. - Notei que a voz dela parecia chorosa, então me segurei e respirei fundo.

  - Obrigado Delfi. Vou cuidar disso depois. - Ouvi ela fungar e ouvi um hurum. - Até mais.

  - Até mais. - Desligou.

  Preciso dar um jeito de descobrir o problema da loira, não posso deixar isso guardado para sempre. Eu vou descobrir o problema... Eu preciso descobrir.


Notas Finais


Curiosos? To com um trabalhão para escrever, mas logo logo sai o capítulo sete!

Andei vendo o Music On de "Como me ves" e confesso que to ainda mais inspirada para fazer a história, sério... Valu minha diva eterna ta sempre me inspirando para fazer uma história ainda melhor!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...