História Compass Rose - Min Yoongi - Capítulo 106


Escrita por:

Postado
Categorias Agust D / Suga, Bangtan Boys (BTS), Got7, JJ Project
Personagens Jackson, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jinyoung, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Agust D, Bangtan, Bts, Jackson Wang, Jeon Jungkook, J-hope, Jin, Jung Hoseok, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Kim Taehyung, Min Yoongi, Park Jimin, Suga
Visualizações 731
Palavras 3.519
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Hentai, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Escrevi o fim desse capítulo ouvindo for you, chorei igual bebê

Capítulo 106 - Medo e ódio


Fanfic / Fanfiction Compass Rose - Min Yoongi - Capítulo 106 - Medo e ódio

Coração acelerado



Suor frio



Nó na garganta



Lágrimas nos olhos



Mãos geladas



Medo!



Foi tudo que senti quando vi Junior algemado entre os policiais olhando pro chão meio que perdido em seus pensamentos após o desvio de olhar.



Quando me viu ele rapidamente baixou o olhar para os pés, era indesvendavel o que ele pensava no momento, mas ele não queria me olhar, nos olhar.



Yoongi me puxara com seu reflexo de pura proteção e me abraçara forte. Meu amor o olhava sério e preocupado, não havia mais aquele olhar de ódio de outrora, todavia ainda sentia medo por minha reação.



Namjoon segurou minha mão e proferiu algo baixinho, não consegui processar as palavras pois só focava em Jinyoung a minha frente, mas creio que disse algo pra que eu me acalme.



E passaram...



Foi rápido, mas ao mesmo tempo eu o vi em câmera lenta em média olhos, passos fortes em um espaço silencioso. Parecia uma cena de um filme dramático.



E no findar só ouvia minha respiração enquanto eu olhava pro nada.


 

Nam – Isso foi estranho! – eu pensava nele, porque dessa vez não disse nada? porque dessa vez não quis me olhar?



Suga – Você tá bem amor? – o olhei paralisada – huh?



S/N – Eu... Eu não sei! Foi estranho!



Nam – tem certeza que quer testemunhar?



S/N – uhum... Eu senti uma porção de coisas medonhas de início... Mas depois? Pena, só sinto pena! – meu coração ainda palpitava



Suga – Vai ser rápido, prometo! – me abraçou e eu ainda sem saber processar nada



Senhor Kim – vamos entrar? Aconteceu algo? - notou nossas expressões aéreas



Nam – Ele acabou de passar aqui – se assustou e já ia perguntar se eu estava bem, mas Yoongi adiantou – Ela tá bem...



Nam – ele que não tá né?? O que fizeram a ele?



Senhor Kim – nos últimos dias ele vem sido medicado por um psiquiatra pra lhe manter lúcido, provavelmente seja isso!



Suga - Então dessa vez ele sabe que eu sou eu? Não será como no hospital? – assentiu



Nam – Foi isso... Ele rapidamente abaixou a cabeça... Talvez vergonha? Não sei! 



Senhor Kim – Mocinha... tem certeza que vão conseguir falar na frente dele? – respirei olhando ele e apertando a mão de Yoongi



S/N – Sim! - Disse firme



Jin – Appa... O policial pediu pra entramos e nos posicionamos. Vai começar!



Senhor Kim – certo! – me olhava preocupado – Qualquer coisa me fala na hora tá?! – sorriu pra me acalmar e eu assenti.



Entramos.



A corte estava lotada lá dentro, assim como na parte externa com vários repórteres.



O julgamento não era apenas do meu marido, ou meu. Era o povo contra Park Jinyoung pelas inúmeras infrações cometidas



Estávamos nas primeiras cadeiras atrás do senhor Kim que era advogado de acusação, já o advogado de Junior não era o mesmo visto que o antigo caiu também com tudo que a polícia achou sobre as infrações dos antigos policiais locais e suas práticas ilícitas perante a lei.



Foi dado início ao julgamento com toda aquela burocracia da entrada do juiz e apresentação do réu e da mesa do júri.



Apresentaram todas as as denuncias contra Júnior que seriam apuradas naquele dia e contra a família Park, no caso seu falecido Appa.



O advogado de defesa iniciou, ele o defendia a partir do transtorno de Jinyoung, alegava suas fragilidades, tentava o máximo usar de artifícios que deixassem claro seu déficit mental, sempre alegando que tudo se derivou dos maus tratos de seu Appa.



A cada relato bem estruturado de que Júnior passou com seu pai adotivo mais eu sentia pena dele, foram agressões que eu nem imaginava, todas relatadas por empregados que conviveram com eles.



Ele em momento algum olhou pro lado ao ponto de me ver, mantia a cabeça parada e olhar fixo pra frente, tenso mas ao mesmo tempo ignorando tudo ao seu redor.



Em momento algum o advogado proferiu que ele era inocente, toda a culpa era jogada em Heajin, dava entender que ele merecia um tratamento adequado, porém livre... Ele sabe que é impossível, mas ao menos cumpre seu papel defesa.



Senhor Kim foi chamado pra acusar. A princípio deixou claro que não estava ali apenas como advogado de meu marido já que ele como promotor também estava ali como defensor de tantas pessoas que sofreram nas mãos dos Parks.



Ele iniciou pediu pra que o delegado atual adentrasse... Ele relatou praticamente tudo que descobriu das podridões deles junto a polícia comprada.... Não havia escapatória, ele era culpado.



Até que então, depois de tanta podridão chegaram no nome do policial que ajudou Junior a fujir e que foi morto propositalmente... E tocaram no meu nome, meu peito doeu, tocaram no meu nome pois foi por isso que foi preso novamente já que queria me sequestrar derivando a tentativa de estupro.



Eu tremia, Yoongi segurou minha mão tentando me controlar, mas antes de me chamar, chamaram Tata, olhei nervosa pra minha amiga, ela tremia também e foi enfim se sentar logo a frente... Momento difícil, todos lhe olhando inclusive Jinyoung, e ela reviveria sua dor novamente.



Jimin – Estão guardando você por último? – susurrou a Yoongi que assentiu



Nam – A cereja do bolo né?? Yoongi o que mais se fodeu.



Alegou-se sobre o trauma que Tata passou quando foi abusada verbalmente e moralmente por ele no bar, Tata tinha um olhar trêmulo pra Junior, e ao meu lado JHope quase que armado em prontidão pra socorrer seu grande amor caso tenha alguma crise novamente lá na frente, era doloroso pra ele visto que ele passou tudo ao seu lado.



Tata relatava tudo com voz de dor, me fez lembrar tudo que passou por causa dele e como a polícia foi inútil nesse caso...



Depois de uns minutos... Me assusto.



Juiz – agora, peço a senhora Min para testemunhar... Favor de sentar aqui a frente? – engoli a seco olhando Yoongi e Tata andava até nós após findado seu relato.



Suga – te amo, vai dar tudo certo! – sorri fraquinho



Cada passo doía muito indo pra frente, passo por Tata e ela me abraça firme e vejo que chorava agora, talvez alívio? Não sei, pra mim tudo está tão incerto hoje.



Pensei em Jungkook, pensei em Marcelle, pensava em minha mãe, pensava em meu amor... Yoongi! cada passo em direção a frente me fazia pensar em alguém... Preciso ser forte, preciso enfrentar meus medos.



Me sento!



Eu o via, ele me via, dessa vez não abaixou a cabeça, portava um olhar abatido e vazio, ele sabia bem que eu era eu, a moça frágil que um dia até tentou se aproximar dele mas ele usou pra alimentar sua inveja e seu ódio contra Yoongi.... Agora seria eu e ele nessa acusação de assédio... Estou com meu moletom, estou protegida, e Yoongi está ali, vai dar tudo certo! RESPIRE S/N, RESPIRE. Yoongi nem se quer depôs, preciso ser forte pra que ele também seja, preciso ser forte como Marcelle está sendo depois de quase morrer, preciso ser forte como Jungkook quando não apertou aquele gatilho, preciso ser forte como Tata não quis tirar a sua vida, preciso ser forte... Apenas.... Forte por Yoongi!



Senhor Kim – Senhora Min... – sorriu pra mim após eu fazer o juramento de dizer a verdade emmtudo que disser alí – ...a início queria perguntar: consegue tirar esse moletom? – gelei olhando Junior, nenhuma palavra saia de minha boca – Consegue? Sim ou não?



S/N – Não... – disse quase sem voz



Senhor Kim – É verdade que esse moletom era do senhor Jeon Jungkook? e que ele lhe trás segurança pois na noite do dia x ele estaria digamos que te "protegendo" já que seu marido Min Yoongi teria saído após receber um email enquanto o réu estava como fugitivo depois de ser preso suspeito pela morte do Appa? e-mail esse que era falso?



S/N – Sim! - não conseguia olhar Junior



Senhor Kim – Júri... Nossa testemunha, e vítima, adquiriu alguns distúrbios esperados após o que sofreu nas mãos do senhor Park... - deu ao júri uns documentos de meu psicólogo e psiquiatra - nem mesmo consegue o tirar e nem mesmo ficar longe de três pessoas sem ter um ataque de pânico... Seu marido Min Yoongi, seu amigo Jeon Jungkook que perdeu seu filho no incêndio e quase perdeu a namorada e sua Omma aquela senhora amigável ao lado de Yoongi, vejam o estado que ele a deixou, tudo isso diagnosticado como podem ver... – me olhou de novo - porque saiu aquela noite sem Jungkook? – meu coração tava tão acelerado, eu queria tanto sair dali, lembrar dói



S/N – Como... - olhei nervosa pra Yoongi e respirei fundo - Como Yoongi tinha saído por receber esse e-mail falso... Ele foi pego por um comparsa em uma armadilha... E mandaram por seu telefone uma mensagem me pedindo pra o encontrar... Por isso fui só... Achávamos ser ele e era perto, Jungkook ia ficar no bar por outros motivos, iria de Uber segura e voltaria com ele... Então Jungkook me deu o moletom pra que eu meio que estivesse com ele e então eu fui – Junior me olhava meio aéreo mas prestando atenção e eu estava com os olhos cheios de lágrimas



Senhor Kim – senhora Min, poderia nos dar então um breve relato sobre o que realmente aconteceu quando chegou no campus onde a suposta mensagem do seu marido indicava? – quis chorar, não queria reviver aquilo, eu queria muito fugir da frente dele, mas devo ficar ali por Yoongi



S/N – Eu encontrei o Hoseok e a Tata... Me entregaram uma bebida com um bilhete dizendo pra eu subir, eles viram inclusive, e eu fui – olhei pra Yoongi chorando – a bebida tinha algo... E quando eu tomei ela dentro do elevador comecei ficar zonza, só lembro de sentir medo - soluçava e falava com dificuldade - me lembro de ver o Junior me segurando quando corri pra seus braços pensando ser meu marido... Depois... Depois eu... Eu não lembro de nada só de um beijo e enfim desmaiar! - Yoongi claramente queria vir ficar comigo mesmo sem poder e eu queria ele, queria o abraçar, mas só sabia derramar lágrimas e apertar a barra do meu moletom



Senhor Kim – Sinto muito... - me deu um lenço - Desde que chegou aqui em Seul... Como foi sua relação com Park Jinyoung? O que ele dizia sentir sobre você?



S/N – a princípio ele não me mostrou ser uma ameaça... Até... Até tentar usar de minha boa vontade pra acabar com minha relação! Me... Bom, ele me abusou verbalmente duas vezes, em um evento e em uma briga que tivemos, além de olhares estranhos e indiretas.. até que quando seu Appa abordou a nós dois, eu e Yoongi, depois do abuso a Tata pra ameaçar a vida de minha sogra... Aí Junior perdeu a cabeça ja que odiava o Appa e começou falar que me amava do nada... E que mataria seu Appa por mim...



Senhor Kim – Você correspondeu a esse sentimento?



S/N – NÃO! – quase gritei – eu só sentia medo e nojo - Junior me olhou estranhamente



Senhor Kim – acha que esse amor era real?



Advogado de defesa – PROTESTO! Achismos não são provas



Juiz – protesto negado – olhei nervosa pra ele



Senhor Kim – E então... Acha que é real?



S/N – Eu acho que ele era obcecado pelo Yoongi, queria tudo que ele tinha e queria até mesmo a mim...



Senhor Kim – Então o amor de Park Jinyoung é ‘puramente’ falso?



S/N – Si... - fui brutalmente interrompida



Junior – NÃOOOOOO, NÃOOOOOOOOOOOOO.... – me assustei quase caindo pra trás quando ele gritou se levantando e batendo na mesa me olhando e me assustando – EU TE AMOOOOO.... NADA É FALSOOOOOOOOO... EU TE AMOOOOOO S/N



Juíz – Detenham o réu – O polícias foram em sua direção e eu chorava descontroladamente a lhe ver



Era assustador



Junior – EU TE AMO S/N... VOCE NÃO MERECE ELE... SEU LUGAR É COMIGO! EU TE AMOOOOOO



S/N – não... Façam-no parar! Por favor.... – abaixei minha cabeça tapando os ouvidos e chorando sem querer o olhar e ele seguia gritar



Só senti os braços de Yoongi ao meu redor, ele rapidamente invadiu o espaço e meus amigos se mantinham de pé me olhando juntamente com minha mãe e Tata a chorar.



Suga – Eii... Eu tou aqui.



S/N - faz ele parar - Chorava 



Juiz – Levem o réu pra outro lugar! Advogado providencie cuidados urgentes... A seção terá uma pausa de 5 minutos... - bateu seu martelo



Chorava e Junior ainda gritava sendo puxado pra fora do espaço....



Suga – Amor... Ele saiu! Olha pra mim! – olhei trêmula e ele sorria meigamente mas via lágrimas em seus olhos – Você foi muito corajosa... – me beijou



S/N – mas eu tou com medo... – vi todos correrem pra cá também, Namjoon conduziu minha mãe a mim e ela me abraçou enquanto falava olhando Yoongi.



Suga – ele não vai fazer nada com você amor... Eu tou aqui! Te protejo



Jack – mano ele tá realmente doente!



Senhor Kim – aqui... Beba! - tinha água em mãos e Yoongi pegou - Me perdoe instigar tantas coisas mas é necessário e você concordou em participar... – assenti



S/N – Tudo bem tio... Obrigada – tentei beber a água mas tremia muito, Yoongi segurou por cima de minha mão o copo e me ajudou a ter equilíbrio.



Suga – Ela precisa falar mais algo? – tremia ouvindo os gritos abafados dele de longe – calma, ignora, ele tá longe! - respirei fundo



Senhor Kim – Não, os relatos dela foram suficientes! Ela pode ficar numa salinha especial aqui do lado esperando e descansando!



Suga – Ótimo... Eu vou ficar com você... – o cortou



Senhor Kim – Você será o próximo a testemunhar, depois, sua Omma, os comparsas dele, uns polícias e por fim relatos de Jungkook e o que aconteceu a Marcelle, mas mesmo assim terá que ficar aqui dentro, você é fundamental hoje! – me olhou angustiado e depois olhou minha mãe.



Suga – Nanda... Por favor – Nanda falou pra minha mãe que ela iria ficar comigo pois ele não poderia e claro que ela concordou, inclusive Fernanda também iria. – me perdoa? Queria ficar com você – me deu um beijo



S/N – Tudo bem amor... te amo! – sorriu e ao que notei os gritos pararam



Suga – Doutor? Onde é? Eu vou levar ela!



Senhor Kim – Venham comigo!!



Nam – Fica bem meu amor eu vou ficar aqui com o Yoongi okay?... – me beijou ao levantar e assenti, óbvio que não ia o tirar do lado de Yoongi sabendo que ele sempre foi seu alicerce sobre tudo que aconteceu graças ao Júnior, e que já que não estaria aqui Namjoon era a pessoa mais indicada a lhe dar apoio.



S/N – Jack... Vem? – sorriu e assentiu



Fomos nós 5 atrás do pai do Jin e os outros ficaram lá a espera de Yoongi e dele. Chegamos na tal sala depois da autorização do juiz e entramos... Sentei abraçando Yoongi e fechando os olhos pois ainda tremia e seu calor e cheiro me tranquiliza



Suga – Eu vou dar o meu melhor como você, e ele vai pagar por tudo tá?!



Jack – Ele precisa mais que nunca de um sanatório! O que vão fazer com ele agora pra seguir o julgamento? Camisa de forças? Remédio?



Senhor Kim – Devem dar outra dose moderada do remédio... Ele precisa estar lúcido pra testemunhar... Mas caso não esteja e invalidem seu depoimento por causa disso o advogado tá com legalidade pra falar por ele já que não tem mais ninguém – eu podia o odiar mas só sentia mais e mais pena



Suga – Sozinho... ele tá sozinho! – surpirou triste e o olhei – você nunca vai estar sabia? – me beijou sorrindo e eu consegui sorrir fraco



Policial – licença... Vão retomar a seção!



Senhor Kim – Certo! Vamos Yoongi? – a gente se olhava fixo e ele assentiu sem tirar os olhos de mim e depois me beijou lento



Suga – te amo muito!



S/N – Eu também... Te amo! – me deu um selinho e se levantou, olhou minha mãe toda preocupadinha e beijou sua testa.



Suga - Já já volto - saiu e eu fiquei triste 



Fer – Vai ficar tudo bem tá?! – me agarrei a mamãe sorrindo pra Nanda e Jack sentou do meu outro lado segurando firme minha mão.




~°~•~°~




O tempo ia passando devagar... Queria poder apoiar meu marido, assim como ele me apoiou, me sentia mais mal ainda por isso... Ficava paranóica pensando sobre o que estava acontecendo lá dentro.



Ele deve estar relatando sobre seu tio ou sobre como foi me achar nua na frente desse canalha... Eu não sei... Mas deve estar sendo tão difícil!



S/N – Eu quero entrar! – me olharam assustados por dizer isso depois de uma hora e alguns minutos ali – Mãe quero entrar – ela se assustou também



Jack – mas o Junior... Ele tá lá



S/N – Mas Yoongi também... Eu amo ele... Eu preciso estar lá por ele... – comecei chorar 



Fer – Você tá mal amor



S/N – Vou ficar mais se ficar longe dele Nanda... Eu amo ele tanto, precisa de mim – sorri mesmo chorando – por favor... - Jack bufou e riu



Jack – Um minuto... Vou ver com o policial coisa chata e apaixonada - sorri e ele saiu




Yoongi Povs




Meu coração doeu tanto ao ver ela chorar com medo de novo, depois que Júnior surtou! Proteger ela é minha predestinação, eu amo S/N tanto.



Mas era triste estar na minha posição agora, eu revivia tudo que passei mas mãos dos Parks, a cada pergunta do Appa do Jin quanto as do advogado de defesa.. era horrível! O júri todo atento a mim, Júnior nem piscava me ouvindo, vez ou outra via aquele olhar dele de ódio sob mim, não sei, ele deve estar em uma guerra mental agora... tenho pena.



Mas a parte mais difícil era não a ter ali, e a ter frágil e sem mim em outro lugar! Não vejo a hora disso acabar...



Suga – Minha única reação foi espancar ele.. – dizia dolorosamente depois de relatar cronologicamente tudo que passei desde os incidentes com meu tio até os dias atuais – Eu não sabia se ele tocou nela ou não, mas todas as duas alternativas me deixaram possesso de ódio... Me odeio porque deveria a proteger primeiro a vestindo já que estava nua, mas ele.... – o olhei com os olhos alagados – ...eu queria o matar, a possibilidade dele a tocar me deixou louco.



Advogado de defesa – Mas porque então logo que tudo foi comprovado, que ele tentou abusar dela, você tentou impedir sua morte das mãos de seu amigo Jeon? Quis o matar antes mas depois não? Qual o motivo?



Suga – No momento que quis o matar eu estava tomando de ódio e de adrenalina, eu não tinha pensado sobre as doenças que ele passa, eu estava antes como o Jungkook estava no hospital, possesso, emoção superou a razão, e eu falo por ele aqui com toda convicção que Jungkook hoje é ciente que Júnior não está bem mentalmente



Advogado de defesa – mas e sua esposa?



Senhor Kim – protesto, essa pergunta não faz menor sentido, já ouvimos ela



Juiz – negado! Prossiga...



Suga – Tudo bem... – falei olhando meu advogado pra ele relaxar – Minha esposa mesmo totalmente destruída psicologicamente graças a ele.... Ela também não deseja a morte, porque desejari? viram nas imagens que passaram a pouco, quem conseguiu parar Jungkook foi ela, ela não deseja a morte dele! Ela não o odeia! – Olhei meus amigos atentos e Namjoon sorria de canto pra mim – Ela é incrível... Ela me ajudou a passar por tudo isso, conseguiu o perdoar mesmo sofrendo em suas mãos! Minha esposa só está tendo que superar os medos que ele a deixou!



Senhor Kim – Mesmo havendo perdão fica claro que ele foi culpado de boa parte do que aconteceu, as que não foram sua culpa foram de seu Appa!



Advogado de defesa – Heajin que é o real culpado, não meu cliente... meu cliente desenvolveu esse comportamentos graças ao que viveu com o Appa adotivo



Senhor Kim – mesmo assim isso não tira a culpa dele... Foram mortes, abusos... – olhava os dois debatendo angustiado, louco pra isso acabar e eis que vejo a porta frontal abrir lentamente e sorri automaticamente tomado por um conforto incrível - Meu cliente Min Yoongi perdeu tudo... – Minha esposa retornou, era ela adentrando, não queria que voltasse mas a ver ali me fez me sentir tão bem – ele perdeu o tio, casa, bar, moto... Tudo, perdeu tudo...



Suga – Não! – me olharam confusos e eu olhava pra ela – não perdi tudo! – ela corou e sorriu fraquinha se sentando lá no fundo com a mãe, Fernanda e Jackson



Advogado de defesa – Vê? Ele mesmo alega isso... Meu cliente não... – o cortei



Suga – Não é isso... Ele é culpado sim! Quando digo que não perdi tudo pra ele... Digo sobre... Meus amigos... - os olhei e ri com Taehyung me mandando um beijo e Byanka o beliscando – Minha Omma... – ela sorria com eles – E... – olhei S/N tímida como a conheci, minha santinha linda ali sentadinha me apoiando – Ele tentou, mas ninguém... NINGUÉM tira S/N de mim... Ela me deu tudo, eu só estou aqui hoje por causa de seu amor! Então ele não tirou tudo de mim – falei um “te amo” sem fala a fazendo sorrir mas eis que Júnior ri rapidamente desdenhando e o olho confuso



Juiz – Controle seu cliente! – disse a advogado dele



Junior – Yoongi? – O olhei – Você me perdoou? – nada disse, ele havia me ouvido



Juiz – Calado, não foi autorizado a falar! – riu de novo e me olhava fixo



Suga – Você precisa de tratamento Jinyoung... Claro que te perdoo!



Junior – Eu não... Eu não te perdoo... - senti algo ruim é um arrepio - Eu te odeio Min Yoongi... EU TE ODEIO.


Notas Finais


Ia aí, vão dar views em https://m.youtube.com/watch?v=fIkZOLsnoqY
🎥 BTS (방탄소년단) LOVE YOURSELF 結 Answer 'Epiphany' - YouTube


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...