História Complex - Capítulo 48


Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Álcool, Amor, Armys, Bangtan Boys, Brigas, Bts, Comedia, Confusões, Drama, Drogas, Homicidio, Hoseok, Jhope, Jimin, Jin, Jungkook, Monstax, Morte, Namjoon, Romance, Shows, Suga, Taehyung, Tour, Tragedia, Yoongi
Visualizações 31
Palavras 2.556
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 48 - Naomi Yoshida


Fanfic / Fanfiction Complex - Capítulo 48 - Naomi Yoshida

Taehyung estava se segurando para não dormir ao meu lado durante os primeiros minutos de filme, mas depois de trinta minutos, ele cochilou com a cabeça apoiada na mão. Eu pausei o filme só para encarar seu rosto angelical por alguns minutos até ter a certeza que aquela visão precisava ser eternizada. Peguei meu celular e, com todo cuidado do mundo, o deixei no silencioso, mirei Taehyung e apertei para tirar sua foto. Me peguei sorrindo, controlando cada parte do meu ser para impedir de soltar um gritinho falando "kawaii" ou apertar suas bochechas. Estiquei minha mão para tocar sua face, mas no fim, apenas recolhi e segurei meu celular com as duas mãos. 

 

“Por que estou hesitando novamente?”, me perguntei, abrindo a galeria do celular, com uma repentina vergonha de olhar para Taehyung de novo. Lá, a primeira foto era dele, assim como a segunda, a terceira... E assim, quando fiz uma rápida contagem, as trinta e duas fotos eram dele. A maioria das fotos foram que tirei escondida, quando ele estava distraído comendo, vendo algo ou simplesmente perdido em seus próprios pensamentos, o que de fato, tem acontecido com muita frequência. Uma frequência incômoda. Sem perceber, eu apenas passei o dedo para cima por vezes, vendo algumas fotos de relance aqui ou ali, mas sem me ligar completamente aos detalhes até não ter mais o que passar, haviam apenas as seis primeiras coisas que tirei com a câmera do celular quando o comprei. A primeira era uma foto minha no espelho para testar a câmera, a segunda era um vídeo, o qual eu realmente não conseguia me lembrar. Ajustei o volume novamente e apertei play, com uma espécie de sensação enérgica que conhecia muito bem o que aquele vídeo era, embora que eu não lembrasse.

 

— Candy, Candy, Caaandy! — A câmera estava gravando o azulejo branco da nossa antiga casa, dava para ver minha pantufa e a pantufa cor de rosa peluda que eu dei de presente para ela, havia "Fancy" escrito. — Olha pra câmera! — Eu pedi e a câmera focou nos olhos perfeitamente maquiados com um dourado rosé e delineador.

— Olhando! — ela arqueou as sobrancelhas.

— O que eu sou para você?

— Minha pequena dongsaeng kawaii — respondeu e o zoom diminuiu, permitindo que o rosto da Cadence pudesse ser visto por inteiro. Ela estava sorrindo, seus olhos brilhantes e alegres me transmitiram conforto no mesmo instante.

— Seja sincera, o que você quer? — Dessa vez a voz é da Kanya. A câmera mira na outra que está na mesa, apontando uma batata frita e olhando diretamente para a câmera. — Quer subornar a Cadence pra quê dessa vez?

— Kanya, qual é a melhor coisa em mim? — eu perguntei, completamente desinteressada nas palavras anteriores dela.

— Acho que você tem que me dizer o que você quer primeiro pra que eu saiba se devo responder ou não — sorri.

— Pode falar, Nao. O que você deseja? — Cadence me perguntou. Ela estava espiando algo ao seu lado, quando a câmera se afastou, deu para ver a Marjorie, completamente alheia ao falatório enquanto desenhava algo. Tive que virar o celular de cabeça para baixo para ver que que ela estava pintando todas nós no estilo chibi. Consegui ver, inclusive, um gato em cima da minha cabeça, um passarinho na cabeça da Mj, um cachorrinho na cabeça da Candy e um gato preto no da Kanya. Quero dizer, o desenho não estava completo, mas acho que era isso.

— Parem de me olhar. — Marjorie ameaçou e suspirou teatralmente, mexendo no cabelo e fazendo uma pose sexy para a câmera. — Eu sei da minha beleza, não precisa forçar a barra, gente.

— Cala boca, Mj! — Nós três gritamos e rimos em seguida. A câmera desfocou e, novamente gravou minhas pantufas.

— Calem a boca, estou com dor de cabeça. — foi a última coisa que ouvi antes do vídeo acabar. Era Oh Ha Na.

 

Me senti desconfortável no mesmo momento, lembrando de tudo o que ela esteve falando recentemente, suas atitudes estranhas e palavras rudes… Seus conselhos para conseguir meus objetivos. 

 

— Realmente se importa comigo? — Me perguntei, olhando para o teto. — Ou tem mais alguma coisa?

 

Balancei a perna e mordi a unha do dedo mindinho, até sentir minha mão sendo afastada.

 

— Naomi? — Aquela voz me causou um leve arrepio. Olhei para a mão de Taehyung segurando a minha. — Você está bem?

 

Assenti, sentindo o meu batimento cardíaco alterado. Apertei a mão gelada dele, repetindo para mim que estar com ele era o que importava, e deixando e lado meus pensamentos sobre a Ha Na.

 

— Desculpe ter dormido... — sussurrou. — Mas acho que Ladybug não é o tipo de animação que me atrai.

— Tae, — me virei para ele. — quer jantar comigo hoje?

— Aquela sua staff disse que não poderíamos sair hoje. — ele ainda estava sonolento. 

— Ela não é minha staff, é a da Marjorie. O nome dela é Juliana. — Sorri, brincando com os dedos dele.

— Mas não quero comer nada além de refrigerante, hambúrguer e batata frita. — ele continuou como se eu não tivesse falado nada.

 

Ao ouvir aquilo, a primeira coisa que veio na minha mente foi o nome da Cadence, ecoando aos quatro cantos em uma melodia dolorosa. Aquele é o tipo de lanche tipicamente americano que ela não dispensa por nada. Virei o rosto para a televisão e encarei o "pause" na tela.

 

— Ou… Ou podemos comer o que você quiser — ele rapidamente mudou o tom para algo mais animado e apressado. Vi no reflexo da televisão que ele estava desconfortável, mas só entendi o motivo quando eu me olhei, estava séria e parecia brava também. Quem eu poderia culpar? Sou quase transparente em demonstrar o que sinto.

— Não, um lanche é uma boa. Vou pedir. — Me levantei e foi então que percebi que ainda estávamos de mãos dadas e que ele não as soltou.

— Eu me importo com você sim, se isso é tão importante para você. Eu me importo, Naomi.

 

É claro que sim, Taehyung, mas não da forma que eu quero. Ainda.

 

— Eu vou tentar assistir esse… essa… Essa Lady que você gosta. Não fique chateada.

— Taehyung. Eu não estou chateada com você, eu apenas… Estou pensando em outra coisa. — Me virei para ele e sorri, ele pareceu aliviado no mesmo instante. — Agora eu vou pedir algo e, de quebra, tentar pegar os controles do Jungkook, o que acha? Você ainda não está no ranking dos cem melhores. — Pisquei e, lentamente ele foi soltando a minha mão, assentindo. — Ainda.

— Não. Não tente pedir nada pro Jungkook. Vamos assistir filmes.

— Por que não posso pedir nada pra ele?

— Porque não. Eu não quero.

— Isso não é resposta. — revirei os olhos e tentei sair do quarto.

— Naomi, por favor. Não.

— Tudo bem. Eu pergunto pra ele. — Caminhei até a porta, chutando alguns travesseiros pelo caminho.

— ELE QUER ROUBAR A CADENCE DE MIM! — Seu grito não só me assustou como fez uma onda elétrica ruim passar por todo o meu corpo.

— ELE NÃO PODE ROUBAR ALGO QUE NÃO É SEU! — revirei, apontando para ele. — Não mais. Por que se preocupa tanto com ela e insiste nisso? Eu estou aqui, Taehyung. Eu. Mas parece que você quer ver tudo o que você tem ir embora.

 

Assim que fechei a porta do quarto, me dei conta do que havia dito, e rapidamente senti o arrependimento pesando nos meus ombros como sacos de batatas. Por mais certa que eu estivesse, aquelas palavras raivosas não são o meu normal. No misto de pensamentos entre Cadence e Taehyung, surgiu Jungkook, esse que escutou minha conversa com a Ha Na e possivelmente estava se corroendo de curiosidade ou simplesmente fingindo não se importar, de qualquer forma, aquele não era um assunto dele. Quanto mais longe ele se manter disso, melhor será, porque não direi nada disso para a Ha Na. Finalmente eu descobri o limite da minha paciência que um dia julguei ser infinita, e esse limite estava quase sendo ultrapassado, assim como a paciência, que na realidade já não existia. A Naomi do passado iria se assustar ou sentir orgulho?

 

Quando vi, estava batendo no quarto da Cadence, e sendo pega de surpresa com quem abriu a porta apenas de roupão e com o cabelo pingando. Pude ver Cadence no fundo, tentando ver por cima do ombro do Jin.

 

— Nao?

 

Encarei Jin e me certifiquei de que não era a única surpresa ali, talvez também não sou a única pálida ou em estado de choque. Jin? Por que? Cadence tem o Jungkook, mas por que justamente o Jin? Não era ele que dizia gostar de mim? Patético. Eu podia sentir um amargor na garganta. Enquanto o Taehyung tentava evitar Jungkook, Jin estava ali. De roupão. Molhado. E Cadence com ele. Que tipo de complô o céu estava planejando? 

 

— Na… Não é isso que…

— Desculpe, eu não queria atrapalhar. — Me curvei levemente e corri para o meu quarto. Fechei a porta com força, mas não cheguei ouvir barulho nenhum, porque Jin havia segurado.

— Aquilo que você viu não é nada do que você está pensando, ok? — Percebi o desespero quando ele me pegou pelos ombros e aproximou o rosto do meu. — Você precisa também se afastar do Taehyung.

— Me solta, Jin. — Pedi, tentado tirar as mãos dele de mim.

— Não, Naomi, eu não vou soltar. Você sabe que meus sentimentos são verdadeiros, aquilo…

— Solta ela, hyung. Agora.

 

Eu nunca pensei que ouvir a voz do Taehyung naquele momento fosse tão bom. A aproximação do Jin, o cheiro, a voz, as mãos, o meu nervosismo por tudo isso estava me deixando sem saber o que pensar. 

 

— Por favor, hyung. — insistiu. Jin me encarava, enquanto pouco a pouco soltava os meus ombros e deslizou as mãos pelos meus braços.

— Eu não acho que você esteja verdadeiramente assustada… — sussurrou e se afastou, virando-se de costas para mim e ficando de frente para o Tae. Busquei ar e tentei controlar as minhas pernas bambas. 

 

Ah, por favor, por favor, por favor, isso não é hora de um ataque anêmico, desmaios, ou seja lá o que essa fraqueza e tremores seja.

 

— Não se preocupe, Taehyung. — Jin riu fraco. — Eu só lembrei de um assunto importante enquanto tomava banho no quarto da Cadence e vim tratar de conversar sobre ele com a Naomi. Mas ela está livre agora, então pode conversar com ela, irei retornar para a Cadence.

 

Vi Jin sair do quarto esbarrando propositalmente no ombro do Tae, que tinha o semblante de sofrimento e raiva estampado por alguns minutos até me encarar e vir me segurar. Diferente do Jin, as mãos do Taehyung foram delicadas ao me tocar e guiar para a cama.

 

— Pelo visto a Cadence virou um produto desejado na prateleira — Comentei, fitando as feições dele, a fim de tentar ler o que se passava em sua mente. — Não que nunca tenha deixado de ser.

— É. — afirmou com desgosto. — Ele não é de agir assim, Nao. Dessa forma bruta. Tenho certeza que…

— Ele me assustou, Tae. Eu não quero que ele se aproxime assim de novo.

— Eu vou ficar sempre por perto. Isso não vai acontecer de novo, eu prometo. Irei conversar com ele. Não vou deixar tirarem você de mim.

— É melhor apenas me proteger. — me apressei em dizer, caso contrário Jin poderia usar a aproximação deles para me fazer ter outros momentos desconfortáveis assim. — Tente se manter longe de brigas com o Jungkook e Jin. Não vale a pena, T.

 

"Por favor, considere as minhas palavras", repeti várias vezes enquanto o via olhar ao redor.

 

— Não vale a pena — ele repetiu para si, assentindo.

— Isso. 

 

 

────────⊹⊱✫⊰⊹────────

 

Taehyung, após o acontecimento com o Jin, havia começado a me dar atenção, quero dizer, a passar mais tempo comigo. Ele até aceitou as sugestões da Juliana para tirarmos mais fotos juntos e postarmos nas redes sociais vez ou outra, além de convenientemente me ajudar a fazer um bom jantar para comer com o Taehyung na área isolada do restaurante do hotel que estávamos. Não é que ela seja a "fada madrinha", ela de início não queria se envolver, mas acabou me ajudando por insistência minha, já que o Hitachi tinha assuntos mais importantes para tratar, como por exemplo, controlar os surtos inesperados do Archie ou ajudar os mil papéis e arquivos no computador que o Chai estava tendo que trabalhar nos últimos dias, sobrando apenas para a Juliana nos ajudar na vida privada, porque os staffs do BTS só trabalham mesmo nos shows e fansings, o que a deixava louca e a ponto de ter uma crise de choro. Tínhamos que ajudar uns aos outros ou devo dizer apenas eu e Taehyung nos ajudar mesmo? Cadence estava indo "muito bem, obrigada" com o Jungkook, Jin e Jimin, enquanto Kanya estava com Yoongi; e Marjorie com Hoseok, sobrando apenas Namjoon, porque esse havia mesmo se dedicado a fazer tudo o que queria sozinho para evitar a constante vela que ele havia se tornado com Marjorie e Hoseok, que pareciam mais irmãos siameses com um quê suspeito de mais para duas pessoas que se dizem "amigos".

 

Apesar de ainda querer levar Taehyung para todos os lugares que eu fosse, tive que me separar dele para as meninas e eu, sermos as garotas propaganda de uma marca de batons. Uma tarde inteira de trocas de batons e poses, eu já não estava aguentando mais aquilo, estava prestes a resmungar quando finalmente teve fim.

 

— Finalmente — Suspirei, colocando a cesta que ganhei de presente perto dos meus pés. Cadence fez o mesmo e colocou os fones em seguida. Kanya cochilava com a cabeça encostada no vidro com a touca "Swag" que roubou descaradamente do Yoongi e Marjorie estava digitando no celular, eu não duvidaria se me dissessem que ela está conversando com o Hoseok.

— Então meninas, como foi? — Hitachi perguntou, sem tirar os olhos do trânsito.

— Horrível. Passei tanto batom que sinto meus lábios dormentes. — Kanya resmungou. Acordada? E eu pensando que estava dormindo.

— Eu gostei de todos! As cores são muito bonitas. — Cadence disse, tirando um lado do fone.

— Naomi?

— Sim, Tachi? — Ele me olhou pelo retrovisor por uns momentos e arqueou as sobrancelhas, indicando sobre o assunto. Eu ri. — Prefiro os batons menos escuros. Não me agradou o roxo.

— O azul estava lindo, aliás. — Marjorie murmurou, guardando o celular.

— Que bom. — Tachi disse e o assunto morreu ali, até chegarmos não hotel e cada um ir para o seu quarto. Minha maior surpresa foi encontrar Taehyung dormindo no sofá com a animação da Ladybug passando na televisão. Me aproximei dele e toquei em seu cabelo.

 

— Você chegou finalmente. — resmungou.

— É claro, oras. Amanhã temos show e precisamos dormir bem, não? — Brinquei com o cabelo dele.

— O clima está ruim entre nós. Eu tenho que conversar com eles.

— Não, não tem. Só vai deixar tudo desconfortável… Para você…

 

"E para mim".

 

— E as pessoas ao redor vão se sentir afetadas também. Apenas os ignore, T. Você tem a mim.

 

Justo quando eu reuni toda a minha coragem ao dizer aquilo e acreditei que ele fosse contestar, ele apenas assentiu, cansado demais para falar mais algo e tocou no meu rosto suavemente, sendo delicado ao fazer um carinho com o polegar. Toquei sua mão para que ele não a tirasse dali e fechei os olhos, apreciando aquele momento que eu não conseguia saber o porquê de estar acontecendo, só sabia que lá no fundo eu desejei que aquilo não acabasse.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...