História Complexo - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Katsuki Bakugou, Midoriya Izuku (Deku), Shouto Todoroki
Tags Bakudeku, Todobakudeku, Tododeku
Visualizações 210
Palavras 1.072
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Como estão? Sentiram minha falta? Bem, acho necessário justificar minha ausência pra vocês, estava desestimulada com umas coisas que aconteceram comigo, e me autosabotando como sempre, sou uma pessoa muito pessimista e isso acaba me atrapalhando demais aí fiquei sem cabeça pra escrever, não queria escrever qualquer coisa e pronto, sempre dedico bastante tempo pra fazer os capítulos, mesmo que eles não saiam tão bons quanto eu gostaria.

Capítulo 5 - Belos peitos, Uraraka


Ser aprovado para o curso de bacharelado em Física o deixou feliz e animado como nunca: Antes mesmo de estudar de fato física no colégio, sempre frequentava fóruns que abordavam certos tópicos dessa ciência... E quando o LHC detectou o bóson de Higgs? Puta que pariu, ligou para sua mãe gritando, correria para o quarto dela se nessa época ela não estivesse passando por algumas crises no hospital psiquiátrico, sempre acompanhada pelo seu velho. Talvez a timidez natural de Shoto houvesse evoluído para a falta de expressão e frieza atuais graças ao longo tempo que passava sozinho, mas agora não é hora para esse ponto. O foco do momento vai para a cara de felicidade e satisfação que lhe ocorreu quando soube que moraria com seu tio Izuku para ficar perto da faculdade, um grande sorriso havia se formado em seu rosto —o que na verdade era expressão demais para o garoto— e se você pudesse vê-lo com certeza teria uma síncope porque os dentes grandes, perfeitamente alinhados graças ao recém retirado aparelho odontológico, brilhavam no maxilar quadrado bem definido e sem nenhum resquício da tão sonhada barba já que ela era ainda toda falhada e ele odiava isso. 

Seu corpo parecia pequeno demais para conter toda a felicidade que lhe invadira, as malas estavam a seu lado e havia acabado de tocar a campainha do apartamento de Izuku, um sorriso simples adornava seu rosto. Em nenhum momento, desde que soube que moraria ali, pensou que mais alguém viveria com eles, a todo tempo imaginava sua vida com o tio: eles indo ao supermercado juntos, cozinhando juntos, limpando a casa junto, sempre com sorrisos largos no rosto, Izuku se desequilibra e ele o segura enquanto trocam olhares apaixonados, nesse momento rosas surgem no cenário de fundo e ele se declara para o tio, seus sentimentos são correspondidos aí eles finalmente têm a sua primeira vez. Adorava ficar sonhando acordado com esse tipo de coisa, um sorriso mínimo se formava em seu rosto quando isso acontecia. Quão grande, e desagradável, foi a sua surpresa quando a porta foi aberta e ali do lado do SEU Izuku estava um Katsuki com um sorriso de vitória no rosto, destruindo o seu humor e seus sonhos como sempre. O que aquele demônio estava fazendo ali? Desde que surgiu na sua vida que tenta atrapalhar seu relacionamento com sua pessoa especial. Que diabos estava acontecendo ali?
—E aí, Sho~to!— O loiro falou no tom mais debochado que ouvira em toda a vida, sem deixar o sorriso vitorioso morrer. A cara de indignação do bicolor talvez havia sido o que levou Izuku a se pronunciar ainda meio sem jeito.
—Bom, todos concordaram que você se sentiria mais à vontade com alguém da sua idade por perto e, bem, Katsuki insistiu em vim morar aqui também... Então, é isso, seja bem vindo!— não. não. NÃO. NÃOOOO. Quem são esses "todos"??? Estava MUITO bem e feliz morando SOZINHO com Izuku.

O maldito meio-a-meio vai morar sozinho com o nerd de merda? Claro que não podia deixar esse absurdo acontecer! Ah mas é por causa da faculdade... Foda-se a faculdade! Explodiria ela se fosse preciso! E foi assim que o não-ligo-pra-nada Katsuki passou a infernizar a vida de toda a família até deixarem que ele também fosse morar na casa do tio. 

O que Izuku não sabia era que sua vida se tornaria o próprio inferno enquanto aqueles dois demônios se dedicassem, em tempo integral, à tentar o pobre tio, de todas as formas possíveis... O que seus colegas de trabalho diriam se soubessem que Izuku, agora com idade para estar casado e com filhos à caminho, dorme todas as noites com dois garotos mais de dez anos mais novos em sua cama —vez ou outra se insinuando e forçando algum contato mais íntimo— ? No mínimo o acusariam de assédio sexual, pois bem, nosso querido "pervertido" estava no meio dos dois sobrinhos quando acordou com uma puta sede mas, vendo que não conseguiria se livrar daqueles braços e pernas que o prendiam ali, resolveu voltar a dormir.
Estava sentindo, há algum tempo, algo molhado deslizar pelo seu pau, agora já perfeitamente duro. Riu internamente, parecia aquela vez quando ele e Uraraka tinham uma amizade colorida e ela lhe acordou com um boquete, fazia uma ótima espanhola também, tudo isso antes de começar a namorar com o Tenya, eles se casaram e tiveram recentemente uma filha. Nota mental: fazer uma visita a eles ainda este mês. Mas espera aí, algo ainda não estava certo... BOQUETE?? Que porra estava acontecendo ali? Abriu, ainda relutante, os olhos para se deparar com a visão mais realística que poderia ter do inferno: os dois pirralhos estavam lhe chupando, ao mesmo tempo. Será que era mais um daqueles sonhos? Aqueles que tinha desde o começo da adolescência com as duas pestes que pareciam agora brigar por espaço na sua intimidade, as línguas até se tocavam como nunca achou que eles fossem deixar acontecer.
—O que voc— A voz soou rouca tanto pelo recém despertar quanto pela sensação gostosa que os dois lhe faziam ali embaixo, além daquela visão que por si só o faria gozar em pouco tempo, até Shoto cortar sua linha de raciocínio e transformar o restante da pergunta num gemido arrastado quando fez pressão, com a língua, em seu períneo. Caralho, aquele era o ponto fraco. 
E como se não bastasse o provocarem daquela forma, quando viram que tinham sua atenção, se entreolharam e dirigiram suas línguas até a glande. Shoto num movimento só, arrastando a língua do saco até lá, e, Katsuki dando curtos chupões que terminavam em estalos altos por toda a extensão até que o par de línguas que a todo momento se tocavam em cima da cabeça rosada inchada, se encontraram no ar, logo acima do pau coberto pelas salivas misturadas. As línguas de Katsuki e Shoto ainda se esfregaram por um tempo fora de suas bocas até Katsuki se aproximar mais e encostar suas bocas. Meio segundo depois, Izuku os sujou com um jorro de gozo, grosso e quente, não gozava desse jeito há meses.

—Eu vou ligar pra polícia.— Disse um Izuku ainda ofegante, se levantando para ir até o telefone fixo da sala, logo depois de ouvir o sobrinho mais novo resmungando algo como "não acredito que beijei o idiota do Shoto". Entretanto, seus sobrinhos não iam deixar que ele escapasse daquele quarto assim tão fácil.


Notas Finais


Espero que tenham gostado :3
Gostaria de avisar que já estamos no fim dessa jornada, talvez o próximo capítulo seja o último. Mas estou com idéias em mente pra outras fanfics, aguardem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...