História Complicada e perfeitinha - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Diego Alves, Diego Ribas da Cunha, Lucas Paquetá
Personagens Lucas Paquetá
Tags Esporte, Flamengo, Futebol!, Lucas Paquetá, Sexo
Visualizações 85
Palavras 699
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Esporte, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente !!
Para quem queria saber, eu sai hoje do hospital, amém alta !!
Espero que gostem do capítulo !!
Boa leitura !!

Capítulo 18 - Desempregada


Fanfic / Fanfiction Complicada e perfeitinha - Capítulo 18 - Desempregada

Mariana

Estava na faculdade, olhando para a professora de Geografia da mobilidade, mas estava desatenta, ainda sentia uma dor de cabeça leve por conta da cervejinha de ontem. Já estou no 8° período e eu preciso de um estágio o quanto antes, aliás, sem estágio eu não me formo. 

Sai da aula e fui em direção a uma escola deixar meu currículo, depois em outra, e em outra. 

Preciso de um emprego, preciso voltar a pagar o meu aluguel, não posso morar na casa do Lucas muito tempo, ainda mais que ele deixou claro que não vai ter nada sério comigo, preciso me estabilizar de novo.

Voltando para casa, parei em um bar para tomar uma cerveja que desceu tão amarga quanto a minha vida de universitária, rejeitada e desempregada. Bebi um pouco, mais duas latinhas especificamente, até a cerveja tinha perdido a graça. Peguei meu ônibus e fui para minha casa, mesmo que seja só até virar o mês e eu não ter o dinheiro para pagar o aluguel. 

Parei para reparar melhor no meu cantinho, ainda estava todo bagunçado e sujo desde o dia da minha overdose, aproveitei para por um funk bem alto e fazer uma faxina completa para vê se dou um ânimo no astral.

Funcionou bem, depois dela toda arrumadinha,senti aquele orgulho do trabalho concluído,tomei um banho, demorado, quente e enfim deitei. Pela primeira vez em anos sem "ajuda" de maconha ou algum medicamento, eu simplesmente dormi.

Lucas Paquetá

Mariana não veio aqui para casa e agora não consigo dormir sem ela. Fiquei de olhos fechados, lembrando das nossas transas, do seu cheiro, e dela falando que me amava, sorri sozinho e nem percebi que minha mãe me observava da porta entre aberta.

-Essa casa fica tão silenciosa sem ela né ?-Ela falou vindo se sentar 

-Nem fala-Falei melancolico 

-Mariana não e Maria Eduarda, não deixa o trauma de um relacionamento antigo afetar a sua relação com a Mari-Ela falou mexendo no meu cabelo

Fiquei pensativo em relação a isso depois que ela foi embora, minha mãe estava certa, não posso me fechar pra tudo.

De manhã...

Acordei, já eram umas 9horas, olhei o meu celular e não tinha a mensagem habitual do bom dia pela manhã, senti falta disso, então eu mesmo mandei o bom dia e fui para o treino.

Mariana

Estava no meio da aula quando escuto o meu celular tocar , saio da sala e atendo, era uma diretora de umas das escolas que fui ontem querendo marcar uma entrevista comigo, hoje, logo após que eu saísse da faculdade.

Mandei instantâneamente mensagem para Tia Cristiane, mãe do Lucas, e voltei para sala.

Já na entrevista, eu estava tentando ser o mais sincera possível, e a minha chefe, Dana Luzia, parecia ter se interessado bastante por mim, isso e um bom sinal !

Então ela me ofereceu o estágio, na hora senti o meu coração ir parar na boca e voltar de tanta felicidade. O salário é bem pequeno e certamente não conseguiria me manter só com esse valor, mas pelo menos já não estou mais desempregada e com esse estágio eu vou poder trabalhar com o que eu estudo para fazer. Não via a hora de contar para Tia Cristiane, saí de lá e fui correndo para casa dela.

-Tia, eu consegui o estágioooooo- eu entrando gritando na casa dela 

-AAAAAAAAAAA!! Que benção meu amor -Ela falou me abraçando-Eu sabia que ia conseguir, estou tão orgulhosa de você - Ela falou com os olhos marejados -Você é meio doidinha, mas é como uma filha pra mim - ela faltou voltando a me envolver em seus braços

-Você é a mãe que eu nunca tive -Falei fechando os olhos e sentindo todo aquele amor

-Atrapalho ? -Lucas surgiu do nada na porta

-Filho, vamos comemorar- Tia Cris feliz -Mariana conseguiu um emprego -Ela foi correndo para geladeira pegar algo pra brindar 

-Você não achou interessante me falar Mariana? Ou melhor ,não achou interessante nem responder o meu bom dia pelo jeito-Ele falou meio ríspido

-Eu soube agora do emprego e sobre a mensagem eu nem reparei -Falei sendo sincera

-Você tá tão estranha comigo -Ele falou me analisando 

-Não estão não-Ele argumentou

-Desculpa, eu realmente não reparei-Falei tentando ser o mais gentil possível

-Você não gosta mais de mim? É Isso? -ele questionou



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...