1. Spirit Fanfics >
  2. Complicado - ObiKaka >
  3. Capítulo Único

História Complicado - ObiKaka - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Essa é a primeira vez que escrevo aqui, geralmente eu escrevo no Wattpad então... Espero que gostem.
Revisei algumas vezes mas se acharem erros, peço desculpas.
Boa leitura 📖

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Complicado - ObiKaka - Capítulo 1 - Capítulo Único


Talvez, Kakashi fosse masoquista. Bastante masoquista.

Repetia para si mesmo que não deveria estar ali, mas, no mesmo tempo que dizia para si que estava errado de todas as formas, errar era humano. Essa era a desculpa que usava pra continuar a fazer todas aquelas merdas.

Kakashi sabia das consequências mas amava insistir naquele erro. O que é ser fodido pra quem tá todo ferrado? Saiu do carro em passos lentos, travou o carro, e adentrou o elevador. O número que deveria teclar para chegar ao andar indicado veio a mente na mesma hora e, como um dejavu ele tocou o andar 8, as portas se fecharam deixando Kakashi encarando sua própria figura no espelho. 

Suspirou ao se ver no espelho, debaixo dos olhos olheiras profundas, seus lábios estavam um pouco ressecados, os cabelos estavam desgrenhados, os esmaltes da unha estavam saindo, a calça moletom preta e a camisa regata branca estavam levemente amassadas e, os cadarços do tênis estavam todos bagunçados. Talvez, esse fosse o resultado de se encolver com alguém tão complicado, estava só o bagaço. Kakashi se amaldiçoava por ter um dedo tão podre para homens, porque tinha sempre que se apaixonar pelos idiotas cafajestes que não queriam absolutamente nada com si? Seu coração era realmente estúpido. Mas, Kakashi era um masoquista, nunca ligou realmente em ser tratado como um lixo. Dependendo dos casos, adorava. Sabia que Obito não era o melhor homem para si, mas algo o fazia acreditar que aquele moreno de olhos pretos, que roubou-lhe o coração e a sanidade, no fundo era a pessoa certa. 

Com um leve apito o elevador abriu no andar 8, Kakashi saiu e andou uns segundos até ficar em frente a porta tão conhecida. Dejavu novamente. Então, começou a ter uma guerra interna, batia na porta? Tocava a campanhia? Ia embora e presava pela saúde mental? O grisalho levou a mão a maçaneta e girou. Estava aberta. Riu irritado, era claro que estava aberta, Obito sabia que ele viria. Kakashi as vezes tinha raiva dos convencimentos que Obito tinha de algumas coisas, era irritante a forma como ele o lia como um livro aberto.

Adentrou a casa e fechou a porta atras de si. Não tinha mais volta nem se quisesse. Agora que estava ali, era arcar com as consequências. Não que fosse segredo mas, Kakashi adorava aquelas consequências.

Retirou o tênis e deixou na entrada ficando descalço. Passou pela entrada e chegou ao Hall da casa avistando em seguida o moreno sentado de pernas abertas de calça moletom cinza mechendo no celular enquanto chupava um pirulito. A atenção que antes estava no celular foi para o grisalho que acaba de adentrar o cômodo. Obito retirou o pirulito da boca - movimento que fora bastante sensual para Kakashi - e falou sarcástico.

— Está atrasado dez minutos, baby! — E então, sorriu. Ah aquele sorriso ladino sexy. E novamente Kakashi teve um Dejavu.

Estava irritado, era seu primeiro dia de aula na faculdade e estava atrasado, na verdade estava MUITO atrasado. 

Não que odiasse se atrasar, se atrasava literalmente, pra tudo. Mas, como. Era seu primeiro sua de aula na faculdade tinha que passar pelo menos uma boa impressão. 

Olhou para os lados sem saber onde estava, maldita hora em que prefiriu se divertir ao ficar em casa planejando o primeiro dia. Aquele corredor onde estava, era extenso, tinha várias portas e armários mas nenhum placa. Kakashi sabia que a sala que tinha que ir era a 5B mas, não fazia ideia nem de onde estava. Os corredores estavam vazios pois possivelmente todos os alunos já estariam em sala. Andou alguns segundos enquanto olhava o papel que estava em sua mão. "que merda" pensou. 

Estava tão perdido em pensamentos que nem percebeu que tinha alguém andando pelo lado contrário do corredor. O garoto de cabelos e olhos negros andava apressado pois também estava atrasado, perdido em pensamentos escutava música com seus headphones nos ouvidos, assim como o outro nem percebera que tinha mais alguém no corredor. Só perceberam a presença um do outro quando os corpos se chocaram e ambos caíram de bunda no chão. Obito estava preparado para amaldiçoar a pessoa que esbarrou em si até a sétima geração, suspirou irritado pensando nas formas que bateria na pessoa por atrapalha-lo pois já estava atrasado, agora se atrasaria mais ainda, até abrir os olhos e mudar de ideia. Assim que abriu os olhos deu de cara com um garoto e puta merda. O grisalho só conseguia pensar que era um desastrado total, ao olhar para o garoto a sua frente - o que passou longos segundos admirando a beleza extrema -, ficou com um leve medo ao ver a carranca raivosa no rosto do rapaz e estava pronto para se defender se o mesmo quisesse comprar briga, até abrir os olhos e mudar a face agora sorrindo levemente. 

 O Hatake se levantou e ajudou o outro a se levantar nervoso e com medo de levar uma surra daquele moreno alto, muito bonito, cheio de tatuagens, cicatrizes e piercings. Obito sorriu ao ver o outro nervoso e Kakashi se pôs a se acalmar. 

— Está perdido? — Perguntou o moreno fazendo Kakashi ficar surpreso e envergonhado. Estava tão na cara assim que estava perdido? Retirou os headphones das orelhas. 

— AH... É... — Falou envergonhado enquanto segurava a mão do outro. Até que percebeu finalmente que SEGURAVA A MÃO DO OUTRO. Soltou imediatamente constrangido, o Uchiha riu internamente. — Você sabe onde fica a sala 5B? — Perguntou enfim. Obito pensou alguns segundos e respondeu. 

— Sim, vamos, é por aqui! — Pegou a mão do outro e guiou até o lado contrário que estava andando mesmo que estivesse atrasado aquele total estranho chamou sua atenção. Kakashi apenas acompanhou-o. Depois de uns minutos de silêncio finalmente chegaram no destino. 

— Obrigado. — Falou sem jeito. Obito estalou a língua na boca. 

— Por nada. Aliás, Obito Uchiha! — Falou enquanto sorria ladino, ah aquele sorriso, fez o coração de Kakashi palpitar de ansiedade tanto quanto de aviso que aquele cara era sinônimo de perigo. Obito era um cafajeste. Chegou a conclusão em instantes. Aprendera muito bem a distinguir cafajestes com poucas coisas e pode se dizer que cafajestes tem um sorriso exclusivo que faz qualquer coração palpitar . Kakashi soube naquele momento que aquele cara era problemático e estava já pensando nas situações problemáticas que adoraria se envolver junto a ele. Deveria correr do perigo mais, sorriu de volta. 

— Kakashi Hatake. 

Suspirou ao lembrar do primeiro encontro, poderia ser considerado algo clichê a forma como se conheceram e logo depois como começaram a se envolver. Obito olhava para o grisalho sugestivo. Kakashi sabia que não tinha volta então prosseguiu, Obito sentou-se direito no sofá com as pernas abertas, logo o outro sentou-se em seu colo pegando seu rosto com as mãos e juntando os lábios em um beijo feroz e selvagem.

Talvez, Kakashi possa ser considerado burro.

Vejamos, se você sabe que sua vida vai acabar aos poucos se se envolver com certa pessoa, o que você faria?

O certo a se fazer seria passar o mais longe possível dessa pessoa e evitar problemas futuros. Mas, Kakashi realmente não se importa se sair com o coração destroçado. Ele sabe que se se envolver com Obito só sairá ferido e simplesmente não se importa com isso, chegou a conclusão de que está no ápice da loucura e juventude.

Sabia que não deveria confiar em Obito de olhos fechados, mas mesmo assim confiava, não só seu coração como todo seu corpo.

Com os pulsos amarrados com cordas rente a lombar, pernas abertas com um separador de pernas, um pano negro cobria-lhe os olhos impedindo de ver qualquer coisa, o rosto e a barriga rente a cama. Estava nu, totalmente exposto para o perigo. A respiração estava descompassada e Kakashi tentava fazer o maior silêncio possível, enquanto, procurava vestígios de algum mínimo barulho de onde Obito poderia estar. Estava a espera de novos toques depois das amarras dos pulsos - que foram os últimos.

Sentiu algo leve passeando por sua nádega esquerda e logo sua nádega ardeu. Um chicote. Kakashi gemeu e foi um pouco para a frente pelo contato repentino. Passeou por alguns segundos acariciando a nádega que estava agora um pouco vermelha pela chicotada e, acima chicoteou novamente. Um gemido quase mudo saiu dos lábios. 

— Obito

O moreno mordeu os lábios sorrindo vendo que nem tinha começado e o outro já estava daquele jeito. Andou até a mesinha ao lado procurando os apetrechos que usaria. Sorriu e pegou o grampos para mamilos com vibros.

Kakashi estava ofegante e ansioso, sentiu Obito tocar em suas costas nuas e sentiu também quando ele se aproximou lentamente, sentiu o corpo por completo rente ao seu inclusive o pênis duro contra seu Cóccix. Kakashi começou a suspirar pesado esperando por algum movimento que mostrasse melhos o que o outro faria, estava bastante ansioso para o que o mesmo faria dessa vez. Obito passou as mãos pelas costas nuas logo descendo. Percebeu que não consegueria coloca os apetrechos pois o outro estava com o corpo totalmente escorado na cama.

— Levante um pouco seu corpo, baby! — Sussurou contra o ouvido do outro fazendo os pelos eriçarem. 

O grisalho teve que pensar um pouco até levantar o corpo de maneira desajeitada pois não usava os braços e as pernas junto a cintura para baixo estavam rente ao corpo do moreno, sentia seu membro rígido contra si e isso dificultava as coisas. Obito viu o grisalho se ajeitar devidamente e suspirou, levou ambos os grampos para cada mamilo e devagar - para não correr risco de errar e acabar machucando-o -, colocou botando em seguida o controle ao lado. Kakashi gemeu ao sentir os mamilos serem estimulados, seu pau duro começara a doer. Obito por fim ligou o vibrador em uma frequência baixa mas mesmo assim fez o outro dar um pulo pelo susto enquanto choramingava baixinho ao sentir os mamilos serem estimulados agora com uma vibração mais gostosa mesmo que lenta. 

Então, Obito afastou-se fazendo Kakashi suspirar tanto pela nova estimulação quanto pela falta do corpo quente atrás de si. Obito andou novamente até a mesinha que estava cheia de apetrechos em cima e observou um pouco pensando no que faria em seguida enquanto ouvia o outro gemer baixinho na cama atrás de si. Talvez, tivera sido muito bom colocando em uma frequência alta, se continuasse daquele jeito ele gozaria em minutos. Sorriu perverso pegando um anel peniano prata.

Faria o seu bebê sofrer um pouco. "Seu bebê" recapitulou o que pensou. Só poderia estar louco pensando nisso. "Por que agora?" Pensou. Por que diabos aquele cara tinha entrado em sua vida daquele jeito? O pior de tudo é que ele permitiu que ele entrasse. Se odiava por ter deixado. Agora estava apegado. Na verdade estava ficando na beira do abismo para perder a sanidade por causa daquele Hatake. Odiava o fato de ter começado com aquela brincadeira ridícula. Odiava o fato de começar a esperar o Hatake vir a sua casa na mesma hora. Odiava o fato de estar perdendo a sanidade tão rapidamente por causa de um garoto que simpatizou no primeiro dia de aula. Só queria fode-lo uma vez para saciar sua atração sexual que tinha desde a primeira vez que o viu. Era essa a missão. Uma única missão, que falhou. Talvez, seu erro tenha sido acreditar que depois de ficar com aquele cara de cabelos grisalhos e olhos pretos tudo acabaria, mal sabia que nem tudo que começou a sentir por ele rodava só em "atração sexual". Quando deu por si já estava perdidamente, atraído românticamente. E agora, não tinha mais volta. Se recusava a aceitar que estava atraído de forma romântica então, usava todas as suas habilidades sexualmente. Talvez, não estivesse satisfeito totalmente. Talvez, só iria se desprender daquele gato deitando em sua cama quando fizesse o melhor sexo da vida e, isso envolvia muitos fetiches que usaria hoje - tudo com consentimento, claro.

Um gemido alto soou dos lábios do grisalho ao sentir seu pênis ser estimulado finalmente, as mãos de Obito massageavam o local. Bem devagarzinho Obito massageava, Kakashi mordia os lábios mas os gemidos simplesmente saiam, baixinhos e explícitos. Então, o moreno finalmente colocou o anel peniano. Kakashi soltou um gemido alto de surpresa e arqueou as costas roçando as nádegas contra o membro do moreno que soltou um palavrão baixinho. Saiu da cama e andou novamente até a mesinha. Iria usar tudo dentro dos limites hoje. Pegou um plug anal lilás de formato arredondado de 15cm, lubrificante e o chicote de couro negro. Colocou os dois do lado da cama e puxou o Hatake. Desatou os pulsos segurando-os ainda, fez o Hatake virar ficando deitado de costas, amarrou novamente os pulsos acima da cabeça e ligando a cabeceira da cama, impossibilitando Kakashi de mexer os braços. As pernas continuavam abertas, Obito diminuiu a velocidade do vibrador dos grampos e melou o plug anal com bastante lubrificante para não deixá-lo desconfortável. Com uma mão rapidamente deu uma chicotada na nádega direita enquanto que com a outra enfiou o plug no ânus do grisalho. Ele gemeu alto fazendo Obito sorrir ladino ao ver a expressão.

A expressão preferida de Obito que Kakashi fazia - mesmo que talvez, nunca admitisse - , era quando ele era pego de surpresa, quando sua boca se abria lascivamente em um perfeito "O", o som de sua voz saia explícita e saliva escorria pelo canto de seus lábios. O fazia lembrar da melhor visão que tivera na vida, quando Kakashi chupou seu pau.

O grisalho chupava o pau de Obito rápido mais pra o mesmo o ritmo estava bastante lento, ele queria que Kakashi o satisfazesse e assim iria fazer. Até o momento deixara ele no comando. Levou as grandes mãos aos cabelos que estavam arrumados e fez um carinho que durou alguns segundos até forçar a cabeça do mesmo ate a base, o grisalho se assustou com a ação repentina, os lábios se abriram mais acomodando o pênis em sua boca, dos olhos negros saíram lágrimas e o moreno começou a foder sua boca. Saliva começou a sair pelas brechas dos lábios se juntando às lágrimas que desciam freneticamente, as bolas batiam no queixo do grisalho fortemente, as bochechas estavam maravilhamente vermelhas. A língua áspera fazia maravilhas, Obito o olhava de cima e apesar de falar mentalmente que o que o levou ao orgasmo fora a língua habilidosa, no fundo sabia que o que o levou ao orgasmo fora o jeito intenso que o outro o olhava de baixo que o olhava como se perguntasse  "estou fazendo certo?" mesmo fazendo algo errado, seus olhos ao mesmo tempo que mostravam inocência mostravam que estava gostando e continuaria a chupa-lo até conseguir dá-lo prazer total. Os olhos do moreno reviraram ao chegar ao ápice nos maravilhoso lábios avermelhados do grisalho. Céus. Poderia ver aquilo pelo resto da vida. 

Nunca se esqueceria daquela visão, simplesmente, inesquecível. Obito passeou com o chicote e estapeou a outra nádega fazendo o Grisalho gemer alto seu nome.

— OBITO!

A mente de Kakashi estava nublada, só conseguia pensar em como queria gozar, estava no céu, se sentia no céu. Todos os seus pontos eram estimulados, sentia que chegaria ao ápice a qualquer momento se não fosse aquele maldito anel peniano. Por deus. Só queria gozar e gemer igual um animal no cio. Além de que queria que aquela venda fosse retirada, como queria olhar para o rosto do moreno agora. Estaria ele com aquele sorriso cafajeste? Já estaria nu exibindo aquele peitoral sexy e toda a cicatriz que tinha pelo corpo inteiro? Kakashi gemia só de imaginar o corpo do moreno. Saliva escorria de seus lábios avermelhados - pelos dentes que antes começara a morder pra evitar gemer -, sua respiração cada vez mais ofegante. Queria tocar no seu pau, queria aumentar a vibração daquele grampo mamilar e meter algo maior no ânus. Aquelas amarras também não ajudavam em nada, com certeza seus pulsos estavam vermelhos de tanto tentar puxar - o que o deixava mais excitado -, assim como os tornozelos de tanto contorcer e tentar fechar as pernas. Foi tirado de pensamentos ao sentir uma chicotada na barriga, apenas, uns centímetros acima do pau. Obito sabia o que fazia. Estava levando Kakashi a loucura total. 

Obito estapeou com o chicote até deixar a pele de Kakashi vermelha, era uma cena bonita de se ver, aquela pele meio esbranquiçada toda avermelhada por causa de chicotadas e tapas. O pano negro que cobria os olhos já estavam molhados pelas lágrimas que saiam as vezes, sabia que Kakashi já estava no limite para chicotes.

— Por favor Obi... — Supicou em meio a gemidos. O pau de Obito latejava na peça íntima. Gostava quando ele ficava daquele jeito, sedento por si. Sedento pelo prazer. 

— Por favor o que, cadela? — Perguntou grosso segurando o maxilar de Kakashi com a mão deixando seus rostos quase colados, ambos sentindo a respiração um do outro. Obito olhava para onde sabia que os olhos de Kakashi estavam mesmo não vendo. Kakashi sabia que o Obito o olhava e por isso fez uma expressão de sedento. 

— Me deixe gozar... — Gemeu.

— Peça direito que eu pensarei no seu caso, sua vadia! — Os palavreados só deixavam Kakashi mais animado, ele gostava de ser chamado daquele jeito.

— Por favor Tobi! me deixe gozar! — Suplicou em meio a gemidos.

— Seus pedidos não estão me convencendo cadela. Acho que não está necessitada o suficiente, se quer mesmo que eu te foda com força e lhe deixe gozar, é melhor suplicar direito. Do jeitinho que eu te ensinei, sua vadia mimada! — As palavras saiam dos lábios do moreno de forma afiada, instigando cada vez mais Kakashi, ele gemeu só de ouvir aquela voz fria e insensível. Obito enfim, ficou nu e começou a massager o pênis que saia pre-gozo, suspirou baixinho ao finalmente se tocar enquanto esperava sua vadia dizer as palavras certas, sabia que iria falar, sempre falava. 

— Tobi! Por favor! Me foda! Me fode daquele jeito que você argh ah, daquele jeito com força, e me faz gozar e gemer igual sua vadia! — TALVEZ, aquelas palavras tenham sido o ponto fraco do moreno que sorriu ao ouvir "sua vadia", repetiu mentalmente "minha vadia" estava feliz de ouvir aquilo. Obito aproximou-se de Kakashi retirando o plug anal junto ao anel peniano, o grisalho gemeu alto pois estava se acostumando com ambos os aparelhos, queria ficar no meio e teve que retirar o separador de pernas. Kakashi ao sentir o membro do moreno tão perto de si, empurrou as nádegas que queriam mais contato. O moreno deu-lhe um tapa na cara regrado de força fazendo-o gemer.

— Fique quieta vadia gulosa. — Vociferou fingindo irritação, o menor apenas se aquietou mas no fundo queria receber outros tapas no rosto. O moreno levou os dedos a entrada molhada de lubrificante e massageou por alguns segundos, estava lubrificada o bastante para lhe receber. Massageou o próprio pau e segurou encaixando a glade na entrada anal do outro que ficou ansioso por tê-lo por completo acertando-lhe o ponto de prazer brutalmente. Tão rápido quanto encaixou a glade, estocou na entrada do platinado que gemeu super alto ao sentir seu ponto ser acertado pela primeira vez naquela noite, Obito acertara inicialmente com uma força brutal o ponto erógeno. Não sentiu dor alguma pois, além de sua próstata ser atingida com força, seu gozo saiu derramando-se sobre sua barriga e sujando ambos os corpos.

O interior de Kakashi era quente, parecia que queimava por dentro. Era apertado também mas Obito gostava da sensação dos músculos do outro o apertando, o estimulava ainda mais. Começou com estocadas fortes, saia quase por um todo e entrava cada vez com mais força, tocava a próstata de Kakashi tão brutalmente quanto da primeira vez fazendo os gemidos saírem dos lábios do grisalho cada vez mais no automático. As pernas se contorciam de prazer, os pulsos já estavam avermelhados de tanto tentar se soltar, saliva escorria pelo queixo e pelo pescoço, os pulmões queimavam suplicando por ar, lágrimas saiam dos olhos, mas Kakashi só sabia gemer o nome de Obito freneticamente e pedia por mais. 

Enquanto estocava com força na entrada do grisalho, Obito começou  lhe estapear com as mãos, estapeou as nádegas e  coxas. O ritmo era rápido, fundo e forte. Obito aumentou a vibração dos grampos mamilares e continuou a meter com força.

Kakashi sentia que chegaria no ápice pela segunda vez, apesar de gostar de levar chicotadas, preferia quando Obito batia em suas nádegas , gostava de sentir a pele do mesmo contra a sua assim como gostava de ver a marca dos dedos depois marcadas na pele esbranquiçada. Obito investia em si sem dó - não que reclamasse, ele gostava assim. Mas, ele queria que as vendas fossem retiradas para olhar para o moreno, queria que as cordas fossem desamarraradas e conseguisse masturbar seu pau.

Obito se sentia no céu e sabia que chegaria ao ápice logo, Kakashi apesar de usar tantos plugs anais era bastante apertado e isso o  enlouquecia. Ainda mais a visão que tinha. O corpo do Hatake estava todo marcado e vermelho pelos tapas e chicotes, o gozo melava o abdômen sexy além de já sair mais pre-gozo do pau, a boca aberta com saliva escorrendo por todos os cantos, o peito subindo e descendo freneticamente, as pernas se contorcendo de prazer, os pulsos vermelhos. Gostava da visão. Kakashi se derramou novamente quando Obito lhe deu um tapa no rosto. Os espasmos se fizeram presente e o corpo inteiro se arqueou, os lábios se abriram em um "O" mas nenhum som saiu, ele gemeu mudo e Obito apreciou a cena com atenção. 

Por nenhum segundo Obito diminuiu o ritmo e Kakashi já ficou duro novamente com as estocadas tão dedicadas em sua próstata. Obito gemia alto e Kakashi se excitava mais ainda ao ouvir seus gemidos anunciando o ápice. Obito estocou por alguns segundos, Kakashi sentiu as veias engrossarem e logo sentiu o líquido quente lhe preencher, O grisalho nunca se cansava da sensação de ser preenchido. Céus, achava  tão gostoso.

Obito saiu de dentro de si arrancando um gemido desaprovador. Ainda estava vendado então não sabia o que o outro faria, sabia que ele ainda estava sobre a cama. Obito aproximou-se rapidamente do rosto do outro e por um momento Kakashi pensou que ele fosse lhe beijar mas não o fez, a venda foi retirada e Kakashi precisou de uns segundos para conseguir se acostumar com a luz vermelha do quarto. Encontrou Obito olhando-lhe com aquele sorrisinho ladino, ele estava nu expondo aquele corpo dos deuses que tinha e Kakashi suspirou apaixonado enquanto tentava recuperar o ar. 

— Apoveite a visão, sim?

Kakashi nem soube o que responder pois não entendera nada. Até sentir um beijo ser depositado em sua glade, seu pau pulsou inquieto. Aquilo o pegou desprevenido, era a primeira vez que Obito chupava seu pau Obito lambeu sua glade lentamente o instigando e provocando enquanto massageava as bolas com as mãos. Depois da glade, como se fosse algum sorvete, lambeu o pau de cima abaixo sem colocar na boca. Kakashi observava a cena minuciosamente, mantinham contato visual, Obito olhava para Kakashi enquanto chupava seu pau igual um picolé e Kakashi olhava para Obito observando as expressões enquanto o pau era chupado. Seus olhos queriam se fechar igual as pernas pois se pau estava sensível, tinha acabado de gozar duas vezes em menos dez minutos e já iria gozar novamente. Porra, Obito iria levá-lo ao limite.

Obito, percebendo que Kakashi queria fechar as pernas segurou as duas coxas com as mãos bem forte que com certeza deixaria a marca das duas mãos e, finalmente colocou o pênis na boca e começou a chupar. Chupou a cabecinha provocando-o, queria que ele perdesse o controle e estocasse em sua boca, mas, ainda estava muito sensível e iria negar um pouco sua boca. E era como um livro aberto, e Obito sabia lê-lo muito bem. Desceu mais começando a chupar metade do pau do grisalho que gemia acima de si, os olhos queriam se fechar mas forçava a deixar abertos, não perderia aquela boca engolindo seu pau com tanta dedicação enquanto o provocava e nem os olhos afiados que o olhavam, simplesmente não conseguia desviar os olhos do outro. 

Os pulsos estavam bastante machucados já mas não impediam Kakashi de tanta se soltar, queria Obito ali tanto quanto queria lhe tirar, seu corpo estava bastante sensível e aquela língua quente e áspera lhe chupando com tanta força tomando seu gozo que já saia, os olhos negros que acabavam com a sanidade mental. Iria a loucura.

Kakashi se entregando de vez impulsionou o corpo para frente fazendo Obito se engasgar ao sentir o membro tocar-lhe a garganta e apesar de sentir uma ânsia e os olhos se encherem de lágrimas, continuou a chupar com mais força enquanto segurava - ainda - com força as coxas. Impulsionou o rosto pra frente e engoliu tudo chegando até a base, sentiu as bolas do mesmo baterem contra seu queixo. A saliva descia pelos cantos dos lábios e depois de uns minutos com a sucção continua do pênis, Kakashi se desmanchou na boca de Obito que engoliu tudo, com um gemido alto clamando pelo seu nome e um revirar de olhos. 

— Obito! 

Kakashi encostou a cabeça na cama e permitiu-se regular a respiração, Obito engoliu o gozo que saiu pelo canto dos lábios. Se perguntava porque nunca tinha chupado o grisalho, ele tinha um gosto salgado bastante gostoso, poderia o chupar pelo resto da vida que não cansaria daquele gosto na boca. Porra, ele era gostoso em todos os aspectos mesmo em. Aproximou-se do outro e soltou os pulsos, saiu da cama e pegou algumas coisas de limpeza, afinal, tinha levado o Hatake ao limite e tinha que cuidar dele. Enquanto pegava as coisas Obito pensava consigo o que estava sentindo e, por algum motivo aquela sensação não tinha sumido. Talvez, devesse ter pegado mais pesado? Como assim não resolveu? Que droga. Quando voltou a cama percebeu que o Hatake está do mesmo jeito que o deixara e logo percebeu que ele dormira.

— Ótimo em... — Sussurou para si mesmo.

Limpou Kakashi adequadamente superficial e depois o pegou pelos braços estilo noiva, saiu do quarto de brincadeiras e o levou para o seu quarto. Deitou-lhe na cama cuidadosamente e viu como estava o clima, eram uma hora da manhã e o clima estava relativamente frio então, cobriu o menor com um lençol e foi tomar banho.

Dizem que no banho é onde se pensa e toma decisões melhores, mas, Obito não fazia ideia do que iria fazer. Não sabia o que pensar e nem que decisão tomar. Que droga. O que estava acontecendo consigo. Sexo era a única coisa que queria, disse para si que essa seria a última vez mas, por que seu corpo anseia por mais? Por que seu corpo deseja mais. Estava perdido.

Colocou um short confortável e pegou o celular no sofá, deveria dormir? Pensou em fazer um café e ficar a noite acordado, mas, sabia que se ficasse acordado às dúvidas iriam martelar em sua cabeça e só queria paz. Iria dormir. Concluiu.

Adentrou o quarto e foi direto ao armário pegar um lençol para se embrulhar e dormir no sofá, mas, algo chamou-lhe a atenção. Kakashi estava esparramado na cama, tremendo de frio pois o lençol tinha caído no chão.

— Obito...

Seu nome fora chamando mas sabia que Kakashi dormia, não conseguiu ignorar. Jogou o lençol que tinha pegado no chão e foi até o grisalho. O ajeitou na cama e pego o lençol que o tinha embrulhado do chão. Sentou-se na borda da cama e estendeu o lençol dos pés até a cintura.

— Dorme comigo...

Olhou para o rosto do Hatake, estava sereno e ele certamente dormia tranquilamente. Ele estava tão bonito, os lábios vermelhos e alguns suspiros saiam ora outra, as pálpebras fechadas, os longos cílios, as maçãs do rosto. Ele era simplesmente lindo. Inconscientemente Obito se aproximou e depositou um beijo na testa do Grisalho e sorriu feliz ao ver o outro dormindo pacificamente. Logo se afastou com os olhos arregalados.

Oh não.

Merda. Merda. Merda. Merda. Merda. Merda. Merda. Merda. Merda. Merda. Merda. Merda. Merda. Merda. Merda. Merda.

Agora entendia exatamente o que estava acontecendo consigo. Céus, estava fodido. Observou Kakashi novamente e percebeu seu coração palpitar.

Não.

SIM.

Que droga. Estava fodidamente ferrado. Suspirou e pensou por uns instantes. Resolveria isso amanhã, hoje, nem por umas horas fingiria que não se preocupava com nada.

Puxou o grisalho para um abraço que se encostou em si rapidamente e embrulhou ambos, abraçou-o com força e encostou os lábios novamente na testa depositando um beijo cheio de carinho e amor. Depois de alguns minutos, pegou no sono.

... 

Kakashi acordou sentindo dores espalhadas pelo corpo todo, não precisou abrir os olhos pra saber onde estava, sentia e reconhecia aquele cheiro, era de Obito, deveria estar no quarto dele. Então se lembrou. 

— É mesmo... Eu vim... Novamente... — Sussurou rouco para si mesmo. O cheiro de Obito estava forte então logo abriu os olhos, seria possível que ele estivesse ali ao lado? Abriu os olhos e olhou o quarto rapidamente. Parou alguns segundos tentando escutar algum barulho mais nada.

Era óbvio que Obito não estaria ali, quando ele acordava Obito nunca estava. Eles não dormiam juntos. Nunca dormiram e com certeza nunca vão dormir. Kakashi se sentou na cama, a cintura doia um pouco. Estava com uma camisa e uma peça íntima preta. Oh céus. "Eu devo ter dormido logo depois de Obito me chupar e eu gozar. Obito deve ter trocado minha roupa.". Pensou.

Saiu do quarto e foi até a sala, com certaza o moreno estaria ali lhe esperando como sempre. Perguntaria algo como "está bem? Está com dor? Quer tomar algum remédio? Eu fiz café! Tchau tenho que ir, deixa a chave debaixo do tapete quando sair!" Eram poucas coisas que conversavam.

Kakashi chegou na sala mas não encontrou nada de Obito, foi a cozinha e nada também. Até ver um bilhete em cima da bancada.

Se estiver com alguma dor tem comprimidos no kit na terceira porta do armário, também fiz café, está na garrafa térmica. Quando sair, coloque a chave debaixo do tapete. 
Obito. 


Kakashi sentiu seu coração errar uma batida, aquele era o bilhete mais indiferente que leu. Sentiu ânsia de vômito. Talvez esse fosse o resultado de se encolver com alguém tão complicado. No fundo, Kakashi sabia que isso aconteceria, mas, realmente não ligava, ou ligava. Não sabia o que sentir em relação ao moreno, apenas suspirou e desviou os olhos do papel para a parede, seus olhos encontraram o relógio. 

Puta merda. Kakashi se desesperou. Estava atrasado.



Notas Finais


O que acharam?
Bem, eu não sou a melhor em escrever cenas em terceira pessoa ainda mais bdsm. Então eu adoraria saber o que acharam de tudo, tanto das cenas quanto dos detalhes.
É isso, espero que tenham gostado! Beijos ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...